PS4 terá vencido a Black Friday. E isso pode ser preocupante.

Vendas_PS4

Vários dados apontam no sentido de que a PS4 venceu a Black Friday… e isso pode ser mau para o futuro de ambas as consolas.

Antes do mais os dados:

Há vários indicadores que nos chegam que apontam no sentido de que a PS4 terá vencido a Black Friday em território Norte Americano, mas convêm notar que esta não é ainda uma realidade confirmada. Seja como for, eis os dados que tem vindo a circular.

Best Buy

A Best Buy é a maior cadeia de vendas Norte Americana e responsável pela maior parte das vendas de consolas.

De acordo com um estudo da infoscout, a empresa responsável pelos dados que deram a Xbox One como vencedora no ano passado a PS4 foi a vencedora nesta cadeia com o Bundle que incluia Uncharted:Drake’s Collection a ser o mais vendido de todos os produtos.

Amazon

Os dados da amazon são públicos e podem ser consultados. O que se viu após a black friday, e considerando apenas os produtos ligados aos videojogos, na sua tabela dos 100 produtos mais vendidos foi a PS4 com o bundle Uncharted:Drake’s Collection na primeira posição, com o primeiro Bundle Xbox a aparecer na 11ª posição.
Dentro do top 100 temos ainda mais um bundle PS4 na 15ª posição, outro na 24ª, outro na 27ª, um bundle Xbox na 31ª e outro na 36ª, novo bundle PS4 na 39ª e finalmente um novo bundle Xbox na 95ª posição.

Target

Curiosamente na Target a vencedora foi diferente. A WiiU foi a consola mais vendida! Nada foi referido quando às restantes consolas.

Mas porque motivo, a confirmar-se a vitória da PS4 (algo já dado como certo em alguns websites noticiosos), tal será mau para ambas as consolas?

A lógica é mais clara para o lado da Xbox One. A Microsoft apostou tudo para este período! Se no ano passado a sua consola teve uma quebra de preço que a PS4 não acompanhou, vencendo-o, este ano a Sony igualou os preços. E o resultado, foi uma derrota!

Ora este ano, com excepção do preço a Microsoft tinha outros argumentos. Argumentos de peso que a consola concorrente não tinha! E todos eles se concentraram neste período!

Vejamos:

  • Novo Dashboard com o windows 10
  • DirectX 12
  • Retrocompatibilidade
  • Descida de preços
  • O maior e melhor line up da história da consola
  • Forza 6
  • Gears of Wars – Ultimate Edition
  • Rise of the Tomb Raider
  • Halo 5

Em compensação a Sony avançou para este período basicamente em branco:


  • Remasterização dos três jogos Uncharted da Playstation 3 (Uncharted: Drakes Collection)
  • Acordo de publicidade para Star Wars Battlefront
  • Acordo publicitário que inclui exclusividade de 1 mês nos DLCs e os direitos sobre a modalidade e-sports de Call of Duty.
  • Descida de preços

Basicamente os argumentos da Sony eram bastante, mas mesmo bastante fracos comparativamente, motivo pelo qual a empresa avançou com a iniciativa de igualar preços.

Ora com estes resultados, mesmo que tenha sido batida por pouco, a Xbox One parece comprometida a nível de competitividade. Se com toda esta oferta não bate a PS4, o que esperar quando a Sony, que anunciou os 30 milhões de consolas vendidas, apresentar argumentos?

A questão aqui é que isso de bom não tem nada! A concorrência é algo que motiva os mercados, que impulsiona o dinamismo e que cria as oportunidades e negócios que todos apreciamos. Se a guerra das consolas ficar definida tal poderá levar a que as empresas deixem de se preocupar com os seus produtos. A microsoft deixe de investir na sua consola da mesma forma e a Sony descanse à sombra da bananeira.

O que nos vale no meio de tudo isto é que os valores de venda da Xbox One, apesar de inferiores aos da PS4, são um sucesso face à consola anterior, motivo pelo qual esperamos que a Microsoft não desarme mantendo a competição acessa. Até porque como diz o ditado Norte Americano “A coisa não acaba até a senhora gorda cantar!” (em Portugues o ditado é “Até ao lavar dos cestos é vindima”).

