Os vários tipos de Gamer

A maior parte das pessoas não tem noção, mas não há exactamente uma definição para o que é um Gamer. Há isso sim uma série delas, sendo que umas são mais tóxicas do que outras!

O que é um Gamer?

É complicado de se dizer!

Gamer é a abreviatura de Game Player, ou jogador de jogos, e quando apareceu estava associado originalmente aos jogadores de jogos Role-Playing. Mas o termo cresceu e agora associa-se e inclui basicamente todo aquele que é um jogador de videojogos.

E sim, isso quer dizer que o termo acaba por incluir todo o tipo de pessoas que jogam, incluindo os casuais. Mas no entanto, a sua designação não é entendida nesses termos e na realidade só se aplica a todos aqueles que passam a maior parte dos seus tempos livres a jogar jogos.



Dentro dos Gamers há depois algumas categorias diferentes dependente das plataformas usadas:

Por exemplo, o PC Gamer é um tipo específico de gamer. Um jogador que tem como plataforma preferencial o PC e tal como ele há o Gamer de consola, que é aquele que prefere jogar na consola. Basicamente esta é uma categoria que separa os jogadores pela plataforma de jogo escolhida.
Mas depois também temos o Gamer generalista. Alguem não preso a sistemas, e que admira o jogo por si. Não é uma pessoa preocupada com as performances ou com um sistema em particular, mas sim com os jogos e a sua qualidade, e apesar de se possível, procurar as melhores versões entre os sistemas que possui, maioritariamente preocupa-se verdadeiramente é em ter acesso ao jogo. E havendo exclusivos imperdíveis com elevada qualidade em várias plataformas, este tipo de gamer tenta abranger a maior quantidade possível delas.

Estes são as categorias de gamers mais comuns… mas que infelizmente, e muitas vezes, ao separar por plataformas, dão origem a um outro tipo de gamers… O Fanboy.

O Fanboy é um gamer como qualquer outro. A questão é que ele prende-se de tal forma à plataforma ou marca em que joga que só consegue ver virtudes em tudo o que rodeia o produto que se enquadra na sua preferência. E quer essas virtudes existam ou não existam na proporção desejada, a realidade é subvertida para fazer valer os seus argumentos, só se vendo virtudes e negando tudo o resto. É o tipo de pessoas que critica características de outros produtos que o seu não possui, mas que depois as enaltece quando elas chegam ao seu lado. É o tipo de pessoas que ataca um website quando o que ele refere não é favorável à plataforma de que  gosta, mas que depois aparece nos comentários a ressaltar e realçar o que é dito, quando este mesmo website escreve algo favorável ao que gosta.

É enfim, um tipo de jogadores mais doentios, e aos quais a razão lhes escapa desde que a marca ou plataforma de que gostam esteja envolvida.

Mas todos estas categorias de Gamers podem ser enquadrados noutro tipo de definição. E aqui temos alguns dos principais tipos de gamers:

Gamer casual: É um jogador que joga moderadamente e sem interesse em completar grandes metas de um jogo ou explorar todas as suas mecânicas ou conteúdos. Por definição esta pessoa é Gamer, mas dado que não dedica verdadeiramente o seu tempo aos videojogos, jogando apenas casualmente, ele não é considerado pelos outros Gamers como sendo um.

Temos tambem o Hardcore gamer: Este é alquem que  passa a maior parte do seu tempo de lazer a jogar, e como consequência do grande tempo passado com os jogos, muitas vezes no nível difícil ou mais difícil, esses tipos de gamers são muito bons nos jogos a que se dedicam. Aqui temos muitos sub-tipos de harcores gamers, dependendo do estilo do jogo, tipo de jogo preferido, plataforma de hardware, tempo despendido e outras, mas todos são hardcore gamers

O Retrogamer é um gamer quem gosta de jogar e/ou reunir jogos vídeo de eras mais antigas. São uns dos principais causadores da popularidade dos emuladores e reúnem ou coleccionam máquinas ou sistemas antigos que usam depois para re-jogar esses jogos.

Cyber atleta: É um Gamer que se dedica a jogar profissionalmente e por dinheiro em e-sports. Trata-se forçosamente de um subtipo do hardcore gamer mas que escolhe os jogos de acordo com os ganhos que pode ter. E dado que depende financeiramente do jogo, o tempo que lhe dedica deixa de poder ser considerado de Lazer.

Depois temos o tipo de Gamer onde atualmente me incluo, o chamado Gamer regular! Basicamente este é um gamer que possui um pedacinho de tudo menos do Cyber Atleta. É uma pessoa que atinge algumas componentes hardcore nos jogos que mais aprecia, mas atuando de uma forma muito mais despreocupada, e incluindo igualmente bastante da componente retro.

No global este tipo de Gamer é aquela que mais tem interesse nos videojogos por si, sendo que, perde a maior parte dos seus tempos livres a jogar, mas sem ter verdadeiramente um estilo ou um jogo preferencial. Não é um expert a nenhum jogo, não é daqueles que procura atingir Gamerscores elevados ou alcançar trofeus platina, mas é uma pessoa dedicada aos videojogos e mais do que se preocupar em fazer “grind” em jogos para arranjar pontos ou trofeus, procura jogar a maior parte de jogos possível.

