Comentário: Phil Spencer – Nem todos os jogos da Xbox One irão para o PC

Afinal nem todos os jogos Xbox One irão para PC. Será?

Se há algo no qual a Microsoft tem sido pura e simplesmente pouco eficaz é no campo da comunicação. A empresa tem timmings terríveis e quando refere algo que desagrada aos seus clientes ou parceiros e estes reagem, a empresa parece que cai em si e alguém aparece a explicar que afinal a coisa não era bem assim ou a corrigir a situação repondo as coisas como estavam. Os exemplo de tal são já inúmeros!

Com ou sem intenção, e goste-se ou não, este tem sido um dos defeitos da Microsoft nos últimos anos.

Ainda recentemente Phil Spencer veio referir que ele próprio diz por vezes coisas que não deveria dizer, e vem clarificar as suas palavras. E apesar de gostar bastante da honestidade de Spencer, começa a ficar mal a quantidade de explicações que se tem vindo a dar relativamente a posições ou frases que a empresa ou seus representantes haviam proferido, ficando no ar a ideia que não há firmeza nas declarações e que a empresa reage de acordo com as respostas do mercado.

Diga-se que o reconhecimento dos erros é uma atitude extremamente nobre num pessoa, mas que não fica bem a um líder. Mais ainda quando este refere frases em que inclui Uncharted 4 como um dos grandes jogos que espera para 2016. Apesar de para mim estas frases  o engrandecerem como pessoa e gamer que é, percebendo se alguem capaz de reconhecer o virtuosismo do trabalhos dos outros, de forma a poder fazer igual, empresarialmente e junto dos fans mais acérrimos é algo que cai muito mal. Alguém imagina um dos chefes da Coca-Cola vir referir que a Pepsi também é muito boa e a manter-se no cargo?

Publicidade

Retomando o nosso artigo

E agora temos mais um aparente caso onde Phil não só parece mudar um pouco a sua posição anteriormente assumida como o que refere é pouco claro e incompleto:

Como é conhecido, após uma série de comunicados da Microsoft onde a empresa referia a criação de uma plataforma Windows 10 e na qual a Xbox One se iria incluir, a empresa deu a conhecer que os vários exclusivos previstos para a Xbox One para 2016, com excepção de Crackdown 3 (sobre o qual apenas há rumores da passagem para PC), iriam todos para PC (Quantum Break ainda era considerado Exclusivo nessa altura, mas sabe-se agora que irá para PC em lançamento simultâneo com a consola).

Ainda no âmbito dessa plataforma, a empresa foi mais longe ao dar a conhecer abertamente que a série Forza passaria a ter todos os seus jogos futuros desenvolvidos para PC.

Aliás, mesmo analisando o passado vimos que já outros jogos como Dead Rising 3, Ryse: Son of Rome e outros já tinham deixado de ser exclusivos Xbox One, passando para PC, mostrando que a ideologia da empresa já vinha de trás.

Infelizmente, talvez devido a precipitação nas atitudes, a realidade é que, indies excluídos, com as passagens anunciadas e já acontecidas de jogos Xbox One para PC, atualmente a consola possui apenas uma mão cheia de jogos que são efetivamente exclusivos do seu hardware (Halo: MMC, Halo 5, Forza 5, Forza 6 e Sunset Overdrive –  Forza 2 Horizon exclui-se da lista pois existe para a Xbox 360)).

Publicidade

Retomando o nosso artigo

O que vimos perante todos os acontecimentos envolventes à criação desta plataforma foi uma recepção algo mista, com uns a aceitarem, outros a gostarem e outros a odiarem, quer por parte do mercado Xbox, quer por parte do mercado PC. E agora, aos poucos, perante essa realidade de desagrado por parte de muitos que antes estavam satisfeitos, a Microsoft parece estar a apresentar uma possível mudança de postura, mas ainda pouco clara.
Phil Spencer que ainda recentemente defendeu as virtudes e vantagens de ter todos os jogos Microsoft disponíveis numa plataforma universal, vem agora, numa nova entrevista, dizer que “muito certamente” nem todos os jogos da Xbox One irão passar para PC.

Ora isto nem é carne nem é peixe. Apesar de esta ser uma abertura que poderia acalmar muitos ânimos, o facto é que o uso do termo “muito certamente” refere apenas uma possibilidade, não uma certeza. E o que as pessoas descontentes ou em dúvida querem neste momento é certezas!

Para 2016 a Xbox One tinha 9 exclusivos anunciados. E com excepção de Crackdown, todos foram já oficialmente anunciados para PC. Será que é isso que Phil quer dizer? Que a Xbox One continuará a ter 1 exclusivo por ano? Ou será que terá mais? Se sim, quantos?

Convenhamos que, face à proposta da concorrência (a lista apresenta 9 exclusivos hardware, entre outros) e aos jogos 100% exclusivos que o hardware Xbox perdeu, dizer que “muito certamente” nem todos os jogos Xbox One sairão no PC soa a muito, muito pouco. Especialmente quando vemos a empresa a eliminar 7 dos seus estúdios (agora serão 6 pois a Microsoft mais uma vez fez um 180 e após ter removido o seu nome da lista, reactivou a Lionhead. Seja como for a legislação Inglesa impede que a empresa seja fechada sem um periodo de 30 dias de discussão, pelo que a empresa poderá voltar a sair da lista) e em que dois deles estavam a trabalhar em jogos quase terminados para a consola (Fable: legends sairia igualmente para PC, mas tal era ainda desconhecido em Knoxvile)

É por isso nossa opinião que a Microsoft deveria promover um diálogo com os seus fans e parceiros, ouvir as suas questões e elucidar os mesmos com respostas claras e coerentes. Só na posse de todos os dados é que alguém pode efectivamente pensar, mas a comunicação da Microsoft falha em divulgar informações mais detalhadas, apenas revelando coisas a conta gotas que, por poderem estar até fora do contexto, só tem vindo a desagradar muita gente (sim, porque o problema é que há pessoas desagradadas dentro de um grupo onde antes todos estavam agradados, e como tal são apenas os desagradados que interessam para o caso).

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Fonte: Entrevista Phil Spencer (21m13s)

Publicidade

Posts Relacionados