Playstation 5 em 2018 – Sim ou não?

Naturalmente a resposta a esta pergunta só a Sony a terá. Mas analisamos as implicações desta decisão e damos a nossa opinião sobre este rumor.

Há um rumor no ar de que a Sony lançará a sua Playstation 5 em 2018. Este é um rumor lançado por um analista de nome Damian Thong e que tem no seu historial passado um acerto relativo ao lançamento da Playstation Slim e da Playsation Pro.

Assim sendo, e com um historial que demonstra acesso a alguma informação privilegiada, este rumor ganha alguma credibilidade.

O rumor vai mais longe, e aponta para uma performance de 10 Tflops como sendo a performance da consola, um valor que, não só bate a Scorpio como, não estando  limitado ou preso a uma geração pré-existente, poderia criar jogos para a consola que tirassem total partido da mesma, dando assim um real início a uma nova geração.

Mas tendo a Sony lançado uma PS4 Pro recentemente, faria sentido lançar uma PS5 em 2018? Isso não iria defraudar os compradores da Pro?

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Na realidade não! Há que se entender acima de tudo que a PS4 Pro é uma PS4. E quem a comprou julgando outra coisa, cometeu um erro que na realidade foi seu e só seu.

A PS4 nunca foi lançada para competir com a PS4 ou para substituir a PS4. A PS4 Pro é uma revisão da PS4, tal como a Slim é, mas uma revisão mais performante e capaz de trazer os jogos da PS4 para resoluções até 4K ou, alternativamente, oferecer melhorias a 1080p. E acima de tudo uma consola de meio de geração, ou seja, que teria logo à partida uma duração de vida de metade do previsto para as PS4 originais de lançamento.

Insista-se que esta não é uma consola nova, e nem sequer é uma consola criada com o intuito de substituir a consola base. A geração actual é a geração PS4, e essa em 2018 fará 5 anos, o que quer dizer que, caso uma nova geração fosse lançada, esta estaria dentro do prazo médio de vida de uma geração.

Isso defraudaria os possuidores da Pro? Bem, não sabemos… mas se isso aconteceu, é porque estes entenderam mal a mensagem da Sony, e ela foi clara. A PS4 Pro é uma consola elitista que pretende oferecer mais a quem se dignar parar mais. E neste caso, nem é muito mais, são apenas mais 50 euros. A Sony nunca disse mais do que isto, e sempre a anunciou a consola como uma PS4. Nesse sentido, tal como com uma nova versão Slim, a sua existência não prende a marca em nada!

Claro que quem se desfez da sua PS4 para comprar uma Pro terá feito um investimento maior. Mas em compensação estará agora também a desfrutar dos últimos jogos com melhorias a 1080p ou com suporte a resoluções superiores, sendo que a compra terá sido sido feita por sua iniciativa porque achava que o suporte existente justificava. Se a ideia fosse passar apenas para uma PS4 slim equivalente, o custo seria semelhante (menos 50 euros).

Seja como for, um lançamento de uma PS5 não significaria que a PS4 fosse descontinuada. De forma alguma! Aliás será muito provável que vissemos jogos comuns a aparecerem para uma PS4 e uma PS5, mas claro, haveriam os exclusivos PS5.

Basicamente onde queremos chegar é que a Sony posicionou muito bem a sua Pro, e a mera diferença de 50 euros face a uma slim equivalente não permite dizer que alguém tenha desembolsado uma fortuna para ter uma consola que no fundo só teve exclusividade de mercado como topo de gama por pouco mais de dois anos.

Mas repete-se, o 4 no nome dava claramente a informação. A Pro é uma consola de meio de geração, que saiu aproximadamente 33 meses depois da primeira consola. Analisando as datas de lançamento temos que a PS4 foi lançada a 29 de Novembro de 2013 e a Pro a 7 de Setembro de 2016, o que quer dizer que caso a geração durasse efectivamente 5 anos ou 60 meses, a PS4 Pro, a consola de meio de geração, teria falhado o meio exacto da geração por algo perto dos 3 meses e 8 dias.

