Nova geração: Os pontos fortes e menos fortes de cada um dos competidores que já anunciaram a entrada no mercado dos videojogos

A nova geração está à porta. Microsoft, Nintendo e Sony estarão lá, mas agora há novos tipos de serviços e novas empresas a competir pelos gamers. E aí temos de incluir A Google, a Apple e mesmo a Amazon que se fala estar prestes a anunciar também um serviço. Perante tanta competição, como se comparam estas empresas nos vários pontos em que vão competir.

A tecnologia Cloud

Uma das tecnologias que vai entrar em força é o streaming, e tal requer o uso da Cloud. Nesse campo os competidores estão em posições diferentes no que toca à experiência, mas igualmente no que toca à infra-estrutura possuída.

Analisando as empresas com os valores de 3 a 5, em que 5 é excelente, 4 é bom, 3 é mediano, e 2 é insuficiente, como podemos classificar as diversas empresas no que toca à experiência e infra-estrutura Cloud?

AMAZON – 5

A Amazon é uma empresa com grande experiência na Cloud, e acima de tudo, a Datamation considera que é ela quem possui a maior infra-estrutura cloud do mundo.  O investimento na sua Cloud é igualmente o maior de todos, com as ferramentas que fornecem a terem crescimento exponencial. Basicamente as capacidades da sua Cloud não tem rival.



Assim, dotada da infra-estrutura e da experiência do Streaming graças ao seu Amazon Prime, à Amazon só lhe falta mesmo o streaming dos jogos, um serviço que se refere está em preparação. Daí que reunindo estas condições, o que podemos dizer é que a posição da Amazon para estes serviços é Excelente (5)

GOOGLE – 4

Apesar de uma infra estrutura capaz e bem dotada a Google entrou no mercado Cloud muito mais tarde que a concorrência, sendo que os seus servidores estão muito divididos em capacidades específicas. Apesar de capacidades técnicas e profundas, e um serviço de cloud já anunciado e apoiado em especificações impressionantes, a Google está ainda tem a sua infra-estrutura Cloud em crescimento, e nesse sentido torna-se difícil estar a colocar a mesma no mesmo patamar da já avaliada Amazon, apesar da experiência com streaming vinda do Youtube é certamente grande.

Nesse sentido, a Google terá de levar um Bom (4).

Microsoft – 5

Como já perceberam, evitei falar da Microsoft nas linhas anteriores, uma vez que a mesma ainda não estava avaliada. Mas a realidade é que se há rival para a Amazon, ela é a Microsoft. A sua infra-estrutura é igualmente excepcional e capaz, e está já preparada e dotada de hardware para entrar nos serviços de streaming.

Apesar de a sua experiência nessa área não existir, a sua infra-estrutura cloud, e a qualidade da diversidade de serviços que ela apresenta, permite-lhe garantir uma posição privilegiada e uma nota de Excelente (5).

Sony – 3

A Sony não é uma empresa que possua uma grande infra-estrutura Cloud. No entanto é de todos os concorrentes, o único que possui real experiência com o streaming de jogos, e nesse campo conta com o serviço mais popular, o PS Now. A empresa está claramente em investimento e bem recentemente anunciou que o seu PSNow estaria disponível em mais 7 paises da Europa.

Apesar de tudo, a Sony não pode ser comparada aos competidores de cima, sendo que neste campo temos de considerar que a sua posição está algo fragilizada, e nesse aspecto considerar que a mesma terá de ser avaliada com o Mediano (3)

Nintendo – 2

Sobre a Nintendo não há muito a dizer. A sua infra-estrutura de cloud é inexistente, e mesmo a sua rede é algo arcaica. Nesse sentido, neste tipo de serviços a Nintendo terá claramente de levar um Insuficiente (2)

Apple – 4

O caso da Apple acaba por ser bem diferente dos restantes. Apesar de concorrente, e de ter anunciado um serviço de susbcrição, o serviço da Apple abrange apenas a cedência de jogos para dispositivos móveis e no regime de download dos mesmos.

