Microsoft termina suporte ao Windows 7

O Windows XP foi descontinuado após 13 anos de bom serviço. Agora a Microsoft começa a fechar as portas ao Windows 7.

Windows-7

Todo o hardware e software possui um ciclo de vida. E naturalmente o nível de suporte varia ao longo desse ciclo de vida.

2014 ficou marcado pelo final do período de suporte estendido do Windows XP. E apesar de o sistema operativo ainda ser funcional e totalmente eficaz, isto levou a que muitos, empresas e particulares, fizessem finalmente o upgrade ao sistema operativo.

Ora nessa altura as escolhas eram basicamente duas. O Windows 7 e o Windows 8.1, sendo que muitos optaram pelo primeiro por motivos diversos.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Assim muitas empresas, por questões de produtividade e por um historial de estabilidade e eficácia muito bom, optaram por fugir ao Windows 8.1. E da mesma forma, muitos particulares fizeram o mesmo, como os valores de quotas de mercado permitem comprovar.

Assim, desde o final do seu suporte, a quota de mercado do XP desceu para os 18,25%, um valor que mesmo assim é superior às quotas do Windows 8 e 8.1 somadas (4,03% e 9,49%).

O Windows vista continua a quase nem contar, com 2,9%.

Basicamente, actualmente, a quota de leão do mercado é do Windows 7, com 56, 26% do mercado.


Mas infelizmente para quem fez estas escolhas, a Microsoft não pára. E face aos novos sistemas operativos, quem optou pelo Windows 7 irá ter novamente que repensar o futuro, uma vez que a 14/01/2015 a Microsoft terminou o denominado suporte base (mainstream) do Windows 7 SP1, fazendo-o entrar no período de suporte estendido.

Apesar de este OS, agora com suporte reduzido, ainda dever ter pelo menos 5 anos de suporte para updates críticos e de segurança, será melhor que os utilizadores deste OS comecem a pensar para o que pretendem mudar no futuro. A versão 10 do windows está prestes a ser anunciada, e perante estes períodos reduzidos de suporte face ao lançamento de novas versões do Windows há que se pensar se o 8.1 será uma boa opção.

E se isto poderá não ser um problema para quem obtém o Windows com os PCs, para quem o paga e especialmente para quem precisa de grandes quantidades de licenças é um raciocínio que deverá ser obrigatório.

Publicidade

Posts Relacionados