O problema das análises, e a falta de seriedade de algumas.

WashintonPost

O artigo que se segue refere-se à polémica relacionada com a análise do Washington Post ao jogo Uncharted 4.

Uncharted 4 possui atualmente uma avaliação de 93/100 no Metacritic, baseada em 92 avaliações. Este é um valor desceu dos 94 devido a uma avaliação de 40/100 dada pelo Washington Post.

Ora esta avaliação surge como algo estranha no meio de tantas avaliações de 90/100 e mesmo de 100/100. Mas claro, uma avaliação é uma avaliação, e esta possui tanto valor como as outras. Ou será que não tem?

Há vários motivos pelos quais a avaliação do Washington Post se torna ridícula, e certamente não é pela nota dada. Essa é apenas o reflexo de uma opinião, e como tal, perfeitamente válida.

A questão aqui é que uma análise a um produto… não pode ser uma opinião! Mal de nós se isso acontecesse pois seria impossível avaliar fosse o que fosse de forma séria e honesta!

Acima de tudo, sempre houve uma situação que, para mim, e pelos valores que me foram incutidos na minha educação, deviam distinguir um jornalista, ou alguém que escreve artigos de análise ás mais diversas situações, de um vulgar cidadão! É que o jornalista analisa e comenta baseado em factos, mas os seus artigos não devem refletir opiniões, mas sim realidades. Caso tal não aconteça não estamos perante uma análise séria, mas sim uma opinião que pode ter fundamentos dos mais diversos, entre os quais os mais comuns são os culturais, religiosos, ou fanáticos.

É nesse sentido que sempre de deve analisar os jogos. Pode-se gostar mais ou menos de certas coisas, mas no entanto estas devem ser julgadas por parâmetros bem definidos como a qualidade gráfica, a arte, a componente técnica, o som, a sua qualidade, envolvente, e a forma como interage com a acção, a diversão, a forma como cativa, a forma como o jogo oferece conteúdo para nos manter presos, etc.

Resumidamente, as avaliações sérias baseiam-se em princípios segundo os quais, quer goste, quer não goste de algo, impedem a avaliação de fugir de determinados valores. A subjetividade de alguns parâmetros, pode, naturalmente, sempre causar variações na avaliação, mas não posso referir que o trabalho de vozes é fraco quando isso não corresponde à realidade, ou que o grafismo é mau quando é excelente. Quer dizer, poder pode-se sempre, mas caindo-se no ridículo quando as coisas saltam à vista.

Mas mesmo sabendo-se que há sempre parâmetros mais subjectivos que podem fazer oscilar a nota, a objectividade dos outros acabam por ser uma forma de prender a avaliação a algo realista e não deixar a mesma à vontade do freguês.

Depois há outras realidades. Independentemente do que avalia nos parâmetros intermédios, o valor final da avaliação tem de reflectir a qualidade do jogo face à média do mercado. Uma nota 50 representa um jogo que é apenas mediano, e uma nota 40 representa um jogo com qualidade abaixo da média e que roça o problemático devido a imperfeições técnicas que limitam a jogabilidade.

Ora Uncharted não se enquadra minimamente na mediania. E muito menos abaixo da mesma! Veja-se por que perspectiva se veja, o autor do artigo do Washington Post não foi sério, e deu uma avaliação baseada em factores pessoais que são completamente incompreensíveis (até porque o artigo não refere verdadeiramente nada concreto e objectivo para uma crítica). Certamente esta não é uma pessoa com paixão pelos jogos, não avalia os jogos por aquilo que eles são, a qualidade do que oferecem, e a diversão e envolvimento que trazem, ma fâ-lo seguindo parâmetros pessoais ou de interesse (público alvo). Veja-se que aqui, para ridículo da situação, o autor critica Uncharted… por ter detalhe a mais! Pior ainda, o autor entra a matar no texto do artigo, contando basicamente o fim do jogo, sem sequer avisar que o artigo pode conter informação desse tipo e que deve ser lido com o devido cuidado. Há claramente uma intenção de criticar, e mais ainda, de estragar o jogo a quem o pretende jogar!