E sinceramente, pelos motivos expostos, espero bem que a vitória da PS4 na Black Friday não se venha a confirmar!

Fonte: Polygon, Amazon, infoscout

NOTA: A Microsoft por intermédio de Major Nelson, publicou uma série de números relativos à Black Friday, revelando que ela foi um sucesso para a Xbox One, mas não referindo que a consola terá sido a mais vendida do período.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (51)

  1. E ai Mario, vai botar alguma noticia sobre aquela vergonha da Konami com o Kojima?

  2. Mario, segundo os números semana por semana da VGchartz, o One foi o console mais vendido nos States em Novembro, mas vamos esperar os números da NPD, e pelos números vem melhorando na Europa, muito bom isso.

    • Verdade, segundo VGchartz até 28/11 o Xbox One vendeu 830.000 contra 740.000 do PS4 nos Estados Unidos. A novel mundial, PS4 venceu com 1,3 milhões contra 1,1 milhões. Independente de quem ganhou ou perdeu, foram números de vendas impressionantes para os dois.

      • Alguns dados perdidos aqui e ali levam-me a suspeitar que eventualmente a XBox One tenha, ao contrário do já anunciado por alguns sites (e neste caso igualmente do não anunciado, pois o Major Nelson não o refere) que a One tenha vencido o mês nos EUA, mesmo que por pouco.

  3. O que vou dizer é off-topic mas tem relação com uma falta de vendas do One em relação ao PS4.

    Foi anunciado que Rocket League finalmente vai ser lançado para o One, mas uma das principais características não vai estar disponivel, o cross-play.

    É um política da MS não deixar os jogos utilizarem o cross-play com outras plataformas. Essa atitude impacta na decisão de compra do usuário, pois se o One não oferece o PS4 oferece.

  4. Talvez o ditado que mais se aproxima aqui no brasil é:

    “quem tem pressa como cru e quente”

  5. Mas é o que era de se esperar,se não se confirmaar agora num futuro muitissimo breve vai se confirmar,Nunca esquecendo que na era PS2,a SONY literalmente “passeou” na geração 128 bits,o PS2 vendia muito mais que os concorrentes com muita folga, e nem por isso o PS2 perdeu em qualidade,pelo contrário, fomos presenteados com os God of war(sendo que o 2 poderia ser um jogo de ps3,tamanha era a qualidade gráfica)Ico,Shadow of the Colossus,Jak and Daxter e uma porrada de outros grandes titulos.Então pra SONY manter o sucesso do PS4 ela vai investir como investiu com o PS2

    • Ninguém diz que a aposta deixaria de existir. Apenas que não seria idêntica. E o custo de produção agora e em 1999 eram bem diferentes.

    • Vamos ver hoje que novidades temos.

      Mas, o grande problema da liderança da PS2 foi a PS3. Ter monopólio do mercado não é nada bom. E a Sony cometeu muitas asneiras com a PS3, uma delas o cobrar de novo por títulos de PS2 que foram lançados na PS3 (e não falo apenas de remasters).

      Aliás, o rumor de que a retrocompatibilidade com a ps2 vai obrigar a cobrar de novo os títulos está cada vez mais forte:

      http://www.eurogamer.pt/articles/2015-12-04-sony-confirma-que-discos-ps2-nao-serao-compativeis-na-ps4

      Ainda não é certo, mas ganha cada vez mais força. Além disso, o PS Plus tem perdido cada vez mais valor desde que a geração começou.

      É este o tipo de atitudes que o conforto na liderança e o monopólio do mercado podem gerar!

      Se a Sony deixará de entregar grandes jogos? Não acredito. Mas como o Mário diz: podem começar a rarear. E são precisamente os excluivos que me fizeram ser cliente Sony todo este tempo!

  6. Não entendo essa preocupação toda com o monopólio, PS2 reinou sozinha e foi uma geração marcante, PS4 mesmo com quase o dobro de consolas vendidas vem com grandes jogos anunciados e que logo serão anunciados(GOW 4 amanhã provavelmente).

