Os dilemas que a Microsoft vai ter com a Scorpio

A Scorpio está prometida como uma consola 4K nativos. Mas no entanto as suas especificações finais não são conhecidas. E a realidade é que dependendo dessas especificações, a Microsoft pode ter um dilema entre mãos!

Recentemente surgiu uma foto na internet onde se vê um stand da AMD com publicidade à Scorpio junto de placards relativos aos seus GPUs Vega e CPUs Rizen!

Naturalmente tal não significa nada! Tudo são produtos com hardware AMD a serem lançados em breve e pensar que poderá haver mais relação entre eles do que isso é especular. Mas o que será a Scorpio afinal? Uma Xbox One com caracteristicas e capacidades semelhantes (mas superiores) às da PS4 Pro, ou uma consola de nova geração?

Talvez não tenham pensado muito no assunto, mas a realidade é que a Scorpio pode vir a colocar um dilema nas mãos da Microsoft caso o seu hardware e posicionamento de mercado não seja devidamente pensado.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Repare-se no caso da PS4 Pro. A consola não foi bem recebida, até porque a mesma quebra a unicidade de hardware que sempre definiu uma geração, mas acabou por ser aceite sem grandes polémicas quando finalmente as pessoas pareceram perceber uma realidade: A PS4 Pro é uma PS4 e não uma nova consola!

É mais potente, é mais capaz, consegue trabalhar em resoluções superiores! Mas quando se trata de melhorar os jogos que a PS4 já possui a 1080p, os ganhos não são gigantes! Pode ter fotogramas mais estáveis, pode ter mais fotogramas, ou pode ter melhor anti-aliasing ou mais vegetação no ecrã. Mas no básico… a consola é em tudo semelhante.

E porque? Porque a Sony garantiu na sua concepção, numa escala adequada às maiores resoluções que pretendia implementar, que os gargalos da consola seriam em tudo equivalentes aos da PS4. Ou seja, a génese da consola manteve-se, apenas existiu uma consola melhorada, mas que apresenta as mesmas limitações da original, não podendo assim apresentar nada que a versão original, com mais ou menos cortes ligeiros também não consiga! Basicamente a consola foi pensada para ser uma PS4 mas a alcançar 4K, sem haver grande desfasamento com a versão base para não quebrar a geração.

Ora é aqui que a questão se coloca! E quanto à Scorpio? Será que a Microsoft lhe vai colocar limitações equivalentes, de forma a que esta consola seja uma Xbox One a 4K, ou vai criar uma polémica ainda maior, lançando uma consola de nova geração?

Repare-se: Sabemos que o GPU é 4,5 vezes mais potente, e sabemos que a largura de banda geral é de 320 GB/s o que lhe garante um funcionamento sem os gargalos inerentes aos 68 GB/s da Xbox One. E isto são características que se oferecem como definidores de uma nova geração!

Mas e o CPU? No fundo, tudo o que será a consola estará pendente deste componente!

E aqui temos 2 hipoteses:

1 – A consola possui um CPU que mostra um ganho equivalente às restantes peças da consola. E então a Scorpio tem absolutamente todas as características de uma consola de nova geração!

ou

2 – A consola possuí um CPU com limitações algo equivalentes ao da One, mas adaptado para o ajuste a 4K nativos garantem que a consola mantêm o ADN da sua irmã mais velha, e como tal não se trata de uma nova geração de consolas, mas sim de uma Xbox One mais potente.

Vamos analisar estas duas possibilidades:

No caso 1, convenhamos que com uma consola de nova geração lançada 4 anos após a Xbox One, estaríamos perante algo bastante polémico. Pela segunda vez na história da Microsoft, em apenas 3 gerações de consolas, e em ambos os casos porque estava a vender menos que a sua adversária, a empresa não dava à geração anterior o mínimo esperado de 5 anos. Mas pior do que isso é que a consola, a ser de nova geração, apareceria no mercado pouco mais de um (1) ano após a Xbox One S ter sido lançada, o que se revelaria um tremendo e rude golpe para os seus compradores (e a apresentação conjunta das duas consolas (scorpio e S), teria sido a cereja (podre) no topo do bolo).

E como é lógico, mesmo havendo fans incondicionais que comprarão seja o que for, a maior parte do mercado não veria essa realidade com bons olhos, e muitas vozes de protesto certamente apareceriam!

Claro que sabemos que as vendas até podiam não sofrer verdadeiramente com isso, pois como referido grande parte do mercado tem uma tendência a ser hipócrita nesse aspecto, mas o certo é que a imagem da Microsoft ficaria mal em muitos dos seus utilizadores e fans, particularmente aqueles que não são obcecados por marcas. E um constante agradar/desagradar criado por parte de uma empresa nunca é bom para a sua imagem, seja em que ramo for!

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Daí que a escolha do CPU é super relevante na definição daquilo que a Microsoft quer efectivamente para a consola, e o manter a Scorpio uma Xbox One melhorada ou deixar que a mesma se defina como uma nova geração, no fundo depende da escolha do CPU.

Já o caso 2 é mais semelhante à solução da Sony para a Pro, apesar de numa escala de qualidade superior. Mas para isso acontecer, o CPU teria aqui de manter limitações equivalentes à versão anterior da consola, mas ajustadas à nova realidade dos 4K nativos, ou então, caso isso não aconteça e o CPU não tenha essas limitações, tal teria de ser garantido pelo uso políticas fortes ou restrições no software.

Infelizmente, se pensarmos bem, na prática, e só havendo estas duas escolhas (limitação por hardware ou por software), apenas um CPU limitado evitará polémicas de maior (mas polémicas à parte, isso não quer dizer que tal seja o melhor para a Microsoft, e a ponderação de como definir a consola terá de ser uma decisão sua e só sua).

A questão é que aqui no caso 2, se as limitações forem artificiais e causadas pelas políticas ou pelo software, as mesmas levantarão também um coro de protestos. Afinal quem aceitaria de bom grado pagar, e se calhar bastante, por um hardware que possui as capacidades, mas que se encontra limitado pelo software? Seria o mesmo que ter de pagar por um um Ferrari que acaba proibido por software de andar a mais de 100. E isso, de forma lógica, causaria desagrados.

Mas voltemos ao caso 1, onde a escolha do CPU não restrinja a Scorpio para algo semelhante às limitações da One original. Pois aqui a Microsoft tem ainda duas hipóteses adicionais para definir a sua consola:

1- Não lhes coloca restrições, permitindo-a ter jogos a 1080p que arrasam com o que a Xbox One é capaz de fazer, e que na versão Xbox One é feito com sacrifícios de monta. Algo que já sabemos seria extremamente polémico após um ano depois da Xbox One S!

ou

2 – Usa a performance para os 4k, mas a 1080p, apenas permite ganhos moderados, de forma a não criar desequilíbrios.

Infelizmente, aqui, qualquer que fosse a escolha, ela seria polémica!

No fundo, o primeiro caso,  seria uma indirecta admissão de uma nova geração, tivesse a consola exclusivos ou não. A situação poderia até ser negada, mas a realidade dos resultados acabaria por saltar à vista. E negar a realidade perante evidências seria pouco inteligente!

No segundo caso,  o mesmo levantaria queixas de quem comprou a Scorpio e relativas a sub-aproveitamento, apenas porque possuem TVs 1080p.

Mas pior do que isso, neste segundo caso haveria outro problema! O PC!

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Sabendo-se que os jogos Xbox One saem para PC, e com o PC a não ter essas limitações, os jogos de terceiros (e não falo dos da Microsoft na Universal Windows Platform, que limitam o que o PC pode fazer de forma a não criar grandes disparidades, mas sim de jogos de terceiros), nos próximos tempos estes vão apresentar uma qualidade superior e digna de nova geração quando corridos a 1080p num PC.

E aqui entramos num problema… porque tudo isto mostra que a Microsoft tem de ponderar muito bem os pós e contras de cada caso ao definir o hardware e colocação da sua consola! Há aqui uma série de dilemas que a Microsoft irá ter de enfrentar. E que se espera que, seja qual for a escolha, tenha sido bem pensada.

A escolha aqui é a da Microsoft… esperemos é que as suas ideologias que tanto a tramaram com as políticas da Xbox One e com as práticas pouco correctas aplicadas às actualizações do windows 10, destinadas a forçar o mercado a algo que não quer, não voltem a aparecer.

Nota:

Conceito de dilema – Qualquer problema que se possa resolver através de duas soluções, mas em que nenhuma das duas é completamente aceitável ou, caso contrário, em que as duas sejam igualmente aceitáveis. Noutros termos, ao escolher uma das opções, a pessoa não fica totalmente satisfeita.

Basicamente, o artigo aborda a dificuldade da escolha da Microsoft pois a Scorpio pode optar por dois posicionamentos de mercado. Um semelhante ao da PS4 Pro, que como sabemos não é exactamente algo que nos agrade saber que existe, mas que acaba por ser o menor dos males, ou outro ainda mais agressivo que será o ser uma consola de nova geração que, mesmo que camuflada e negada de forma a não soar a algo tão chocante nesta fase, forçosamente se acabará por revelar esmagadoramente superior à Xbox One.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (92)

  1. Na minha opinião assim que saírem os primeiros vídeos dos trabalhos feitos para a Scorpio as pessoas esquecerão tudo o resto, não querem saber se têm um Xbox s, uma PS4 pro, querem é um produto premium. Estamos perante um mundo consumista e enquanto a mentalidade assim for as companhias estão bem. Acredito que a diferença entre a Scorpio e a Xbox one será maior do que a PS4 e a PS4 pro, os jogos vão existir em ambas mas para quem terá uma “Scorpio” jogar numa Xbox one será o mesmo que jogar num antigo laptop como já vi por aí escrito algures. Precisamos de mais informações e veremos o que isto vai dar. Ser um dilema ou não para a Microsoft, isso é lá com eles mas se vão vender a Scorpio isso podes ter a certeza que sim e ao fim ao cabo é o que lhes interessa.

    • Porque?
      Eu sempre tive um produto premium cá em casa. Em 2013 o meu computador era um i7 4770K com 16 GB e uma R9-290X.
      E isso não me impediu de comprar uma PS4 e uma One.
      Se alguem quer premium compra um PC. Por 400 euros, menos que a consola, meto-o com 12 Tflops e tenho todos os jogos Xbox a correr melhor que na Scorpio.
      A Scorpio aproxima-se mais dos PCs topo de gama do que a One o fez em 2013, mas mesmo assim ainda fica longe.
      Acima de tudo as pessoas tem é que se perguntar. Se a Scorpio não é uma nova geração, então quanto tempo essa geração ainda vai durar?
      É que se a PS5 saisse em 2018, a Pro não choca muito. Só custa mais 50 euros e é melhor. Mas se a Microsoft tivesse de responder em 2019, como preço da One abaixo dos 300 euros, o custo da Scorpio para dois anos seria certamente alto.

      • Eu no meu caso já fui PC gamer mas prefiro jogar em consolas, eu referia-me a console gamer, quem o é irá pelo serviço e produto premium, a Xbox one será apenas uma ilusão o que mais tarde ou mais cedo às pessoas vão acabar por comprar a Scorpio. Se for o console mais potente do mercado é nisso que as pessoas vão atrás. A PS4 vendeu milhões no início, não foi pelos belos jogos porque nem os tinham, tirando um ou outro, o pessoal foi atrás do seu hardware superior e é o que irá acontecer com a Scorpio. Sendo ela cara ou não, desde que justifique o investimento as pessoas acabam por comprar.

        • Acho um pouco redutor dizer que as pessoas vão atrás do melhor hardware..
          Basta ver o caso da WII !!
          A PS4 vendeu milhões no inicio porque a Sony acertou em cheio no seu marketing e no seu foco Gamer!
          Ao contrario da MS que fez borrada atrás de borrada e estoirou as aspirações da sua própria consola (k por sinal também é uma bela makina!)…
          E agora a MS está preparada para dar mais um tiro nos seus pés e nos gamers de consolas (pelas politicas que vemos as consolas são um fardo para a MS e quanto mais depressa migrar tudo para o windows melhor!)
          Vamos ver os próximos episódios…

  2. Phil Spencer já disse que não vai ser uma nova geração não existe mais esse pensamento. Os jogos vão ser feitos como no PC ( escaláveis ) quando vc coloca no one vai jogar com a especificação dele e quando jogar no scorpio vai usar a potência dele, assim como no PC que vc modifica as configuração está do game para melhorar a performance. O scorpio vai rodar tudo, Xbox 360 Xbox one etc.

    • O que Phil refere e o que o hardware será são coisas diferentes e o artigo aborda isso.
      Se a consola for limitada por software ou por políticas isso não funcionará, e para além do mais sabemos bem que a Microsoft muda as políticas de forma regular.
      Não ser uma nova geração implica que o hardware não deixe. Se ele deixar, estamos a deitar areia para os olhos.

  3. Ótimo artigo Mário, vai ser muito difícil a Microsoft adotar a mesma postura que a Sony adotou com o PS4 Pro. O Scorpion já foi anunciado com especificações muito superiores a do Xbox one em todos os sentidos e não tem como não cosidera-lo uma nova geração.
    Com o lançamento do PS4 Pro a Sony enfrentou uma grande resistência entre os seus consumidores que já possuem o PS4 base, um sentimento de traição e de desrespeito se instalou nas pessoas que já haviam investido seu dinheiro no PS4 e a internet foi invadida por comentários negativos que devem ter atrapalhado as vendas do modelo Pro.
    Isso aconteceu mesmo a Sony sempre afirmando que o PS4 e PS4 Pro são os mesmos consoles e que teriam os mesmos jogos, mesmo após o lançamento e com várias analizes feitas por sites especializados afirmando que a diferenças não eram tão grandes entre os consoles e que os donos do PS4 base não teriam os seus jogos prejudicados pela existência do PS4 Pro o sentimento de traição continuou a reinar.
    Não dá para prever a reação do mercado no lançamento do Xbox Scorpion mas se usarmos como exemplo as reações dos consumidores da Sony no lançamento do PS4 Pro a Microsoft realmente vai estar com um grande problema em suas mãos. Qual vai ser a reação dos possuidores do Xbox one e Xbox One S ao ver o Xbox Scorpion com jogos muitas vezes superiores aos seus e que dificultam e tornam a versão lançada para seus consoles muito diferentes e inferiores. O final de 2017 vai ser bem interessante para ver o comportamento do mercado gamer.