Sinceramente até poderia aceitar a crítica ao detalhe excessivo se a presença do mesmo pudesse causar problemas técnicos, causar bugs ou perdas de performance. Mas no caso de Uncharted tal não acontece! E o detalhe cria uma envolvência e uma sensação de realismo única! Aliás este nível de detalhe e perfeição é o objectivo máximo de todos os jogos e nesse sentido, basta ver os esforços com a luz e modelação de Quantum Break. As novas gerações servem para isso mesmo, para aproximar cada vez mais a qualidade gráfica do realismo, e o detalhe excessivo faz parte exatamente desse processo, sendo que Uncharted até é o jogo que nesse aspecto do realismo foi mais longe até hoje!


Aceita-se que o senhor não tenha gostado do jogo, mas o seu historial não abona a seu favor. Este é o mesmo senhor que deu a Dark Souls 2 uma avaliação negativa considerando-o o pior jogo de sempre. E Dark Souls 2 é um clássico, um jogo, tal como Uncharted 4, universalmente aceite como excelente. Há por isso qualquer coisa de errado com este senhor e as suas avaliações, e ter o mesmo a fazer este tipo de avaliações num jornal, supostamente sério, como o Washington Post, é algo ridículo e que levanta sérias questões.


Esta situação deu azo a uma petição por parte dos fans do jogo que considerando a situação como ridícula, solicitam a remoção da avaliação do Metacritic. Não pelo facto de a nota descer dos 94 para os 93 pois isso é irrelevante, e uma média de 93 ou 94 em 92 avaliações são ambos valores que demonstram a qualidade do jogo, mas sim pelo facto de que não é aceitável que qualquer um possa dizer o que quer, acima de tudo sem o justificar (porque a leitura do artigo não apresenta verdadeiramente qualquer justificação para a nota atribuída, e que até nem está presente no artigo), com a aceitação deste tipo de análises a ocorrer sem travão e pesando nas médias de um jogo.

Assim a petição diz o seguinte:

Peço desculpas, mas quando ter muito detalhe se tornou uma coisa má, isso mostra que quem analisou está fora de si. Acredito que o U4 é um dos melhores jogos alguma vez criados e é um favorito pessoal, apesar de poder justificar análises com 9 e 8. Mas isto é a total desgraça. Gene, dado que foste o único membro da equipa que respondeu a este disparate, deves remover a análise do Metacritic, e colocar uma nova, sensível e que possa justificar a sua existência. Por amor de Deus, vocês são o Washint Post, não um diário de um miudo de 12 anos. Tratem o jogo com profissionalismo e respeito.

Mais ainda, o jogo nunca recebeu uma nota na análise, pelo que ou os 40/100 devem ser removidos do Metacritic, ou acrescentados à análise. as coisas devem ser claras! É sobre o respeito com os criadores que eles merecem pelo tempo e dinheiro que puseram neste jogo. Mesmo o editor do Washinton Post está confuso com este pedaço de jornalismo parcial. Algo necessita de acontecer. Olhem para o historial deste tipo, Dark Souls 2 o pior jogo de sempre? Um dos jogos mais aclamados da história recente? Não tenho problemas com este senhor a expressar a sua opinião, mas como disse, quando é uma análise oficial deve ser tratada com profissionalismo e respeito e tem de haver regras. Este senhor não merece ser tomado a sério por grandes, e cruciais, websites como o Metacritic. Dá cabo da imaculada reputação do jogo sem qualquer motivo. Uma análise não é sobre o que cada um acha sobre um jogo, é sobre o que o jogo é. Medidas objectivas são aplicáveis.

Sinceramente é-me totalmente irrelevante se Uncharted possui 93, 94 ou mesmo 92 de média no Metacritic. Basta ver que 91 das 92 análises lhe dão notas elevadíssimas (pessoalmente dar-lhe-ia 96 numa nota de 0 a 100 –  o jogo levou 5/5 estrelas numa avaliação de 0 a 5 que lhe fizemos). Mas o certo é que tem de haver seriedade neste tipo de coisas sob pena de as análises caírem em descrédito. Todos sabemos que receber um 40% num teste é reprovar. 50 é passar à justa, 60 é algo decente, 70 algo com alguma qualidade, 80 é algo muito bom, e 90 ou mais algo que se destaca. Mas este senhor provavelmente nunca estudou, pois parece desconhecer essa realidade. E avaliar Uncharted 4 com um 40… é de doidos! Só pode mesmo ser!

