Nintendo Switch está hackada e não há nada que a Nintendo possa fazer quanto a isso!

A falha explorada é no Hardware, e não há nada que possa ser feito a nível de software para bloquear o hack!

O grupo FailOverflow veio dar a conhecer que a Nintendo Switch foi hackada e como prova de conceito foi colocada a correr o sistema operativo Linux.

A falha explorada para entrarem na consola não foi sequer no software… foi no hardware. Trata-se de uma falha na Bootrom e não pode ser tapada na atual geração de consolas.

A falha não só não requer qualquer alteração à consola, como para ser tapada requer uma alteração no hardware, algo que só pode acontecer nas futuras consolas, mas nunca nas atuais. É uma falha especifica dos Tegra X1 da Nvidia e que é usado pela Switch!

Para quem o termo Bootrom não diz nada, é uma ROM onde se encontra o código que é executado pelo chip, e que, devido à falha, a FailOverflow alterou de forma interceptar e substituir, conseguindo aquilo que pretendia.

Até ao momento o chack não passou de uma prova de conceito pois os FailOverflow não revelou como faz ou o que faz, tendo apenas mostrado que é possível fazer-se. Mas a partir do momento que o fez se não forem eles alguem o fará igualmente, e a consola a correr jogos pirateados é apenas uma questão de tempo!



Posts Relacionados

newest oldest
Notify of
Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Bem, no Brasil o aparelho irá vender 3 vezes mais.rs. Mário, vc sabe me dizer qual o tamanho do buraco com a pirataria? Será que nos países de primeiro mundo vão aderir à pirataria? Pq já li tanta coisa nesses anos que realmente não sei o que pensar sobre. Uns dizem que a pirataria dá um boom para os países emergentes por conta do alto custo dos jogos( impossibilitando a compra tanto do console quanto dos jogos) mas que não afetam a nível global, pois onde vende em alta escala são em países que não costumam aderir a isto, outros dizem que afeta e dificulta a vida útil do aparelho com relação a jogos de terceiros. Outros ainda afirmam com veemência que não afeta negativamente, pois se assim fosse, consoles como ps1, PS2, Wii, Xbox 360, Nintendo DS e PSP jamais teriam sido sucessos não somente de vendas de Hardware, mas tb de vendas de software msm com a pirataria impregnada, mas confesso que não tenho nada a dizer sobre. O que vc pensa quanto a isso, Mário? Qual impacto negativo ou positivo ( se existir) fará nos dias de hj? Abraços…

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Por aqui o PS2 e o X360 tiveram um tremendo boom por conta da pirataria, nesse caso do Switch é bem tenso, hackear o Hardware… Caramba.
Não sei o que pensar disso. Mas se por algum motivo o Switch virar febre por aqui não seria mal…

PS: nunca tive aparelho desbloqueado e nem Windows pirata, não porquê sou certinho, mas é porquê gosto de ter toda a capacidade e suporte possível de um produto.

Porém, certa vez fui pesquisar a compra de um 3DS, arriscar algo novo, e me assustei quando pediram 300 reais num jogo que ainda por cima era full japonês ( !!! ) (E nem era um grande lançamento, já tava a tempos no mercado, bom essa era a média, daí pra cima na verdade)
Nesse caso eu aceitaria um “Jack Sparow Edition” por ficar totalmente inviável o negócio. 😁

Livio
Visitante
Livio

Meus SNES, PS1, PS2, Saturn são desbloqueados , pois meus pais tinham uma locadora de games(Não sei se tinha isto em Portugal mas ao invés de alugar consoles/jogos o aluguel era por minutos de uso do videogame). Tb tenho um PSP e um Gamecube Q desbloqueados, estes são pessoais mesmo, infelizmente o Q mesmo antes do desbloqueio o modo Game não funciona nem com disco original, já no modo DVD funciona perfeito.

Com o PS3 iniciei com ele destravado, mas depois o travei pois estava curioso em jogar Online(tb pq a situação $$ melhorou) e assim continuo até os dias de hoje com Vita, PS4, 360 e One.

bruno
Visitante
bruno

Eu só tive uma experiência com pirataria. Foi com a PSP, e fiquei sem consola graças a essa brincadeira, porque avariou. Tive que comprar outra depois.

Nunca antes ou depois piratiei fosse o que fosse. Sei que para quem é apaixonado pelo hardware é fascinante, mas em consciência não me sinto bem ao fazê-lo – não só acho que estou a estragar a máquina, como agora, que sou mais adulto, percebo muito melhor o que está em jogo.

Livio
Visitante
Livio

Se bem que o modchip no PS2 e 360 foi um hack no hardware, assim o vejo.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Era ligado na placa mãe o modchip do PS2,acho legal que na época até as revistas especializadas faziam propaganda da loja e do chip a ser instalado.
A gente achava normal aquilo,mas hoje sinto vergonha da nossa indústria naqueles tempos onde até os meios especializados davam crédito não ao produtor ou empresa do jogo,mas sim do produto pirateado.
É como se dissessem para nós,tem o jogo original,mas o pirata é melhor e mais,muito mais barato.

bruno
Visitante
bruno

Talvez, mas o que me recordo desses anos, é que nem havia um mercado de usados de jeito, e muito menos promoções. E os preços tanto quanto sei andavam ela por ela com os dias de hoje.. (acho que um jogo PS2 novo numa loja como a worten custava algo como 40 a 60€ se nãpo mais).