    • Essa é a grande questão. Ter uma nova consola que não se define como nova geração, e que quando comparas os seus jogos com os da consola base, na resolução comum, eles são relativamente semelhantes, apesar de poderem ter melhores AA e fps, ou mesmo um ou outro efeito adicional é uma coisa. E isso passa-se com a PS4 Pro!
      Mas teres uma consola que afirma o mesmo, mas que quando comparas com a consola base na resolução comum, ela está alguns patamares acima não é a mesma coisa. E se a Scorpio fizer isso, dizer que não é uma nova geração é um engana meninos e papa-lhes o pão.

  4. Ao ler o artigo já com o pensamento da divisão Xbox ser um serviço a correr em PC-Scorpio-One e ao ler a primeira hipótese adicional do caso 1 “Scorpio sem restrição com jogos 1080p que arrasam com o One” lembrei de uma famosa frase, dita pelos próprios responsáveis do One em 2013:

    “Felizmente, temos um produto para pessoas que não são capazes de conseguir qualquer tipo de conectividade. Chama-se Xbox 360. Se você tem acesso zero à internet, esse é um dispositivo offline.”

    Pode parecer sem sentido, mas achei a frase acima relacionada com a diferença que os jogos terão ao rodar nas 3 plataformas só que no sentido um pouco inverso. Vou ver um modo de explicar.

  5. O único dilema plausível é o preço final, o resto é fatalismo de internet, seja aqui ou outros lugares. Vou aguardar os próximos acontecimentos, pra ter uma base mais consistente de informação.

    Os indícios apontam que será um grande console, como foi o xbox 360 na época dele, um console referência de sua época. Diferente do projeto inicial do Xbox One, com o Scorpio percebo um foco irrestrito no gaming e tecnologia primária do console voltada a isso, e isso contrapõe aquelas teorias de que o Xbox ia acabar ou que o Xbox One seria o último console da Microsoft. Essas e outras coisas me fazem ser otimista com o Project Scorpio.

    • A diferença é que ambas as marcas estão com foco em gaming, foi o que a Sony fez com o PS4 e será assim com os posteriores.

      Se o 360 foi o console de referência da época foi em parte devido os erros que a Sony fez em relação ao PS3, assim como nesta geração o PS4 é o console de referência devido os erros da MS ao One.

      Já para as próximas gerações a briga por referência vai ser mais difícil, pois ambas as empresas erraram nas duas ultimas gerações e o que elas não querem é repetir o erro.

  6. Ainda preciso esperar mais sobre Scorpio, quero ver como a Sony reage, o PS5 quando que lança.

    Mas uma coisa eu tenho em mente em prefiro que o Scorpio seja muito melhor do que Xbox One, se for para comprar produto novo que seja muito melhor obvio alguém aqui prefere gastar dinheiro com produto muito melhor ou apenas melhorzinho?

    Se for falar de se sentir traído, os donos do PS4 base é para se sentir traído, com o slim, o slim com o pro, do pro para Ps5, do Xbox one base, para slim, do slim para scorpio.
    Não existe o mocinho e o vilão e se alguém achar que existe é porque tem preferencia por uma marca em especifico.

    O que gostaria de saber e como as produtoras vão fazer para lançar jogos para Ps4 e Xone base, para pro melhorado e para Scorpio ainda mais melhorado e caso vier o Ps5 ainda melhor.
    Alguém me explica?

    • Sim, nesse aspeto tens razão. A gastar dinheiro que justifique. Mas isso é uma perspectiva pessoal.
      Infelizmente, no papel de alguem que gere a PCManias e os interesses globais dos gamers, não posso dizer isso em artigos. Afinal o dinheiro custa a ganhar e as pessoas tem direito a ver o seu investimento justificado. Se a Scorpio for muito superior à One, ao ponto de ternos diferenças consideráveis, convenhamos que há muita injustiça para os compradores no dar à S pouco mais de um ano de mercado.
      E mesmo que pessoalmente possa achar o que achas, neste papel não posso de forma alguma dizer ou defender isso.
      Porque os meus interesses não são o que defendo aqui. Aqui defendo os interesses do público em geral, e nem todos tem as mesmas posses, mas tem os mesmos direitos.

      • Mas acho que S e Scorpio não tem nada vê uma com a outra, o preço é diferente!

        Eu discordo de fragmentar varias sub divisões dentro de uma só!
        Uma pessoa que não tem o Xbox One hoje ou em julho quando foi anunciado o Scorpio.
        Vai comprar o que tem, não pode esperar o futuro, vai comprar e vai curtir e pode escolher ainda entro Xbox base ou o S!

        Quando lançar o Scorpio vai continuar vendendo o S são para publico diferente, o Scorpio vamos chutar que seja $500 o S 250$ todo mundo vai ter dinheiro para pegar o mais caro?

        Errado foi começar fazer subdivisões, mas já foi feito, agora esse papo de injustiça com quem comprou o S ou base perante Scorpio acho sinceramente muito mas muito nada a vê!!

        Se não for para ser um melhor que o outro, então que nem tivesse, afinal coisas novas precisam ser melhores.

      • Quem compra ou comprou a S já sabe à partida o que lhe espera, mais cedo ou mais tarde a Scorpio estará no mercado. Aliás a Scorpio foi anunciado no mesmo dia que a S portanto ninguém tem que sentir-se injustiçado. Só compra quem quer, mas ainda sabemos muito pouco sobre a Scorpio.

    • Falar de PS5 para justificar o Scorpion não tem nada haver, quando o PS5 for anunciado todos já saberemos que se trata de um console de nova geração com especificações que de modo algum vão ser limitadas pelo PS4 e a Sony vai divulga-lo como nova geração, já no caso do Scorpion a Microsoft não pode fazer essa afirmação mesmo o console apresentando um hardware com especificações já considerados de nova geração. Imagina a reação de quem acabou de comprar um Xbox One S, fica difícil explicar que em um ano o seu console já ficou obsoleto e que os jogos que você vai jogar a partir de agora terão uma diferença gráfica ao nível de um Xbox 360 para um Xbox One, por isso repito não vai ser nada fácil justificar isso para os atuais donos de um Xbox One.
      Sempre fui fascinado pela evolução dos consoles e desde a época do PS2 eu já ficava imaginando porque a Sony não lançava uma versão com mais memória RAM que era o maior gargalo de hardware do PS2? Só vi esse meu pensamento se concretizar com o PS4 Pro que é uma melhora do PS4 e nada mais, agora no caso do Scorpion a situação já é outra as vantagens desse console vão matar o Xbox Oneque vai parecer um console de geração anterior. Só oque me incomoda na situação do Scorpion é o posicionamento da Microsoft que não assume que ela já vai lançar uma nova geração.

      • Não sabes ainda isso Marcos. Se o CPU for apenas ligeiramente melhor a consola enquadra-se, tal como a PS4 Pro numa One melhorada, mas desta vez para os 4K nativos.
        Já se ele apresentar grandes ganhos… A coisa é diferente. Há uma consola em tudo superior que só se prende à anterior se for limitada por políticas ou software.
        Mas isso vale o que vale e de um momento para o outro podem desaparecer.
        Repara que a Microsoft até pode isar isso a seu favor. Usa restrições por dois anos, restringindo o uso da potencia para a passagem a 4K daqui a 2 anos remove-as, libertando a consola e permitindo que essa peformance seja usada em jogos melhorados a 1080p.
        Convinha era a situação ser clarificada, e quem sabe na E3 isso não é explicado.

      • A reação de quem acabou de comprar um S, isso pra mim é muito patético, igual falaram ai o S e o Scorpio foram anunciados juntos!
        A pessoa decide se prefere esperar quase dois anos levando em consideração quando foi anunciado ou se quer comprar agora!!
        E mesmo quando lançar vocês acham que o S não vai vender mais, qual a certeza disso?
        Se custar $500 ou até mais e outro $250 são todos que vai pegar o produto premium..
        È patético essa afirmação de traição de se vitimizar, as informações estão ai para qualquer pessoa ver!

        Partir do momento que foi feito a fragmentação de console virou um PC, vai ter o de entrada e o melhor, isso é errado, eu acho eu não queria, mas eu não posso mudar.
        Agora que aconteceu, da licença em querer se vitimizar e pensar nos gamers nessa altura do campeonato!
        Eu não vou comprar o Scorpio no lançamento, e quero ver como vai ser o PS5!!

        E chega ser engraçado que lançar o PS5 está tudo bem, porque ai já vai ser uma nova geração, ai quem tem o PS4 base, o PS4, Slim e PS4 pro está tudo bem, não é vitima ?

        E tomara que o Scorpio seja muito melhor mesmo, eu não vou ter dinheiro para comprar, mas não me vitimizar, porque os gráficos dele são melhores, mas daqui um ano sai o PS5 ai nossa o comentário das pessoas mudam como o vento.

        Acho que nunca fiquei tão estressado lendo comentários, e olha que minha intenção é um PS5, mas o que ando entendendo aqui são duas empresas fazendo a mesma coisa com espaçamento de um ano, e as pessoas só acharem que é certo de uma marca!

        Ridículo se vitimizar por ter o S e logo mais o Scorpio, e soltar rojão para PS4 ou para PS5!

        • Calma Igor não se estresse, aqui só colocamos as nossa visão sobre oque está acontecendo atualmente no mercado de games, é só uma simples opinião. Com certeza você deve frequentar vários sites e comunidades de games assim com eu, e lá é fácil constatar o aborrecimento em torno do lançamento do PS4 Pro, não sou eu que me acho vítima mas sim a grande maioria que anda dando suas opiniões por ai , eu não tive problema nenhum em trocar o meu PS4 por um PS4 Pro em comprar um Xbox One S junto com meu irmão, porque gosto de tecnologia, mas siceramente não venho gostando das últimas noticias sobre o Scorpion como a de que o capacete de realidade virtual da Microsoft só vai funcionar no Scorpion e o Xbox One vai ficar de fora. No caso do PS5 ele nem foi anunciado ainda então não deve ser usado para justificar o lançamento do Scorpion que na minha opinião parece estar adiantando a próxima geração de consoles sem necessidade.

          • A PCManias foi um dos websites que criticou a Pro. Existem vários artigos aqui sobre esse assunto, uma vez que no que toca a consolas de meio de geração só vejo verdadeiras virtudes nas mesmas para a carteira dos fabricantes. As consolas já existem à várias décadas e tal nunca existiu, sendo que se preferia gerações mais curtas do que estas consolas, até porque a realidade do desfasamento da performance das consolas face aos PCs nunca foi tão grande como agora.
            E aceitando-se isso, apesar de que seria sempre de lamentar uma geração da qualidade da atual mais curta, a Scorpio seria muito bem vinda se fosse uma nova geração que fizesse isso mesmo, encurtasse a vida da One para 4 anos para acompanhar o PC e a tecnologia.
            Mas não só a Scorpio parece que será uma outra PRO, mas sem limites no hardware que a forcem a manter o ADN da antecessora, sendo no fundo uma aparente nova geração limitada meramente por políticas, como o lançamento da S que terá pouco mais de um ano quando sair a Scorpio vem confundir tudo ainda mais.
            Nada justificava estas duas consolas tão próximas (2 anos seria o mínimo esperado), isto parecem lançamentos de smartphones, e tal não é algo a que o mercado das consolas esteja habituado,e nem é por aí que a maior parte dos seus clientes querem ir.
            Daí que, tal como tive motivos para escrever diversos artigos a criticar a Pro, aqui tambem os tenho para criticar a Scorpio.
            Isto não invalida a qualidade dos produtos, e a Scorpio será excelente. Mas se é isto que nos aguarda no futuro, o PC acaba por ser um investimento superior.

          • Ontem não estava em um dia legal e acabei me alterando queria pedir desculpa a todos os leitores do PC Manias!

            Vou tentar explicar melhor tudo aqui de uma vez, eu jogo vídeo game desde cedo, nunca fui de ter todas as plataforma simplesmente por questões monetárias, mas isso não me faz menos gamer do qualquer outro que possa ter todas plataformas incluindo o PC!

            Meu único vídeo game da Nintendo foi o Nintendo 64, não sou grande fã da Nintendo mas o switch me atrai muito, quero ver por quanto vai chegar o preço dele no Brasil!

            Depois fui para Playstation tive desde o 1 até o 4, adoro por demais seus exclusivos os 3 preferido meu são GOW 2, Uncharted 2, shadow of the colossos, e em quarto lugar The last of Us.

            Xbox o primeiro que eu tive foi Xbox One, não tive nenhum anterior!

            Algumas coisas que eu discuti ontem mas expliquei tudo errado vou tentar explicar agora!

            A Sony e Microsoft tem visões totalmente diferente, para publico diferente, os 3 maiores jogos da MS atualmente Halo, Gears, Forza, todos tem uma coisa em comum o modo online, são três jogos que focam muito no online e os dois primeiros são de tiro!!

            OS 3 da Sony, GOW, Uncharted, The last of us, The last guardian, são focados na historia no enredo no drama, totalmente diferente, são jogos para publico alvo diferente, claro que qualquer um pode jogar mas é diferente o foco!!