Mas ei… Podem discordar do que digo aqui. Tal como o artigo deste senhor, este peca igualmente por não ser um artigo fatual, e sim um artigo de opinião! Mas se discordam, digo que tal é uma infelicidade. E é-o porque esta é uma opinião que deveria ser consensual… para o bem de todos… e dos videojogos! Uma opinião que vai a favor da seriedade nas análises em websites de maior peso e tráfego. A favor da seriedade de uma forma geral!

Mas infelizmente agora que o “calor” do lançamento de Uncharted passou, começam alguns websites, especialmente alguns mais pequenos, a fazer controlo de danos, e a tentar atirar o jogo para baixo… A questão é que argumentos válidos e consensuais para tal… é que é mais difícil!

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (47)

  1. Quantum break tambem nao merecia as 4 notas de 40 que teve e mesmo assim nao vi fanboys do xbox fazendo petiçao. Essa geraçao deveria jogar mais e chorar menos.

    • Há pelo menos uma diferença grande entre os dois jogos.

      Uncharted 4 tem uma média de 93, sendo que com excepção desse único 40, muito mal justificado (lê o artigo, pois o mesmo limita-se a contar a história e a única referência ao jogo em si é uma queixa é que o jogo possui detalhe… a mais, que a cena do mergulho engana os jogadores que pensam que ele devia estar a salvar um tesouro, e que os irmãos discutem), a nota que se segue como mais baixa é 80!

      Quantum Break tem uma média de 77, e possui quatro 40s, (devidamente e muito bem explicados, apesar de eu não concordar mesmo assim com essas notas), três 50s, sete 60s e um 65.

      Na realidade, Quantum Break é divertido, mas o seu ponto forte são a luz e modelação. Se as ignorares um pouco, o que resta são mecânicas medianas (uma personagem que não aponta, que não se abaixa para apanhar as armas, que tira faz as armas desaparecer quando não precisa delas, mas que as faz reaparecer quando precisa delas, etc). Pessoalmente avalio o jogo como um todo (e como tal, apesar dos problemas, considerei-o de qualidade elevada e dei-lhe 4.5 estrelas em 5), mas há quem não o faça pois os parâmetros acabam por ser sempre subjectivos, sendo que temos de aceitar outras avaliações que pesam mais outros factores. A questão é que nessas más avaliações os argumentos para a nota existem, são em quantidade, e estão bem explicados (falta de desenvolvimento das personagens, episódios TV desnecessários, tonalidades de cor constantes e repetidas, jogabilidade pouco variada, o ponto fraco dos inimigos é sempre as suas costas, etc, etc).

      Tal não acontece com a análise negativa de Uncharted, e esse é o grande problema dela. Não é, tal como referido no artigo, a nota que está em causa, é a falta de argumentos coerentes para a mesma ser atribuída.

  2. Não sei o que é pior, os 40 sem critérios ou os 100 sem critério? Claramente é um jogo apenas bom, se não fosse o hype não teria mais de 80. Sendo assim não faz sentido retirar nenhuma nota, visto que a maioria das publicações não tem nenhum critério; portanto são todas iguais. Em relação a DS2 apesar de adorar o jogo, entendo a quantidade enorme de defeitos que o mesmo apresenta. Como as publicações não tem critério, a nota vai depender de quanto os defeitos importam para quem avaliar; logo qualquer nota é justa.

    • Quanto aos 40 ou aos 100, depende.
      Uncharted possui 32 notas 100, logo critério, neste caso, há, nem que seja a coerência.
      De resto vejo que parece que defendes a anarquia neste tipo de situações, porque critérios existem e sempre existiram, basta argumentar de forma válida para se justificar a escolha, seja ela boa ou má, e de acordo ou não com o que outros dizem. Há por vezes é quem não goste do que eles trazem e para esses nada melhor do que tentar dizer que os media não tem critério nenhum!
      Já agora se DS2 tem tantos defeitos, adoras o mesmo porque? Não será que aquilo que importa, as virtudes, se impuseram face aos possíveis defeitos? E se assim é, estás perante um bom jogo!

    • Criteiros positivos podem fazer aos montes mais um negativo ja é motivo de petiçao ? O que aocntece com este povo? O jogo nao é perfeito se perfeito para muitos que bom pra vcs mais parem de querer sempre argumentar algo pessoal fica meio chato isso.

