Realidade virtual. O futuro dos videojogos?

É difícil de prever o que será o futuro dos videojogos. E a realidade virtual não nos parece que reúna as condições para o fazer. Mas que ela bate tudo o que já foi feito até hoje… isso sem dúvidas!

Continuo a dizer, a realidade virtual necessita de ser usada com moderação. Não prevejo longas sessões de uso da mesma, e o seu uso, se não for moderado, poderá acarretar graves prejuízos para os olhos. Para além do mais, a realidade virtual pode causar confusão a certas pessoas pelo facto de os restantes sentidos não acompanharem aquilo que o cérebro está a ver.

Apesar de pessoalmente me sentir bastante confortável com o uso de óculos de realidade virtual, não posso negar que senti extremo desconforto, e mesmo náuseas fortes, quando experimentei o Driveclub VR. A sensação de velocidade era fantástica, mas as travagens e as curvas, não acompanhadas pelos restantes sentidos do corpo causam enorme desconforto. Digo que se não tirasse os óculos da face, poderia mesmo vomitar.

Mas de resto tenho experimentado tudo sem grandes problemas. E posso dizer que estou maravilhado com o VR. Mais especificamente, com o Playstation VR!

A experiência VR é impossível de ser descrita. Podia tentar explicar aqui e não ficava nem perto de conseguir descrever o que aquilo é! Se já alguma vez usaste uns óculos VR para veres filmes 360 graus no teu telemóvel, então… ESQUECE! É que não tem nada a ver!

Usar os óculos VR dentro de um universo 3D é algo fantástico. A sensação de se estar lá é… completa! O universo existe à tua volta, tem volume, e reage de acordo com os teus movimentos, sendo que podes interagir com ele. É qualquer coisa, e uma sensação que ver videos no Youtube não consegue de forma alguma traduzir.

Quem já usou óculos 3D na sua TV sabe como o efeito de profundidade e volume pode existir. E ali temos exactamente o mesmo! Mas a diferença é que não estamos limitados à dimensão do ecrã. Estamos dentro do mundo, e ele rodeia-nos! É como se tudo existisse!

O mais fantástico é a forma como podemos interagir com ele, mas de forma pura e simplesmente perfeita! Apontar uma arma é um movimento natural, alcançar um objecto é um movimento natural, tudo soa a natural. Os movimentos do corpo traduzem-se em igual distância de movimento no mundo virtual, pelo que, por exemplo, alcançar uma gaveta, corresponde a um movimento de braço ajustado à distância que vemos. Tudo bate certo e nada é anormal, sendo que os comandos MOVE da PS3 são as ferramentas adequadas e ergonómicamente adaptadas a tudo isso. São basicamente perfeitos para este tipo de situações!


Depois dentro dos jogos há sensações para todos os gostos. Jackal Assault e Battlefront – X-Wing mission VR metem-nos dentro de uma caça espacial e a sensação de estarmos realmente nesse universo e dentro do cockpit é pura e simplesmente gigante. Podemos interagir com os comandos, pressionar as teclas, espreitar para os lados, para trás, etc. Acreditem… é surreal!

Driveclub VR faz o mesmo com os automóveis. Ali temos os interiores dos carros como se fossem reais, e com os mostradores plenamente funcionais. Infelizmente aqui o jogo perde qualidade face à versão standard, mas também precisamos de ver que estamos perante um jogo que foi problemático, que não tem já suporte, e cuja equipa de desenvolvimento já não pertence à Sony tendo abandonado o desenvolvimento desta versão VR à algum tempo.

Mas experiências como Batman: Arkham VR são a nata da nata! Aqui somos o Batman, sentimos-nos o Batman, podemos usar os gadgets do Batman, e mesmo ver as suas naves e automóveis. Pena que a equipa não nos tenha deixado entrar dentro deles, e que a experiência seja curta, mas o VR é ainda um produto acabado de aparecer. Mesmo assim, este jogo é das experiências mais fantásticas que já experimentei com o VR.