Daí que sim, a PS4 Pro em 2018 teria, mais mês, menos mês, tido o suporte esperado para algo que foi definido como de meio de geração!

Mas será que 2018 é uma boa data para o lançamento?

Bem, se nos seguem sabem que foi nossa opinião que sim, mas no entanto, após vermos as especificações da Scorpio, deixamos de ter essas certezas.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Se seguiram os nossos artigos sabem que em 2018 seria possível fazer-se uma consola com 24 Tflops, mas a um preço que nesta fase nos parece irrealista.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Mais realista seriam talvez 12 Tflops, mas mesmo essa situação poderia trazer problemas de custo. Aliás o rumor que circula aponta para 10 Tflops!

Ora 12 Tflops parece-nos um valor adequado para uma nova geração. Essa potência gráfica acompanhada de um aumento de potência no CPU permitiria mais do que meramente levar os jogos da PS4 a 4K e acrescentar-lhes melhorias. Isso permitiria basicamente expandir acima disso e criar efectivamente uma nova geração.

Já 10 Tflops… algo que não é sequer o dobro do meio de geração da concorrência, parece pouco!

Mas 12 ou 10, perante as especificações da Scorpio o que vemos? É certo que a Scorpio não conseguiria acompanhar essa consola a 4K, mas a realidade é só uma. Quantos temos Tvs 4K?

Daí que caso a Scorpio corresse esses jogos a 1080p (algo acessível a todas as Tvs), a consola conseguiria acompanhar perfeitamente os feitos gráficos 4K de uma PS5 com 10 ou mesmo 12 Tflops. Mas isso criaria um problema para a Sony: É que, para a maior parte dos utilizadores, munidos de TVs 1080p, a PS5, que seria forçosamente mais cara dada a sua performance adicionai, seria bastante redundante!

Para que essa redundância não existisse, a PS5 teria também de apostar nos 1080p de forma a poder com 10 Tflops esmagar a Scorpio, mas isso parece um pouco um contra senso face ao intuito do alcançar os 4K com que a Pro foi criada. Basicamente a PS5 teria de negligenciar os 4K de forma a evitar que a Scorpio a superasse a 1080p, e a nova geração, ao contrário da atual, não avançaria verdadeiramente para os 4K, sendo necessário uma posterior PS5 Pro.

Recordando-se que cerca de 92% do mercado instalado atual é 1080p, a PS5 perderia claramente para a Scorpio na questão do preço, sendo que ao apostar nos 4K mostraria uma qualidade que poucos estão em condições de visualizar, e que se calhar poucos estão dispostos a pagar para ter antes do tempo apenas para suportar a consola (um pouco o que já referimos que pode ser um dos problemas da Scorpio face á PS4 Pro, mas aqui com as situações invertidas).

Basicamente o que queremos dizer com isto, é que as especificações da Scorpio, basicamente mexeram pela negativa nos planos da Sony. Uma PS5 não pode ser lançada correndo o risco de a consola de meio de geração da concorrência a conseguir acompanhar, e muito menos quando as Tvs com resoluções acima dos 1080p são ainda uma fatia tão pequena do mercado, e mesmo com estas a existirem, os 1080p podem continuar a ser uma realidade e quase indistinguíveis dos 4K se usado um HDR e um bom AA ou técnica de reconstrução de resolução.

Por esse motivo, apesar de tudo o exposto em cima, nesta fase não acreditamos que 2018 seja a data de lançamento da PS5. Aqui já não está em causa a potência, está em causa que o mercado dos 4K é ainda pouco relevante, e que uma consola lançada apenas para essa resolução não conseguirá competir com outra, mesmo que menos potente, mas que a acompanhe a 1080p. E com uma Scorpio de 6 Tflops a explorar a sua potência toda a 1080p, 10 ou 12 Tflops são insuficientes para levar isso para 4K.