    • Uncharted 4 vale por todos os exclusivos do one,tb Raider forza e os outros,eh impressionante o que um jogo sozinho(U4) desbanque todos os exclusivos da concorrência,o hype gerado por u4 eh tão imenso que mesmo com todas as modificações do one,o pessoal continua preferindo o PS4,uncharted 4 eh o culpado do resultado da black friday desse ano,é só vai ser lançado ano que vem

      • Pelo histórico de vendas da série Uncharted, será uma surpresa se vender tudo isso que você aposta. Os jogos que mais venderam para o PS4 nesse mês de Novembro foram Call Of Duty e Fallout, com números entre 3 a 4 vezes superiores a Uncharted NDC. No Xbox One, o único jogo que vendeu mais que Halo 5 foi Call of Duty, e a diferença é menor em relação ao PS4.
        Obs: Halo 5 vendeu mais do que Uncharted NDC, mesmo na Europa:

        http://www.vgchartz.com/weekly/42323/Europe/

        Claro, aí estao apenas os números de vendas fisicas no varejo, mas é um indício de tendências de consumo. Mesmo que vendas digitais fossem iguais a 50% do total em ambos os lados, as diferenças se manteriam.

        • Não, nem por isso.

          É que Uncharted 2 e 3 fizeram, não muito após o lançamento, fizeram parte da oferta da PS Plus, para os subscritores. O que pode representar uma enorme fatia de vendas, não contabilizadas.

          E se realmente estivessemos a falar de 50% do total, isso significa que o que está registado em termos de vendas físicas corresponde só a metade do total vendido, ou seja, estamos a falar de, para aí: 6.75 x 2 = 13,5 milhões para o jogo mais vendido da série!

          E o facto de este Bundle com o NDC, um remaster que foi lançado há já algum tempo ter tido tanta popularidade nestas vendas realmente é surpreendente. Sobretudo por ter ultrapassado Bundles com jogos novos e mais recentes (nomeadamente CoD e Star Wars Battlefront, fenomenos mundiais!).

          Não estou a tentar fazer futurologia,mas se estas tendencias se confirmarem, Uncharted 4 poderá, surpreendentemente, ser um enorme sucesso.

          Que a série tem argumentos de sobra para justificar isso, tem. São jogos de muita qualidade, que sempre que desbravaram caminho em gameplay e inovação. Mas RoTR é prova que nem sempre a qualidade é sinónimo de boas vendas.

          • Não comcordo cara,na boa Uncharted 3 pelo menos para mim me deixou deveras preocupado pois aparentemente no que toca de enredo perdeu referencia em relacao aos demais jogos da serie.Puxe pela memoria que quando anunciaram U3 um dos progarmadores do ND se demitiu alegando que estavam matando a serie.U4 tem grafismo muito bom mas pelo menos pra mim nao tem muita mudanca na mecanica que ja jogamos a 10 anos.Minha opniao blz

          • É uma opinião. Mas pode ser que Uncharted 4 te surpreenda.

            Uncharted 3, para além de ainda conseguir ultrapassar Uncharted 2 a nível gráfico, introduziu novas mecânicas e novas formas de combate, nomeadamente o combate subaquático.

            Uncharted 4, na nova geração promete ir mais além sendo que o combate irá estar mais dependente numa estratégia baseada nas plataformas a que tens acesso.

            Depois vemos quando o jogo for lançado.

            A verdade é que para mim os jogos têm estado cada vez melhores (sim a história de Uncharted 3 não foi tão boa quanto a de Uncharted 2), mas houve melhorias significativas.

          • A equipa principal da ND que fez o U2, não foi a mesma que fez o U3, pois estavam a fazer o TLOU, e notou-se na qualidade, já em relação ao U4, estou mais que descansado, é a equipa do U2 e TLOU que o está a fazer.

  7. A questão é:

    Se a diferença de hardware vendidos ficar muito escandalosa,
    isto pode motivar a Microsoft a pular para a próxima geração mais rapidamente (a Nintendo já esta trabalhando nisto).
    A Sony pode ficar dividida entre aproveitar o PS4 ou lançar mais rápido o PS5.
    Se não me engano aqui mesmo na PCMANIAS vi um comentário do Mário que está
    geração ( na sua opinião) não seria tão longeva quanto a anterior.

