Project Morpheus não é um novo periférico, é uma nova plataforma.

A Sony não vê o Project Morpheus como um periférico para a PS4, mas sim uma nova plataforma de jogos que… requer uma PS4.

ProjectMorpheus3

Olhando para a apresentação da E3, vimos que a Sony perdeu pouco mais de 3 minutos a falar do Morpheus. Mas isso não quer dizer que a empresa não esteja focada nele. Na realidade a justificação da Sony para tal é que o mesmo não é visto como um simples periférico para a PS4, mas sim uma nova plataforma de jogos que tem como base a Playstation 4.

 

A sugestão deste conceito foi dado por Shawn Layden, CEO da SCE America.

A realidade virtual para nós não é um periférico. Não é um coisa do género”aqui tens a ultima forma de interagir com um jogo”. É uma plataforma. Tem a possibilidade de criar um impacto nos jogos tal como os smartphones mudaram os telemóveis… antes era “Posso falar com uma pessoa, posso mandar um sms a uma pessoa, de que mais preciso?”. Mas depois vieram os smartphones e foi estilo… wow, posso ter essas capacidades todas na palma da minha mão? Penso que o Morpheus terá um impacto semelhante nos videojogos e no consumo de entretenimento.

O Project Morpheus sairá em 2016, e apesar de sabermos que incluirá jogos como RIGS: Mechanised Combat League e World War Toons, a empresa não falou sobre o hardware que actualmente equipa o aparelho, nem o seu preço. Sabe-se no entanto que o último protótipo possuia um ecrã 1080p a 120hz, sendo que os jogos terão interpolação de fotogramas para correrem a 120 fps.

Publicidade

Posts Relacionados