Microsoft vai desenvolver um novo Browser para substituir o Edge, e será baseado no Chromium.

Vendo que não consegue impor o seu Browser, a Microsoft vai criar um novo, e desta vez vai-se basear no motor mais popular do mundo, o usado pelo Chrome, o Chromium. Agora a questão é! Se o Chromium lhes serve, porque não usarem pura e simplesmente o Chrome?

A Microsoft quer um novo browser. Não conseguindo impor o seu Edge Browser, a sua ideia passa por o substituir por algo novo, neste caso um browser baseado no mesmo motor usado pelo Chrome, o Chromium, mais em particular o Blink que a Google desenvolveu em 2013 e que tem sido a base do Chrome desde a versão 28.

Há certas situações, associadas a esta decisão que dão o que pensar.

A primeira é a revelação que a Microsoft desiste de concorrer com a Google na elaboração de um browser, deitando finalmente a toalha ao chão! Apesar de tentar impingir à viva força o seu browser e standards que se tem revelado flops, alegando regulamente, incluindo no momento em que se tenta instalar o Chrome, que o seu browser se revela melhor nisto e naquilo, a Microsoft internamente reconhece a frustração com o browser, em particular no que toca a compatibilidade com os standards web.

Devido a isso mesmo, o Chrome tornou-se o browser mais popular, e acima de tudo graças ao Android, lidera destacado o mercado, sendo que o seu motor tem sido o favorecido no que toca a optimizações de motores de rendering para websites. Mais ainda, o uso de serviços web exclusivos do Chrome está em crescendo. O motivo prende-se com o facto de este browser ser líder em tecnologias e standards web.



Como resultado o Edge caiu e, por muito que a Microsoft o publicite, ninguém o quer verdadeiramente, sendo que a Microsoft está prestes a admitir isso. Mas a realidade é que, tal como em outras actividades, a Microsoft só admite que falhou, e altera as coisas, quando a situação fica mais negra, pois até lá tenta sempre passar uma imagem de sucesso.

A segunda questão que surge é: Mas porque um novo browser? Porque não usar mesmo o Chrome?

Bem, a resposta só a Microsoft a sabe, mas especulando acreditamos que ela terá dois motivos! O primeiro deverá ter a ver com o facto de o Chrome não ser um produto Microsoft, e muito certamente, para este gigante, não fornecer um browser proprietário é algo que mexe demais com o seu orgulho.

Mas por outro lado haverá outras razões mais comerciais, e que passam pelo facto de a Microsoft querer tentar impor os seus standards, algo que com o Edge não conseguia. Ao ter um browser baseado no popular motor do Chrome, poderá ter assim uma base que pode ganhar popularidade, alterando-o daqui para a frente e tentando aí ganhar mercado para poder tentar novamente impor os seus standards na industria.

 

 



Posts Relacionados