Note 7 – O melhor smartphone da Samsung, ou uma decepção?

O Note 7 foi apresentado. É mega interessante, mas fica aquém do esperado!

A Samsung já revelou o seu novo phablet topo de gama! É o muito esperado Galaxy Note 7, o sucessor do Note 5, e não designado de Note 6 por uma questão de acerto na designação face ao S7 (e certamente seria complicado explicar como é que o 6 é mais recente que o 7 😉 ).

Com os dados e fotos oficiais o que podemos saber sobre este smartphone?

Bem, o seu design é claramente influenciado pelo Galaxy S7 Edge, apesar de menos arredondado nos topos, o que lhe confere um ar mais profissional.

E esse é o objectivo do Note 7, ser um telefone profissional. Daí a presença da tão popular S pen que vem com mais funções do que nunca, como a possibilidade de criar gifs animados a partir de videos, ou mesmo de efectuar traduções de textos de qualquer língua para qualquer língua.



Mas basicamente o Note 7 vem tomar o lugar do Edge+ lançado o ano passado e que não deverá voltar a ver a luz do dia. A Samsung assume assim claramente a posição, pelo menos para este ano, de ecrãs de 5.5 polegadas para telefones mais lúdicos e 5.7 para os mais profissionais.

O CPU do smartphone varia conforme a região. Nos EUA o processador será o Snapdragon 820, o mesmíssimo do S7, mas já a Europa verá uma ligeira melhoria com o processador a ser o Exynos 8893, uma versão overclocked do 8890 que equipa o S7 Edge (2.6 Ghz contra 2.3 Ghz no S7).

Aqui surge uma das primeiras decepções face aos rumores que previam um processador muito mais rápido. No fundo este smartphone topo de gama da Samsung não possui um processador melhor que o One Plus 3 igualmente equipado com o Snapdragon 820 e que não é sequer um topo de gama. A Samsung perdeu aqui uma boa oportunidade de se destacar.

A bateria desce face ao S7 dos 3600 mAh para os 3500 mAh, apesar de a Samsung garantir que a bateria dura mais neste Note 7 devido a várias funções adicionais de poupança de energia. Face aos rumores de 4000 mAh esta foi igualmente uma situação que deixou a desejar. Valha-nos a já referida referência às diversas melhorias realizadas para poupança de bateria que deverão fazer render mais o existente!



O ecrã é um Super Amoled que a Samsung anuncia como HDR. Um pouco uma jogada de market uma vez que a Samsung não deu indicações que o ecrã usado seja diferente do usado no S7, e isso implica que ele, apesar de ser capaz de uma paleta de cores mais alargada que um LCD não é capaz de atingir os 10 bits de cor que definem a norma. Seja como for, a melhoria existirá face ao S7 que não explora essas cores adicionais.

Uma outra jogada de marketing usada na apresentação foi a referência ao suporte ao Vulkan. Algo que o S7, apesar de não referido, suporta igualmente. Aliás mesmo o Note 5 e o S6 deverão suportar o Vulkan pois o seu hardware é perfeitamente capaz.

A memória é 4GB, tal e qual como o S7, ficando atrás do desejados 6 GB que a Samsung já possui e podia ter utilizado. Mais uma vez o One plus 3, um telefone que nem sequer se define como topo de gama, bate aqui a Samsung.

Temos ainda como novidade a estreia no mercado de vidros Gorila Glass 5, o facto de o smartphone ser à prova de água e de poeiras, e a ficha USB Type C no carregador, e uma Spen mais fina e funcional dentro de água.

Não podíamos deixar igualmente de referir a presença do sensor de leitura de iris. Uma novidade que parece pouco útil e interessante, especialmente para quem usa óculos e onde, pura e simplesmente, não funciona. Mas certamente haverá quem lhe dê uso!

No global o Note 7 é um smartphone muito interessante, apesar de todas as situações algo decepcionantes referidas acima. Aparenta ser o melhor Note alguma vez criado e certamente o que possuirá mais funcionalidades, motivo pelo qual pretendo fazer o upgrade para ele.

Falta só ver o preço a que chegará a Portugal!



Posts Relacionados