Para as suas necessidades a sua infra-estrutura de rede, que neste caso nem se enquadra plenamente na definição de serviços cloud, que passam por capacidade de processamento disponível para aluguer e não por serviços de rede, e daí que teria de ser avaliada como Excelente (A). Mas dado que o que oferece nem sequer se compara ao que a concorrência possui, teremos de descer a avaliação.

A questão depois é que um C ou um D poderiam dar a entender que a Apple não está correctamente adaptada e com capacidade para cobrir o mundo com o seu serviço, o que não corresponde à verdade, e daí que lhe vamos dar um Bom (4).

Apesar da nota, não podemos deixar de ressalvar que o B é apenas pela adequação às necessidades do seu serviço e que comparativamente a nota acaba por ser injusta.

Base de Fans

Amazon – 3

Falar em base de fans para a Amazon é complexo. Especialmente quando o campo é os videojogos! No entanto temos de reconhecer que a qualidade dos seus serviços Cloud atrai muitas pessoas, e que nesse aspecto a Amazon tem nome. Daí que num serviço destes não podemos considera que a Amazon parte nas mesmas condições dos concorrentes. E isto porque devido à qualidade da sua Cloud, certamente muitos mais se sentirão tentado a optar pelo serviço da Amazon do que outros.

Para além do mais, tendo a Amazon tradição na venda de jogos, com uma base de clientes enorme, a possibilidade de estes poderem transitar para os seus serviços é real.

Nesse sentido a Amazon leva um Mediano (3).

Google- 2

Mais uma vez, seguindo a lógica anterior, não falamos deste serviço antes dele ser avaliado. Mas a comparação de cima era claramente com a Google. A realidade é que a tradição de serviços Cloud da Google não se compara à da Amazon, e nesse sentido, quando se fala de serviços Cloud, a imagem global que há das duas imagens não se compara exactamente.

De notar que esta situação pode causar confusão a muitos que olham para a Google como muito mais reputada do que a Amazon, sendo que a maior parte do mundo até usa serviços Google, sendo que muito menos pessoas usam serviços da Amazon. Mas tal não correspondem a serviços Cloud. O que está aí em causa são serviços de rede, mas não uma infra-estrutura livre com processamento disponível que pode ser usada de acordo com as solicitações do cliente. A Cloud!

No que toca a Cloud propriamente dita, e Google não tem tradição instalada, muito menos no capítulo dos videojogos, e nesse sentido terá de ser avaliada com um Insuficiente (2).

Microsoft – 4

A Microsoft é uma empresa que no domínio dos videojogos e dos fans possui uma boa base de fans que lhe garantirão sucesso no futuro. No entanto, nesta geração de consolas o que se viu foi que a mesma caiu bastante e que as decisões da empresa não agradaram a todos. Seja como for, a Microsoft está claramente acima das empresas já avaliadas, e apesar de a sua base de fans não ser a maior do mercado, ela é considerável, levando por isso um Bom (4)

Sony – 5

Devido ao sucesso da sua PS4, a Sony é atualmente a empresa que mais fans cativou, tendo uma base estabelecida que se estima em mais do dobra da da Microsoft. É, no domínio dos videojogos a atual referência, e nesse sentido é avaliada com o Excelente (5).

Nintendo – 4

A base de fans da Nintendo é dificil de avaliar. E isto porque as consolas vendidas, apesar de já terem igualado as da Xbox, em muito pouco tempo, não representam a totalidade da base de fans da empresa. Os seus jogos são muito peculiares e de nicho e a Nintendo possui fans por todo o mundo. A prova-lo não temos apenas o sucesso recente da Switch, mas igualmente os largos, mas mesmo muito largos, milhões de fans que aderem ou aderiram às suas consolas 3DS.