Finalmente temos uma categoria por norma não referida, mas que se está a tornar demasiadamente comum no mundo dos hardcores e que achamos por bem começar a distinguir:

Sem um nome definido, vamos chamar-lhe o Viciado. Este é um tipo de jogador que é tão doentio por jogos e tudo o que os rodeia que a coisa já é um caso patológico, e que, infelizmente, cada vez mais existe. Tendo eventualmente passado por diversas etapas, passou a ser hardcore, e finalmente entrou em regimes de Cyber atleta. A diferença é que ele não se dedica a um jogo específico mas a vários, e ganha pouco ou nenhum com isso. Basicamente possuem grandes Gamerscores, ou inúmeros trofeus Platina e só se preocupam com esse tipo de situações, medindo os outros como jogadores pelos seus valores nesses campos. E na realidade, apesar de não serem melhores que os outros, acham que o vício lhes oferece algo mais. É uma questão de acharem que possuem um “cyber-penis” maior!



Infelizmente a combinação das três categorias de Gamers baseada nas plataformas com as categorias mais genéricas de Gamers mais resultam por vezes em combinações que são demasiadamente perigosas e dão mau nome aos Gamers em geral.

A situação começa a ser problemática quando por exemplo o Hardcore Gamer se revela um fanboy, piorando quando o jogador já se demonstra como sendo um Viciado. Aí as partes más do Fanboy é ressaltada, e de uma forma mais exacerbada para eles só a plataforma em que jogam é que presta, não aceitando sequer qualquer a critica! Mais do que no simples Fanboy, para estes, tal como quando o Titanic afundou e a orquestra continuava a tocar, tudo o que venha da plataforma que defendem está sempre bem, mesmo que não esteja. São incapazes de analisar a situação friamente, de ver o mercado como um todo, e são dos maiores responsáveis pelo mau clima de diálogo e acusações que existem nos foruns e comentários de diversos websites! Esta combinação resulta num grupo tóxico e que está a destruir o bem estar da comunidade. Atacam, insultam, e são mesmo capazes de jogadas baixas para tentar destruir a credibilidade de terceiros que falem mal dos seus produtos. Tornam-se um grupo de seres ignóbeis, sendo maioritariamente dotados de pouca cultura e educação.

Infelizmente o Fanboy pode aparecer em qualquer dos tipos de Gamer, sendo que no entanto os menos afectos a esse tipo de situações são os Gamers Generalistas que são simultâneamente Gamers Regulares, e como tal menos viciados. Esta combinação cria um tipo de jogador mais despreocupado com as marcas que vê o mercado dos videojogos como um todo e que, mais do que ninguem, está habilitado a comparar as ofertas das diversas marcas, uma vez que as experimenta todas.  Este é o tipo de Gamer que abrange um grande número de plataformas, e que joga de forma despreocupada tirando o total prazer dos jogos em si, e por si.

Por exemplo, vamos mostrar a realidade aqui da PCManias, e o motivo porque nos consideramos Gamers Generalistas e regulares:

Estas duas fotos são tiradas da sala onde jogamos e não mostram outros sistemas mais antigos como a PS2, PSX, Xbox, Wii ou Gamecube, que estão neste momento guardadas por falta de espaço e ligações na TV.



Mas aqui podemos ver uma Nintendo Switch, uma 3ds, uma PS Vita, uma PS4, uma Xbox One, uma Xbox 360 e uma PS3. Vemos ainda dois PCs (um de trabalho, outro de jogos) e uma unidade de controlo para o PSVR! Os PCs estão ambos ligados a um monitor com um KVM Switch, e o de jogos está ligado igualmente à TV.

Naturalmente que perante esta realidade só nos podíamos enquadrar como sendo um Gamer generalista. Algo que tem como consequência que o tempo dedicado ao jogo se divide por todas as plataformas, sendo que umas sofrem mais com isso que outras. Por exemplo, a Xbox One, dado que os jogos são partilhados com o PC e PS4, basicamente só jogo nela os exclusivos e ofertas do Live. E mesmo esses, apenas aqueles que não jogo no PC! Por exemplo Ryse: Son of Rome foi aquirido para Xbox e trocado para PC dadas as fracas prestações do jogo na consola. Outros como Ori and the Blind Forest foram adquiridos para PC e jogados exclusivamente no PC.

Tal tem como consequência, por exemplo, um Gamerscore relativamente baixo quando comparado com pessoas que só tenham essa consola. Mas aqui não se trata sequer de não jogar, trata-se de ter variedade onde jogar os mesmos jogos e de ter outros sistemas que oferecem melhor pelo mesmo preço.

Mas mesmo que sendo um Gamer regular, aquele que, segundo um estudo da rede social de videojogos Pixwoo, gasta pelo menos 11 horas por semana a jogar, ao ser igualmente um Gamer generalista, se analisado consola a consola, este tipo de jogador pode ser sempre visto em comunidades específicas como Gamer casual. Uma das consequências de se ter vários sistemas é que o tempo livre, e consequentemente essas tais de 11 horas, serão divididas entre todos eles, e como tal não conseguirá nunca ser equiparado a nível de Gamerscore ou trofeus a outros jogadores regulares mas que não são generalistas, ou seja que se prendem a plataformas especificas.

E a situação é ainda mais problemática quando a consola partilha os seus jogos com outras (mesmos jogos multiplataforma). Por exemplo, a PS3 foi secundária para mim na geração passada no que toca a jogos multi pois a Xbox 360 oferecia as melhores versões. Agora a situação passa-se ao contrário, com a PS4 a ter primazia sobre a Xbox One, mas aqui com a agravante de os exclusivos Xbox poderem igualmente ser jogados no PC com melhores resultados.



Posts Relacionados