            A MS não tem só esses jogos, tem outros também que eu não preciso citar aqui e não são poucos, se pegar jogos AAA a MS lançou a mesma coisa do que a Sony, sendo que no Xbox 360 ela lançou muito menos do que o PS3.
            Então em jogos grandes que chama atenção, teve muita coisa, Rayse, QB, Killer, Recore, Ori, Smite, Sunset Overdrive, e ainda tem os que não foram lançados!
            Então vou usar uma frase que eu peguei aqui no PC Manias mesmo, falar que a MS só fica sempre nos mesmos, é tão estupido como falar que a PSN fica off!

            Se ficasse sempre em Halo e Forza e não tivesse outros jogos seria outra historia, mas qualquer pessoa sabe que não são somente esses, e porque as pessoas tem implicância com Forza todo ano, mas não comente nada que tem um COD , FIFA, PES todo ano?

            Outra coisa que eu acho estupido é querer Sonyficar a Microsoft, querer que seus jogos ficam somente no console, A Sony só tem o console, não tem para onder expandir seus jogos, o que eles fazem é por uma TV da Sony que já tem alguma função com o PS4!
            Esses jogos da MS são exclusivos de console não vai poder jogar nem no PS4 nem na Nintendo, agora se tiver um PC bom vai poder jogar, e geralmente quem tem um bom PC, não é hater que fica chorando em fóruns falando que a MS só lança os mesmos jogos, eles estão lá jogando em 4k a um milhão de FPS a muito tempo, por isso que galera que tem PC tira sarro dos que tem console e com razão!

            Um console sempre foi uma plataforma fechada que durou muitos anos, somente teve o Slim e nada mais, eu acho que assim que deveria ter continuado.
            Mas fizeram subdivisões!

            O primeiro a fazer foi o Playstation, na verdade o primeiro a lançar porque o Scorpio já estava sendo feito, mas o primeiro a lançar doi Playstation, não o Xbox, levar jogos para o PC não tem nada a ver com por um console novo que nunca existiu, PS4 pro não é o slim.

            Quem define o que é próxima geração, quem define quanto tempo precisa durar uma geração, são os fãs de Playstation são os Fãs de Xbox?
            Quem disse que o PS4 pro não é uma nova geração?Yoshida?
            O Phill Spancer também disse que o Scorpio não é próxima geração.

            Então quem define quando é uma próxima geração e quantos anos deve durar, a mídia?
            Porque o PS4 pro é menos potente do que o Scorpio não é outra geração?
            O PS4 base roda 4k? Então como que um roda 4k e outro não e é da mesma geração?
            Então Nintendo switch não é uma próxima geração afinal ele é menos potente do que PS4 Pro que a mídia classificou ele como da mesma geração, então Switch vamos estar comprando uma coisa obsoleto certo?

            E a mídia está classificando o Xbox Scorpio como de outra geração porque, sendo que Spancer está falando que é da mesma geração, só que ele é mais potente do que o One, então não pode ser da mesma gen!

            Agora vamos analisar outra coisa, o Ps4 base é 40% mais potente do que Xbox One e são classificados da mesma geração.

            O Scorpio é mais potente do que o PS4 pro, e a mídia classifica ele como de outra geração?

            Uma outra coisa para fechar, na parte que toca o sentimento de ser enganado!

            quem foi mais enganado os donos do Xbox ou de Playstation.

            Um lançou o PS4 Pro que é um pouco mais potente, mas é melhor e roda a 4k, só que é melhor do que o seu base que tu comprou, agora eles lançaram um console que nunca existiu um pouco melhor, então pera ai isso é normal, lançar um console novo, que é melhor do que o base, mas que não foi um grande salto tecnológico, as pessoas que tem o PS4 base pode se sentir enganadas por ter um console melhor do que o delas na mesma geração o que é pior, afinal a mídia classificou o pro como dessa geração.
            Quem comprou o pro, pode pensar gastei meu dinheiro por uma coisa um pouquinho melhor, acho que eu esperava mais, ai logo anuncia o PS5 que é muito melhor do que o PS4 Pro como as pessoas que compraram o pro vão se sentir, e olha que eu nem falei nenhuma vez do slim porque isso sempre existiu.

            O Scorpio é a mesma coisa, quem tem o base pode se sentir traído por lançar um console muito melhor!
            Spancer fala que é da mesma geração a mídia fala que não e sinceramente eu prefiro que não, prefiro comprar uma coisa nova, mas e o ciclo de anos que precisa durar, mas que ciclo quem define o ciclo, e esse ciclo já foi quebrado com PS4 Pro, na minha opinião acho muito mais vantagem de tecnologia em termos de onde investir o dinheiro.
            A MS não vai parar de dar assistência para o One ela não vai ser estupida a esse ponto, mas como Mário disse vai ser alimentado por Soro!
            E pensando mais a frente, se o PS5 for muito melhor do que o Scorpio e a MS quiser responder com Scorpio melhorado, ai de todos que já compraram os que vão mais se foder desculpa a palavra vai ser os donos do Scorpio porque afinal ele está sendo vendido como algo premium e vai ser caro, e se ele ficar obsoleto rápido as pessoas vão se sentir traídas pra caramba!

            Então por isso caros leitores do PC Manias, que eu falo tanto no PS5, porque entre comprar o PRO e o Scorpio no meu ponto de vista o Pro é um produto estupido para ganhar dinheiro das pessoas, que é uma nova geração sim, mas como já estava pronto não deu para voltar atrás, assim como o PS4 base é muito melhor do que o One em termos de hardware.
            So que essa vez o Scorpio é muito melhor do que Pro!!

            Mas mas mas, o PS5 pode ser melhor do que o Scorpio, porque tenho certeza que não vai demorar p vir um PS5, ai sim quem comprou o Scorpio pode reclamar a vontade afinal o produto é vendido como premium etc etc.

          • Deixa-nos só comentar uma frase. A do “Sonyficar” a Microsoft!
            Como tu próprio dizes e bem, as consolas sempre foram fechadas, e a Microsoft alterou isso.
            Pessoalmente nada tenho contra isso, excepto uma coisa: o chamar-lhe consola.
            Dou-te um exemplo: Na minha cidade, em tempos um senhor que possuía um café chamado Regaleira, veio de novo para Portugal após ter estado emigrado em França. Ora uma das especialidades que serviam no café onde trabalhou em França era aquilo que em Portugal se chama de tostas mistas. Pão de forma aquecido com queijo e fiambre.
            Ora quando o senhor voltou ele resolveu inventar uma sande que fosse bastante completa. Pegou no conceito do pão de forma com queijo e fiambre e acrescentou-lhe um bife e umas salsichas frescas. Cobriu o pão com queijo extra que derretia sobre toda a tosta, e acrescentou-lhe um molho picante.
            Chamou a essa sua criação uma Francesinha.
            Ora curiosamente a Francesinha não teve grande saída no seu café. Mas um seu ex funcionário levou a ideia para um outro café, o Mukaba, e curiosamente lá a Francesinha tornou-se famosa.
            Hoje em dia é uma especialidade que só consegue ser apreciada na sua qualidade máxima na cidade do Porto, em Portugal, é que foi considerada a nível mundial como uma das 10 melhores sandes do mundo. É realmente algo delicioso.
            Infelizmente o segredo do molho e do conteúdo exacto nunca foi revelado, sendo que apesar de o criador da sande ainda ser vivo e de a mesma poder ser experimentada no café Regaleira do Porto, a versão ali servida não é a que realmente se tornou famosa, a do Mukaba, um café que já não existe.
            Vários cafés apostaram na sande que hoje em diante encontra em todos os locais da cidade, mas apenas um punhado acertaram em cheio no que toca ao conteúdo e molho, tornando-se os mais populares para se experimentar a iguaria.
            Quanto aos outros, não conseguindo chegar lá inventaram. E apareceram as francesinhas em pão de carcaça, francesinhas vegetarianas, francesinhas de bacalhau, todas elas com os mais diversos molhos.
            Basicamente todos querem usufruir do sucesso que é a Francesinha e todos querem ser conhecidos pela sua Francesinha. Mesmo que o que servem de Francesinha não tem nada, é o único em comum é o facto de ser uma sande com um molho.
            Pessoalmente, sendo um apreciador incondicional de Francesinhas, sou totalmente contra este uso abusivo do nome que pode mesmo dar mau nome à sande. Aliás quem já provou a mesma se foi por estas variedades na realidade nunca a provou, e se não foi para as variedades, mas comeu-a fora do Porto, as probabilidades são que o que comeu também tenha muito pouco a ver com a famosa sande.
            Ora aqui é a mesma coisa. Uma consola também é definida por certas características. Uma delas é ser um hardware fechado com exclusivos que só correm nesse hardware. O ser uma plataforma fechada com exclusivos foi o que sempre separou as grandes consolas dos outros produtos que usam o mesmo nome.
            Ao quebrar isso a Microsoft tornou a Xbox numa plataforma, e a One numa máquina dessa plataforma. Mas tirou-lhe as exclusividades.
            Naturalmente isto não é grave. Analisando a coisa tal e qual como ela é, esta situação basicamente não prejudicou a One de forma directa. Os jogos continuam todos lá. E assim sendo o que estou a referir é apenas algo que se acaba por esfumar a nível de importância.
            Mas se a One não foi directamente prejudicada, o PC foi directamente beneficiado! Agora tem acesso a jogos que antes não tinha.
            Infelizmente, e de forma indirecta isto prejudica a Xbox. Ao possuir exclusivos próprios e ao partilhar outros títulos de forma exclusiva com a PS4, o PC tem mais jogos do que a One.
            E isso quer dizer que a definição da mesma como consola a acaba por prejudicar. Os exclusivos consola PS4 saem para PC, os exclusivos One saem para PC, e k PC tem exclusivos. O PC foi incluído na plataforma Xbox e ganha dos três lados, a One… Não ganha nada!
            E por isso acho que a Microsoft ganhava mais em deixar de chamar à mesma consola chamando-a de PC optimizado para jogos. Porque dessa forma mantinha os seus jogos, mas partilhava os jogos PS4 que saem para PC.
            E desta forma, a One saia a ganhar.

          • Só um extra. O que referi em cima pode parecer um pouco idiota. Afinal se deixassemos de definir a one como consola, definindo-a como um PC base da plataforma Xbox, poder-se-ia pensar que ela deixaria de receber aqueles jogos que só saem para as consolas.
            A questão é que a coisa não é bem assim.
            Primeiro porque não me atreveria a dizer isto sem números. E depois de amanhã, quarta-feira, irão perceber isso.
            Segundo, porque o conceito de exclusivos consola não é algo palpável. Na realidade o que temos são equipas que desenvolvem apenas para as consolas devido à facilidade de desenvolvimento, aos SDKs, e ao volume do mercado alvo.
            E aí a Microsoft teria de ser mais abrangente. Caso fizesse isso teria de levar os sdk para o windows 10 tambem, melhorando o suporte global da plataforma.
            Naturalmente esta conversa é de chacha. Mais uma vez estamos a teorizar, mas este conceito passou-me pela cabeça como eventualmente benéfica para a One, quando vi os números que poderão ver na quarta-feira.
            Mas claro, a minha perspectiva baseia-se apenas nisso. Poderão haver outros factores não ponderados que pesem igualmente e não sejam benéficos, tornando toda esta ideia totalmente impraticável.

        • Igor ao ler as suas últimas respostas notei que você fala do consumidor sentir-se traído devido a uma marca lançar um modelo slim, mas qual o problema em se lançar um modelo slim em relação ao modelo base?

          Há vários anos o conceito de modelo slim existe e somente indica que o processo de fabricação de componentes evoluiu produzindo peças menores e com baixo consumo energético resumindo-se a menos transferência de calor.

          Oura se tenho componentes menores e mais econômicos por qual motivo não deveria lançar um modelo slim?

          Era regra de que o modelo slim deve ter as mesmas características funcionais que o seu modelo base, ao respeitar esta regra o consumidor não tem como se sentir traído, portanto quem tem PS4 base não se sente traído com um modelo Slim.

          Agora faço uma observação, no ano passado a MS decidiu mudar, lançou o one S com HDR, upscaling 4K, leitor BD4K e com processador levemente alterado, características funcionais que não existem no modelo base, portanto nesse caso concordo que quem comprou o modelo base do One se sentiu(ou tem o direito de sentir-se) traído por o modelo Slim ser um aparelho melhor.

          • Complementando o modelo Slim é um modelo base com dimensões reduzidas e consumo mais econômico, porém mantendo tudo o que o modelo base tem sem excluir ou incluir alguma característica funcional.

            O problema foi que a MS “reinventou” a roda e lançou um slim melhor que o modelo base, aliás reinventar a roda é com ela mesmo pois muitos agora batem palmas e acham genial o Scorpio ser retrocompatível tanto com jogos quanto por hardware, mas não lembram que o PS2 tinha retrocompatibilidade com software e hardware com PS1, que os consoles da Nintendo também tem.

          • Nunca critiquei o Slim Lívio ou você entendeu errado ou eu expliquei errado, penso da mesma forma como você, o slim sempre existiu!

            O que eu disse é que as pessoas se vitimizam por comprar o Slim hoje e lançar o Scorpio daqui um ano sendo que um não tem nada vê com o outro e proços diferente!

            Mesmo quando lançar o Scorpio um vai custar $500 ou mais é um chute, o outro $250, muitos vai escolher o mais barato!

            Penso exatamente como você acho que exploquei errado, o que eu quis dizer é que as pessoas se vitimizam, mas esquecem que hoje em dia existe três Playstation o base, slim e nova geração que a mídia fala que não por ser fraca!