      • Lê a análise, ter detalhes foi o único problema que este senhor encontrou a justificar sua nota… A sério isso. Pense um pouco fora da caixa… E como reclamar que Halo 5 tem armas demais 😎

  3. Valerio Fernandes 17 de Maio de 2016 @ 17:11

    Quantum Break levou 70 pelo washington post, quer dizer a história é fenomenal mas todo o resto é resto não passa de uma mediocridade da qual todos ja vimos em muitos jogos, é um port à “la alan wake” misturado com a acção que o “max payne” nos tinha habituados… isto é jogabilidade, a nivel técnico para mim é podridão, atenção que eu joguei a versão PC testei o ultimo patch full 1080p em vez do normal 720p! Um 40 para o Uncharted é de partir o côcô a rir!

  4. Gente a critica usou sim um critério assim como muitos estão a elogiar existe pessoas que estão a criticar, estou quase no fim do jogo e digo é um ótimo jogo mais nãos me influencio po hype.
    Agora e muita falta do que fazer querer petição para tirar uma nota do jogo, quantas tentativas irão querer fazer para colcar goela abaixo a opinião pessoal de cada um?

  5. Na minha interpretação você já percebe a qualidade do artigo logo no seu título:

    “This four-part series should have ended after Part One”

    “Esta série em 4 partes deveria ter acabado na primeira”

    Depois o cara acha ruim uma trilogia pelo simples motivo que sempre conseguem uma maneira de criar um quarteto.

  6. para mim isso e simplesmente um clickbait assim como a nota da polygon a the last of us, a questão aqui e ser alvo de comentários pelo bem ou mal e me desculpe mas esse jornal nunca foi criterioso se algo deste tipo viesse do NYT ai sim estaríamos diante de uma calamidade, ai simplesmente as intenções são claras, uncharted não e um jogo de nicho, como DS2, e nao a defeitos justificáveis para tal, então a intenção esta clara.

    • A análise tem dois problemas. E não é a nota em si!
      1- não justifica seja o que for. Isso não pode acontecer. Se há argumentos para não se gostar, não se gosta. Mas apresenta-se algo válido. Depois pode-se é cair no ridículo!
      Mas aqui o autor protegeu-se. Não argumenta nada de jeito excepto algo ridiculo como “tem detalhe a mais”.
      2- A avaliação não tem nota, mas no entanto foi reportada ao Metacritic como 40/100. A página não quis aguentar com o flame dos leitores e não a colocou, mas reportou ao Metacritic um valor. Isto é ridiculo. Ao menos tenham a decencia de colocar a nota no artigo.

  7. Olá, há muito tempo tenho reparado nisso, fazer analises de jogos sem critérios, ou muitas vezes pessoas que gostam de gêneros de jogos em particular darem notas baixas a outros jogos.É como se eu fosse analisar jogos do mario sendo que não gosto de forma alguma desse tipo de jogos , o que não quer dizer que não tenham seu valor e seu méritos, dentro do seu gênero. Está na hora de passar por uma profissionalização melhor em quem faz analises dos jogos, assim como toda a parte de noticias relacionado a gamers. Mas prevejo que isso vai piorar, com ascensão dos tais tubers.

  8. Eu não joguei ainda mas acompanhei tudo a respeito. Vi videos, análises opiniões. Não é um jogo que eu goste tanto. Mas por tudo que vi, merece uma nota 90 em 100 possíveis no mínimo.

  9. Só faço uma pergunta, no meio de uma midia de tantas analises sem critério, quantos desses 10/10 que deram pra uncharted 4 são livres de contestação?
    Posso aceditar na nota 10 de um site que deu 10 pra The order 1886?
    Particularmente, eu nao vi um site de bagagem confiável distribuir 10 pra Uncharted 4 nem qualquer outro jogo dessa geração mas eu vi site escrever no review que Uncharted 4 nao é um jogo perfeito mas a nota final é 10.
    É algo completamente descabido entregar um jogo de um estilo que o cara nao gosta pra ele dar uma nota pessoal, mas também e bastante contestavel designar uma analise pro fan da franquia dar uma nota pessoal.
    Eu concordo que as analises se tornaram algo banal nessa industria e tem muito garoto de 20 poucos anos recem formado se achando o formador de opinião. Mas isso esta sendo tanto para o mal quanto para o bem. Nota máxima parece que virou brincadeira em algumas publicações.
    Eu cresci comprando revistinhas de games que davam 8 para jogos do nivel de resident evil 2 e Final Fantasy 7 e hoje tem gente distribuindo nota 10 por hype. A diferenca de antes, é que os jogos tinham notas para quesitos diferentes e o score era baseado numa media.
    Essa preocupação em fazer uma petição pra remover uma nota do metacritic só pode ser coisa de gente que cresceu jogando Playstation 3, por que quem vem da era pre PS1 nunca se preocuparia com uma coisa dessas.
    A geração passada foi muito longa, o garoto de 18 anos que pensa saber de tudo hoje, tinha 8 anos quando o 360 e o PS3 foram lançados e cresceu na pior epoca possível para ser influenciado.