    • Só porque a SONY está ganhando de lavada(não sei se ai em portugual voces conhecem essa expressão,quer dizer ganhando com muita vantagem)não quer dizer que o One não esteja vendendo bem,na verdade é o console mais rentavel da MS,e a MS nunca ganhou uma geração de consoles,e pelo visto não vai ser nessa que ela vai ganhar o titulo de console mais vendido,então eu acho que vocês estão a fazer tempestade num copo d’agua

      • A notícia não aborda a questão na vertente empresarial, mas na do cliente (a única que nos interessa) fazendo ver que há mais vantagens para nós numa guerra acessa do que com os lugares definidos. Não está em causa que a One é, face à 360, um sucesso.

      • Comentários assim é algo que dou risada,unidades vendidas não significa que lucrou mais, este ano a MS está a lucrar mais q a Sony rapaz pesquise.

    • Independente das vendas, essa geração será mais rápida que a geração passada, não tenha dúvidas. A evolução da tecnologia obrigará isso. A geração passada foi lançada com inovações de design sobre potencia de topo. A geração atual foi lançada com inovações de design em cima de baixa potência.
      Existem rumores de que a proxima geracao vem em 2018 pois nessa época a AMD já teria tecnologia para fornecer APUs com 5x mais desempenho mantendo o mesmo consumo de energia e geração de calor das APUs atuais.

      • Pode ser que por volta de 2018 os chips já existam… Mas vai demorar mais algum tempo até que as novas consolas sejam lançadas. Isto porque a necessidade de nova tecnologia não é motivada pelo lançamento de novos chips, mas pelo que se conseguiu fazer com eles. E como temos visto as novas consolas são caixinhas cheias de segredos.

        • Sério?
          Até hoje, depois de 2 anos depois não vi segredo algum além de otimizações para fazerem coisas que o PC já pode fazer.
          Não se apega ao plano de 10 anos da Sony pró console dela por que é balela. Uma geração nunca foi tão anêmica quanto essa.
          Na geração passada, o Xbox 360 foi o primeiro console lançado e em sua época, ele era o sistema que possuía a melhor e mais potente GPU do mercado, isso comparado a um PC, sem contar que ainda introduzia uma nova arquitetura, ou seja, eram centenas de possibilidades.
          Nos dias de hoje, seria como se um console fosse lançado com alguma coisa do nível de uma GTX Titan.
          PS4, o primeiro console da geração foi lançado com 1/4 de potência da melhor GPU existente e com uma arquitetura de dois anos de idade.
          Não importa se o GPGPU não foi explorado ainda como pode ser, quando isso se tornar padrao, qualquer PC Gamer montado em 2012 com uma placa da AMD vai fazer igual ou melhor graças a DirectX 12 e Vulkan e aí essa geração acaba por que no Xbox 360 e no PS3 a pedra dava leite, como ainda vemos no 360 até hoje, já que muitos dos seu conceitos foram de uma arquitetura pré GCN baseada em GPUs multi thread que também é algo que só foi ser melhor explorado anos depois.
          Nessa geração é tudo diferente e não existe exatamente nada que alguém possa apontar como o molho secreto que não existe no PC, nem mais as APIs de baixo nivel.
          5 anos é o período certo, como costumava ser antes de Xbox 360 e PS3.

          • Sério?

            E tens reparado que quando os jogos são feitos com as consolas em mente acabam por dar barraco no PC? Se não me engano já tivemos 2 casos… e o primeiro deles ainda não foi resolvido.

            As consolas têm arquitetura PC, mas isso não significa que a comparação seja tão trivial quanto pensas. A começar pelo facto de que num caso tens todo um hardware pensado para correr jogos (com um SO específico que não o sobrecarrega), e num PC tens muito, mas mesmo muito hardware desperdiçado.

            Afinal foi preciso esta geração chegar que mesmo com hardware de 2 anos, têm deixado todos de boca aberta. Afinal Ryse foi um salto face a a Crysis 3.