Torna-se dificil de dizer se a Nintendo conseguirá chamar todos esses fans numa nova geração, mas o potencial da empresa é inegável, e nesse sentido teremos de o considerar igualmente como Excelente (5).

Apple – 4

Os fans da Apple são um bocado diferentes dos restantes. Aqui falamos talvez da malta mais obcecada pela marca de todos os casos. Pessoas que, desde que a coisa traga o logótipo da maça, querem aderir. E são aos milhões!



A questão é que como referido já anteriormente, o mercado da Apple não é bem concorrente directo dos restantes, apesar de estar a lutar pelos mesmos clientes. Daí que se o excelente poderia ser a nota a dar ficamos pelo Bom (4)

IPs

Ao falarmos de IP’s falamos de exclusivos que vendam consolas. Exclusivos que atraem pessoas em quantidade e que as levam a preferir um produto sobre o outro. Vamos ver então:

Amazon – 2

A Amazon não tem tradição no mercado dos jogos, e como tal não possui qualquer IP de renome do seu lado. Mesmo que os venha a comprar, a criação de uma associação do IP ao nome da empresa vai demorar anos a surgir. Daí que a Amazon neste campo leva um Insuficiente (2).

Google – 2

O caso da Google é em tudo igual ao anterior, o que permite poupar umas linhas de texto. Insuficiente (2).

Microsoft – 4

Um caso bem diferente dos anteriores está na Microsoft, uma empresa que possui IPs dos mais reputados do mercado. Infelizmente os nomes de grande sucesso são poucos e a MIcrosoft investe neles de forma repetida o que tem causado algum cansaço no mercado que é visível pelo decréscimo das vendas a cada novo lançamento. Nesse sentido, a empresa não leva o excelente, ficando-se pelo Bom (4)

Sony – 5

A Sony é, mais uma vez, a empresa que mais IPs de sucesso possui. Mas mais do que isso é a empresa que mais aposta em novos IPs. A sua posição no mercado é graças a isso incomparável, e por isso leva o Excelente (5).

Nintendo – 5

Se há IPs que vendem consolas e chamam pessoas, são os da Nintendo. Podem ser jogos de nicho, mas não deixam de ser excelente e cativar pessoas de todas as idades. Os exclusivos Nintendo são nesse aspecto… únicos. Excelente (5).

Apple – 4

Será que podemos falar verdadeiramente em IPs de renome na Apple? Na realidade não! Mas isso é irrelevante pelos motivos já expostos. Se a Apple adquirir algum, os seus fans vão comprar. Se não adquirir… vão comprar na mesma. Daí que leva um Bom (4).

Serviços

Porque uma consola não vive só de jogos, há que se considerar a tradição em serviços adicionais de agrado aos gamers.

Amazon – 4

A Amazon tem uma série de serviços de venda de jogos e de streaming de filmes que pode perfeitamente disponibilizar como complemento ao seu serviço de streaming. Não é algo tão completo como a concorrência pode disponibilizar, mas merece mesmo assim o Bom (4)

Google – 4

A Google tambem tem alguma vantagem neste campo. Com a procura crescente pelos jogadores da transmissão de videojogos, a integração do Stadia com o Youtube é uma ferramenta poderosa. Mais ainda, a Google tem a infra-estrutura de rede para colocar uma loja funcionar e acrescentar serviços extra. Daí que leva igualmente o Bom (4).

Microsoft – 5

A Microsoft conta com vários anos de experiência no fornecimento de serviços que os Gamers procuram. Nesse sentido, a empresa oferece o pacote completo e terá de ser avaliada com o Excelente (5).

Sony – 5

Mais uma vez podemos poupar umas linhas de texto, chamando a atenção para as linhas da Microsoft. Excelente (5).