            Existe Xbox one base o slim e logo mais Xbox Scorpio três consoles contra, três!!

          • @livio
            O slim sempre foi melhorado eu nunca tive outros Xbox, mas dizem que os primeiros Xbox 360 não tinha HD nem consigo imaginar isso, e o pior não tinha HDMI já pensou comprar um console sem HDMI?

            Tudo o que você disse tem razão esse Xbox Slim é um Xbox mais robusto, e as pessoas falam que a MS decidiu mudar a roda.

            Só que essas mesmas pessoas que falam isso, alegam que o PS4 Pro é normal sendo que ele é ainda mais robusto do que slim ee hardware dele não é igual do Ps4 base é melhor, mas a mídia classificou ele como da mesma geração por ser inferior ao Scorpio!

            Xbox slim é melhor do que base não pode o pro é uma nova geração ai pode, mas é pior do que o Scorpio, ai o Scorpio é o malvadão!

            #midia*a*palavra*de*Deus

          • Não Igor. A Pro não é da mesma geração por ser inferior à Scorpio. E nem podiam fazer isso pois a Scorpio é ainda apenas um conceito e algo que não existe. Acredita-se que vai existir (é só uma catástrofe o poderia impedir), mas até estar no mercado, não existe. E um produto não se define pelo que pode vir a haver, mas sim face ao que existe.
            A Pro é da mesma geração porque é uma PS4. Em tudo!
            A diferença é que é mais rápida! Mas o hardware é o mesmo, apenas um pouco mais rápido para atingir os 4K. Mas quando trabalha a 1080p, as diferenças são tão poucas que a consola não consegue realmente fazer nada que a PS4 base não possa fazer. Mais um efeito, menos um efeito, mais AA, menos AA, mas o resto está lá tudo, pois os gargalos, pela semelhança do hardware, são semelhantes.

            A questão da Scorpio é por isso diferente. Se não for uma nova geração, a consola é semelhante à PRO, mas para melhor, e aí não há muito a dizer pois se o mercado aceitou a Pro seria hipócrisia não se fazer o mesmo na Scorpio. Mas se for e não estiver limitada ou só o estiver por políticas é algo bem diferente. Mas sobre isso não vou falar de novo!

            Sobre o a Pro pode e a Slim não pode, sim, a Pro atinge resoluções mais altas que a base, e consegue melhores gráficos. A S também podemos dizer o mesmo ao re-escalar para mais resolução.
            Mas isso são melhorias ao suporte. Não são novas capacidades!
            Já o leitor UHD na S é algo novo. Uma introdução de uma capacidade que o modelo antigo não tinha.
            Melhorias são algo normal. A 360 tornou o disco standard e o HDMI standard. Mas a versão original fazia o mesmo sem o disco (corria os mesmos jogos) e sem o HDMI (dava imagem e HD). Já o acrescentar coisas que a versão anterior não é capaz não é muito normal. E a Pro não acrescentou nada face à PS4. A S sim, pois lê UHD e tem HDR, coisas que a base não tem.

          • Igor você que explicou errado, mas entendo, você disse que não estava bem, provavelmente algum problema pessoal e um dos primeiros lugares a extravasar o que estava sentindo, infelizmente, foi aqui.

            Mas aqui está a frase:
            “Se for falar de se sentir traído, os donos do PS4 base é para se sentir traído, com o slim, o slim com o pro, do pro para Ps5, do Xbox one base, para slim, do slim para scorpio.”

            Por qual motivo donos do PS4 base devem se sentir traídos com o Slim(que é um base reduzido)? Já os donos do base com o Pro e donos no One base com Slim eu concordo, devido ao que expliquei anteriormente.

            Portanto irei fazer uma correção na comparação que você fez no final da sua resposta, são 2 aparelhos PS, o Pro e a base (base e slim são a mesma coisa) e são 2 aparelhos Xbox, o base e o Slim, aqui há a separação pq você sabe que o One S é diferente da base por possuir características que a base não tem.

            Porque não coloquei como exemplo as modificações do 360 slim em relação à base? Porque no slim o primeiro modelo poderia oferecer 1080p via cabo de vídeo componente e depois incluíram o HDMI que estava sendo a porta padrão, sei que o HDMI é muito melhor que o vídeo componente, ou seja em tese não alterou em nada pois os consoles Xbox não incluem as demais características que existem em conexões HDMI, aliás até inclui o 3D em jogos, mas a lista de jogos não é tão grande (https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Xbox_360_games_with_3D_support). E sobre a troca do HDDVD para Blu-ray, bem o principal motivo dos leitores ópticos em video games é para lerem os discos de jogos, claro que existe uma parcela que assiste filmes/shows.. em discos, mas para o objetivo principal a troca do HDDVD para blu-ray não alterou em nada, pois os jogos do 360 continuaram a ser distribuídos em mídia DVD.

            E para aqueles que compraram modelos que não tinham Wi-fi nem Leitor de disco? Esses usuários compraram os modelos já com consciência de que existiam outros modelos com os acessórios “opcionais”, a compra com certeza foi devido a questões financeiras, foi assim com PS3 e 360 que ofertaram modelos mais baratos, no caso do PS3 houve somente um modelo (CECHB-xx) que não possuia Wi-fi e o HD era de 20GB. No 360 lembro que também tinham modelos sem Wi-fi, sem HD e não lembro se existiam modelos com alteração no leitor de disco.

      • Pra mim matar significa acabar, não ter mais o console, o Mário justificou que no começo a MS iria matar o Xbox One com aquelas politicas tem toda razão, não foi atoa que mudou tudo, não precisa ficar online, não tem o Kinect…

        Mas o Scorpio não vai matar a One, do mesmo jeito que a One não matou 360, e porque vocês acham que todo consumidor compra um produto premium?
        Qual a certeza que no final de ano o pai de família vai olhar dois consoles que fazem a mesma coisa a grosso modo, só que um com gráficos melhor e outro inferior, e na casa dele, ai ele olha na caixa e ve que funciona a 4k e lembra que na casa dele não tem uma TV 4k, será que ele vai pegar o produto premium que é dobro do preço e não vai funcionar na casa dele, ou vai levar o outro pela metade do preço?

        Até ano passado tinha jogos saindo para Xbox 360, e vocês acham que a MS vai matar de uma hora para outra o One, Phill vai chamar os estúdios e falar galera a partir de hoje vamos matar a One não faz mais jogos pra ele, é assim que vocês pensam?

        Só por curiosidade a GTX 1080 matou as outras placas?
        Porque as outras ficaram obsoleto perto dela.
        São todos os gamers de PC que tem dinheiro para comprar uma placa premium assim?
        E por curiosidade quando lançar uma placa nova, quem tem a 1080 vai se sentir enganado?
        Porque acho que um mesmo pensamento deve seguir para tudo…

  7. O scorpio não vai ser nova geração por causa dos 4k, a microsoft ja falou que todos os jogos first party vão ser em 4k, vai sobrar muito pouco do gpu e cpu pra realmente ter uma evolução na fisica, na iluminação, etc . .
    .

    • Mas e para quem não tem tv 4K?
      Tal como a PS4 Pro vão haver melhorias. E a questão é aí que se coloca. Até que ponto haverão diferenças?
      A Pro nunca tem muitas pois o CPU não deixa. Mas e a Scorpio?
      Percebes a dúvida? No fundo, se todo o hardware for evoluido e não houver nada que prenda a consola, a 1080p as diferenças podem ser grandes. Ao ponto de haver diferenças como havia entre uma One e uma 360.

  8. Vai chegar aí uns tempos bastante confusos!
    A MS diz que as gerações acabaram, a Sony ainda diz que não!
    Em que ficamos?
    Eu cá para mim ambas as gerações acabaram!
    A próxima consola irá sempre suportar a anterior.
    Só se, o modo de jogar for completamente diferente!
    Mas isso levaria a novas tecnologias e formas diferentes de obter entretimento.
    Agora espero ver um foco em Software.
    Ainda há tanta gente com TVS de 1080p…
    E sinceramente não me interessa tanto jogar a 4k, preferia mais ter o HDR que 4k na minha TV

    • As futuras gerações terão sempre retrocompatibilidade pois caso se mantenham x86 tal é simplificado.
      O que distinguirá uma nova geração é a possibilidade de a performance poder ser usada como se quiser e não em resoluções 4K, e a existência de exclusivos.

      • Mas no caso da Ps4 pro e da Scorpio, são as políticas!
        Pelo que eu vi, a sony não está a obrigar o 4k nos jogos com a ps4 pro…
        Só quer é como requesitos minimos os 1080p!
        Cá para mim, no futuro não irá haver tanto ênfase no 4k…
        Irão fazer os jogos como querem, e depois a resolução logo se vê…
        (O que devia ser assim)
        Prefiro ter a performance em qualidade do jogo, que resolucao!

        • Onde viste isso? O divulgado pela Sony obrigava a aumentos de resolução até 4K, com o chequerboard rendering a acontecer com uma resolução mínima de 1800p.
          Por exemplo, o futuro Mass Effect parece que usará essa resolução.
          900p na One, 1080p na PS4 e 1800p na Pro.

  9. As vezes é difícil tentar compreender algo que ainda não foi feito, só temos suposições, mas de vez em quando é necessário deixar de lado as suposições e considerar os fatos até agora. A Microsoft disse que as gerações acabaram para eles e pretendem ter um console de várias gerações. É óbvio que isso é algo bastante figurado e uma hora o Xbox One vai cair por não ser suficiente para jogos com visuais de alguns anos a frente. Porém, para a Microsoft implementar a visão que eles disseram, não podem colocar amarras nos consoles que forem saindo. A única forma de cumprir isso, é se o scorpio não tiver as limitações do Xbox One pois em algum momento no futuro, o Scorpio vai ser o console base e havera um novo que será o Premium.
    É muito simples, e nesse ponto haverá a diferença para o modelo da Sony. Eles se limitaram a lançar um console que melhora a experiência do PS4 mas que também terá que cair quando surgir a próxima geração.
    A jogada da Microsoft só vai confundir quem tem dificuldade em entender que eles estão mudando o modelo do produto deles, e para esses que ficarem insatisfeitos, terá o Playstation que continuará sendo conservador.
    As pessoas estão esperando que o Scorpio será nova geração, mas a apresentação será tão decepcionante quanto a apresentação do Ps4 Pro por que as pessoas não entenderam o conceito ainda. Não dá para mostrar os benefícios do 4K para alguém assistindo video pelo YouTube num tablet. Tudo que acontecerá é que a Microsoft vai mostrar seus mesmos jogos que estao em 900 – 1080p no Xbox one rodando em 4K. Aliás, todo mundo já viu o Scorpio em ação, procurem o video do canal do Xbox do Gears of War 4 rodando em 4K. Estava num PC, mas eram visuais identicos ou com melhorias insignificantes.
    Isso será o Scorpio enquanto o One existir, e quando surgir uma nova geração, ele tera espaço para mostrar a força do seu hardware rodando em resolução menor mas com tecnicas do tipo checkboard rendering.
    Aí questionarão se o hardware não será subutilizado no começo, e ele será masmo do PS4 Pro também está sendo. A GPU do Pro já tem recursos Pós Polaris como dito pelo Mark Cerny e está sendo limitada pelo PS4. Até por isso, as vezes eu duvido de que a Sony realmente vai manter o coneito de geração da forma tradicional. Ela nem precisava ter investido em GPU de última geração para isso.

    • Concordo na parte final,como alguns aqui afirmam que Ps4 Pro é o Ps4 e que teimam em achar que a maioria das pessoas acham que o Scorpio é um Xbox One melhorado.Pelo menos para mim pular de geração em 4 anos sendo que o mesmo vai ter vida útil por mais 2 anos é tolerável.Agora achar normal a Sony lançar um console que se dizia o melhor lugar para se jogar com slogan 1080p e após 3 anos lançar um modelo premium que se diz voltado para o mercado pc gamer e após boatos que se vier um ps5 em 2018 ou 2019 seria uma lógica.Isso para mim cheira a burrice gamer,pois não tem desculpa a Sony queridinha fragmentou o mercado de uma forma que talvez tenhamos que esperar 3 anos após lançamento de um console dela para ver se não lança um modelo premium e tem pessoas ainda assim que fica num frenesi danado.Lamentável.

      • Sim, nos dias que correm, dado o avanço tecnológico, 4 anos terá de ser visto como um sacrifício aceitável. Mas a questão não está nos 4 anos. Está no pouco mais de 1 ano de mercado da S. Se a Scorpio é uma nova geração a S teria de ter mais tempo de vida útil.
        Seja como for, estamos a discutir no molhado e apenas teorias. Não sabemos ainda o que a Scorpio será.

        • Correto,também vejo por esse lado Mário,mas te pergunto uma coisa meu amigo,se a PS4 tivesse sido um fracasso e mesmo a Sony se mexendo não vendo resultados você acharia que o PS4 teria o mesmo ciclo de vida de seus antecessores.Tenho certeza que não.E é este ponto que a maioria que curti a Sony não consegue ou não quer enxergar.Pois o Lívio aqui em baixo não entendeu o recado,pois tenho o Pro e pergunto a ele se ele jogar um jogo comigo(um FPS pode ser) ao qual tenho a vantagem em frames e resolução o que você acharia que ele iria reagir na partida,pois tenho praticamente tudo a meu favor e isso não é nada legal.Só quero que vejam as especificação do Pro novamente e estudem o que ele pode proporcionar com um GPU com 32 CUS usando somente metodologias de GPGPU o que este console pode me trazer em comparação ao modelo standard.