    • Não vás mais longe. Eu dei-lhe 5 em 5 e não lhe daria 100 em 100.
      Mas quando avalias com 100 dar 95, 96,97,98,ou 99 são coisas diferentes.
      Quando avalias com 10, só podes dar 9 ou 10. No meu caso a avaliação é com 5 estrelas, mas como pode haver meia estela é 10 valores.
      Isso quer dizer que 4.5 estrelas é um jogo de 8 a 8.9. 5 estrelas é de 9 a 10.
      Quantum Break é jogo para um 8+ e levou 4.5 estrelas. Uncharted é um jogo para 9+, logo levou as 5.
      Fosse como fosse haveria sempre aqui uma situação que é o facto de um jogo de 8 levar a mesma avaliação de um jogo de 8.9, ou seja 4.5 estrelas. O sistema falha nesse aspecto. Mas o facto é que 5 valores faz parte do sistema de acção educativa da maior parte dos paises. E se é bom para isso, certamente será bom para avaliar jogos.
      Mas o certo é que tal como na realidade um aluno de 4.6 leva a mesma nota que um de 5.

      • Seria nao fosse o fato da Gamespot ultimamente ser o único site grande que tem dados seguidas notas abaixo da média para exclusivos AAA nessa geração e de repente saca um 10 pra Uncharted 4 do nada quando outras publicações de respeito como Gameinformer, IGN e EGM ficaram entre 9 e o 9,5.

        • A gamespot avalia com decimas? 10/10 com inteiros ou variações de .5 ainda entendo, mas se vai aos .1 então eles avaliam em 100. 100/100 é um jogo perfeito. Isso não existe!

        • Uai, 9, 9,5 e 10 tão bem próximas, agora se fosse

          7, 8 e 8,5 acho que seria mais fácil aceitar que tem algo errado.

          Pra mim o problema é pq o jogo é da sony, se fosse da Nintendo ou um Halo ou Gears, tava de boa ter recebido uma nota dessa.

          E eu já estou até vendo caso Gears não seja um 90+
          o ataque a mídia que vai ser.

          Aqui no Brasil alguns youtuber e páginas no facebook perdem mais tempo falando mal da sony do que dando notícias de suas respectivas plataformas.

  10. Aqui no Brasil quem falar bem do Unchated 4 está sendo atacado. Não importa se é um meio jornalistico gamer, youtubers, se vc dando sua opinião dizendo que o jogo ficou…

    Tá feio a coisa. 🙁

    • Durante a idade média a população era dominada pelos mais fortes, os tiranos que oprimiam o povo que era impossibilitado de dizer o que pensava.
      A opressão foi vencida pelo avançar da civilização. Conforme o mundo se tornou mais civilizado, a educação chegou às pessoas e a cultura e o dominío da inteligência tornaram-se mais comuns foi possível perceberem-se que a opressão não existia apenas nos mais fracos. Mesmo os mais fortes eram oprimidos por outros mais fortes, e no fundo todos eram oprimidos pois mesmo o mais forte receava o conjunto de todos os mais fracos.
      Foi com essa percepção que a civilização evoluiu no sentido da democracia. A opressão foi suprimida e todos ganharam direitos iguais.
      Aí o que se passa é que uma cambada de incultos não percebe que a opressão, ou pelo menos a tentativa dela, de nada vale. As coisas são o que são e por muitos insultos que façam a quem falar bem de Uncharted, ele vai continuar a ser o melhor jogo da nova geração e um jogo sem paralelo em outros sistemas.
      Quanto à evolução dessas pessoas? Bem, temo que seja um caso perdido. Serão sempre para toda a vida umas frustradas e umas desgraçadas. A única coisa que posso esperar é que os seus filhos sejam mais inteligentes que os pais.

