Nova Xbox One Experience… Alguns comentários ao novo sistema operativo da Xbox One

Old_Dash_Xbox_One

O novo Xbox Experience (NXOE) chegou para mudar a face da Xbox One para sempre. Mas para melhor?

Antes do mais convêm dizer que não é fácil avaliar o novo NXOE de forma tão rápida. São 2 anos de habituação ao antigo OS que de repente desaparecem de um dia para o outro, e naturalmente que certos hábitos são difíceis de serem perdidos, mesmo que a mudança seja para melhor.

Basicamente no que toca ao utilizador, o NXOE é apenas mais um Dashboard (e a 360 teve vários bem diferentes entre si), mas na realidade a situação acaba por ser algo mais. Por detrás do Dashboard está um novo sistema operativo redesenhado para ser mais rápido e eficiente, e com suporte ao DirectX 12.

Notóriamente o que se percebe é que o novo desenho do Dashboard foi mais pensado para uma consola. O anterior estava claramente influenciado pela presença do Kinect, sendo que agora o mesmo nem sequer é suportado para controlo do sistema por gestos no sistema operativo. A mudança é radical, mas sem no entanto se despegar totalmente do que existia, mantendo o aspecto “tiled” do sistema operativo!

As grandes novidades não passam apenas pelo re-desenhar do interface, mas igualmente pela retrocompatibilidade e serviços.

Eis o resumo de tudo que a Microsoft anuncia:

  • Alteração radical dos menus onde basicamente tudo foi redesenhado
  • Novo guia. Um duplo clique no botão Xbox dá acesso a novas caracteristicas
  • O OneGuide está agora inserido na app TV
  • Mais de 100 títulos Xbox 360 em retrocompatibilidade
  • A base do OS é o Windows 10, abrindo caminho para aplicações universais e a Cortana
  • Novos Hubs de jogos que permitem aos criadores interagir com os jogadores no Xbox Live e mesmo seguir os seus jogos
  • Novas lojas
  • Prioridade à velocidade no acesso às opções.

Vamos analisar alguns destes pontos, não necessariamente pela ordem referida:

Apesar de a Xbox One ainda demorar aquilo que se pode considerar “uma eternidade” a arrancar, a realidade é que as alterações feitas aos menus foram, a nível de velocidade de acessibilidade, para melhor. Basicamente a barra que chamamos andando com o analógico tudo o que podemos para a esquerda é muito simplificada face ao que anteriormente existia, incorporando uma série de funções distintas. Tal situação torna o seu uso muito mais simples e acima de tudo bastante rápido. Esta é uma melhoria significativa no interface.

Não visível ao utilizador estão igualmente uma série de novidades no OS que conta agora com uma base de Windows 10, bem como suporte nativo ao DirectX 12 que deverá substituir o API da Xbox One ao suportar tudo o que este suportava e acrescentando ainda funções novas.

Todas estas novidades implicaram uma alteração radical ao sistema de menus, e algumas das alterações não as considero para melhor.

Na Xbox One, salvo customização, as aplicações e jogos existentes não aparecem diretamente no Dashboard, requerendo que seja usada a aplicação My Games and Apps. Por defeito esta aplicação aparecia colocada imediatamente no ecrã inicial, mas agora com a nova Dashboard ou a mesma é customizada ou o ecrã terá de ser deslocado totalmente para baixo (uma novidade uma vez que antes os ecrãs só se moviam lateralmente) para se aceder à aplicação.


A pensar nisso a Microsoft criou atalhos rápidos com o gatilho direito que uma vez pressionado dá acesso à aplicação de conteúdo. Como se percebe isto não é um problema, mas não deixa de ser uma situação nova!

Antes:

Old_Dash_Xbox_One

Depois:

New_Dash_Xbox_One

Mas onde o novo NXOE me decepcionou foi na ausência da Kortana (que espero que venha, tal como no PC, a ser ativada com um simples microfone, sem necessidade do Kinect), bem como a retrocompatibilidade oferecida!

E aqui a Microsoft decepcionou. Não só a Cortana não está ainda disponível, como a retrocompatibilidade no fundo se resume a 23 jogos! Sim, é certo, são mais de 100, a Microsoft não mente, mas apenas 23 desses jogos são verdadeiramente dignos da Xbox 360 (e já me refiro à Xbox One). Os restantes jogos, apesar de convertidos para a 360 são jogos de smartphone ou de outras consolas que tiveram direito a conversão para Xbox. Para terem uma ideia do que falamos referimos jogos como Bejeweled 2, Zuma, Pac-Man: Championship Edition, Crazy Taxy, Asteroids & Deluxe, etc.

A Microsoft refere que a retrocompatibilidade se torna complexa devido às licenças a adquirir, mas sinceramente, perante esta lista, a situação soa um pouco a estranho! Até porque há um grande vazio na lista: A série completa Halo!

Se calhar a Microsoft quer vender Halo: Marter Chief Collection, mas ontem a minha primeira reacção foi meter Halo Wars na consola e… nada!

E Halo Wars não faz parte dessa coleção, apesar de ser um título da Microsoft que não requer direitos!

No fundo, apesar dessa decepção com a retro-compatibildiade, não há verdadeiramente defeitos a apontar à nova Dash, e as virtudes ultrapassam eventuais dificuldades causadas pela novidade e falta de adaptação. A mudança é claramente para melhor, e recomenda-se!

Publicidade

Posts Relacionados