          • A pro não pode trazer grande coisa… Porque o GPU só faz aquilo que o CPU deixa. E o CPU só é 30% mais potente. Nesse sentido, mantendo a resolução esses 30% vão-se ao melhorar fps, AA, e alguma geometria ou efeitos.
            Basicamente a consola era escusada. E a Sony podia ter impedido melhorias caso a resolução fosse 1080p, mantendo nessa resolução as especificações da consola original. E aí a PS4 sim… seria uma excelente consola! mas apenas para quem tem TVs 4K.
            Assim como está, mesmo oferecendo poucas melhorias, é… uma aberração que preferia não existisse!

          • Sim sei sobre a vantagem dos FPS e também da resolução para diferentes usuários e ficaria p… da vida ao ficar em desvantagem nesse quesito, mas na sua resposta mais acima você cita a fragmentação como consequência para comprarmos um novo console Sony anos após o lançamento.

            Cada caso é um caso, mas na geração passada o PS3 inicialmente foi um fracasso em vendas, hardware caro, baixas vendas que incluíam prejuízo, GPU fraca, desenvolvimento de jogos complicado. O PS3 só veio dar lucro em 2010, 3 anos e meio após o lançamento, uma parte foi resultado de algumas ações, por exemplo o surgimento de novos jogos e a Plus. Se fosse com o PS4 não sei se teria a mesma atitude que fez em relação ao PS3 ou se partiria para outra. Mas agora pegando esse exemplo do PS3 que com um aparelho a dar prejuízo conseguiu reverter a situação, por qual motivo então a MS resolve lançar um novo aparelho 4 anos após o modelo base sendo que nem prejuízo a base dá? Sobre o Pro sabemos que foi ganancia da Sony.

      • Caro Ewerton, você se equivocou, se olhar em histórico aqui mesmo no PCManias vai ver que quem dizia que o Scorpio era um One para 4K, entre linhas “turbinado”, são na maioria aqueles que o defendem.

        Minha posição desde a revelação do Scorpio foi de que ele é uma nova geração e quem justamente o primeiro a me dizer que seria um aparelho “turbinado” foi de uma pessoa que tem One como plataforma principal, nunca vi isso vindo de quem tem o PS4 como principal.

        O legal é que na maioria das coisas que são aplicadas em um lado também são aplicadas no outro, quem também teve anúncios de jogos 1080p e que agora terá um produto premium True 4K? Tem artigo do PCManias que falou sobre isso.

        Espero que essas pessoas que tem o frenesi danado, não seja uma generalização do que você vê em outros sites/fórum aplicada aos leitores do PCManias, pois os usuários do PS4 que frequentam esse site em sua grande maioria foram contra o Pro e não veem motivos de comprá-lo já que possuem a versão base. Nesses 2 meses pós lançamento do Pro estou comemorando a cada divulgação de vendas que informa que o Pro, embora esgotado em muitas lojas na Europa, vende muito menos que o PS4 base e é certeza que a Sony já percebeu isso.

        “Tolerável” essa é uma atitude errada de todos os consumidores, acho que por nunca ter colocado o Xbox como plataforma principal eu não aceito essa “renovação” 4 anos após o anterior, já quem acompanha a plataforma desde o Xbox original, não sei se é o caso de vocês, já se acostumou. Eu venho em uma média de no mínimo 5 anos na troca entre gerações.

        Sony já deu uma de lançar um produto Premium 3 anos após a base, felizmente as vendas não são boas em relação ao slim, se tolerarmos esta atitude será que um dia ao invés de Premium não seria uma geração nova? Dificil pois a troca de gerações nos consoles Sony é no mínimo de 6 anos, mas não impossível. Já colocando a MS como exemplo, a troca mínima de geração foi de 4 anos (Xbox > 360) e 8 anos (360 > One), repetindo o ciclo de troca para 4 anos (One > Scorpio) não seria mais fácil em algum momento esse ciclo cair para 3, caso o tolerável continue?

        Burrice gamer? Para que comprou o PS4 já nos 2 primeiros anos um possível PS5 para 2019 seria uma burrice? Comprei meu PS4 em 2014, em 2019 já seriam 5 anos, bateria a minha média de troca de geração, isso seria burrice? Não generalize as atitudes de poucos que optaram por trocar o base pelo Pro já sabendo que o possível PS5 possa chegar em 2019. Não incluo nessa “burrice gamer” aqueles que compraram o Pro como sendo o seu primeiro PS4, pois se comprou o PS4 no meio do ciclo de vida provavelmente comprará o próximo console também no meio do ciclo de vida.

        • A duração de uma geração não é algo definido. Já houve de 4 e já houve de 8! 5 é um valor médio considerando todas as durações de gerações que já existiram.
          No entanto, atualmente, aceitar uma geração de 4 anos não choca muito. Pela primeira vez as consolas saíram sem serem mais potentes que os PCs, pelo que se percebe uma quebra na duração!
          3 anos… seria pouco… e certamente um rude golpe. Mas se antes já houve uma de 4, uma de 3 agora, aceitando que o delta de performances das anteriores consolas face aos PCs foi mal pensado, poderia chocar, mas o que se fazer?
          A questão aqui é que não só a anterior geração está a ser um sucesso de vendas, mostrando que não há verdadeira necessidade de uma nova geração pois o mercado está contente com o que há, como a Scorpio, caso fosse uma nova geração, não é assim tão melhor que a One que justifique ser lançada já!
          Aliás como já referi em artigos, o hardware da AMD para 2018 promete duplicar performances. E vamos ter placas com 12 e 24 Tflops. Daí que lançar já algo como nova geração e com apenas 6, seria um erro (nota que eu acredito que a Scorpio não será uma nova geração, mas a questão é que a Microsoft nunca se definiu claramente quanto a isso).
          Mas o maior erro, que seria aliás bastante chocante, pelo menos para mim, caso a Scorpio fosse uma nova geração era a S. A Scorpio foi apresentada na mesma altura, com apenas 1 h de diferença, e se há uma diferença de gerações, com a S a ter pouco mais de um ano nessa altura, isso é caricato demais!
          Eu sei que a PCManias é irreverente nesse aspecto. Nem sequer vejo outros websites a discutir isto, mas numa sociedade de carneirinhos onde as pessoas comem tudo o que lhes dão, isso não me surpreende!
          Mas seja como for, repito que acredito que a Scorpio não será uma nova geração e será uma espécie de Xbox One Pro, mas muito melhor que a PS4 Pro.
          E se for assim, tendo já engolido o sapo com a Pro, nem tenho nada a apontar-lhe!
          Agora só espero é que a consola não mantenha a geração por meras políticas ou software, mas sim por alguma limitação no hardware. Porque vendo as atitudes e políticas da Microsoft dos últimos anos, isso seria apenas um atirar de poeira para os olhos.

          • Mario, se a sony quis lançar um ps4 apenas melhorado, azar o dela, pois foi um desperdício de oportunidade, como produto. A Microsoft está propondo um equipamento de fato superior ao que existe no mercado, e está fazendo valer a oportunidade de oferecer um salto maior como produto. Oportunidade, essa é a palavra.

            Quem disse que o Xbox one S terá apenas 1 ano de “vida”? De onde você tirou essa teoria? E porque o lançamento do Scorpio significaria uma descontinuação do Xbox One S? Essa é uma suposição sem a menor base, me perdoe a sinceridade. As coisas não giram só na visão informática da coisa, há razões mercadológicas pelas a quais costums desconsiderar nos teus artigos, que por razões óbvias, tem um viés voltado a hardware e especificações.

            eu lhe desafio a provar onde está escrito que o Xbox One S será descontinuado após o lançamento do Scorpio ou que automaticamente deixará de receber os jogos. Simplesmente já é uma teoria sem fundamento teórico, o que dirá prática.

            Você cria definições das coisas, e as coloca como uma realidade absoluta em relação ao Scorpio ou um suposto PS5. Considerando que estão levando um esquema PC para os consoles, porque um jogo de Scorpio teria que ser exclusivo a este? Achas que iriam abdicar dos quase 30mi de Xbox One vendidos só por esse conceito arcaico de geração? Pense a respeito.

            Um conselho: tira esse mentalidade de geração da cabeça, como se isso fosse parâmetro máximo sobre tudo que norteia os consoles. Não é assim que as coisas realmente funcionam, principalmente em tempos de jogos caros e que necessitam de retorno financeiro.

          • Caro Jairo

            Sem dúvida nenhuma a Scorpio como hardware substituto da One é superior à PS4 Pro. Já como produto global não sei.
            A PS4 Pro, por muito que isto custe dizer, pois preferia que ela não existisse, é sem dúvida nenhuma o melhor local onde se jogar os jogos playstation.
            Já no caso da Xbox, numa reviravolta face à realidade que sempre existiu, e mesmo a que começou está geração, o PC é que ocupa essa posição atualmente e nem sequer a Scorpio irá alterar isso.

            De resto creio que confundes artigos com comentários. Nos artigos está uma pessoa que discute realidades e notícias, nos comentários, uma que tal como vocês, discute ideias e conceitos.
            De resto, efectivamente a S terá pouco mais de um ano de vida quando sair a Scorpio. E isso é matemática!
            Já a parte da “descontinuação” da S são palavras tuas, uma vez que eu nunca as usei ou sequer disse que isso aconteceria. Daí que esse desafio de provar lá o que queres nem sequer faz sentido.
            Aliás, um novo smartphone tambem não mata o anterior. Mas o certo é se se a Apple (apenas como exemplo) lançasse o iPhone 8, poucos meses depois do 7 ninguem ficaria contente. Ou será que ficaria?
            Talvez se fossem fans incondicionais da Apple. Mas esse comiam fosse o que fosse! O fanboy encontra sempre uma desculpa. Pensa para si, fica chateado, mas acaba por aceitar… E pensa em comprar!
            Mas já que falas, o certo é que uma nova geração de consolas, históricamente mata a anterior. E o certo é que um jogo 1080p numa Scorpio, caso o CPU seja igualmente bastante mais potente, só consegue passar para uma One com grandes sacrifícios.
            E os produtores não abandonaram os 80 milhoes de PS4 e os 80 milhões de Xbox 360 (particularmente esta última) para apostarem em mercados inferiores para perderem dinheiro. Eles fizeram-no porque as consolas anteriores, face ao que existe no mercado, não acompanhavam a qualidade.

            As conversas que tenho sobre este assunto não são artigos, são comentários e exprimem uma perspectiva. Podes concordar ou discordar dela. É normal! Mas não é o falar que faz dela verdade absoluta ou o discordares que a fazem ser mentira. É uma perspectiva que acredito seja a de muitas mais pessoas. E que só não a vê e aceita como possível, mesmo que não ache que seja a mais provável, quem não comprende que há pessoas que pensam diferente de si, e que vivemos num mundo onde o gaming é um luxo e que gastar dinheiro em novas consolas em curtos periodos de tempo não é para todos.

        • Você fala como se estivesse definido que o Scorpio é uma nova geração.
          A fabricante e dona do console disse que não é uma nova geração e ele vai rodar games do Xbox One em 4K e na verdade para eles não existirá mais gerações. Os jogos saírão para a plataforma e serão escaláveis para se adaptar ao hardware onde rodam.
          É simples, a Microsoft diz que não haverá mais gerações. Os fans do Playstation dizem todos os dias que é uma nova geração pois parecem estar tentando justificar um suposto PS5 que nem existe e provavelmente não existirá até 2020.
          Aceita, o Scorpio é o concorrente do PS4 Pro. A arquitetura é a mesma e assim será por muitos anos, geração daqui para frente é só um conceito. A arquitetura GCN foi construída para ser utilizada de uma forma que os APIs estão começando a fazer agora. Tem espaço para melhorar um pouco na geração atual.
          Outra coisa que não deve ser ignorada nessa comparação é que o Xbox original dava prejuízo atrás de prejuízo. Era caro demais para produzir e vendia pouco, o que significava prejuízo e por isso foi descontinuado. O Xbox One dá lucro. Uma empresa não substitui um produto apenas por que vende menos que o concorrente. Se assim fosse, a Pepsi teria criado quantos refrigerantes para tentar vender mais que a Coca Cola??

          A estratégia da Microsoft pode não fazer sentido agora para quem está com a mente fechada, tipo o console que será supostamente uma versão melhorada ser tão melhor que o console base. Mas essa estratégia vai fazer sentido daqui alguns anos quando a SOny lançar um PS5 e quem for dono do Scorpio já estará na nova geração rodando jogos com os mesmos discos de quem comprar um Xbox Next, pois o Scorpio assumirá o lugar de console base, enquanto caso a SOny mantenha a palavra dela sobre as gerações, se o PS4 Pro tiver jogos do PS5 serão em ports que necessitarão de discos diferentes.
          Mas a Sony é esperta no jogo de palavras, ela pode copiar a estratégia da Microsoft e mascarar nas declarações e todo mundo vai bater palmas. Afinal, o PS4 supostamente era um console em que o online seria só um detalhe, qualquer um pode comprá-lo, mesmo se morar em uma oca no meio da selva, não é?

          • Citando:
            “A fabricante e dona do console disse que não é uma nova geração e ele vai rodar games do Xbox One em 4K e na verdade para eles não existirá mais gerações.”

            Verdade!
            Mas eis outras coisas que o Fabricante disse:
            “A Xbox nunca será vendida sem o Kinect” – Link – Agosto de 2013
            “A Microsoft não planeia remover o Kinect – Ele é parte integral da experiência Xbox” – Link – Fevereiro de 2014
            “Microsoft vai vender Xbox sem Kinect” – Link– Maio de 2014
            “O Kinect será sempre parte integrante da Xbox – Mesmo não sendo vendido com a consola” – Link – Junho de 2014
            “Phil Spencer admite que o Kinect não é realmente necessário para os jogos” – Link – Maio de 2015
            “Microsoft remove porta dedicada Kinect da Xbox One S” – Link – Junho 2016

            Podia fazer aqui um apanhado semelhante com as funções e suporte TV, a promessa de séries, de acordos TV em todos os países, das funções de overlay sobre programas desportivos, e do DVR. Mas não vale a pena.
            Ou podia falar da Cloud que aumentaria a potência da Xbox One em várias vezes… mas deixa lá!
            E podia falar da ligação obrigatória à internet que até podia ser resolvida comprando uma 360!