            Quanto ao gpgpu chegar a padrão, estás a ver a coisa da perspectiva errada. Antes de chegar a padrão precisa de ser desenvolvida, e isso ocorrerá nas consolas. E se tens acompanhado o site, sabes perfeitamente que isso implicará o desenvolvimento de novas técnicas de programação.

          • O GPGPU tem grandes virtudes, mas está longe de ser aproveitado. Se se lembram de ler o artigo da Ubisoft que comparava o GPGPU nas diversas consolas usando umas bailarinas animadas por CPU e GPGPU, lembrar-se-ão igualmente que eles explicam que na realidade a bailarina é calculada como se fosse um shader. E esse é o problema. O GPGPU calcula tudo, mas está verdadeiramente optimizado é para grafismo pois o processador é gráfico. Isso implica que se tenha de deixar de pensar num cálculo tradicional, pensando-se em como conseguir fazer a placa calcular aquilo que se quer como se fosse um shader. E isso é uma das complexidades da optimização do processamento do GPGPU.
            Para piorar a coisa, nem tudo pode ir para o GPGPU pois o CPU tem de controlar o cálculo uma vez que continua a ser ele quem gere o sistema. Nesse aspecto a AMD tem vindo a apresentar técnicas cada vez mais avançadas que permitem ao GPGPU prescindir do CPU. A empresa tem vindo a renovar linguagens de programação e avançou mesmo com uma iniciativa nesse campo (a iniciativa Boltzmann) onde propõem uma linguagem que unifica o GPGPU ao já mais conhecido e utilozado CUDA da Nvidia. A AMD afirma mesmo que atualmente já corre 90% do código CUDA.
            O grande entrave ao GPGPU está na Nvidia. Não só a empresa não está muito interessada nele pois como já referi aqui, as suas placas tem problemas com o código assíncrono do GPGPU, como também não está muito interessado em ver o seu já conhecido e versátil CUDA (que executa em série e não assincronamente) a ser suportado pela AMD (que provavelmente até o calcula de forma assincrona) pois tal poderia colocar em causa o seu programa Gameworks e levar a vantagem do CUDA para o lado da AMD.
            A AMD tem feito imenso pela evolução da tecnologia, mas infelizmente a NVidia tem a liderança do mercado devido às suas jogadas que lhe garantiram e garantem melhores performances no código em série. Como se discute num thread que acompanho num fórum, se fosse apenas a AMD no mercado, a nova geração já poderia ter começado à vários anos, mas outros interesses fizeram com que isso não acontecesse. Agora o que vemos são placas com vários anos da AMD com suporte DX12, e as NVIDIA a suportar o mesmo pelo feature level mínimo, sendo que mesmo as mais recentes e que anunciam o máximo, dão-se mal com o GPGPU. Infelizmente os fanboys e fanáticos da performance levaram a que a AMD esteja mal financeiramente, e se um dia fechar não só vamos pagar placas a 1000 euros como a NVIDIA gosta, como vamos tecnologicamente estagnar pois a NVIDIA não tem feito metade do que a AMD está a fazer para desenvolver o GPGPU que é o futuro.
            Valha-nos as consolas que espero venham a forçar a sério o seu uso e desenvolvimento.

      • Cara,estou rindo muito aqui do seu coment.Fernando realmente sua piada foi muito boa.PS3 e 360 eram mais potentes que a maioria dos computadores matriciais,um pc top(nem precisava ser da nasa) apenas ser o melhor do mercado,trucidava com as duas mãos e os dois pés nas costas o 360 e o ps3,só houve duas gerações em que os consoles foram mais poderosos que computadores: a turma dos 32/64 bits(ps1 e n64) e a turma dos 128 bits(ps2,dc,Xbox,gc) na era play1 os gráficos 3D decentes eram um luxo dos consoles,pcs eram segundo escalão pra jogos,na era 128,essa foi a gen mais poderosa de todos os tempos até ps2 e dc que eram os mais fracos tinham poder mais que o suficiente pra desbancar os melhores pcs,mas dai do meio pro fim do reinado ps2 os computadores ganharam uma atenção tremenda, e investiram mais nos pcs q dai por diante passaram a ser invencíveis