Nintendo – 2

Infelizmente este é um campo em que a Nintendo peca, e a sua última consola, a Switch vem totalmente desprovida de software para funções adicionais. A Nintendo está muito desfasada dos serviços da concorrência, e mesmo na qualidade da sua rede. É claramente uma empresa que neste campo ficou para trás. Insuficiente (2).

Apple – 3

A Apple possui mais serviços que a Nintendo, mas mesmo assim longe de estar ao nível do que as restantes empresas oferecem. No entanto, para o serviço móvel atingido, a situação compensa e mostra-se adequada. Leva um Mediano (3)

Hardware

Aqui pretendemos analisar a capacidade da empresa de lançar hardware que cative e prenda o cliente.

Amazon – 2

A Amazon nunca criou de raiz nenhum hardware, não tendo qualquer tradição nesse campo. Nesse aspecto, a empresa só pode levar um Insuficiente (2)

Google – 3

O historial da Google é claramente superior ao da Amazon, mas longe de alguma vez ter criado um produto que fosse considerado de topo. Os seus Nexus variavam de qualidade consoantes o fabricante escolhidos e mesmo o seu smartwatch criado pela motorola, o moto 360 deixou bastante a desejar. No global a Google tem dois equipamentos que não tem sido verdadeiramente problemáticos, o seu smartphone Pixel, que apesar de uma boa câmara não se destaca em mais nenhum aspecto, e o Chromecast, esse sim uma excelente peça de hardware.

Leva por isso um mero Mediano (3).

Microsoft – 5

O histórico de consolas da Microsoft fala por si. O seu hardware é bom, é capaz. É uma empresa que é capaz de produzir hardware de topo. Excelente (5).

Sony  – 5 

O histórico da Sony fala por si. E as suas vendas também. O seu historial coloca-a como líder neste campo! Excelente (5)



Nintendo – 4

Falar da Nintendo como sendo uma empresa que sempre possuiu hardware excelente é uma questão de perspectiva. O hardware da Nintendo sempre ofereceu algo de novo e original, mas no que toca ao capítulo das performances, a Nintendo tem ficado para trás. Basicamente a Nintendo tem vivido de hardware mais simplificado sobre o qual coloca os seus jogos. A marca chegou a um ponto onde a diversão passa a necessidade de grafismo ou uma máquina super potente.

Nesse aspecto não podemos nunca dar um Excelente à Nintendo, mas a realidade é que dado que o que a Nintendo produz se revela mais do que suficiente para ter sucesso, o Bom (4) não pode deixar de ser dado.

Apple – 4

Aqui temos de entrar mais uma vez numa questão de contexto. O hardware da Apple não concorre com o de uma Microsoft ou Sony, mas a realidade é que a Apple apenas entra no mercado de dispositivos móveis. E aí, a nível de performance, ela é líder de mercado. Daí que se o Excelente poderia soar à avaliação ideal, como a ideia é avaliar a capacidade de competitividade entre as marcas, não podemos de forma alguma dar a mesma nota que uma Microsoft ou Sony. Daí que vamos mais uma vez para o Bom (4).

Conclusões

Perante esta avaliação, temos então os seguintes valores:

Concordam com a avaliação?

Nota: Se a tabela de cima parecer familiar, há um motivo para isso. No Website Thurrot, Brad Sams, um Insider Microsoft e conhecido aficionado Xbox publicou um artigo sobre este tema e no qual uma tabela semelhante aparecia.

O artigo é pago e como tal não temos acesso a ele, mas a tabela foi publicada num fórum, e podem vê-la abaixo:

Tendo visto esta tabela e concordado com os valores nela apresentados, apesar de desconhecer os argumentos de Brad para as pontuações, uma vez que o artigo me está inacessível, achei ser boa ideia tentar reproduzir o mesmo, mas apresentado os meus argumentos para os valores.