            Mas enfim, tempos idos! Essa Microsoft mudou e muito! Apesar que a polémica bem recente com as práticas pouco claras e enganadoras usadas no upgrade do Windows 10 para forçar as pessoas, que não queriam, a atualizar, dão certamente o que pensar sobre o que será efectivamente a atual Microsoft.

            A imagem da Microsoft, pelo menos no campo do gaming, mudou muito com Phil Spencer, e sinceramente acredito muito neste senhor (mas sempre tendo consciência que ele não está à frente da Microsoft e fará o que lhe mandam). Ele fez aquilo que eu considerava quase impossível que foi limpar a imagem da Xbox (e eu sei porque até junto de mim ele a mudou)! Mas dizer que não haverá mais gerações é… nem sei bem como definir… mas soa-me a pura demagogia! Porque havendo hardware mais potente há diferenças entre o apresentado, e já se sabe que a determinada altura o hardware mais antigo deixa de acompanhar!
            Aliás tu mesmo o reconheces quando referes que a Scorpio um dia será a base. Mas como assim base? Começas o comentário a dizer que acabaram as gerações e umas linhas depois dizes que perante uma PS5 a Scorpio já estará numa nova geração.
            Não percebes que caso a Scorpio seja uma nova geração poderíamos comparar isso à Microsoft passar agora a lançar todos os jogos da One para a 360, com a One no lugar da Scorpio e a 360 no lugar da One! Mas desde quando é que a 360 conseguia acompanhar e ter jogos ao mesmo nível?
            A Scorpio é teóricamente 4,6x superior, mas os shaders 16 bits, e todas as novas tecnologias presentes na nova arquitectura, levarão a que seja muito mais do que os meros números apresentam graças a melhorias na eficiencia! Daí que voltamos ao mesmo, se o CPU não limitar isso, dizer que isto não é uma nova geração é o mesmo que dizer que a One não era uma nova geração face à 360 caso tivéssemos os jogos da One a correrem, mesmo que todos comidos e cortados na 360.

            E não, o exemplo comparativo do que se passa entre a Xbox One e os PCs bastante superiores, não serve como comparação. E não por falta de performance do PC ou milagres na Xbox One, mas apenas porque a Microsoft não optimiza para o PC como optimiza para a consola! E isso faz com que os jogadores de PC não estejam minimamente interessados em que a plataforma UWP se torne um sucesso, com a mesma a apresentar fortes limitações aos PCs que não existem fora dela, limitando o que as suas maquinas podem fazer de forma a dar uma ideia superior das capacidades da consola.

            Mas, como diz este senhor numa das revistas PC mais credenciadas da atualidade, neste artigo, “o interesse da Microsoft na UWP é que a mesma, bem como a Windows Store, se tornem um sucesso, e não que o gaming no PC seja tão bom para os entusiastas como poderiam ser!” E o artigo ao listar vários problemas da UWP, deixa isso bem claro!
            E se isso não for claro, basta ver Quantum Break, onde a versão não UWP chega a ser 33% mais performante que a UWP comprovando os problemas dessa plataforma.
            https://www.youtube.com/watch?v=-PK55-kCviA
            Aliás a Remedy deixou de dar suporte à versão UWP devido ás limitações e problemas do jogo no PC, passando apenas a suportar a versão standard vendida no Steam!

            Mas reafirmo… Ainda acredito que a Scorpio não será uma nova geração, e que a Microsoft está a ser muito clara e sincera. Apenas espero é que, como referi, que a limitação não seja algo artificial, mas sim mais fisica e palpável.

          • E mesmo você afirmando que a MS declarou que não há novas gerações no meio da sua resposta você coloca que quem for dono do Scorpio estará em uma nova geração quando o possível PS5 for lançado.

            PS5 este que quem cita mais são os que admiram o Scorpio. Um dia o PS5 irá existir, mas como ainda não existe e nem é de papel o refiro como “possível PS5”, mas tem gente que já fala em PS5 e depois dizem que eu ou alguns outros já citam PS5 para justificar Scorpio, até já citaram um possível Xbox Two…

            Voltando à questão das gerações, só acredito no fim das gerações quando um dia o console que você comprou ter um hardware atualizável, com troca de componentes, Phil já mostrou um posicionamento sobre isso e ainda acho que o Scorpio poderá aplicar isso, porém esse tipo de produto já existe, conhecido como PC. Não ter geração implicaria que eu pudesse utilizar o One em qualquer jogo e você sabe muito bem que não dá, de exemplo serão os jogos VR que o Scorpio implementará.

            Agora imagino, será que a tática da MS em tentar puxar de volta os antigos usuários que saíram do 360 e foram para o PS4 é disponibilizando um novo aparelho que roda os mesmos jogos do One só que em 4K? Será que oferecendo 4K, ou 1080p reescalados para quem não tem 4K vai atrair aqueles que foram para o PS4 devido os já 1080p que usam no aparelho? Não seria mais fácil justificar uma nova geração com novos jogos para atrair ainda mais?

            Uma outra observação que o Mário sempre faz, as políticas da MS que mudam de acordo com o vento. Hoje apoiam o Scorpio pois a MS diz não existir gerações ou que o aparelho é premium e não pertence a uma nova geração, mas se com o decorrer do tempo ela muda e diz que o Scorpio agora é uma nova geração, os usuários irão “tolerar” e engolir esse papo?

            E quem disse que com o PS4 não dá para jogar em uma oca? Seus jogos tem modo Single Player.

            “E como o usuário faz em relação aos updates?”

            Acho que já é de seu conhecimento que os discos dos jogos para PS4 já carregam um arquivo de update portanto se o usuário coloca um disco recente e a firmware do aparelho for antiga o console avisa sobre o update. Isso existe desde o PS3.

          • EU falei do PS5 para tentar exemplificar para você a ideia do fim de gerações, mas novamente você não entendeu.
            Vou tentar de outra forma. as pessoas que compraram o PS4 precisarão de um PS5 para continuar jogarndo os jogos após esse console e caso os mesmo venham a ser lançados no PS4 por um tempo, rodarão no PS5 no máximo por uma retrocompatibilidade, mas não de forma escalável. As pessoas que comprarem o Scorpio, não precisarão de um Xbox novo para rodar os mesmos jogos e caso venham a adquirir, não precisarão comprar novos jogos para ter as melhorias do hardware. Isso se a Sony manter a palavra dela sobre gerações e a Microsoft manter a palavra sobre os planos para o Xbox.
            Isso é a ideia do console que atravessa gerações. Caso eu compre um Scorpio, eu não precisarei comprar outro disco do Gears of War 4 para ter a versão Scorpio. Ele foi feito para ser escalável e seta as configurações automaticamente. Isso já foi declarado por eles. Essa é a ideia que querem levar para os devs terceiros.
            O Scorpio será subutilizado nos anos em que conviver com o Xbox One?
            Sim e assim esperamos.

            Sobre a internet, me diz por que o item 2 do user guide do PS4 diz que para ter todos os features do sistema é necessário uma conexão com a internet?
            De onde vinha a atualização de 300MB do dia 1 do console?
            Como você diz para alguém que tem um produto que não requer a internet mas precisará da internet para ativar vários recursos que são baixados no momento em que o console é ligado pela primeira vez. Por acaso iriam vender por menor preço para quem morava em região sem internet?

            Eu não estou reclamando de usar a internet, até hoje não ouve um único dia da nova geração em que eu utilizei meu console offline, salvo algum problema pontual de queda de conexão, e eu acho até ridículo a reclamação sobre isso. Eu não consigo nem pensar no que é um mundo offline quando preciso utilizo o 4G do meu Smartphone roteado. Eu só estou dizendo como o marketing é contraditório. O console dos carentes de internet e oprimidos pela maligna Microsoft requer internet para ativar seus recursos, isso para não falar que o principal jogo do primeiro ano do console foi o apoio à Destiny…
            Você sabe o que acontece quando executa Destiny sem um conexão com internet ou quando ela cai? Se não souber eu te digo, o game não deixa nem abrir o menu e se estiver no meio do jogo e cair, ele encerra na hora e vai para uma tela com uma mensagem de erro bem grande.

            @Mario

            Se houver limitações físicas no Scorpio e não apenas conceituais, a Microsoft não poderá cumprir a promessa do console que ultrapassa gerações e isso é munição para flame.

          • Um comentário muito preciso e que explana bem aquilo que estavas a pensar!
            Mas deixa-me dizer algo:

            “as pessoas que compraram o PS4 precisarão de um PS5 para continuar jogando os jogos após esse console e caso os mesmo venham a ser lançados no PS4 por um tempo, rodarão no PS5 no máximo por uma retrocompatibilidade, mas não de forma escalável”

            Isso é o que falta saber! Porque uma nova geração a usar a arquitectura X86 não implica emulação. Basta ver que podes correr jogos antigos de windows no PC!
            A PS5 pode correr os jogos PS4, e nessa altura podem sair jogos escaláveis PS4, PS4 Pro e PS5. A diferença será que a PS5 terá direito a exclusivos! Jogos que não são possíveis fazer-se nas plataformas abaixo sem sacrifícios!

            A questão da Scorpio é a mesma! A consola vai sair correndo jogos de forma escalável ao seu hardware e capacidades. Mas o que irá definir se é uma nova geração é se vai ter exclusivos ou não!

            Mas isso nem é o que me preocupa! Porque nessa parte eu dou-se razão. E aí a tua frase “O Scorpio será subutilizado nos anos em que conviver com o Xbox One? Sim e assim esperamos.”, tem toda a lógica!

            O problema aqui é que a Scorpio aponta para algo que não existe ainda no mercado! Os 4K!
            Convenhamos, os 4K são um nicho! Poderá arrancar mais em força no final deste ano, com o HDMI 2.1, mas o que existe agora é limitado e não justifica. Daí que até os 4K serem um standard, isso vai demorar!
            Ora assim sendo, a Microsoft certamente vai fazer o mesmo que a Sony faz com a Pro. Permitir que quem não tenha essas TVs possa correr os jogos a 1080p com melhorias.

            E é aqui que a porca torce o rabo! Porque se a Pro está limitada pelo hardware no que pode oferecer, se a Scorpio não tiver limitações fisicas, terás uma consola que a 4K é da mesma geração, mas a 1080p é de outra geração.
            E isso nem é carne nem é peixe.
            A consola sub-aproveita-se a si mesma por questões de compatibilidade com a X1 ao não poder criar mundos maiores, melhores, com mais elementos e interacções.

            E dizes tu mais uma vez “O Scorpio será subutilizado nos anos em que conviver com o Xbox One? Sim e assim esperamos.”. Afinal no futuro isso pode ser removido!

            A questão é: Mas que futuro?

            Fernando… Tu plantas laranjas! Elas são super docinhas e vendes aos pacotes. Mas a concorrência começa a vender laranjas melhores e maiores que as tuas e rouba-te o mercado!
            Eu pergunto… Se tens a possibilidade de criar e vender um produto superior ao da concorrência, voltando a equilibrar ou a puxar o mercado para ti, vais ficar a ver os outros a vender, continuando com as mesmas laranjas?

            Tu sabes o que a AMD tem para 2018! E tens consciência que a Scorpio vai roubar mercado à Sony! Sabes que a Sony, assim que possível vai responder (alias eu tenho referido 2018 como data de resposta pelos rumores que apareceram, mas isso não é certo, mas um hype com essa previsão lançado antes da Scorpio sair para o mercado certamente condicionava muito as vendas da mesma, e tu vês isso todos os dias com a Microsoft a não se calar sobre a Scorpio, e onde não há um dia onde alguem da Microsoft não fale dela).
            E sabendo que a Sony vai responder, acreditas que a Microsoft vai estar quieta? Ou que vai responder logo de seguida de novo?

            Ora isso é o que eu prevejo. E nesse caso, o que vejo?

            Uma Scorpio subaproveitada no início, e que quando for revelar o seu potencial… já está ultrapassada!

            O que consegues ver de bom nesse cenário?

            Ao menos, se houver limitações físicas, a Scorpio continua a ser uma Xbox One, e a passagem para uma nova consola bem mais potente seria vista como um lançamento de uma nova geração e não como a criação de novas gerações a cada 2 ou 3 anos!

            É dificil explanar a ideia. Espero que percebas! Mas como disse no artigo, espero que a Microsoft tenha pensado nisso tudo, pois gostava muito, mas mesmo muito, que a Microsoft não voltasse a cometer erros que a lixassem e pudéssemos ver nas consolas da Microsoft um sucesso, uma qualidade, uma aceitação e um suporte, que a definam como uma segunda X360, colocando-a, mais uma vez lado a lado com a Sony.

          • Eu entendi todo o posicionamento. Sim eu espero que será dessa forma mesmo, quando o Scorpio for mostrado em seu pleno potencial já estará ultrapassado por um suposto PS5 mas até aí depende de quando esse PS5 realmente será lançado. O Scorpio só força a Sony a se mover se ele tiver jogos que sejam impossíveis no PS4. Enquanto ele rodar jogos de Xbox One em 4K, a Sony pode levar a geração em banho Maria com o Checkboard Render até que exista tecnologia boa o bastante para um console com força para mostrar diferenças para o Scorpio.
            Se a Sony forçar um PS5 em 2018, ele não será poderoso o bastante para que o Scorpio pareça ultrapassado. No momento em que o Scorpio sair, a AMD terá uma GPU de 12.5Tflops no mercado e o Scorpio terá metade disso. Se o PS5 sair junto com as NAVI, ele poderá atingir 12Tflops, certamente rodará 4K nativos com o dobro da qualidade do Scorpio, mas aí o Scorpio pode se mover em direção ao Checkboard, rodar jogos em menor resolução com upscaling e a diferença não pareça tão grande além de resolução. A Sony terá um dilema também.

