Possível conferência da E3 da Sony revelada e com grandes novidades

Uma foto de um suposto documento da Sony apareceu na internet contendo o conteúdo da conferência da Sony na E3.

Verdadeiro? Falso? Como sempre não se pode dizer. Mas um documento apareceu na internet contendo o suposto conteúdo daquela que será a E3 da Sony (ver foto no fundo do artigo)..

Novidades… algumas e bastante interessantes, sendo que é mais por elas poderem mesmo que teoricamente ser reais que resolvemos trazer aqui. E falamos de algo que vemos no meio da lista… umaa suposta aretrocompatibilidade com jogos PS2 e PS3, algo que referimos aqui à uns tempos que, mesmo sabendo-se que é de uso esporádico, se considera um valor acrescido.

Há mais novidades, nomeadamente o remake de Metal Gear Solid 3, algo que se referia como rumor de um novo exclusivo Playstation, eventualmente baseada na versão Pachinko que se segue:

Verdade ou mentira, o que acham? E a retro compatibilidade a ser verdade, interessava-vos?

 



Posts Relacionados

newest oldest
Notify of
By-mission
Visitante
By-mission

Continuo na mesma opinião remaster só tenho Tlou e Gta V… De resto não me apetece nada mesmo com grande interesse e shadow of the colossus e Uncharted Nathan Drake Colecttion, o que me pega e a ansiedade, Spyderman, Days Gone estão como prioridade, por isso a dúvida entre pagar fullprice no Detroit ou aguardar uma promoção, (mas este não me passa ao lado de forma alguma).

nETTo
Visitante
nETTo

Fake pois a Sony já declarou que havera apresentação de Ghost of Tsushima na E3 e o jogo não consta na lista do vazamento

Livio
Visitante
Livio

Eu ia comentar a mesma coisa.

Sobre a retro, como sempre falei aqui, é um adicional positivo para qualquer console, mas ao ver o histórico do posicionamento da Sony não levo muita fé. Seria uma surpresa a Sony anunciar esta funcionalidade e altamente positiva.

Mário Armão Ferreira
Visitante

Eu tambem ia por essa escolha, mas não só por aí. Acrescento pelo menos 2 pontos.
– A emulação PS3 não me parece simples no hardware da PS4
– FF VII launch Trailer implica um lançamento em breve e não creio que o jogo esteja pronto para ser lançado já!
– Metal Gear… parece-me mais um desejo do que realmente uma confirmação… mas possível era!

Livio
Visitante
Livio

Uma observação caso esta retrocompatibilidade seja verdadeira:
Não se sabe se o leitor do PS4 não lê realmente mídias em CD ou se isto é desabilitado via software/hardware, caso o leitor realmente não leia CD então nem todos os jogos de PS2 irão rodar já que existem jogos gravados em CD(Maximo Ghosts to Glory é um).

Mário Armão Ferreira
Visitante

Livio… Ler lê. Não há nada físico que impeça! É uma questão de software e Royalties…
Seja como for, acredito que caso isso viesse a existir seria pela inclusão da oferta de jogos que possuas registados pelo PSNow e incluído no preço do Plus.

Livio
Visitante
Livio

Não sabemos se realmente lê. Lembra que meses atrás estávamos conversando aqui no PCManias justamente sobre isso? Na época eu disse que duvidava que os leitores não eram habilitados a ler CD devido que os Blu-ray players são compatíveis com todas as mídias e apontei o mesmo que citei acima.

O problema é que não achei um outro aparelho que utilize o mesmo leitor do PS4, assim fica difícil afirmar que estes aceitem CD. CD, DVD e Blu-ray, cada um utiliza um feixe(laser) diferente, com comprimentos de ondas diferentes e nada impede a Sony de criar um leitor sem o feixe de CD para economizar na fabricação.

Royalties creio que não é problema visto que a Sony participou no desenvolvimento dos 3 tipos de mídia. Por isso que chamam a mídia de sonysta(e não estão errados)!!!

Agora se os hackers descobriram que o leitor do PS4 consegue ler CD eu estou por fora.

AlexandreR
Visitante
AlexandreR

Ps5 só anunciada em Dezembro ou em Janeiro/Dezembro se for para ser lançada em 2019

Ewertom
Visitante
Ewertom

O remake de metal Gear 3 me interessa e muito:este jogo para mim esta na lista dos melhores da história e nesta lista se for verdade nao refere remaster e sim um remake,que é bem diferente de remaster onde temos apenas poucas melhorias gráficas(mais em resolução)enquanto um remake é utilizado nova engine e melhorias nos controles e afins,gostei do que vi no video e se for com a qualidade mostrada….Comprado.

Livio
Visitante
Livio

E já temos uma segunda lista da E3 Sony, agora inclui Ghosts, Medievil, PUBG, Bloodborne 2 ,SOCOM e um modo VR do Spider-man.

https://cdn.gamerant.com/wp-content/uploads/playstation-e3-2018-bloodborne-2-devil-may-cry-5-leak-showcase-450×600.jpg.optimal.jpg

PS: Sem retro e com Kodera como apresentador

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Procurei uma matéria da Sony pra ser mais adequado ao que se segue

Nota sobre Detroit Became Human

Depois de Heavy Rain, Beyond Two Souls a Quantic entrega aquela bomba do Quantum break, tudo bem, errar uma vez é compreensível, os caras tentaram.