        • Talvez VC não saiba, ou quem sabe sua idade não permita saber que a geração passada começou em 2005 e quando foi lançado, o Xbox 360 era mais poderoso que um PC top do mercado, além dele ter estreado a arquitetura de Shaders unificados da ATI que posteriormente foi comprada pela AMD. Além disso, um CPU Triple Core com 3,2GHz era algo também nunca imaginado para época, e só pra você saber, a arquitetura Core 2 da Intel, que tinha o Core 2 duo e o Core 2 quad só foi lançada no ano seguinte, 2006. Antes disso, a melhor coisa que você podia comprar pro seu PC era um Intel Dual Core que não passava de 2 Pentium 4 fundidos em um chip e mal explorados por falta de aplicações que trabalhassem devidamente com multithread.
          Então camarada, diferente de toda a besteira que você disse, pois na geração do PS2 eu tinha um PC de média gama que batia o PS2 em todos os jogos e tinha exclusivos com gráficos que eram inimagináveis num PS2 (Doom 3, Half Life 2), a geração passada foi a mais avançada que existiu e olhe para Rise of the Tomb Raider no Xbox 360, a árvore ainda da fruto…

          • http://i.imgur.com/T4VfxWR.jpg
            Para te dar razão, Fernando!

            Mas atenção que a PS2 não era exactamente muito inferior aos PCs da altura… O seu GPU é que era diferente do normal e se revelava comparativamente inferior dando uma ideia geral errada!

            PS: A PS experience foi um barrete.

          • A supremacia da Xbox 360 nem um ano durou…

            Quando a PS3 saiu, já ambas estavam ultrapassadas pelo que não faz diferença.

            Neste aspeto, o Vitor não está errado.

            E no entanto a geração durou 8 anos e ainda hoje estamos a ver muita coisa ser conseguida com esse hardware. E tu como muito bem dizes, dizes que esse hardware ainda dá frutos. Pena que não queiras ver o novo hardware da mesma forma, por alguma razão.

            PS – Foi mesmo um barraco. Esperava alguma coisa para a Vita, nada, só restos. Mas mesmos os restantes títulos não têm interesse nenhum. A Sony para todos os efeitos teve 3 conferências repletas de novidades, mas realmente face aos rumores, pariu um rato. Não entendo sequer o porquê desta conferência. Se não têm nada para mostrar que fiquem quietos.

          • Salvou-se o Ni No Kuni II, o Ace Combat 7 (adoro a série) e o Paragon! Foram as únicas novidades de peso… Se bem que preciso ver mais do último!

          • A supremacia do Xbox 360 no paopel durou um ano, lado pois a tecnologia de PC evolui mais rapido, isso é fato. Porém, PC não tem a mesma otimização, entao, apenas em 2007 foi possível ter uma prova clara de que o PC estava a frente de novo, isso graças ao Crysis, que era tão avançado que mesmo os PC ainda não estavam preparados para executar o jogo em toda plenitude.
            E como comparação, o PC só vejo a ser 3x mais poderoso que o Xbox 360 entre 2008 e 2009, 3 anos depois do lançamento. A geração atual começou com o PS4 3x abaixo do PC.
            Imaginando que essa geração terá o nível de otimização da geração passada, a partir do ano que vem, e levando em consideração que os consoles anteriores seguraram 8 anos e a geração atual começou com 3 anos de desvantagem, a conta fecha em 5 anos de geração antes da chegada de novos consoles.