            Onde eu vejo a vantagem nisso, você não precisa atualizar de console no primeiro ou até no segundo ano e pode fazer isso quando os jogos realmente mostram a potência da máquina, a partir do terceiro ano, quando até já ocorre redução de preços.
            Por isso eu acho a ideia muito boa, deixando os entusiamos com hardware para lá.
            Eu não pretendo ter uma TV 4K em 2017, o Scorpio não me parece interessante, mas ele pode parecer em 2018, e talvez seja até mais barato.

          • @Fernando, sabia que você iria tocar sobre o momento de lançamento do PS4 que já estava disponível uma atualização Day One.

            Para responder precisamente a sua indagação do guia do Usuário vou ter que chegar em casa e olhar o guia que veio com meu aparelho, já que o meu PS4 é o primeiro modelo (CUH-1011A) essa informação deve vir no guia. O guia disponível na internet com certeza já foi alterado várias vezes.(http://manuals.playstation.net/document/pb/ps4/basic/install.html)

            Não querendo esconder os erros da Sony, mas se você pesquisar sobre PS4 update day one vai ver que a atualização habilitava recursos ONLINE e que entre eles estava o player Blu-Ray, música em background e screenshoots. Lembro que foi disponibilizado um disco para queles usuários que não tinham internet, se este disco foi disponibilizado no Brasil? Não sei.

            Sobre o Destiny que não acessa o menu caso a internet caia, isso é problema do console ou do jogo que foi desenvolvido para ter internet o tempo inteiro?

          • Achei um guia no site do Playstation(https://www.playstation.com/manual/pdf/CUH-1001A-1.5_1.pdf), então você pede uma explicação para essa frase?

            “To fully enjoy PS4™ system features, an Internet connection is recommended”

            “Para o inteiro acesso as funcionalidades do PS4 uma conexão a internet é RECOMENDADA”

            Sem o acesso a internet você tinha o básico de um console que era simplesmente jogar. Update Day One, como respondi mais acima, foi para habilitar em sua grande maioria funcionalidades online.

            E como eu disse, se não tem internet o update vinha em disco ou incorporado a algum jogo.

            Se nas pesquisas que fiz vi uma notícia em maio de 2013, antes da E3 daquele ano, de que o PS4 não cobraria acesso full time à internet, como que um console lançado 6 meses depois ainda teria uma restrição dessas em sua firmware?

          • @Fernando e com o possivel PS5 a utilizar a mesma arquitetura do PS4(x86) a Sony não terá desculpas para implementar a retrocompatibilidade, visto que é algo que muitos solicitam e na minha opinião o PS4 tem capacidade de rodar jogos do PS1 e PS2, mas a Sony se aproveita e dá a desculpa de diferentes arquiteturas.

            Lembro em uma conferência da Sony em 2016 que ela cita algo de “Forward”, não lembro sé é para abordarem um tipo de retro no futuro.

            Sobre essa questão de fim de gerações sinceramente é um modo de falar, mesmo que um jogo rode em um hardware mais antigo e um mais novo se você levar para o lado do hardware vai ver que ainda existirá gerações, serão CPUs e GPUs com capacidades de processamento que o anteriores serão incapazes e o que você usará para definir essas diferenças? Não seriam podutos distintos por geração de hardware?

            Na minha opinião esse fim de gerações só será aplicado quando ainda existir o suporte para um hardware antigo mesmo que seja o único hardware disponível dentre milhões. Por exemplo, Scorpio e One coexistindo com a mesma aplicação rodando para ambos, mas assim que surgirem aplicações que somente poderão rodar no Scorpio, mesmo que ainda existam milhares de unidades do One ativas no mundo isso indica a quebra do fim de gerações.

          • O que quero repassar é do que adianta não ter gerações e comprar um console novo hoje se em 3 ou 4 anos ele não rodará jogos tão bem quanto um novo hardware já lançado e eu ser obrigado a ter que trocar este meu antigo hardware nos próximos 2 anos, por não ser mais fabricado ou por ser incapaz de rodar jogos mais recentes ou simplesmente a marca deixa de suportá-lo?

            Que diferença isso tem para a geração de consoles? Não é trocar 6 por meia dúzia? Isso não é o que o PC faz?

  10. Estou entusiasmado por esse lançamento… Acredito que este será, pelo menos, mais honesto no quesito upgrade, que foi o PS4 PRO! Os Sonystas vão torcer o nariz, mas fazer o que!!!

  11. Creio que a grande maioria dos leitores do PCManias já sabem que Scalebound(Xbox one) foi cancelado, vi essa notícia no site da Eurogamer e acompanhei a maioria dos comentários, muitos deles acharam uma péssima notícia pois quem perdia era o mundo dos games, outros de fanboys assumidos e alguns, que me chamaram a atenção, lamentavam ou até comemoravam pois não gostaram das últimas gameplays, segundo estes últimos o jogo se arrastava ao rodar no One, uma observação é que este tipo de comentário foi postado por usuários que envolviam o nome Xbox no seu nick ou por personagens já conhecidos por ter o Xbox como principal.

    Com o cancelamento do Scalebound e a opinião dos que achavam que o jogo se arrastava no One podemos ver o quão complicada é a situação da MS em relação ao Scorpio e algumas atitudes, pois imagine se a MS decide retomar o desenvolvimento de Scalebound qual seria seu posicionamento? Cenários que acho:

    1- Com o Scorpio não sendo nova geração indica que os jogos que rodam nele também devem rodar no One. Scalebound rodaria sem gargalos no Scorpio, mas como ficaria no caso do One, já que disseram que o jogo tinha uma má performance nesse console?

    2- O jogo rodaria somente no Scorpio que por aí já quebrava a regra de sem geração?

    E então qual seria a opinião de vocês caso o jogo fosse retomado? E onde seria aplicado? Qual seria a relação One – Scorpio?

    • Não vou entrar por aí. Não pretendo inflamar mais a conversa com discussões sobre possíveis cenários que muitos não conseguem distinguir de ideologias minhas.
      O que pretendo dizer é que tal como 8 days da Sony na PS3 que foi cancelado, depois de apresetado, este tipo de coisas acontece.
      O que vi nos últimos videos era horrivel. Mostros gigantes, problemas de câmera e de fps enormes, e um grafismo que não tinha nada de verdadeiramente top.
      Fiquei decepcionado com o que vi, e referi a mim mesmo que tinha de ver mais sobre o jogo pois aquilo não me agradava.
      Mas como já tinha visto outros videos melhores, pensei que aquilo pudesse não significar nada.
      Durante um desenvolvimento há várias etapas de controlo de qualidade, e um jogo pode ser cancelado em qualquer delas.
      Infelizmente, nesta geração, esta é a segunda vez que a Microsoft faz isso em jogos que pareciam prometer, mas certamente terá bons motivos.
      Para piorar as coisas, os rumores dos insiders que normalmente estão por dentro disto, e que já tinham dito algo sobre o término deste IP é que o Crackdown 3 também está com sérios problemas de desenvolvimento, mas felizmente não ao nível deste jogo, pelo que não estará em causa o seu término.

      • Já está rolando uma lista de 5 jogos da MS anunciados na E3 2014, desses 3 jogos já foram cancelados.

        • 3? Fable Legends e Scalebound… mas qual o terceiro?

          • Parece que é Phantom Dust.

          • Esse não está cancelado. Mas está em stand by.

          • Olha o que diz o Shinobi. Vou traduzir:

            —-
            É um rude golpe no alinhamento da Xbox. Honestamente há uma grande lacuna no que toca a jogos com história e de jogador único. Bem, pelo menos nos exclusivos. Literalmente é tudo focado no Multi. Forza 7, State of Decay, Sea of Thieves, Crackdown…(e ouvi que o desenvolvimento de Crackdown tambem não vai lá muito bem, apesar de nada tão mau como isto).

            A não ser que eles tenham uma série de estúdios First Party escondidos secretamente em algum sítio (e que eu saiba não tem), genuinamente luto para saber que tipo de surpresas eles podem ter na E3 para serem lançados j+a. Halo 6 é esperado, E não vejo muitos publicadores a alinhar em exclusivos Third Party a não ser que a Microsoft dê à divisão Xbox um largo orçamento para atirar dinheiro pela janela, o que eu sériamente duvido. Os seus principais IPs first party estão em declínio com o Halo a fazer muito menos que anos, e o Gears 5 a não vender nada bem se falarmos de forma relativa (ou seja, não foi suficiente para sustentar um estúdio com tantos trabalhadores e orçamento).

            O que está a acontecer é o exacto oposto do que os fans Xbox pareciam querer de uma liderança de Phil Spencer.

            Lembra-me quando ele se tornou chefe da Xbox e todos diziam que haveriam toneladas de novos jogos, mas eles estão ainda a contar com jogos anunciados na E3 de 2013 e 2014, e nesse priodo, jogos foram cancelados, e multiplos estúdios foram fechados, incluindo a Lionhead.

            Como um grande fan da Xbox desde o dia um, não estou muito esperançoso para o futuro. A Scorpio não fará nada sem software que puxe de forma forte.
            —-

            Quando aqui na PCManias falo de algo que não está bem na Xbox as pessoas entendem como crítica, mas não é. É um chamar de atenção para coisas que não estão bem, ou que podem não estar bem. Eu tenho uma Xbox e sempre tive consolas Xbox. Eu adoro a minha Xbox! Mas o que tenho visto é exactamente a realidade das coisas. Um perder de orientação, um virar para o PC em detrimento da consola, e a Xbox a não fornecer jogos para igualar ou superar as expectativas dos seus fans.
            Mas infelizmente, há quem ache que isto são tudo rosas. E isso porque não olham para o mercado como um todo, mas apenas para o lado do qual são fans (ou fanboys?). E recusam-se a ver as realidades.

            Eu quero a Xbox activa e concorrencial. Quero que continuem a haver duas consolas e concorrência entre elas. Isso é bom para todos! E não quero consolas de meia geração a dar cabo do mercado, nem quero novas gerações em periodos demasiadamente curtos.
            Há quem entenda isso, há quem não entenda. Mas também digo que não quero a simpatia daqueles que são igualmente fans (ou fanboys) para o lado da Sony. Pois esses também não estão verdadeiramente preocupados com o estado das coisas, mas sim em calcar e calcar a Microsoft.

            Pode ser difícil perceber-se quando há uma critica que se pretende construtiva e de alerta de uma critica por criticar. Isso aceito! Mas quem já segue a PCManias à algum tempo sabe que não viramos com o vento, mas elogiamos quando há a elogiar e criticamos quando há a criticar. E infelizmente… o que tenho visto é uma Microsoft passiva e mais interessada no PC do que na consola, que agora em vez de ter jogos para 2017, se vira para falar de uma consola mais potente, não havendo um único dia em que não fale dela e não se se centre nela, em vez de falar de jogos para a One, a consola atualmente ativa no mercado. E isto apesar de ainda faltar quase um ano para o lançamento da Scorpio!

          • Não mário, não é bem estandby e sim cancelado mesmo, o que a Microsoft vai fazer é somente lançar um remaster do primeiro Xbox deste jogo.

            Pra complementar a afirmação do @livio, na verdade foram 4 cancelamentos de jogos anunciados na E3 de 2014 são eles:
            Fable Legends
            Project Spark
            Phantom Dust
            Scalebound

          • Complementando a resposta do Mário

            E quando tens notícias do One a grande maioria são sobre a retrocompatibilidade.

            Acho a retro um recurso muito bom, principalmente para quem nao tem os consoles anteriores, utilizei no PS2 e PS3 mesmo possuindo os consoles anteriores, porem acho ridículo promoverem um console as custas do anterior, principalmente quando o anterior tinha uma base um pouco menor que a atual, o que leva a entender que grande parte dos que tem o modelo atual possuem ou ja possuiram o aparelho anterior.

        • Eu vi isso ontem, dos anuncios da E3 de 2014 a Microsoft só lançou Ori, o restante de titulos ou foi adiado ou cancelado, resta ainda Crackdown 3, vamos ver.
          E que semana em, para aqueles que dizem que a Sony vive de hype, olha o exemplo acima.