Daí que seja nossa opinião que a Sony se tramou não só com as especificações da Scorpio, mas igualmente com o conceito que criou com a Pro. Porque uma PS5, em 2018, mesmo com 12 Tflops, nunca conseguiria manter esse mesmo conceito e levar jogos criados para explorar 1080p e 6 Tflops para 4K.

Pode contudo haver quem argumente que a Scorpio não poderá fazer isso devido às suas políticas que a prendem à Xbox One… mas essa é uma falsa questão! Uma política não é uma impossibilidade física, é apenas uma regra. E as regras podem ser quebradas! Daí que se a Sony aposta o seu futuro apoiando-se numa suposta regra da concorrência que considera imutável… pode estar bem tramada! Porque em 2018 as políticas da Microsoft podem mudar… e nós sabemos como elas tem mudado nos últimos anos.

 

 

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (39)

  1. Exatamente. Se a Scorpio vs Pro é uma questão secundária, dado que com programação dedicada e tendo em conta as políticas ambas acabarão por entregar sensivelmente o mesmo (imagino a Scorpio a ter vantagem nos 60 fps), a questão Scorpio vs PS5 já não.

    10 TFLOPS não justifica uma nova geração e muito menos 5 anos justifica acabar com a geração PS4, tendo em conta o sucesso desta.

    Além disso, com os 7 nm prestes a chegar, será por a carroça à frente dos bois e perder uma grande oportunidade.

  2. Eu acredito em uma versão slim do PlayStation pro, penso que seria uma jogada interessante da Sony, pois sabendo que a Scorpio é mais poderosa do que a pro, mas tendo uma pro slim ainda mais barata, não tão mais fraca do que o Scorpio e ainda por cima com uma futura lineup de cair o queixo como GT, a expansão de Uncharted com o Lost Legacy, mais God of War, o game do Kojima e tendo a cereja do bolo chamada The Last of Us parte 2, não consigo imaginar a Sony perdendo mercado nesses tempos, pois o que faz um console sai jogos e a Sony estará mais recheado deles.

  3. Fernando Molina 8 de Maio de 2017 @ 14:01

    Eu acho que com a quantidade absurda de Playstations 4 que a Sony vende, mais os grandes exclusivos que a Sony tem a lançar, seria uma tremenda besteira lançar um Playstation 5 já em 2018, mesmo pq com a diferença de vendas pra concorrente e God of War e The Last of Us 2 que vão fazer o Playstation 4 vender muito mais, ela se aguenta tranquilo contra o Scorpio, mesmo pq eu acho que o Scorpio não vai fazer as vendas do Xbox dobrar ou triplicar

    • O mesmo aqui.

      Duvido que no Japão ou na Europa a Scorpio faça qualquer tipo de estrago. Já os EUA é que mais está em dúvida. Reconheço a validade do Fernando quando defende que nesse mercado é possível que a Scorpio vire a mesa. Por outro lado, mesmo com a Pro, na última Black Friday a PS4 base foi a mais vendida, o que prova que não há interesse numa consola 4k nem nos EUA. Sinceramente, penso que será possível, mas não acredito. Acho que mesmo nesse mercado os exclusivos da Sony têm peso. Seja como for, o resto do mundo ultrapassa os EUA, basta ver a PS3 que mesmo em desvantagem nesse mercado, ultrapassou a 360.

      Penso que os 4k só entrarão em força quando o HDMI 2.1 chegar e a norma HDR10 ou Dolby Vision possa ser implementada em força: isto se até lá a tecnologia dos ecrãs evoluir a ponto de permitir isso.

      Por esse motivo acho que a Sony lançar uma nova consola de mesa agora seria a maior estupidez. Não só a tecnologia não evoluiu o suficiente, como não há qualquer motivo para o fazer. Seria deitar dinheiro pela janela fora, literalmente. Acho que agora a companhia já se encontra numa posição confortável para arriscar e neste momento pode permitir-se a isso.

