Problemas com Joy-Cons da Nintendo Switch? Infelizmente o problema poderá afectar muitos!

Recentemente vários jornalistas que tiveram acesso à Switch tiveram problema com o uso dos Joy-Con atribuido a causa a dificuldades na sincronização destes com a consola. Mas na realidade o problema não está nos aparelhos, mas sim numa série de circunstâncias exteriores.

Nota de última hora: Foram acrescentadas duas pequenas notícias relevantes sobre a consola, no final da presente notícia.

Atualmente o numero de pessoas que tiveram acesso às consola Nintendo Switch é reduzido, limitando-se basicamente a alguma imprensa especializada de maior tiragem, mas isso não impediu que já tivessem aparecido várias queixas de desincronização dos controladores Joy-Con com a consola.

O problema não afecta todos, mas afecta alguns, e daí que se tenha tentado fazer uma pequena investigação sobre quais as causas do problema. Infelizmente, o que se descobriu mostra que o problema poderá afectar muitos dos possuidores da consola.

As queixas relatadas prendem-se maioritáriamente com o joy-con esquerdo, mas os testes revelam que na realidade o problema existe nos dois, sendo que o esquerdo é no entanto mais sensível pelo facto que é ele quem normalmente controla o movimento das personagens, tornando assim os problemas mais fáceis de se detectar.



Qual a causa? Infelizmente a causa prende-se com um sinal bastante fraco emitido pelos controladores (provavelmente relacionado com o poupar da bateria). E ao ser fraco, o sinal é perturbado por uma série de factores independentes, piorando-se a situação quando estes se acumulam. Quais são esses factores?

  • A existência ou não de outros sinais na proximidade, em frequências próximas das usadas pelos controladores. Podem ser redes Wi-Fi, internas ou externas (vizinhos), sinais de rádio, sinais de telemóvel, emissores de sinal TV, etc.
  • A distância dos controladores à consola, sendo que o problema pode começar a aparecer quando distância alcança os 3 metros. Este é um valor no entanto variável, que pode ser menor dependendo da existência ou não de um ou mesmo os dois restantes factores.
  • A forma como a mão cobre o controlador. Normalmente não problemático a custas distâncias, mas que a 3 ou mais metros de distância se revela um problema, agravando-se ainda mais no caso de interferências de sinais.

Este tipo de problemas é muito pouco comum nos controladores atuais, que normalmente funcionam bem, mesmo em distâncias grandes, e menos comum se torna pela afectação com outros sinais e, pior ainda, pela forma como a mão cobre o comando.



Se nesta fase, onde a Switch está bastante limitada em número, este problema já se revelou, o mesmo deverá tornar-se numa enchente de queixas assim que a consola venda em larga quantidade.

Esperemos por isso que a Nintendo possa resolver a situação com uma actualização de firmware. Porque se não o pode… certamente as queixas deverão aparecer em quantidade.

Fiquem com um video de análise ao problema:

Nota 1: Confirmou-se recentemente que a Switch não suporta perfis audio no seu bluetooth, o que impede o uso de auriculares BT. Os headphones a usar serão assim, forçosamente, com fio.

Nota2: A Nintendo revelou um modo de performance para a consola quando em modo portátal. Nesse modo, em vez do GPU correr a 307.2 Mhz, este sobe para 384Mhz, subindo a performance dos 157.2 Gflops para os 196.6 Gflops.

Trata-se de uma situação que trará um maior consumo de energia e bateria, mas igualmente melhores performances (25%). Curiosamente este modo oferecerá melhores performances no modo portátil (720p), do que no modo mesa (1080p), uma vez que a percentagem no aumento da performance é inferior à percentagem do aumento de resolução.

No entanto o modo não é standard, apenas sendo usado pelos jogos que necessitem.

Pedimos desculpas por introduzir este dado aqui, mas dada a proximidade do lançamento, e o facto de estas serem notícias de poucas linhas, o local pareceu o mais adequado.



Posts Relacionados