Os jogos da Sony no Paris Game Week

A Sony apresentou algumas novidades no Paris Game Week. Vamos falar delas.

Tekken 7 – Multi, com conteúdo exclusivo PS4

Tekken 7 é um jogo de arcada que terá agora uma adaptação para as consolas de nova geração. A Playstation 4 terá direito a conteúdo exclusivo, como o suporte para o Playstation VR. Desconhece-se nesta fase outras situações exclusivas.

Espera-se 1080p, 60 fps!

Eis um trailer ingame:

Bloodborne: The Old Hunters – Expansão – Exclusivo PS4

O trailer apresentado na realidade não mostra assim tanto como isso, mas trata-se de uma expansão para Bloodborne com conteúdo adicional.

Deixo-vos com um trailer já do Tokio Game Show desta mesma expansão:

Dreams – Exclusivo PS4

Um jogo… para fazer jogos! Aqui podemos expandir a nossa imaginação sem limites e com um dos motores mais versáteis de sempre, totalmente gerido pelo GPGPU, e sem uso do pipeline gráfico tradicional.

Gran Turismo Sport – Exclusivo PS4

O vídeo não mostra grande coisa, e fica na dúvida o que é ingame, o que é calculado em tempo real, e o que é CGI… se é que algo!

Recomenda-se os 5 segundos entre o 1m:15s e o 1m:20s que aparentam ser ingame e de um realismo impressionante!

Este será o próximo Gran Turismo e terá uma Beta já em 2016!

O jogo terá suporte Playstation VR.

Uncharted 4 – Multijogador – Exclusivo PS4

Esta foi uma apresentação que simultaneamente entusiasmou, mas que igualmente decepcionou!

O que foi mostrado está com uma fluidez fantástica (60 fps), mostra um multi-jogador radicalmente diferente do que já se viu em Uncharted, mas corre apenas a 900p e com sacrifícios gráficos. E perante o inicialmente prometido… é decepcionante!

E aqui, a Naughty Dog deixou-se a si mesmo ficar mal pois era preferível que não tivessem nunca referido que tinham como objectivo ideal os 1080p 60 fps, para depois se ficarem por uns 900p 60 fps e com uma qualidade abaixo do prometido.

Face ao multi jogador parece-me claro que há um corte na qualidade das sombras e luzes, e que os efeitos alpha (transparências) são rendidos a metade da resolução, o que torna estas cedências na linha do que outros títulos tiveram de fazer para alcançar os 60 fps. Há no entanto igualmente muitos méritos como o ter-se conseguido manter a luz volumétrica nos 60 fps e a quantidade enorme de física aplicada e animações secundárias aplicadas. No entanto, e apesar de tal não tirar mérito à eventual qualidade do jogo, a imagem da Naughty Dog fica aqui manchada por não chegar ao prometido. Nem que seja junto dos fans!


Eis o trailer.

E uma segunda versão com explicação sobre o que estão a ver a nível de mecânicas de funcionamento do jogo.

Curioso é ver-se uma enorme quantidade de personagens dos jogos anteriores re-aproveitadas para este multi-jogador. Será que as mesmas entram igualmente no jogo?

Fiquem agora com uma ideia dos diversos mapas do jogo e do grafismo ali existente.

Detroit

A Quantic Dreams impressionou tremendamente na PS3 ao apresentar grafismos de uma qualidade elevadíssima. E agora Detroit não parece decepcionar!

O que é mostrado é indicado como sendo totalmente in-engine, e tudo, mas absolutamente tudo está perfeito!

A qualidade das faces é absolutamente fantástica, as animações perfeitas, e o detalhe na cidade, na sua vida, fluidez, fumos, vegetação, animais são impressionantes! Até a chuva consegue ser perfeita (1m:52s do video):

Falta saber a qualidade do jogo que daqui sai, pois os jogos da Quantic Dreams sempre foram de amor ou ódio, sem meio termo.

Eis o vídeo:

E já agora, tal como en Beyond: Two Souls onde Ellen Page era a protagonista principal, deixo-vos aqui com a personagem principal em carne e osso.

Detroit

Nota: Questiona-se se a versão final do jogo terá uma solução de Anti Aliasing tão perfeita como o visualizado. Eventualmente essa situação será diferente na versão final!

Publicidade

Posts Relacionados