PS4 – primeiras impressões

O primeiro contacto com a PS4 foi extremamente agradável. E notoriamente a consola é uma evolução face à geração anterior.

O primeiro sentimento face à PS4 foi de… simplicidade de uso.

Antes de a consola ser ligada foi imediatamente realizada a actualização do firmware, e tudo correu às mil maravilhas, num processo simples e transparente, realizado através de uma pen drive.

Após a actualização, os ecrãs de boas vindas são tremendamente simples, configurando-se toda a consola de forma directa e sem problemas, estando mesmo disponível, logo nesta fase, opções importantes como o manter as portas USB activas quando a consola está desligada.

Infelizmente falha nesta fase a obtenção da informação sobre o MAC ADRESS da placa de rede, sendo que quem precisar desse dado terá de passar, nesta fase de configuração rápida, a configuração da rede à frente.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Para quem referia que a consola era uma verdadeira turbina a fazer barulho… esqueça. A consola não faz absolutamente ruído nenhum (eu ouvia o disco do meu PC a trabalhar, mas a ventoinha da consola não era audível), e se pensam que estrelam um ovo em cima da mesma, então irão passar fome ou comer ovos crus. Após uma hora e meia de Killzone a PS4 estava apenas ligeiramente morna.

A qualidade do grafismo 1080p é notória desde o início, sendo essa a grande diferença imediatamente notória nos jogos. As texturas e grafismo ganham uma nova vida com a nova resolução, e o resultado visual é simplesmente impressionante.

Tendo jogado na PS3 GTA V re-escalado para 1080p um pouco antes de montar a PS4, a diferença de resolução dos 1080p nativos foi claramente aquilo que mais chamou a atenção na TV LED de 47 polegadas usada.

Jogo à parte, impressiona a a rapidez com que a consola salta entre o jogo e as diversas opções do sistema operativo, com integração imediata nas diversas redes sociais, serviços de transmissão video, captura e envio de video, etc.

Tudo isto em menus simples, completos e com a informação rapidamente acessível.

Face ao XMB da PS3, trata-se de uma evolução tremenda, e com uma facilidade de integração em tudo o que é serviços que é impressionante.

Diria mesmo que este GUI bate o da Xbox 360 a nível de simplicidade de uso e acesso directo às funções importantes e secundárias da consola onde tudo é acedido de forma rápida e sem problemas.

Este contacto inicial com a consola foi bastante curto (cerca de 2 horas no total), e como tal estas são apenas primeiras impressões. Mas no global estou muito, mas mesmo muito bem impressionado.

PS4 boot

A PS4 em funcionamento. A luz Azul visível no arranque torna-se branca.

ps4 standby

A consola em standby com a sua luz Laranja. A recuperação do modo standby é quase imediata (cerca de 3 segundos).

killzone

Killzone ShadowFall

Publicidade

Posts Relacionados