Eu não apoio a pirataria mas não nego que ás vezes é necessária para controlar os preços do mercado.

Mas entre a pirataria e o mercado de usados, prefiro os usados – não roubo ninguém, e ajudo pelo menos as lojas que pagam os impostos.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Concordo plenamente.
Pois para mim tanto faz tanto fez,pois somente compro jogos originais,poucos pelo valor,mas compro

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Humm, não sabia disso. Pra mim era no software… Pra vc ver como eu tô por fora das pirataria.

Livio
Visitante
Livio

O modchip é um circuito eletrônico que injeta códigos em alguns pinos do processador ou syscon.

No PS1 o modchip mais utilizado era somente um microcontrolador de 8 pinos(tinham outros maiores), já no PS2 além do microcontrolador existiam outros componentes como cristal, resistores e capacitores. O do 360 não posso de explicar pois nunca tive contato.

No PS1, lembro ao ler um site, um cara(russo, eu acho) descobriu que ao colocar um disco original o processador recebia um código de pulsos em um dos seus pinos(nos CDs originais tem um setor que somente o PS1 “consegue ler”), então ele verificou os demais pinos e viu algo como uma sequência, daí ele replicou o que descobriu em um microcontrolador e assim surgiu o modchip do PS1.

Já a partir do PSP/PS3 a pirataria deixou de ser hardware p/ ser software.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Realmente não faço idéia do que fizeram, curioso como não me atentei pra isso na época, achei tudo muito normal, mas agora percebo que foi “estranho”.
Pena eu não ter como provar nessa altura.

Livio
Visitante
Livio

Então creio que houve alguma interferência por parte da Magazine Luiza, ela pode ter adquirido o estoque por uma loja que realizou o desbloqueio e aplicou uma garantia maior que o habitual.

Lembro que antes de ser oficial no Brasil as grandes varejistas já vendiam o aparelho, por serem lojas conhecidas elas provavelmente aplicaram garantia de 12 meses para não ter problemas com o CDC.
*Código de Defesa do Consumidor

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Interessante.

Pra esclarecer, ele não usava nenhuma artimanha, simplesmente foi no camelódromo e comprou vários jogos, como Midnight Club e God of War, chegou em casa e pôs pra rodar, sem nenhum tipo de problema, juro. Ao que a loja fez, não faço a menor idéia, e nem nunca parei pra pensar nisso, nem meu era apesar de jogarmos juntos e tudo ir muito bem.

PS: na época, os importadores davam 3 meses de garantia, o da loja era 12 meses com a possibilidade de expansão, e como meu irmão tinha uns 12 anos e era descuidado, achei prudente ter isso em conta.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Quando comprei o PS2, o comprei no Magazine Luiza, (Grande varejista aqui do Brasil) não fiquei com ele, o dei para meu irmão, eu jogava no PC na época pois achava o gráfico e mods etc mais interessante enfim, mas ele não fez nada e tacava os jogos piratão nele, não tinha 1 original, então agora te digo, estávamos comprando aparelhos desbloqueados no mercado formal… O comprei lá pela maior garantia.

Livio
Visitante
Livio

Provavelmente ele utilizava o método do memory card. Se não foi por memory card o PS2 era ou foi posteriormente desbloqueado.

Pode ter sido que a Magazine Luiza ou comprou de outro local ou abriu espaço para uma loja pequena e você não percebeu.

Alguns modchips do PS2 eram bem confiáveis e algumas lojas informais já davam garantia de 6 a 12 meses mesmo em produtos desbloqueados.

Livio
Visitante
Livio

Essa falha seria algo parecido com o que descobriram com o PS2?

Quase no final de vida do PS2 descobriram uma falha em que pode rodar Homebrews e ISO de jogos em um PS2 sem modchip, para isso era necessário instalar um arquivo no Memory Card, ou seja, descobriram algo como uma ordem de boot em que as portas do Memory card eram as primeiras a serem lida.

Na época não existia upgrade de firmware, nem os mais recentes jogos conseguiam remediar esta falha(No PS1 e creio que tb no PS2 existiam jogos anti-modchip). O único modelo que barrou esta falha foi o último modelo do PS2 Slim.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Falando em Switch, olha que raiva disso;

http://www.eurogamer.pt/articles/2018-02-21-ea-nao-tem-nada-a-dizer-sobre-burnout-paradise-na-switch

“Rapidamente, surgiu a pergunta: onde é que está a versão para a Nintendo Switch? Em resposta ao Polygon, um representante da Electronic Arts disse que “quanto à Switch, não temos nada para anunciar”.”

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Mário, o modo portátil do switch tem menor performance que do ps3 e Xbox 360? Como assim?

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

O torna(corrigindo)