Qual a liberdade dos programadores face à paixão quase fanática que há na internet?

Há uma realidade com que os criadores de software tem de lidar. As pessoas são “apaixonadas”.. E alienar a sua base de clientes não é uma boa opção, podendo trazer mais prejuízos do que benefícios. Infelizmente isso tira-lhes a liberdade de acção.

witcher3

A Project Red está agora na baila. O motivo? Um conteúdo adicional acrescentado exclusivamente à versão de coleccionador da Xbox One.

A Projekt Red, criadores de The Witcher 3, anunciou que a versão de coleccionador do seu jogo disponível para a Xbox One iria incluir a mais do que as restantes versões um pano com o mapa do jogo e um jogo de cartas, e tudo isto ao mesmo preço das restantes versões. E a situação gerou a fúria entre os possuidores de PCs e consolas PS4 que referem que não aceitam pagar o mesmo… por menos.

Torna-se difícil à primeira vista saber se há ou não razões para esta queixa apenas baseando a análise no conteúdo. Afinal jogos com conteúdos adicionais exclusivos para a plataforma A ou B são muitos. Mapas exclusivos, adornos exclusivos, missões exclusivas, etc, são basicamente prática corrente no mercado. Elas existem e os jogo custam o mesmo nas versões que possuem esses extras e nas versões que não as possuem.



A diferença aqui é que o conteúdo não é digital… é físico. E como diz o ditado, o que os olhos não vêem, o coração não sente. Infelizmente aqui os olhos vêem… pelo que o coração sente.

O conteúdo extra é… pouco interessante. Mas uma coisa é vender as laranjas mais doces (conteúdo digital extra) a certo clientes, pois quem compra as restantes não tem consciência directa e visual que as suas laranjas não são tão doces. No entanto se o seu cesto estiver mais vazio do que o do cliente do lado que está a pagar o mesmo… Alto lá!



Percebe-se por isso que, apenas por esse facto, possa haver um certo descontentamento com a situação. Mas no entanto esse nem é o maior motivo da revolta dos queixosos.

O grande problema é que os utilizadores consideram que a Projekt Red mentiu de forma descarada!

Efectivamente, numa entrevista à Eurogamer a 20 de Maio, com o co-fundador da empresa, Marcin Iwinski, este foi questionado directamente sobre conteúdos exclusivos. Passamos a citar a questão:

Está a CD Projekt Red prestes a anunciar algum acordo de exclusividade com os responsáveis por alguma das plataformas?

A resposta foi dada de forma pública para que todos a pudessem ouvir:

Estamos a tratar todos os gamers da mesma forma. Não iremos entregar conteúdo exclusivo para qualquer plataforma, nem artificialmente atrasaremos o lançamento do jogo em qualquer plataforma porque alguem nos está a pagar dinheiro para isso. É definitivamente contra os nossos valores. Não faremos isso.

Mas eis que agora surge um exclusivo no conteúdo da versão de coleccionador Xbox One.

Convenhamos que não é um baralho de cartas, ou um pano, ainda por cima numa edição limitada de coleccionador,  que vai fazer verdadeiramente diferenças, mas torna-se claro que com a sua falta de transparência a Projekt Red alienou bastante clientes que ameaçam agora cancelar as suas pré-reservas por deixarem de confiar na empresa. E com a paixão exacerbada, quase fanática  que há na internet…

Mas sinceramente… justifica tudo isso por umas cartas e um pano a mais em uma versão limitada?

Fonte: Gameidealist

 



Posts Relacionados