      • Tu terás HDMI 2.1 ainda este ano… E pela primeira vez podes ter HDR em 4K nativos… Mas infelizmente mesmo agora a norma HDR está longe de cumprir com o standard previsto, e os brilhos das TVs com HDR são pouco superiores aos das TVs normais o que faz com que o HDR em alguns casos apenas surpreenda nos primeiros dias, mas depois a imagem já começa a soar a normal.

        • Não só isso, Mário.

          Os próprios ecrãs não cobrem todo os espectro de cores da norma HDR (tanto quanto sei). Não sei como os OLED ou o QLED da Samsung se portam, mas os LED incluindo os topo de gama cobrem grande parte mas não cobrem tudo. Falta ver se é por limite da entrada HDMI se é do próprio ecrã. Mas anda em volta de 80% do REC:2020, mesmo em OLED de topo.

          Isto associado a um standard que ainda não se definiu entre o Dolby Vision e o HDR10, para além das novas inovações das TVs, como o HDR+, o HLG etc., resulta em algo que precisará de anos para se definir e para o qual não há conteúdo.

          • Bruno, eu concordo como que você, Mário falam, mas atualmente tenho jogado alguns jogos com HDR ativo e faz uma diferença perceptível acredito que quando estiverem definidos os Standard será melhor porém ainda irá cair no que o Mário falou depois de um tempo tudo parecerá muito “normal”.

            Outra coisa que tenho dúvida é no ps4 normal que é o meu caso o HDMI 1.4 permitiu que se usasse o HDR em jogos 1080p devido a lagura de banda agora Mário eu pesquisando como configurar minha TV notei que os jogos no pro que dão suporte HDR são sempre 4k 30fps não vi nenhum jogo que seja 60fps com suporte, será que o HDMI 2.0 não tem largura de banda suficiente para 4k 30fps e full HDR? já que o 1.4 deu suporte em 1080p.

  4. Temos que ter um certo cuidado quando analisamos dados de vendas (Quantidade ) com situação confortável em questão de lucros etc.
    Antes que me corrijam referente ao que disse acima a Sony lucrou sim com a divisão Play porem esta longe ainda de ter uma gordura alto suficiente que não venha se preucupar com mercado, a mesma não esta no patamar aonde esta por conta de nada, e a era que se via e liderança absoluta já acabou algum tempo, e não mesmo a divisão tendo lucro não significa que as demais não teve ao contrario analisamos números em proporções diferente, que o fenômeno de vendas da pS4 foi grande sim não existe duvidas porem precisamos espera o mercado mostrar se Scorpions ter ao mesmo efeito que a pSpro, ao contrario da pro o scopion tem melhor especificações que o seu rival o momento de apresentação da consola é outro um evento destinado justamente para indústria e articipantes criando um hype não so para os fans da marca mais para um evento para todos os participantes, diferente do evento que foi a pspro apresentada exclusimvo da marca PS. Não acredito que em um lançamento prematuro de ps5 vsto que a pro foi lançada recentemente, porem colocar uma tecnologia mais cara e entregar próximo a scopion não veria razão de trocar pois a MS mesmo disse que a Scorpion não é uma nova gerecao assim podendo esperar o lacamento da ps5 e 2020 lancar um novo console

  5. Claro que não!

    Os jogos não são só gráficos e potencia! Eles que explorem o hardware atual até ao “tutano” e façam os melhores jogos de sempre. Canalizem todos os recursos para isso…