    • Olha este no Metacritic (é incrivel a quantidade de pessoas recem inscritas e com apenas uma avaliação que deram notas de 0 a 3 ao Uncharted só para deitar a nota dos utilizadores para baixo).

      O game é excelente, mas é muito curto, por isso não vale o preço sugerido, qualquer jogador finaliza o game em menos de 6 horas, fora isso esta praticamente perfeito!

      Praticamente perfeito e acaba-se em menos de 6 horas… Ao menos acertou em metade… Deu um 3!

      🙂

      • Eu acho impressionante quando dizem que o jogo é curto , eu devo levar umas 15 horas,

        • A história das 6 horas correu aqui tambem. Eu demorei cerca de 15.

          • Se bem que há um troféu de Speed Run para 6 horas.

            Eu já estou com 15 horas e vasculhando tudo.

          • Um speed run não é jogar… é passar níveis para recordes!
            Jogar é explorar, conhecer e desfrutar.
            Para além do mais só consegues um speedrun assim sabendo para onde ir, o que apanhar, de onde veem os inimigos, etc. E isso implica já se ter jogado antes sem speed run!
            O record atual de speedrun de Uncharted 4 é de 4 horas 42m e 32 segundos.
            Halo 5 tem um recorde de 3 horas, 15m 42s, e Quantum Break vi um com 3h 2m 50 s, com a pessoa a dizer que era o seu primeiro speedrun do jogo e que acreditava ainda lhe poder tirar 20 a 30m!
            Não vás por aí! Isto não é o tempo de jogo para uma pessoa normal. E uncharted tem muito que explorar, quanto mais não seja pela beleza gráfica!

          • Sim, mas creio que não fui muito claro.

            Afirmei que o jogo pode ser zerado em 6 horas, para isso existe o troféu de speed run.

            Porém logo abaixo afirmo que estou com 15 horas de jogo e vasculhando tudo, acho que já de ter entre 60% e 70% do jogo já concluído, mesmo assim perdi alguns tesouros pelo caminho e possivelmente algumas anotações de diário e papeis com estórias de piratas que morreram.

            O único problema que achei do jogo foi, assim como em Quantum Break, a física entre objetos. Ontem ao chegar em Libertalia esbarrei com alguns bancos de madeira e a reação dos bancos parecia aquelas bolas de futebol feitas de plástico, conhecidas no Brasil como “Dente de leite”

          • Não me apercebi… mas acredito! Tambem vi umas pedras pequenas que se mexeram de forma um pouco “leve”.
            mas não era 1 chassis de 1 tonelada pois não? 😉

      • Isso não é nada de novo, o HALO 5 têm mais de 200 notas negativas…

        • Se é na parte dos utilizadores… esquece. Qualquer bardameco escreve lá! Até é ridiculo o que ali se passa e que me apercebi ontem ao ver o Uncharted!
          Aí o uncharted até podia ter 1000.
          Já nas análises sérias, não se pode aceitar que um produto seja atacado sem justificação coerente. O que está em causa aqui não é a nota, é que a o autor não só não a tem no artigo, como não justifica nada do motivo pelo qual dá a nota.

    • Também percebi isso, e acrescento que aqui no Brasil também não se pode falar bem de exclusivo do Xbox, mas quem é gamer das antigas nem liga pra isso.

  11. Não li o artigo mas pelo que tenho acompanhado nos fóruns, p WP fez duas análise para uncharted, uma é está de 4/10 que por acaso está na seção cômica do jornal e a outra deu nota 4/4 a qual seria a avaliação seria do jogo, o metacritic usou a nota da seção cômica do mesmo e por isso da petição, pois se trata de trote do jornal, sendo assim acho justo retirar mesmo, mas independente disso não tira o brilho do jogo.

