Os sacrificios necessários para colocar Wolfenstein II numa Switch

0 0 vote
Avalie o nosso artigo

A Eurogamer fez uma análise muito interessante sobre os sacrificios que foram necessários para se colocar Wolfentein II jogavel numa Switch em modo portátil. E acreditem… apesar de um aspecto visual interessante, eles são muitos.

Se dissermos que Wolfenstein II usa todos os truques possíveis e imaginários para aldrabar o processamento, mantendo um visual semelhante ao original, não estaremos a brincar.

Os sacrificios são enormes, e não são apenas na resolução ou qualidade das texturas. Hámui, mas mesmo muito mais onde se teve de cortar.

Felizmente para a Switch, o seu CPU portou-se bastante bem e aguentou com o jogo com os cortes (apesar de tudo o CPU é a parte que menor diferença tem para as consolas de mesa), mas mesmo o corte de fps para 30 deu-lhe uma margem que foi necessária para o jogo funcionar.

Já no GPU o corte nos fps não foi suficiente. Há resolução dinâmica que atinge valores pontuais muito baixos, havendo inclusive a possibilidade de se usar reconstrução de imagem, e mesmo assim há zonas onde foram realizadas ligeiras alterações muito inteligentes aos cenários para se reduzir o processamento, sem no entanto se alterar a sua estrutura. O resultado não é o melhor numa Tv de grandes dimensões, mas extraordinário no pequeno ecrã da Switch.



Seja como for, o resultado final está muito bom… apesar de o jogo sofrer em certas zonas mais pesadas, o resultado global é muito bom e em tudo semelhante ao das consolas de mesa. Vejam o video da Eurogamer que explica tudo.



error: Conteúdo protegido