  6. Um PS5 em 2018 seria uma boa ideia se não existisse PS4 Pro.
    Pensando pelo lado da tecnologia, o PS4 Pro possui tecnologia bastante atualizada para ser fadado a morrer junto ao PS4.
    Por outro lado, de acordo com a visita do Gamasutra à Microsoft, foi divulgado que o devkit do Scorpio tem 6,6Tflops de potência e 24GB de memória RAM. Estando a 6 meses do lançamento, um anúncio de PS5 poderia fazer com que a Microsoft lança-se o Scorpio com o mesmo overclock do devkit.
    Uma vez que o PS5 não teria as amarras do PS4, abriria precedentes para que a Microsoft fizesse jogos especificamente programados para o Scorpio, e com um PS5 que não teria nem o dobro de potência, a tarefa seria facilitada para o Scorpio. Esse console apresentará jogos que mesmo com algo inferior como resolução ou algum efeito, ainda poderiam concorrer na mesma geração que o PS5. Aí entraria outro agravante, quando a Microsoft resolver lançar um sucessor para o Scorpio, que na teoria seria o verdadeiro rival do PS5, ele vai parecer ser de uma geração à frente, o que vai obrigar a Sony a ter um PS5 Pro.
    Mas um PS5 Pro, vai estar preso à um PS5, enquanto um Xbox Next não vai necessariamente estar preso ao Scorpio, por que esse nunca foi uma nova geração, ele apenas foi obrigado a ter jogos que o explorassem totalmente para combater a concorrência. Então isso significaria que em 2020 provavelmente, a Microsoft teria um console com uns 20tflops ou mais, totalmente livre para aproveitar tudo que pode e com retrocompatibilidade que vem desde o Xbox 360, enquanto a Sony para fazer o mesmo teria que matar o PS5 em 2 ou 3 anos para lançar o PS6.
    E no meio disso, estariam os diferentes consumidores, um é o que não sabe se o the Last of US 2 vai ser um jogo de PS4 ou de PS5, ou se espera o PS5 para comprar a versão remaster em 60fps um ano depois. O outro é aquele que vai comprar o que estiver na moda.
    A história da SEGA mostrou que lançar muitos hardwares em pouco tempo leva a desconfiança do consumidor que fica perdido no meio de tantas ofertas. Em menos de 20 anos, a SEGA lançou nada menos do que 11 consoles para brigar com 3 consoles da Nintendo.
    A coisa mais inteligente para a Sony seria aproveitar a popularidade do PS4 para manter os clientes existentes, reconhecer que no mercado Norte Americano eles podem perder a liderança para o Scorpio devido ao gosto de americanos por Shooters, novidades e potência, mas no global eles continuarão em boa posição e que se preparem para entrar em uma nova geração quando realmente valer a pena.
    Um pouco de lado em tudo isso, existem os jogos, esses que quando planejados do zero levam entre 4 a 5 anos para ficarem prontos. Quem comprar um Scorpio ou um PS4 Pro sabe que vai jogar jogos de Xbox One e PS4 melhorados. Quem comprar um PS5 vai querer jogar games AAA de PS5, não jogos de PS4 melhorados pela segunda vez.

    • Concordo com a tua logica geral, já por isso achei toda esta historia de consolas do meio de geração um enorme erro.

      Aliás já por isso sempre disse que para o bem do mercado, são necessárias gerações de 7 a 8 anos ou mais, e não de 5 a 6 anos, e finalmente é bom ver-te a chegar a essa conclusão também de que muito hardware lançado em curtos espaços de tempo é mau no longo prazo (embora se torne claro que tudo se prende com a potencial ameaça à hegemonia ainda não iniciada da Scorpio enquanto consola mais potente, porque quando era a ONE o discurso acentava no quão rapidamente o hardware iria ser ultrapassado e no quão urgentemente era necessário iniciar uma nova geração, porque a atual não iria durar mais de 5 anos).

      Contudo, há alguns pontos no teu raciocínio que acho estranhos…

      Por exemplo, porque é que a MS tem toda a liberdade para suportar uma próxima geracao com a Scorpio, cortando o vínculo com a ONE, e fazer frente à hipotetica PS5, enquanto a Sony não goza da mesma liberdade com a hipotetica PS5 Pro, para fazer frente à hipotética Xbox Two?