          • O que dizes é tudo verdade. Mas eram outros tempos. Ser mais poderoso pode não ser significativo. Atualmente sim, os PCS são mais poderosos, mas que jogos conheces que exploram isso? E face à geração anterior onde os PCS eram mega ultra poderosos, o que viste? Viste algum jogo com a qualidade de Uncharted? De The Order 1886? The Ryse Son of Rome?
            Ser apenas poderoso não é tudo. E não é preciso ser mega poderoso para se ter bons jogos. As consolas possuem potencia estudada pelos engenheiros da Microsoft e Sony (aqueles que quando alguem fala de alguma coisa da consola comparativamente à outra aparecem sempre á cena como sendo muito inteligentes, mas que depois com estas coisas acabam por ser corridos a burros por terem escolhido este hardware), e mais do que suficiente para nos dar bons jogos. Aliás grande parte da potencia das consolas está intocada e só com o GPGPU a verás.
            Acima de tudo há que se perceber duas coisas:
            1 – As consolas possuem potência mais do que necessária para nos dar bons jogos.
            2 – As consolas não são PCs e não os tem de acompanhar na qualidade gráfica. Há por isso que se programar para a realidade das consolas e não para a dos PCs ajustando depois o jogo, com cortes, para as consolas.
            O mercado PC está em crescimento e dá mais dinheiro do que o das consolas. Mas essa é uma realidade muito enganadora! Vês os relatórios de uma EA ou Ubisoft, ou Take Two, ou mesmo os números de venda da maior parte dos titúlos e o que vês? As consolas primeiro, o PC depois! Como se explica isso? Porque o PC dá mais dinheiro, mas a muito mais intervenientes, e no global o que cada um tira acaba por ser menos do que se tira no mercado das consolas. E é isso que as empresas tem de perceber, que está na altura de se ajustarem pois se esse mercado lhes foge, os lucros vão por água abaixo.

          • E parra uma nova geração acontecer está muito mais fácil agora que se definiu a arquitetura x86 como um padrão. Tudo dependeria apenas dos avanços que a AMD fizer na tecnologia de suas APUs, e ela tem se concentração muito nisso.

          • Mas isso já tens Fernando. Chama-se PC e todos os anos sai uma geração mais potênte.
            Estou a forçar a barra, claro, mas é para perceberes que quando as gerações de consolas tiverem vidas curtas elas deixam de fazer sentido. Uma consola distingue-se de um PC exactamente pela vida útil.
            No PC compras hardware, e o resto… É o que vier.
            Numa consola o que compras é uma garantia de suporte para jogos First Party , e uma vida útil larga.
            É isso que faz as pessoas comprarem consolas! Sinceramente acho que 6 anos já oferecem essa garantia… Daí para a frente… Depende do sucesso da consola!
            Menos que 6 só entendo em casos de insucesso como a WiiU ou por necessidades extremas de competir com concorrentes. Mas uma coisa é certa, não vais ter clientes satisfeitos, especialmente em serviços como o Live e a PSN+ onde para teres ofertas decentes tens de ter um mercado de jogos com quantidade

          • Ps3 foi lançado em 2006 e já em 2007 foi lançado um jogo que era IMPOSSÍVEL rodar no 360 e no ps3 mesmo no Very low,o jogo que esmagou os consoles x360 e ps3 q falo eh o Crysis,vc tinha um pc melhor que o ps2? Duas coisas: vc comprou seu pc quando eles receberam sua devida atenção, e outra eh que o ps2 era o console 128 bits mais fraco,seu pc não chegava nem perto de um Xbox ou um gc.x360 tinha coisas em seu lançamento que pcs não tinham,beleza,ps4 tinha coisas em seu lançamento que nenhum pc tinha como os 8gb gddr5, comparar o poder de fogo da geração 128 bits com o da ps360 eh q nem comparar o poder de um Ctulhu super sayadin nível 9 contra um rato raquítico

          • Vai dar ao mesmo. A vantagem no PC iniciou-se logo no inicio da geração passada. E já no mesmo ano do lançamento da ps3, por preço muito inferior muitas publicações recomendavam certas configurações capazes de rodar os mesmos jogos.

            O que ainda agrava a coisa, porque ao contrário desta, a geração anterior nem o fator preço tinha do seu lado. E no entanto, 160 milhões de consolas foram comercializadas e não só: foram precisos 8 anos para as sucessoras saírem. Terá sido porque o hardware demorou assim tanto a ser desenvolvido? Bem sabemos que não. Como tu mesmo dizes, já em 2008/2009 havia, nos PCs hardware superior. Já nessa altura poder-se-iam ter feito novas consolas. Mas a questão é: não havia necessidade.