Posts Relacionados

newest oldest
Notify of
Daniel
Visitante
Daniel

Mario o que chama a atenção é a incapacidade da Sony em disponibilizar o PS Now no Brasil, enquanto há uma legião de fans que pagam caro para terem acesso aos lançamentos. Inclusive o numero de assinantes do serviço é proporcionalmente insignificante, dado o numero de vendas do playstation! Ou seja, com a possibilidade de uma nova geração vindo ai, nós brasileiros nem sabemos se poderemos auferir algumas vantagens se não o de pagarmos caro, muito caro, para termos acesso aos serviços de Cloud da Sony (se não formos excluídos). Como fan de videogame, nunca entendi as politicas de preços da Sony para o mercado digital, que honestamente, são para poucos, porém os fans ardorosos defendem cegamente, sem exigir contra-partida. Chega ser não racional o que as companhias nipônicas fazem com os brasileiros, cujos realizam um tremendo esforço para acompanharem os mercados americano e europeu. Espero que a Sony e a Nintendo mudem suas politicas para o Brasil e disponibilizem recursos maiores e completos, para o nosso mercado.
Em relação ao exposto, acredito que a plataforma XBOX deverá surpreender positivamente, dado que nos últimos anos a Microsoft tem investindo na marca XBOX, que ao meu ver, só nos mostra o quão engajada está no desenvolvimento da plataforma, disponibilizando seus serviços para um número maior de pessoas, e isso requer investimentos maciços em hardware e software. Vamos ver na E3 o que o Microsoft tem guardado. Em relação aos jogos, confesso que estou aguardando com entusiasmos, grandes novidades e pelo que já pude ver, deverão ser anunciados na feira uma leva de novidades nunca antes visto na história da marca e para um público imenso, ai me incluindo. Colocaria a Microsoft em pé de igualdade com Amazon e Google, se não em primeiro lugar nessa tabela.

brunoab
Visitante
brunoab

Estou curioso para ver como vai ficar o mercado de streaming de jogos com tudo mundo entrando ao mesmo tempo e saturando e fragmentando de cara o mercado.

Netflix ficou anos sozinho, e a pouco mais de 1 ou 2 anos que o mercado dele começou a se fragmentar.

Como será o comportamento no mercado de streaming de jogos já saturado de cara?

“quando serviço de streaming, meu amigo falou que é tudo meio merda, nem sei o que assinar… depende do serviço, depende do provedor que eu vou usar, depende da minha localização geográfica… vou comprar um console que é mais garantido” ?

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Aqui na minha área, mesmo se eu fosse um entusiasta do streaming (o que não sou), o cloud seria impossível nesse momento e provavelmente no próximo ano também.

Longa vida aos consoles. As much as i can.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Respondendo a pergunta, sim, concordo em tudo com a avaliação.
Curioso pra ver o que a Amazon vai apresentar, pois a tanto tempo vejo essa empresa trabalhar com tamanha qualidade em seus serviços. Vamos ver o que acontece.
No que toca a nova geração, a única dessas que está praticamente garantida pro meu consumo pessoal é a Sony, mas não em cloud e sim no local.
A Microsoft eu quero muito que mostre toda sua capacidade, mas não exatamente em hardware, pois ela já tem o Scorpio e pessoalmente isso não resolveu muita coisa.
Nintendo eu já nem penso mais.
Google… sempre incógnita se dará certo ou não. Mas capacidade alí não falta. Se tivessem anunciado um console local, nesse momento eu estaria realmente animado, mas cloud…

daniel
Visitante
daniel

O meu maior medo é o mercado começar a fragmentar muito. Google e Amazon entrando com força, querendo ou não, a medio prazo terão que ter conteúdo exclusivo. Se uma das duas resolve apostar suas fichas na aquisição de uma publisher grande, seja EA, Ubisoft ou Bethesda por exemplo, pode gerar problemas, pelo menos para mim. Não quero ter que assinar um monte de serviços para desfrutar os multiplataformas mais tradicionais.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Pois é Daniel, essa é uma questão preocupante.