O que posso dizer é que estou vidrado no VR. Resoluções 4K, HDR ou outros… tudo isso são migalhas à beira do que o VR pode oferecer! E poder experimentar isso nesta fase… é algo de fantástico. E o futuro, mesmo que possa vir a ser  adaptado e ajustado, certamente passa por aqui.

 

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (14)

  1. Realmente o PS VR é viciante e sempre me impreciono com sensação de estar dentro de um jogo, mas ao jogar da para perceber que não dá para todos os estilos de jogos serem jogados no VR porque a jogabilidade muito rápida como a de um jogo de tiro FPS causa náuseas, não sei sei se é por limitação de hardware ou é problema da realidade virtual. O PS VR trabalha com 90 frames com reconstrução temporal porque o PS4 envia os jogos para o PS Vr a 60 frames.Oque tenho lido a respeito é que o mínimo exigido para uma boa experiência de realidade virtual são os 90 frames que o PS VR consegue mas o ideal seriam os 120 frames.
    Talvez esse não seja o problema porque o meu irmão joga no PS VR e não sente absolutamente nenhum enjôo ou incomodo. Jogos como o Drive Club VR me embrulham o estômago com o tempo e é uma sensação muito ruim e por isso jogo o Drive Club VR com moderação e tenho percebido que estou conseguindo aumentar a minha resistência a esses incômodos ao poucos e cada vez aumento o meu tempo de gameplay. Outra coisa que estou percebendo é que não sinto qualquer fadiga visual acima do normal jogando no PS VR,e esse era um dos meus maiores medos porque não me adaptei bem ao 3D em tvs, após assistir um filme meus olhos doiam e ficavam extremamente irritados chegando até a estourar alguns vasos nos meus olhos e por isso tive que abandonar a tecnologia 3d apesar de ter ficado muito impressionado ao jogar Shadow of Colossus no PS3 em 3D.

    • O shadow of the Colossus existe a 3D na PS3? Em que versão? Eu tenho a HD e a ICO colection… é em alguma delas? Nunca reparei! E se é, quero experimentar!

      • Existe sim Mário, é na HD Collection(Ico & Shadow), cheguei a jogar o speedrun do Ico com o 3D e foi um dos poucos jogos que gostei ao usar a tecnologia. Ainda não testei o 3D com Shadow.

        Ainda não experimentei o VR, um dia vou em algum shopping testar um dos brinquedos que usam o VR a base de smartphone onde a pessoa “passeia” em uma montanha rusa. Sei que não vai ter a mesma qualidade que o PSVR, mas pelo menos terei uma noção.

        Há somente uma tecnologia que talvez possa desbancar o VR, é a realidade aumentada (RA). Fiquei admirado pelos vídeos teaser do Hololens e seria um trunfo da MS se popularizasse a tecnologia e a deixasse já disponível para o Scorpio. Porém não sei se o RA daria a mesma imersão que o VR oferece.

        • Não sei se terá! Porque necessitas que haja sensação de volume e não apenas de imersão.
          Essa situação só a constatas em jogos e não em videos. Se essa demo for criada com um motor de jogo dará essa sensação. Senão é uma borrada!

      • É na versão HD colection mesmo, pode testar que o 3D é muito bom até hoje eu lamento por não ter podido jogar rejogar o Shadow of Colossus por inteiro em 3D. Esse foi um jogo que me marcou muito no PS2.

  2. Também achei muito interessante a realidade aumentada que a Microsoft apresentou a um tempo atrás mas acho que o preço e a tecnologia nevessaria será o grande limitador dessa tecnologia, hoje eu considero a realidade aumenta como a do video da Microsoft somente um conceito.

  3. Mario não sei se já jogas-te um jogo não vr no ps vr, se não e se tiveres aconselhava-te a jogar (se o tiveres claro) o ultimo call of Duty no modo cinema do ps vr
    no outro dia e com a tv ocupada decidi jogar call of duty no ps vr, pois já e acredita que para o meu espanto quando entrei no jogo no momento em que fazia mexer o jogador ate parecia que estava num jogo vr

Deixe um comentario

O seu e-mail nao sera publicado.


*


CAPTCHA

*