          • Não sei se Phantom Dust foi realmente cancelado… Pelo menos a última vez que vi o estúdio japonês que o desenvolvia faliu, e a Microsoft iria passar o game para outra dev…O pouco que foi mostrado do gameplay estava muito ruim…

            De qualquer forma, a Microsoft está jogando muito dinheiro fora, só com Fable Legends foram gastos cerca de 70 milhões de dólares…

            Com todos esses problemas, já fico na desconfiança com o Crackdown, cuja produção também se arrasta por anos…

            No caso do Scalebound, também acho que a Platinum pegou algo grandioso demais para o porte do estúdio. Nunca fizeram um jogo de mundo aberto, que é algo que exige uma equipe numerosa, e eles desenvolvem vários jogos ao mesmo tempo, nunca utilizando toda equipe para um único jogo…Pelos rumores, tinha até trabalhadores sofrendo com depressão por lá, inclusive o Kamiya…

            Com tantos cancelamentos,daqui a pouco cancelam até o Scorpio, rs

      • Segundo as informações que pipocam na Internet, o problema de Scalebound foi semelhante ao de Fable Legends, o estúdio não estava conseguindo chegar em lugar algum e gastando muito tempo e dinheiro. Em 2016 ele foi um título previsto para o primeiro semestre de 2017, depois mudou para o segundo semestre e parece que a Platinum pediu mais tempo pois o trabalho não estava evoluindo.
        Com a microsoft foram 4 anos de desenvolvimento, mas internamente o Kamiya já trabalha no jogo desde 2007. É engraçado que ele disse muitas vezes que sempre foi o jogo que ele quis fazer, um RPG de dragões. Triste que não conseguiram dar rumo ao projeto.
        Pelos gameplays, sempre ficou evidente que faltava algo, e não era sobre gráficos ou frame-rate, ou coisas que são corrigidas na fase de polimento. O conceito do game era interessante mas o gameplay não estava rolando como esperado de um título do Kamiya.
        Mas o que me surpreende de tudo é alguém que dirigiu Resident Evil 2 e a Trilogia Devil May Cry não conseguir entregar um projeto que sempre foi sua ambição.
        A poucos dias falávamos do declínio de desenvolvedores japoneses. Podem incluir o Hideki Kamiya na lista.
        E segue meu próximo palpite de desenvolvedor que gasta muito dinheiro antes de conseguir achar uma direção aos seus projetos e pode ser o próximo em ter dificuldades:
        Hideo Kojima
        A Konami rompeu com ele por motivos semelhantes. Ele estava com dificuldades em dar uma direção futura para uma franquia já consolidada e com grande background. Metal Gear Rising foi a primeira mostra de falta de direção, ele abandonou o projeto. Metal Gear V foi um game espetacular mas apoiado por uma história já construída. Em minha opinião pessoal, um pouco superestimado, talvez pela comoção gerada pela demissão da Konami um pouco antes do lançamento.
        Eu aposto que até ele se achar em Death Strandling, já estaremos em 2019 ou 2020.

        • já ouvi vários rumores de possíveis causas desse cancelamento. O o que vc também apontou aqui tem sentido Fernando. Agora qual será o verdadeiro acho que nunca saberemos. Mesmo n tendo um xbox ainda, fiquei triste por saber que um game desse porte foi cancelado, parecia promissor… Só quem perde são os fãs. Agora A MS vai ter que ralar para mostra algo grandioso nessa E3 porque tem muita gente que está decepcionado com ela por mais um cancelamento.

          • Não adianta mostrar jogos na E3 que srão lançados em 1 ou 2 anos somente. Scalebound é um título perdido do alinhamento de 2017, um AAA e haviam pessoas esperando por ele. Poderia ser uma chance de maior penetração no mercado japonês por exemplo. Perderam.
            O que ela vai mostrar na E3, Forza Motorsport 7, já vazado sem querer igual o Horizon 3 no começo do ano passado e muito previsível inclusive.
            E a grande bomba deles na E3 não será tão impactante. Halo 6 para 2017. Já vazado.
            Além da 343i ter vagas para engenheiros de software e renderização em aberto no linkedin, alguns de seus funcionários já atualizaram seus perfis com projetos sobre o game, como por exemplo a moça do perfil abaixo que faz parte do Time de Gráficos da 343i e diz ter criado a nova feature de renderização do Halo 6:

            https://www.linkedin.com/in/jennifersarachandler

          • Bom, pra mim a E3 é exatamente para anunciar os jogos para as plataformas, como vc diz os unicos anuncios que valem são aqueles com prazo máximo de 6 meses do lançamento, eu já penso diferente e assim como eu existe muitas pessoas que pensam diferente também, veja os vídeos das ultimas E3 da sony 2015/16 e veja as reações de anuncios de jogos como FF Remake, Shenmue 3, TLG e Tlou Part 2, ou seja, esses jogos só saem em meados de 2019 mas foram anunciados bem antes o que faz com que o hype e espectativa seja criado em torno dos mesmos, em resumo a E3 é exatamente pra isso, pra anunciar os jogos em desenvolvimentos.

            PS: Não critico jogos que são lançados com pouco tempo depois do anuncio.

          • Pois é Fernando, vi muitos comentários de que “esperava que a MS tenha uma bomba para ser revelada na E3 2017 ” para pelo menos diminuir a imagem negativa feita pelo cancelamento de Scalebound.

            Mas o que seria essa “bomba” na E3 para ser disponibilizado ainda este ano? Pois ao meu ver jogos divulgados na E3 e lançados ainda no mesmo ano se aplica na maioria dos casos à franquias já conhecidas, pois já possuem uma fan base que garanta o mínimo de sucesso em um lançamento em curto período.

            Já para novas ips não vejo um anúncio na E3 com lançamento ainda em 2017, só se o marketing for muito intenso para fazer com que o público apoie o projeto e que ele tenha força no lançamento a curto prazo. Sempre quando é uma nova Ip vejo o anuncio na E3 e o lançamento sendo no mínimo 1 ano depois, não lembro de algum novo jogo que fez o contrário.

          • O que eu quis dizer é que não terá reposição para o que foi perdido em 2017. Um título a menos. Não sei se fará diferença no final do ano, mas para já é um jogo a menos.

  12. Mario concordo acredito que problemas com o desenvolvimento do jogo ocorre epode levar para este cenario de cancelamento visto que o resultado final nao possa agradar a base que iria comprar o console. Porem fico pensando no ivestimento que foi feito, sera perdido. O

    • desculpe os erros pois é a primeira vez que comento, meu namorado indicou este site e gostei dos assuntos abordados.

      • Quais erros? Eu não ando aqui a corrigir exames de Português 😉
        E já vi que o teu namorado tem bom gosto para websites, hehehehe

      • Seja bem vinda! Sobre erros de português/digitação… Esquece! Vivemos uma vida corrida e na maioria das vezes nem temos tempo suficiente para revisar uma opinião/resposta.

        É comum acontecer comigo!

    • Antes do mais, bem vinda Gabriela!
      Realmente o investimento é algo que se perde. Mas há que ponderar se justifica investir mais num produto que pelos padrões de qualidade da empresa, está condenado ao falhanço!
      É certo que isso significa acumular prejuízos com tudo o que já foi investido. Mas ao menos colocas as pessoas a trabalhar em outro projecto que possa vir a ser rentável.
      A avaliação de se vale ou não a pena investir no produto é complexa. E aqui o mesmo devia ter problemas sérios que a equipa não estava a conseguir ultrapassar.
      Mas olha um outro caso, Driveclub. O jogo saiu sem obedecer a padrões de qualidade e como tal foi um flop no lançamento. No entanto o potencial do jogo era enorme, e os problemas eram resolúveis. Não sei se o jogo deu lucro ou prejuizo à Sony, mas como alguem que o comprou, fico feliz por ele ter saido pois depois dos patches ele revelou-se excelente.
      Mas mesmo assim andamos ali um ano a gramar com um jogo cheio de problemas. E os danos aqui não são só prejuízos com os custos de produção e as fracas vendas, são também com a imagem! Daí que isso tem tudo de ser muito ponderado!

  13. Obrigada pela recepção, eu digito pelo celular entao o corretor é uma coisa de louco. Cancelar o jogo faz parte, mais o novo console dela acho exagero.

  14. Scalebound foi cancelado muito provavelmente por culpa da MS.A alguns rumores na NeoGAF que a MS exigia constantemente mudanças no jogo e a obrigação do modo online foi o que mais ferrou os planos de produção entre outras coisas.

    Em outros momentos estúdios já reclamaram em trabalhar com a MS,inclusive ex funcionários da antiga Rare e de alguns desenvolvedores indies.

    Que conhece a Platinun sabe dos ótimos jogos que eles podem entregar como bayonetta 2,vanquish,e o futuro Nier Automata que mts estão elogiando…aliás curioso que esse não vai sair para o Xone também.

    • E soube hoje, não sei se a informação é antiga, que Cuphead também vai ficar disponível na Steam, nunca tinha visitado o site oficial, já que pensava que seria um exclusivo One.

    • O dinheiro era da Microsoft e provavelmente o IP também era deles. Jogo offline não é cultura no Xbox. Tem fundamento o que dizem no Neogaf sobre exigências da Microsoft, mas provavelmente a Platinum sabia desde o começo.
      Essa de que os desenvolvedores eram pessoas tranquilas fazendo seu trabalho dentro dos conformes e veio a Microsoft e cancelou por cancelar por que eles são ruins e gostam de queimar dinheiro provavelmente é apenas tentativa de flame por parte de alguém.
      Nessa geração, tudo que ocorre de negativo no Xbox tem peso dobrado. Ja há pessoas falando em fechamento da divisão Xbox de novo por exemplo. É uma torcida pra microsoft se danar nesse neogaf que não tem tamanho.
      Primeiro a lionhead que não dava uma dentro a mais de 5 anos, agora a platinum. Qualquer um que viu desde o primeiro vídeo percebeu que parecia um trabalho em estado embrionário e sem conteúdo, assim como fable legends.
      Se a Microsoft fosse assim tao ruim, não teria deixado a Lionhead gastar 75 milhões de dólares para fazer um game Free to play. Se eles cancelaram, é por que chegou em alguma situação insustentável.
      Provavelmente scalebound é mais jogo do que a platinum tem capacidade de criar por causa do tamanho do estúdio. Nenhum dos jogos que ela lançou e estão previstos para lançar tem a escala que eles planejaram para scalebound.

    • Muito tem se falado sobre reclamações de parcerias com a Microsoft com estúdios externos… Mas muitas dessas parcerias deram certo… Com a Epic em Gears, com a Remedy em Alan Wake e Quantum Break, com a Playground em Forza Horizon, com o Moon studios em Ori, com o Double Helix/Iron Galaxy em Killer Instinct, com a Capcom em Dead Rising,com a Armature em Recore, etc.

      Como a Microsoft recorre muito a second e third parties, tem hora que vai dar tudo certo, e em outras ocasiões dará tudo errado. Por isso acho que a Microsoft precisava de pelo menos mais 3 bons estúdios first-party,pois aí tudo se resolvia internamente…

      Ex-funcionário sempre pode reclamar de uma coisa ou outra… A Amy Hennig, que trabalhou na Naughty Dog, disse em uma ocasião que na reta final de Uncharted 3, trabalhava 7 dias por semana, 12 horas por dia, que quase não aguentou a carga excessiva de trabalho. Mas como era uma first party, tudo foi resolvido internamente, e ela só revelou esse problema de trabalho excessivo quando saiu da Naughty Dog… Ou seja, problemas acontecem com toda produção de jogos… Uns são resolvidos, outros não…

      • @Marckos, sim a Microsoft precisa fortalecer seu time de firts party, hj de peso eles tem somente a Turn10, 343 e The Coallition exatamente os estudios que fazem os jogos da trinca Forza,Halo e Gears. O concorrente por exemplo tem ND, SM, SP, MM, Guerrilha, Pholiphony, Japan Studios, London Studios, ou seja, a Microsoft precisa ir por este caminho, estudios firts o quais ela vai poder ter um controle maior em cima dos investimentos.

  15. Eu curto muito games em geral, sou jogadora de Pc assim como meu namorado, porem vejo em sites e alguns blogs inflamação de uma guerra desnecessária e informações sobre um cancelamento de um jogo como se fosse o fim do mundo.
    Vi um post de um site de game falando “MS começa Mal o ano” e comentários a divisão vai fechar esta afundada. Enfim empresas cancelam e investem em outros projeto visto a necessidade de adaptar se ao publico que corresponde seu produto.
    Meu namorado curte o Ps4 para jogos exclusivos porem ama o One pelo mult live estável e etc. Pode apostar não acredito que por conta de um game a situação da mesma esteja mal. Tem este ano apresentação do Scorpion e acredito que a mesma ira fazer alguma coisa para reverter a situacamo.

    • Gabriela… Sem dúvida que o que aqui se passou não foi algo de bom!
      Naturalmente que jogos cancelados há muitos, mas jogos que são apresentados ao público e desenvolvidos a este ponto, e meros meses antes do lançamento previsto são cancelados, serão poucos!
      Fable Legends, por exemplo, estava a ser apresentado regularmente, e até se publicitava muitas das suas tecnologias inovadoras. A Microsoft enterrou no jogo 75 milhões e, subitamente, cancela-o!
      E pior do que isso, mesmo sabendo-se que a Lionhead tinha criado essas tecnologias inovadoras de iluminação global dinâmica, fecha igualmente a Lionhead de forma definitiva a 29 de Abril de 2016.
      No meio de tudo isto algo vai mal. Com este são 4 jogos cancelados que foram apresentados ao público, e nos quais foi investido largas quantidades de dinheiro.
      Certamente a Microsoft não é a única a quem isto acontece, mas uma vez, compreende-se, duas desculpa-se, três já é demais, e 4 só pode ser incompetência! Há algo ali que não está bem!
      O certo é que isto noutra empresa seria drástico, na Microsoft, com o seu poderia económico, não é! A questão que fica é se os investidores ficarão satisfeitos com isto, pois mesmo que continuem a ter lucros, eles poderiam ser superiores.

    • Concordo quando dizem que a MS começa mal o ano, pois é o resultado da imagem negativa criada pelo cancelamento do jogo. Jogo este que prometia ser promissor no One.

      Não gosto de RPG mas achei legal o anúncio dele para o One, pois era uma proposta diferente do que somos acostumados a ver no line-up do Xbox. mesmo não gostando de RPG não achei legal o cancelamento, pois embora seja um jogo para o One, quem perde é o mundo dos games.

      Tem muita gente que exagera, depois do cancelamento do Scalebound, já tem gente dizendo que Crackdown e Cuphead estão no mesmo rumo, de que a MS iria fechar a divisão de jogos.

Os comentarios estao fechados.