Nvidia Gameworks – Ou como a Nvidia paga para se favorecer a sua marca sobre a concorrência.

A implementação do hairworks no jogo The Witcher 3 levantou polémica e a comunidade de gamers PC passou à ofensiva contra a Nvidia.

Recentemente, Marcin Momot, porta voz da CD Projekt Red, responsáveis por The Witcher 3, veio referir que o HairWorks, a tecnologia de simulação de cabelo e pêlo presente no Nvidia Gameworks, “não pode ser optimizado para produtos AMD”. Eis as palavras exatas!

Muitos questionaram se os GPUs AMD Radeon poderiam correr a tecnologia Harworks da Nvidia – A resposta é sim! No entanto performance insatisfatória pode ser experimentada por aqueles que a usare uma vez que este código não pode ser optimizado para produtos AMD. Os utilizadores Radeon são encorajados a desligar o NVIDIA HairWorks se a performance for abaixo das expectativas.

O Nvidia Gameworks tem desde à muito a ser criticado como uma das causas de má performance de muitos jogos em produtos AMD. E tal tem causado revolta nos utilizadores de PC que passaram à ofensiva criticando o Gameworks em particular e a iniciativa de parcerias no seu global.

Uma situação curiosa chamada à atenção pelos utilizadores PC é que as librarias Gameworks não só penalizam o hardware da AMD, mas penalizam igualmente os antigos GPUs Nvidia. E nem sequer falamos de produtos muito antigos, ou especialmente baratos. Por exemplo a GTX Titan que foi inicialmente vendida a 1000 dólares só consegue com esta tecnologia activa mais 2 fps que uma GTX 960 de 200 dólares. E uma Geforce 780 fica mesmo atrás dessa mesma placa da série 900.

Mas para que percebam, isso não é normal! Uma GTX 770 é normalmente cerca de 14% mais rápida que uma GTX 960, e uma 780 é normalmente 36% mais rápida que essa mesma placa.

Ou seja, a tecnologia Gameworks penaliza em quase 40% as próprias placas da Nvidia série 600 e 700, de forma a dar a entender uma performance muito superior das novas placas e assim vender placas novas. Tudo graças a código que os programadores não podem optimizar para corrigir.

A Nvidia defende-se alegando que a sua tecnologia não prejudica a performance do hardware dos competidores. Apenas que melhora a qualidade visual dos jogos no seu hardware. É uma alegação interessante, mas que peca por um motivo. A concorrência não tem acesso ao código fonte para tentar optimizar a tecnologia para o seu hardware.

E é na seguinte declaração que a Nvidia mente e falha!

Eis as palavras de Brian Burke, chefe de marketing da Nvidia.

O GameWorks melhora a qualidade visual dos jogos que correm no hardware Geforce para os nossos clientes. Não prejudica a performance do hardware concorrente.
Pedir o código fonte para as nossas fantásticas tecnologias é uma tentativa de fugir aos seus problemas de performance. Fornecer o vosso IP, o vosso código fonte, é incomum para seja quem for na indústria, mesmo os fornecedores de middleware e criadores de jogos. A maior parte das vezes optimizamos o código baseando-nos na build em binário, não no código fonte.


E isto seria tudo verdade… não fosse o facto de ser mentira!

É que no passado, tanto a AMD como a Nvidia colocavam no seu website código fonte que demonstravam novas formas de programar. E isto aconteceu para sombras, ambient occlusion e mesmo técnicas de rendering. E isso foi algo que acabou com o gameworks.

Ainda mais curioso é que a AMD não tem nem de perto, nem de longe as mesmas práticas da Nvidia, disponibilizando as suas tecnologias de forma gratuita e permitindo que todos as possam optimizar para o seu hardware. Eis alguns exemplos!

Amdtech

Recorde-se o caso de Tomb Raider onde as placas Nvidia foram completamente humilhadas pelo uso da tecnologia Tress FX da AMD. No entanto a AMD permitiu à Nvidia a optimização para as suas placas, algo que agora não está a acontecer no caso contrário.

Torna-se certamente preocupante e uma situação que desvirtua a realidade das performances quando uma empresa paga para se injectar código proprietário em jogos que são criados para correr em hardware de uma variedade de vendedores.. E pior ainda se esse código, apesar de correr no hardware dos outros, não puder ser optimizado para eles.

Ninguem pode negar o direito à Nvidia de optimizar código para as suas placas, mas quando se nega a oportunidade aos outros de optimizar da mesma forma, ou pelo menos fornecer um código alternativo, a situação já não soa a muito leal.

O gameworks da Nvidia seria fantástico se não houvesse este controlo e fecho do código. Desta forma não pode deixar de passar a ideia de manipulação de performances e atitudes desleais para um concorrente que se recusa a entrar pelo mesmo caminho!

Em plataformas genéricas, para uma lealdade concorrencial o código tem de ser genérico, e se alguma empresa apresenta código optimizado para ser aplicado num jogo genérico, deveria permitir que a concorrência optimizasse o mesmo para as suas placas. Esta é pelo menos a forma como sempre vimos o mercado PC.

Mas uma coisa também dizemos. A AMD pode ter razões de queixa, mas grande parte da culpa do sucedido com The Witcher 3 é culpa sua. A empresa tem uma tecnologia igual ou até superior, o Tress FX que poderia ter igualmente ter fornecido para ser aplicada, e não o fez. Da mesma forma as suas drivers ainda não foram atualizadas para o jogo. Daí que a AMD está a queixar-se sem fazer a parte que lhe compete. E isso tira-lhe muitos dos argumentos.

Publicidade

Posts Relacionados