            É que por um lado tens a tecnologia de ponta. Do outro lado, tens a tecnologia que é necessária. O PC tem sempre a tecnologia de ponta. Mas são as consolas que têm levado ao desenvolvimento de novas tecnologias de programação. E que assim o continuarão a fazer. Dreams é apenas um primeiro exemplo. Uncharted 4 já começa a revelar algumas coisas. Mas ainda há muito mais.

            E são as consolas que irão liderar o caminho com o PC atrás. Como sempre fizeram.

            Não importa que haja hardware mais poderoso. Capacidade de aproveitamento em pleno dessas capacidades só será possível com o processo que as consolas irão liderar.

    • Esse foi justamente o mesmo comentário que fiz no fórum, caso o One não se saia bem em novembro e dezembro qual seria a atitude da MS?

      Abandonar o One e já lançar um novo console junto com Nintendo(lembra do boato da AMD para 2018)?

      Migrar os exclusivos do One para o PC, já que é uma área dominada pela MS e os jogos são mais compatíveis com Windows do que com o Linux?

      • Agora num off topic. Alguém tem Uncharted Drakes colection que me possa fazer um share play e me dar acesso à Beta de Uncharted 4? (Pedido para apenas membros do fórum).
        E estou decepcionado com as visitas ao fórum, especialmente por estar disposto a partilhar com vocês conteúdo do meu livro na área privada e ninguém fazer comentários.

        • Mário, eu tenho o Drakes collection. Posso fazer shareplay com você, agora minha net não é lá essas coisas, mas podemos tentar.

          Só marcar o dia e ao hora para jogarmos.

          Qualquer coisa deixa uma mensagem pela psn pq assim tenho como responder pelo celular. 😀

        • Pô Mário eu me interessei, gosto de Phillip K. Dick, Arthut Clarke, no momento estou lendo a Trilogia Thrawn, mas vou querer ler seu material, o problema é tempo, mas daqui uns 20 acho que to tranquilo.

      • Ele se saiu bem. As vendas estão altas e os lucros aparecerão. Abandonar a geração tao cedo nao deve estar nos planos da MS principalmente por 2016. Tanto tempo antes da e3 e já tem vários jogos exclusivos anunciados:

        Quantum break, recore, scalebound, gears 4, sea of thives e crackdown 3.

        Ao contrário da nintendo que está prestes a abandonar o wiiu pois ele vende pouco tanto consoles quanto jogos.
        Abandonar a geração só por que não vai terminar em primeiro não existe. Abandona a geração se da lucro ou nao. Quando a sega anunciou o abandono ao Dreamcast tão prematuro, foi um choque pq o console não vendia verdadeiramente mal, mas dava prejuízos e daria ainda mais com o passar do tempo.

  8. Mesmo que o PS4 tenha vencido a Black Friday, o Xbox One vendeu mais que no ano passado. Eu acho que com o preço do PS4 estando convidativo, ele sempre vendera mais.

  9. Concordo com tudo.

    Se realmente esses valores se confirmarem, o caso está mal parado.

    A Xbox devia ter vencido esta quadra, pelo menos nos EUA e por larga margem. Primeiro, porque o merece. Segundo porque ofereceu argumentos de peso para o conseguir.

    Mas se as vendas estão boas, a MS pode considerá-lo um incentivo para fazer mais e melhor.

  10. Então, já saiu na Eurogamer um artigo informando que o PS4 foi o que mais vendeu em novembro nos EUA. Este deve ser um dos motivos da MS baixar U$50,00 no preço do One

  11. Não só ganhou mas com valores históricos…. Nunca uma consola da Sony tinha vendido tanto em território Norte Americano!

    E como verás hoje de tarde com o artigo que vai entrar… isso é mau para todos!

    • Não seria se a atitude da Sony agora, fosse a mesma que teve quando lançou a PS2. Pena que refira tanto a PS2, especialmente prestando-lhe homenagem no design da caixa da PS4, traga a retrocompatibilidade com essa consola, e tome uma atitude completamente oposta. Que desilusão.

Os comentarios estao fechados.