Microsoft poderá ser processada pela remoção do Kinect?

Quando a Sony removeu a opção “Install other OS” da Playstation 3, a empresa foi processada por alteração do conceito e caracteristicas de um produto que foi vendido e anunciado como possuindo as mesmas. Daí que a questão é premente! E a Microsoft não vai ser processada por remover o Kinect?

 xboxone-kinectic

Apesar de pessoalmente achar que a remoção do Kinect foi o melhor que poderia ter sido feito para a Xbox, e de acreditar que com decisões como esta, Phil Spencer está a dar o rumo à Xbox que lhe faltava, podendo mesmo criar as condições para que a Xbox One seja uma competidora ao nível da PS4 e podendo mesmo dominar certos mercados e recuperar o prestígio que merece, o certo é que analisando o passado parece quase certo que vários processos contra a Microsoft vão dar entrada em tribunal procurando compensação monetária da empresa pela remoção do Kinect.

E o que está em causa não é a remoção de um componente, mas sim a alteração radical de todo um conceito que era vendido junto com a consola!

Quando a Sony resolveu em 2010 remover o suporte que permitia a instalação de outros sistemas operativos na Playstation 3, a mesma foi imediatamente algo de vários processos em tribunal que alegavam que com a alteração a Sony alterou as caracteristicas iniciais do produto, e que como tal vários consumidores adquiriram o produto levados por uma ideologia e conceito presente em todo o marketing, que deixava posteriormente de existir. Seria assim um caso de publicidade enganosa!



A defesa da Sony baseou-se em questões de segurança, mas no entanto o caso acabou arquivado não porque os argumentos da Sony fossem bons, mas porque segundo o Juiz os queixosos não conseguiram alegar factos ou articular situações que comprovassem aquilo de que se queixavam.

E efectivamente, apesar de a opção estar lá, a mesma era publicitada apenas como uma nota de rodapé. Era no fundo uma característica menor da consola, e apenas no software da mesma.

Já no caso da Microsoft os argumentos poderão ser bem mais fortes. O marketing da Microsoft envolvia de forma clara o Kinect, e ideias como “A Xbox One é o Kinect e o Kinect é a Xbox One” fizeram parte da imagem transmitida pelos responsáveis da empresa.



A consola foi apresentada com um Kinect como sendo um elemento integrante e preponderante da consola, e era deixado bem claro que todo o conceito da consola passava por ele, incluindo a publicidade que demonstrava o Kinect como parte integrante da consola. Aliás a Microsoft referia de forma clara que toda a consola tinha sido desenvolvida em torno do Kinect.

Isso quer dizer que com o abandono do mesmo, passando-o para segundo plano e um objecto opcional,  os advogados americanos vão provavelmente ter um dia em cheio com processos contra a Microsoft, e diga-se que caso existam, desta vez os argumentos de possíveis queixosos serão bastante mais fortes.

Apesar de para os programadores a situação ser vista como vantajosa, estes não deixaram de emitir algumas palavras que mostram essa perspectiva:



Posts Relacionados