      Hás-de reconhecer que se a MS pode combater a PS5 com a Scorpio também a Sony o pode fazer com a PS5 Pro, certo?

      E por último, Fernando: não deites foguetes antes da festa… se fosse só shooters e potencia a valer nos EUA a ONE teria tido mais sucesso devido a Halo e a Pro também teria tido mais sucesso, porque os anda a entregar com mais FPS há vários meses.

      Nada disso aconteceu. Não digo que estejas errado, mas também não creio que estejas certo. É possível, mas a Sony conta com argumentos muito fortes incluindo Hideo Kojima.

      Tudo isto me faz lembrar o ano de 2015 em que juravas que Halo iria ser o grande supra sumo a virar a mesa…. e não foi.

      • Claro que abre precedentes, por que a Microsoft vai deixar a Sony reinar sozinha em uma geração e ficar olhando ela abocanhar 100% do mercado?
        Por que você quer? Por que seu sonho é ver o mercado de games resumido a Playstation e a Nintendo como console de nicho?

        Dentre todas as possibilidades viáveis, a Microsoft teria duas, deixar o Scorpio viver só e cortar o Xbox One em 2018, que é o que eu sempre disse que seria o bastante pois consoles com potência tão baixa nunca poderiam sobreviver sozinhos por 8 anos, ou lançar um novo Xbox logo em 2019 e manter a putaria das especificações.
        Um PS5 em 2018 vai gerar revolta em alguns consumidores e a Microsoft tem jogado no erro na Sony. Eles monitoram a recepção do VR para anunciar alguma coisa, eles viram a ineficácia da Sony em fazer os consumidores quererem o PS4 Pro para direcionar o marketing do Scorpio, eles viram a vontade da Sony de vender jogos de PS3 novamente para criar a retrocompatibilidade e eles veem o amadorismo da Sony com o online para criarem jogos em cima disso.
        A geração atual está ganha faz tempo, mas será que eles vão manter pra próxima ou vai ser outro PS3?

        • Não foi isso que perguntei.

          O que te perguntei foi porque é que tu vês a MS a fazer isso com a Scorpio face à PS5 e a Sony a não poder responder na mesma moeda com a hipotética PS5 Pro face à Xbox Two.

          A não ser que tenha entendido mal o teu comentário e te estejas a referir à geração atual?

          Sobre a geração atual não poder durar tanto, já há factos que contrariam o teu argumento: Horizon Zero Dawn.

          E tendo esse jogo como referência, tens Days Gone, God of War, Death Stranding.

          Provam que a geração é capaz não só de durar tanto, como até mais. Pelo menos no caso da PS4.

          Mais uma vez assumes que a Sony se enganou com o Marketing da Pro. Não entendes que o objetivo deles foi segurar consumidores que só querem resolução e fps, e por isso colocaram a Pro como o que é: uma versão secundária da PS4.

          Sobre o VR, vejamos primeiro se chega à ONE, e depois podemos assumir que se tratou de estudo de mercado e não impossibilidade técnica.

          Afinal o Hololens já foi anunciado há bastante tempo e nada.

          • Fora que a retrocompatibilidade gratuita no One foi devido o console ser o 2° colocado em vendas, se por acaso o One fosse líder a retrocompatibilidade seria gratuita?

            Logo da empresa em que adora criar vários serviços pagos? É algo a se pensar, Fernando.

    • Fernando… os devkits sempre foram mais potentes que o produto final. Tem mais memória, mais performance, mais tudo. Por isso é que são devkits. O código e as performances não nascem optimizados.
      Daí à consola final poder ter essa performance vai uma grande diferença, até porque os devkits normalmente tem a performance adicional por hardware extra (neste caso os CUs desligados para melhor volume de produção estarão ativos), e não overclock.

