Phil Spencer explica as vantagens de se trazer os exclusivos Xbox para o PC. E não convence!

phil_spencer1

Pela primeira vez desde que Phil Spencer tomou a liderança da Xbox discordamos plenamente dos seus argumentos.

Aos poucos o que temos vindo a observar é uma tendência de os exclusivos Xbox se moverem para o PC. Só na actual geração vimos Fable Legends,Titanfall, e Gears of War: Ultimate Edition como exemplos. Mas no global não são os únicos e muitos mais casos existem, sendo que a Microsoft declarou já que pretende aumentar esta tendência de forma significativa no futuro.

O que é certo é sabido é que as exclusividades não se limitam a ser jogos adicionais. São isso sim jogos que apenas podem ser jogados na plataforma, e como tal um motivo de compra da mesma, e um motivo pelo qual se criam grupos de fans que passam a olhar para a plataforma como a responsável pelos seus jogos favoritos. E como facilmente se pode perceber, a exclusividade contribui de forma clara para o sucesso e vendas da plataforma.

Daí que perante esta realidade, colocar os exclusivos Xbox One no PC não traz nada de bom. Não só tal retira à consola a exclusividade dos títulos, algo que não acontecerá na concorrência que se torna assim mais apetecível, mas com o DirectX 12, e com o PC a poder futuramente fazer o mesmo com um hardware equivalente ao da consola, sendo esta máquina muito mais versátil, poderá tornar-se preferível à consola.

Torna-se difícil especular aqui sobre este assunto, daí que apenas podemos citar exemplos passados onde a Microsoft tentou, e já o fez por algumas vezes, aproximar a consola do PC. E o resultado foi o mesmo de todas essas vezes… um rotundo falhanço.

Daí que a insistência na situação possa parecer, nesta fase, já algo de absurdo. Mas o facto é que ocorre e Phil Spencer explica as vantagens de tal.

A rentabilidade e o sucesso financeiro, são o que me guia. Amo este produto. Amo o que a marca significa. Amo aquilo em que se pode tornar.

Para que concebamos aquilo que queremos conceber, as finanças tem de funcionar. Isto é o motivo porque às vezes, quando as pessoas nos dizer “Hey, devem os jogos da Xbox ir para o OC? Porque é que vocês se focam no Windows?”, as pessoas devem dar um passo atrás e perceber que quantos mais jogos vendermos, mais pessoas compram jogos no Xbox Live, melhor é o negócio e mais podemos investir nele. Para os fans da Xbox isso cria mais oportunidades. 


Ter um negócio viável ajuda a Xbox a ser a melhor consola possível. Vocês veem o conjunto de jogos que temos agora e dizem que é o melhor que já tivemos. Isso deve-se a estamos numa posição financeira melhor e podermos investir mais e ver-mos os benefícios desse investimento. Se vender jogos no Windows e na Xbox significa que podemos investir mais e fazer mais, isso é uma grande coisa para quem se importa com a marca Xbox.

Sinceramente Phil…

Já se sabe que acima de tudo é o dinheiro que conta. Não nos enganemos pois nenhuma empresa trabalha por amor. Mas é nossa opinião que a marca Xbox não é o importante aqui. O importante é a consola chamada Xbox e que dá origem à marca!

Quantas vezes vocês já não associaram a marca Xbox ao PC? E quantas vezes algo relacionado com isso teve sucesso?

Trazer os jogos da Xbox para o PC é tirar argumentos às pessoas para comprarem uma consola. Actualmente os PCs podem vir em caixas bonitas e pequenas, podendo ser ligados à TV. Até é possível que as pessoas nem instalem nada no PC e que este só possua jogos. Um PC pode ser uma consola de jogos, e mesmo assim manter as caracteristicas e maior versatilidade de um PC. E se o argumento da diferença de preços poderia ser algo a favor das consolas, com o DirectX 12 será que se vai manter? Na realidade não!

É nossa opinião que a Xbox é o que é porque sempre seguiu o modelo de uma consola. E isso implica ser um mercado fechado e com exclusividades. A Microsoft é uma empresa de software e naturalmente se puder passar a marca Xbox para o PC sem a necessidade de se meter no negócio do hardware. Mas isso a nosso ver é matar aquilo que é a Xbox, uma consola e não uma marca.

E é nossa opinião que é aí que esta visão de Phil falha!

Fonte: Twinfinite

Publicidade

Posts Relacionados