Dai vem os trailers de Detroit, aquela idéia da aurora da I.A., Kara implorando pela vida na linha de montagem, pra lá de carismática, que idéia empolgante.

Daí a gente começa o jogo, nossa que lindo, tô até emocionado, daí lá pra um terço do game (arredondando) já penso: “estou com um mau pressentimento”, lá no meio já estou convicto que vai dar ruim, então você termina o seu primeiro final e vem aquele gosto amargo na boca que nem aquele menu com a Chloe que fez os olhos brilharem feito uma estrela consegue tirar a sensação de “fui enganado”. A Kara é mais dispensável que uma pia cheia de louça suja, o Marcus… Que lástima. O enredo, nem a novela das 18 horas consegue ser tão sonífero.
Daí antes que a gente quebre a mídia do jogo, pensa logo em vender ou trocar, mas fica com um dilema ético; “vou mesmo empurrar isso pra outro ser humano?”, se eu der um chute numa lata de lixo deverá cair umas duas ou três coisas melhores que esse jogo na rua.
Pois é, o marketing deles funcionou, pena que parou por aí.

Acima, minhas impressões sobre Detroit.
Qualquer um com uma cognição saudável vai entender que é uma opinião pessoal que nada influência no cotidiano de outros.

Atualmente tentando buscar aquele 100% no God of War, jogo do ano até aqui, obra de arte, aventura maravilhosa, com sequência empolgante ao que tudo indica.
Santa Monica está de parabéns. Mais uma vez.

Reinaldo
Visitante
Reinaldo

Estou parvo com o que leio!
Não se gostar de Detroit porque o jogo a nível de jogabilidade é peculiar e acaba por ser mais uma experiência cinematográfica do que um jogo, compreende-se!
Mas ler “A Kara é mais dispensável que uma pia de louça suje” é chocante!
Chocante porque isto mostra uma realidade neste mundo semelhante a uma que o jogo nos quer mostrar. Que a humanidade está a perder o seu lado humano, e que até os robots conseguem ser mais humanos que nós nas suas decisões.

Durante anos e anos a humanidade debateu-se com o problema da escravidão. Pessoas que não eram vistas como mais do que meros robots… criadas para o trabalho e mais nada. É essa história que este jogo, de forma fantasiada, romanceada e associada à ficção científica nos traz. Uma situação que, infelizmente, e para nossa vergonha, ainda hoje, em pleno século XXI existe, e se que agudiza com historias de tráfego de seres humanos mesmo em sociedades evoluidas, numa realidade que o mundo não quer sequer falar para não chocar.

Ver que perante uma história que nos traz à baila uma temática como esta, em vez de se tecer considerações sobre o jogo como jogo, se consegue pegar numa história de descriminação e considerar que “Kara é mais dispensável que uma pia de louça suja” choca-me. Porque não só me mostra a qualidade da humanidade que temos aqui, como parece mesmo mostrar pouca capacidade intelectual e cultura a quem é capaz de fazer uma análise destas perante este tópico, ignorando todo o sentimento e realidades históricas por detrás desta estória de fantasia que tem como objectivo exactamente colocar-nos perante esses dilemas.

Este senhor consegue achar sonífero um dilema sobre o direito à vida colocado ao jogador, mostrando que se esta pessoa tivesse nascido numa era onde, tal como os robots aqui, as etnias negras eram vistas como meros objectos dispensáveis e uma raça inferior, este senhor, mesmo com os ensinamentos e toda a história que temos para trás na era atual, não ficaria chocado com tais atitudes.

Eu nem quero comentar mais este assunto. Mas às vezes acho que as pessoas tanto querem dizer para mostrar alguma coisa, que por vezes não tem sequer noção do que dizem…
Não se gostar do jogo é uma coisa. Pessoalmente, como todos os jogos da Quantic Dreams ach-o um jogo alternativo, que vale pela história e decisões morais. Mas há quem não compreenda isso… talvez porque não consegue mais.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Você entendeu mal. Não sei de onde tirou essas coisas da escravidão, o que tem a ver com a opinião sobre o game, você não me conhece e me pinta praticamente como escravocrata hahaha, desculpe mas, não dá pra não ficar espantado com tanta falta de compreensão. É meu produto, é um disco de plástico, nada mais que isso. Não se trata de discussão filosófica, se trata da análise pessoal de uma jogatina, e só isso.
Até porquê no próprio comentário pode perceber a minha satisfação em tratar desse tema o jogo, antes de perceber que não há nada de especial em como foi mostrado. Pode discordar obviamente, mas não me demonizar por não gostar de algo.

Já prevendo esse tipo de coisa, até referi no comentário que minha experiência no jogo (pois é, um jogo de videogame) não deveria interferir na vida de ninguém.