  12. Eu concordaria com todos se o washington post fosse uma revista de videojogos e a maioria dos seus leitores fossem gamers, não é o caso, os critérios de avaliação são diferentes, para dar um exemplo: na revista AUTO FAMILIA eles podem dar 10 a um carro utilitário e dar 0 a um formula 1, enquanto a revista Auto Sport dá a pontuação exactamente ao contrário, para mim o busílis da questão é que certas reviews de revistas e jornais que nada têm a ver com o meio não deveriam ser contabilizados no MEtacritic…e as reviews não são assim tão impessoais e mecânicas cada um têm a sua opinião, basta ver os críticos de cinema uns dão 1 e outros dão 10 a um mesmo filme, se os critérios fossem rígidos isso nunca poderia ocorrer (e estou a falar de críticos sérios não estou a falar de trolls)

    • Eu estou-me a lixar para a nota Vitor. É uma nota de uma avaliação! O que choca ali é que o Washinto Post tem duas análises. Numa deram 4/4, e na outra, a em questão, a nota nem sequer está afixada no artigo.
      Ora no Metacritic aparece como 40/100, mas não só não está no artigo, como a critica desse artigo não é fundamentada. A única coisa que ele refere com substância é que o jogo tem detalhe a mais. E isso só é uma critica para ele pois no fundo acaba por ser um elogio.

  13. Só mais uma coisita, se 4/10 é discutível (eu pelo que já joguei dava 9/10 ao jogo ) mas uma coisa tenho a certeza, o jogo nunca poderia ter notas de 100/100 e essas também deveriam ser contestadas, se a própria ND está a lançar patchs de correcção ao jogo, com que critérios se dá um 100/100 a um jogo que até os próprios criadores lançam correcções ao mesmo posteriormente? 100/100 é um jogo perfeito e a perfeição nunca deveria ter a necessidade de ser corrigida…40/100 está mal? até pode, agora 100/100 a um jogo que necessita de correcções é que não deveria existir…dessem 99/100

    • O jogo teve notas de 100/100??
      Eu vi notas de 10/10, mas não de 100 em 100!
      E em 10, com avaliações apenas inteiras (sem casas decimais), compreende-se que que se queira distinguir este jogo de outros com 9 que não atingem este patamar!

      • Le a análise Vitor, o único defeito da análise que este senhor aponta e uncharted ter detalhes demais… É como se desse 4/ 10 para batllefront e dizer.. Não gostei tem tiros demais.

  14. Não sei o que é pior, um cara que quer se aparecer e da nota baixa para Uncharted 4, ou os fanboy e grande parte da mídia se vitimiza para esse acontecimento, como se os outros grandes lançamentos não passasse por analises de merda também, The Witcher 3 que ainda é o melhor jogo da gen, Fallout 4, Halo 5, todos passam por isso, mas incrível como se vitimizam quando Uncharted , chega ser engraçado, as duas partes a idiota que da nota baixa, e os fanboy querendo petição , cômico.

    Hoje em dia as produtoras menos afortunadas, são massacradas nas analises, arrebentaram com o jogo Homefront the Revolution, o jogo tem suas falhas, e algumas falhas até grave, mas não é um jogo AAA, porque arrebentar com o jogo nas analises, sendo que quem realmente joga o jogo, acha bom, e não vi ninguém que jogou e reclamou, apenas citaram as falhas que o jogo apresenta.

    Mas como o jogo não é da Sony, MS, Rockstar, EA, eles arrebentam com o jogo, ai fica fácil, os jogos bostas dessas empresas eles sempre vão falar bem, ou são pagos para falar bem..

    O melhor lugar para se ver analise se chama youtube, veja um cara jogando e tira suas próprias conclusões, aqui no Brasil tem um canal que chama Zangado, eu gosto muito dele, porque ele fala o que o jogo tem de bom e de ruim, e no final deixa para nós mesmo, escolher se vale a pena jogar ou não.
    https://www.youtube.com/watch?v=j-wH8EPJ03U

    • O Zangado tem sido péssimo nos ultimos tempos. Assisti o video dele da analise de Halo 5 apos terminar o game e eu que não achei a campanha boa o bastante achei ridiculo as críticas dele. Se fosse depender dele para comprar o jogo, nao o faria pois o que ele descreve é quase um trabalho amador.

      • Exatamente, tem um canal de Halo, do Carpenedo, além de descobrirem que até as falas do Zangado sobre Halo 5 são similares as do Angry Joe, descobriram que ele jogou apenas 20 minutos do multiplayer,imagina ai criticar o multiplayer de Halo com 20 minutos de jogatina?

