Modulo Chinês Jade Rabbit aterrou na lua. Verdade ou mentira?

A televisão estadual Chinesa mostrou imagens da Sonda enviada à Lua, nas suas manobras de alunagem.

Jade Rabit

A televisão Chinesa mostrou as imagens oficiais da Alunagem da sua sonda enviada à Lua e que terá alunado no fim de semana passado.

Podemos ainda ver que o carro lunar de 136 Kg foi descarregado na superficie lunar 7 horas depois após a Sonda Chang’e 3 ter tocado no solo da face lunar virada à Terra.

A missão teve início na parte Sul da China no passado dia 2 de Dezembro e a sonda foi lançada por um foguetão Long March-3B.



O carro lunar é denominado de Jade Rabbit, um nome que deriva do animal de estimação da Deusa da Lua (de acordo com a mitologia Chinesa), Chang’e, o nome dado à Sonda.

Curiosamente, sem querer ser um adepto de teorias de conspiração há várias questões que se me vieram à cabeça ao ver o vídeo, e que me levam a questionar a autenticidade do mesmo.

O módulo lunar possui um forte motor que abranda a sua queda. A superficie Lunar possui gravidade, tal como a terra, apesar de esta ser apenas 1/6 da existente no nosso planeta.

Isso quer dizer que a Sonda, possuindo um carro de 136 Kg deveria pesar, no mínimo perto de 500 Kg, o que na superfície lunar equivale a algo como 86 Kg.

Ora para aterrar com suavidade um peso de 86 Kg, e associando este ao peso ao peso de um humano adulto, seria preciso um motor com a potência de um jetpack.

Ora um jetpack activado numa zona com pó ou areias levanta e projecta as mesmas. E por esse motivo questiono porque tal não acontece no vídeo, e porque motivo o solo parece não perturbado na zona de alunagem e onde os motores incidiram.

Existindo uma gravidade baixa, este pó não só deveria levantar, como deveria demorar a assentar. E este pó existe como podemos ver quando o carro lunar, que na lua pesará perto de 22 Kg, se move, deixando rastros das suas lagartas.

Mas curiosamente a câmara que filma a sua descida, mesmo tendo-se passado 7 horas após a lunagem, não possui qualquer pó na sua lente. E o solo que deveria ter visto a poeira arrastada com os motores, não está alterado ou perturbado e o pó está lá para ser calcado com o módulo.

São meras curiosidades, e provavelmente até se explicam. Mas sinceramente eu não gosto de aceitar como verdadeiro tudo o que me dão a conhecer, e gosto de questionar e levantar questões. Daí que neste caso elas me apareçam… e bastantes. E até ter respostas vou questionar o que vi.

E vocês, o que pensam? Vejam o vídeo:

Nota: O leitor Carlos Martins já deu uma explicação lógica à situação. Aquilo que parece ser jatos dos motores (entre o segundo 40 e 43) é na realidade a câmara a re-focar após o impacto




Posts Relacionados