  7. Fernando Molina 8 de Maio de 2017 @ 19:06

    Só tem um problema, vc fala em um Playstation 5 livre das amarras do 4 que abriria precedentes pra Microsoft fazer jogos especificamente pro Scorpio, aí já discordo, a Microsoft não pode se dar ao luxo de quebrar a promessa de não abandonar o One base, de resto concordo, um Playstation 5 em 2018 pode deixar a Sony e o Playstation em apuros

  8. PS4 Pro foi a pior idéia que a Sony já teve, mas esse PS5 em 2018 parece ser ainda pior.
    O Pro foi fácil ignorar, mas esse PS5 precipitado seria “obrigatório” por correr os jogos da Sony dos quais eu gosto muito. 🙁
    O melhor que eu faço é jogar o que tem hoje e depois na hora eu vejo o que eu faço. Já estão falando até em Scorpio Pro.. quanta ansiedade hahahahaa

    • Fernando Molina 8 de Maio de 2017 @ 20:23

      Tá dificil né Carlos, sou da época que vendas fortes da concorrencia eram respondidas com grandes exclusivos, como a Nintendo fez ao assinar um contrato de exclusividade com a Capcom para Resident Evil, ou quando a Microsoft lançou Gears of War junto com o lançamento do Playstation 3, ou quando a Sony arrebentou de exclusivos para tentar barrar a ascenção do 360, hoje em dia só se falam em uma empresa querendo lançar console mais poderoso que a outra, triste

    • Olha, eu tenho a minha PS4 amateur e nela me mantenho até uma PS5 de jeito sair (20 ou mais teraflops – seja ela a PS5, PS6 ou PS7).

      Tudo isto já é cair no ridículo e estas companhias, tanto Sony como Microsoft, como as Thirds que as estão a pressionar (senhora EA), merecem uma valente lição (que já está a ser dada).

  9. Penso que se a sony, com o Ps4 Pro, focar nos jogos 1080p/60 com efeitos, e dar mais apoio a esta resolucao, seria uma bela alternativa frente ao scorpio. E mais, poderiam lancar tvs e monitores fullhd com HDR. dai seria um luxo bacana. 4K ficaria para proxima geracao.

    • Isso seria o maior erro possível. A PS4 Pro, tal como a Scorpio não podem apostar muito nos 1080p. Isso seria quabrar a plataforma em duas e dividir a geração.
      TVs 1080p com HDR dificilmentea aparecerão. Os grandes fabricantes de paineis estão a abandonar o fabrico do 1080p.

  10. Lançando ou não em 2018 eu gostaria de uma politica transparente sobre o mercado de consoles, teremos em 2 anos e meio o ps5 remaster? Gostaria de saber disso antes de gastar meu dinheiro.

  11. Só acho que muitos estão se precipitando quando já condenam a Sony com relação ao lançamento da ps5, sendo que nada foi mencionado pela msm. Eu duvido muito que isto ocorra tão cedo, pois como muitos disseram, ela tem grandes jogos por anunciar e o ps4 base ainda tem lenha para queimar. Creio que a Sony não precise de um console novo para combater o Scorpio por 2 pontos: A Sony que tem que ser combatida, pois está em uma situação confortável e segundo: Não creio que o Scorpio fará algo tão fora da curva a ponto de arranhar algumas superfícies antes inatingíveis a Sony, como por ex o mercado europeu, fora que o Japão nem preciso mencionar, pq ali console americano não penetra. Ao meu ver, estratégia perfeita da Sony é baixar o preço do Pro, mostrar um teaser do ps5 sem data por revelar e pronto: Scorpio nasce morto!

    • Edson,

      concordo com tigo. Acho que a MS quis dar uma resposta ao PS4-PRO da Sony com o Scorpion. Assim como o boato do PS5 pode ser uma nova resposta da Sony.