        Zangado caiu muito, ainda acho o trabalho dele bom, mas hoje sobre críticas fico entre as da Eurogamer Pt e as do Tecnomundo.games.

  15. @Karneiro
    Perfeito texto
    Terminei de jogar o jogo e realmente muito bom, mais não é inseto de falhas estou a rir de tantas justificativas para querer num certo ponto por o game num patamar de primium de todos os tempos.
    A publicação foi tosca sim foi, mais a melhor analise é feita por você, referente ao Zangado gosto muito do canal dele, porem ele forçou um pouco nos comentários, analisou como fan e não apontou as falhas que ate aqui form apresentadas e não excluídas dos comentários, ai que se pega uma mídia num certo ponto não muito criteriosa em suas analises, usam de gosto pessoal em sua maior parte para analisar um conteúdo.
    Não estou a criticar tecnicamente porem joguei me diverti mais não vou colocar ele ainda como o melhor do ano ou do milenium como muitos querem fazer, e não discordo pois gosto e que nem umbigo cada um tem o seu.

    • Uncharted não tem falhas, apenas permenores, você encontrou alguma falha grave no jogo?
      Se encontrou compartilha com nós.
      O Zangado analise todos os jogos dessa mesma maneira, pelo menos é meu ponto de ver.
      E a Analise dele de Quantum Break achei perfeita, muito do que ele falou o Mario aqui do PC Manias também disse sobre Quantum Break.
      Em relação ao melhor jogo dessa Gen eu acho o The Witcher 3 o mais grandioso, mais chamativo e atrativo, acima de qualquer outro.
      O qual eu mais gostei Fallout 4 .

      • Uncharted não é o melhor jogo desta geração! Como jogo é um jogo muito bom, mas londe de ser o melhor jogo da geração!
        O que distigue o jogo é a componente técnica, essa sim a milhas do que outros conseguiram fazer com o mesmo hardware!
        No nosso caso, quando analisamos o jogo, deixamos claro que não lhe dariamos 100/100, mas como a nossa avaliação é feita apenas com 5 estrelas, 4.5 estrelas foi o obtido por muitos outros jogos cuja qualidade global e técnica não chega à de Uncharted. Nesse sentido, como para a história só fica a nota final, as 5 estrelas foram dadas para o distinguir desses jogos.
        Isso foi escrito e deixado claro no artigo!
        Depois, se clickarem no link que explica a nossa avaliação podem ler:

        Avaliação final entre as 4 estrelas e as 4 estrelas e meia (Ok verde) – É aqui que se encontrarão os produtos que nos cativaram. São produtos que se destacam e que justificam a sua compra, cumprindo com as promessas anunciadas. Naturalmente que aqui encontraremos a maior parte dos produtos, e como tal há que verificar a nota de referência média, as 4 estrelas. Os produtos nas 4 estrelas são os produtos de boa qualidade que analisamos, sendo que os produtos de 4.5 estrelas apresentam já algumas características que os separam dos demais e os aproximam da excelência, mas sem contudo a atingirem.

        Avaliação final de 5 estrelas (Ok 100%) – Destinado aos produtos de excelente qualidade e cuja compra se torna quase obrigatória. Dado o nosso sistema de médias, tal obriga a uma classificação perfeita em pelo menos 3 dos 4 itens, pelo que será destinado apenas a produtos de excelência.

        Basicamente por aqui percebe-se que o nosso sistema, ao ser baseado em apenas 5 estrelas não pretende separar A de B, mas sim os produtos bons dos excelentes. Uncharted é excelente, mas não é necessáriamente o melhor de sempre!

    • Falhas não excluídas dos comentários?

  16. Não ligo para as notas dos sites, cada site tem os seus interesses e dão suas notas segundo eles. Sito como exemplo o site http://www.gamespot.com , que deu nota 6 para Quantum Break e deu como a maior justificativa pela nota baixa o fato de o jogo ser muito linear. Este mesmo site deu nota 10 para uncharted 4, que é tão linear ou até mais do que Quantum Break. Dois pesos duas medidas, tiraram pontos do Quantum Break por sua linearidade e de uncharted 4 não.
    A avaliação do jogo que realmente me importa, é a minha avaliação. Já joguei muitos jogos com notas baixas que gostei, e também ao contrário, já joguei muitos jogos com notas altas que não gostei.

Os comentarios estao fechados.