Para a Microsoft o processamento na Cloud já não é importante?

Após apregoar aos sete ventos as vantagens do seu Cloud Computing, agora após a Sony mostrar o seu serviço de Cloud Gaming a Microsoft parece que já não consegue ver as mesmas virtudes na Cloud.

PS4Cloud

Um dos anúncios mais mediáticos da CES foi o Playstation Now, um serviço de jogos por streaming da Sony e que permitirá jogar todos os jogos da história da consola.

Este anuncio caiu como uma surpresa pois se houve empresa que sempre apregoou as vantagens da Cloud foi a Microsoft, mas curiosamente a primeira empresa a mostrar algo de verdadeiramente útil e inovador com ela acabou por ser a Sony.

Mas mais curioso ainda é o facto que, aparentemente, a Microsoft não considera que, este tipo de processamento na Cloud seja relevante nesta fase, e isto apesar de andar em testes para um serviço do género e de sempre ter apregoado a Cloud como a grande arma da Xbox.



Recorde-se as seguintes conclusões de Phil Spencer, vice presidente da Microsoft, resumidas neste artigo e em tiradas de uma entrevista ao website Japonês Famitsu.com onde quando confrontado com a menor potência da Xbox One face à Ps4, falava das vantagens dos usos da Cloud para Cloud Computing.

… dar aos criadores a possibilidade de mudar parte da computação do CPU para a Cloud. Os CPUs na Cloud podem fazer a computação e manda-la de volta para a Xbox One que apresenta os resultados localmente. Isso melhora a performance.

Mas curiosamente agora que a Sony apresentou o seu serviço de Cloud Computing onde não apenas parte, mas a totalidade do processamento é realizado na Cloud, as palavras de Phil Spencer alteraram-se.

E isso aconteceu quando após a apresentação do serviço Playstation Now, Jens Thomas o questiona se a Xbox One (eimplicitamente a PS4) serão as últimas consola físicas. E Phil Spencer, surpreendentemente responde que acredita que a computação local vai ser importante durante muito tempo:

 

 

Ora independentemente de o Playstation Now funcionar correctamente ou não (sem latências), algo que só poderemos ver na altura da implementação do mesmo, a ideia de servir videojogos para qualquer hardware munido so software adequado e sem necessidade de hardware adicional é certamente algo que será o futuro. Aliás quase todas as restantes formas de entretenimento, com excepção dos jogos, usam já serviços streaming. Para além do mais, muitos videojogos, seja por um motivo ou outro, já requerem ligação à internet, pelo que esta está bem presente na comunidade gamer.

Ora por aqui vemos duas formas diferentes de olhar para a Cloud, e uma aparente tendência em a valorizar apenas quando interessa! Quando a Microsoft é confrontada com a maior potência da PS4, a Cloud surge logo nas conversas. Mas quando são os outros a apresentar serviços Cloud…



Posts Relacionados