      A MS está tentando revolucionar apresentando o Windows como um serviço pago no futuro. Ela até abriu mão de ganhar dinheiro desatribuindo o w10 gratuito. Se ela tiver sucesso ela terá muito dinheiro e vai ser difícil resistir a proposta de unificação do PC com o XBOX(vai virar um serviço do Windows).
      A Sony tem margem de manobra nesta geração ( e talvez na próxima) mas se cochilar e tivermos um xbox com o sucesso parecido com x360, isto pode significar um quase monopólio ou até o fim dos videogames como conhecemos.
      Na minha opinião o aperfeiçoamento tecnológico que estão por vir também indicam uma mudança no que seja a definição de videogame (a telefonia móvel, a internet em alta velocidade, a nuvem digital, as possibilidades da emulação digital ..etc)

      • Só uma nota. Cronológicamente os rumores da Scorpio são anteriores a qualquer referência a uma PRO.

      • Acho que essa ideia de que o Windows 10 gratuito foi um abdicar de ganhar dinheiro é errada! O windows 8 e 8.1 não teve adesão… e a Microsoft vive de serviços que implementa e que requerem versões mais recentes do Windows para serem seguras e suportarem novas caracteristicas.
        O que a Microsoft fez não foi abdicar de dinheiro, foi pensar no seu negócio. Alargar a base de utilizadores para garantir um futuro para os seus restantes serviços.

        Quando as marcas vendem consolas abaixo do preço de custo, elas não estão a ser amigas de ninguem ou a abdicar de ganhar dinheiro. Isso é feito como um investimento após um estudo de mercado que lhes mostra que se fizerem isso ganharão muito mais no futuro.

        Quanto ao resto que dizes, sinceramente espero que a Microsoft acerte. Acho que as propostas são tão diferentes que neste momento até acredito que ambas possam subsistir em paralelo. E como sempre fui defensor de concorrência…

  12. (off Topic) pessoal, tô pensando em comprar um PS3 para colocar no meu quarto, pois na sala já tenho o ps4 e o switch, e queria algo no quarto para alugar filmes e jogar games que me marcaram, pois o ps3 junto ao SNES foram os consoles que mais gostei em toda minha vida, porém tenho medo da Sony tirar os serviços do ps3, não tendo condições mais para comprar games digitais e nem para alugar filmes. Será que corre esse risco, pessoal? Mário, será que ainda vale a pena? Abração…

    • Eu tenho um PS3 desbloqueado aqui, jogo muitos jogos da geração passada como GT6 e emuladores em geral, vale muito a pena ter um.
      Mas caso vc queira manter original acredito que logo logo a Sony deve interromper o suporte afinal é um console de 2007.

    • Edson. Não te sei responder. Ao contrário da imagem que muitos querem passar aqui que o suporte das consolas durará para sempre, sabes perfeitamente que isso não é assim e que as empresas existem para fazer dinheiro, não para manter jogos obsoletos a funcionar.
      Mesmo o Netflix deixa de dar suporte a hardware mais antigo.
      É por isso uma decisão tua. Se tiveres software fisico vale a pena. Se for pelo digital… é um risco!

  13. Notícia sobre Destiny 2 que fala “a próxima PS4”.

    Será um PS4 Pro 2.0? Se sim acho que estou em um pesadelo ou a galera da Sony tá usando um entorpecente bem forte.

    O mais certo seria um Pro Slim sem a inclusão de novas funcionalidades (assim como foi o One Slim em relação ao modelo original) ou um modelo portátil.

    fonte: http://www.eurogamer.pt/articles/2017-05-18-rumor-destiny-2-tera-cross-save-entre-o-pc-e-ps4

    • Uma slim não requer suporte. Ela limita-se a ser mais pequena.
      Já viste alguma referência a suportes à atual Slim ou a qualquer outra?
      PS4 4K a caminho??? OMG.
      Acho que me vou reformar dos videojogos…

      • Mas se for uma slim com características que a Pro Fat não possua? Então esta slim deve ser suportada.

        Seguindo o seu exemplo com uma PS4 4K, agora nativos, deve ter suporte dos novos jogos.

Os comentarios estao fechados.