Restaurante de Nova Iorque resolve mistério ao visualizar câmaras de segurança.

Os tempos mudam… as tecnologias também. E antigos vídeos de vigilância permitiram perceber um mistério que atormentava os donos de um restaurante cuja clientela… não aumentava.

Young woman texting while eating sushi in a restaurant

Eis uma história curiosa que revela bem como os tempos, as tecnologias e os hábitos mudam.

Um popular restaurante de Nova Iorque está no mercado à vários anos, tendo feito várias remodelações no sentido de melhorar os serviços e aumentar a quantidade de clientes servidos. No entanto, apesar de o restaurante estar sempre cheio, as receitas não aumentavam, e o número de clientes também não. E foram uma velhas câmaras de vigilância que permitiram resolver o mistério.

Para tentar perceber o motivo pelo qual, apesar de o restaurante ter crescido, contratado mais empregados e estar sempre cheio o volume de negócios e número de clientes não aumentava, este restaurante de Nova Iorque resolveu ir verificar as queixas dos clientes.



As queixas eram efectivamente de que o serviço era lento, algo fácil de ser constatado dado que havia mais funcionários mas não havia mais clientes apesar de o restaurante estar cheio. Mas o que levava a isso?

Verificando umas velhas gravações de video-vigilância já com 10 anos foi possível ver-se o que acontecia quando o cliente entrava no restaurante.

– O cliente entra.

– O cliente é sentado e recebe o menu. em 45 clientes, 3 pediram para mudar de lugar.

– O empregado aparece para receber o pedido o que acontece quase instantâneamente.

– A comida demora em média 6 minutos a ser entregue.

– Os funcionários acompanham a mesa por necessidades.

– Os clientes comem, pedem a conta e demoram em média 5 minutos a sair.

– Tempo médio do cliente no estabelecimento: 1h 5m.

Mas agora em 2014 a coisa é bem diferente:

. O cliente entra.

– O cliente é sentado e recebe o menu. Em 45 clientes, 18 pedem para mudar de lugar.



– Ainda antes de abrirem o menu, os clientes tiram os telefones do bolso, e realizam actividades diversas com eles.

– 7 em 45 clientes chamam o funcionário a quem mostram o telefone e gastam 5 minutos do tempo do empregado. Os funcionários foram questionados sobre o que se passava nessas situações, explicado que se tratam, de problemas de conectividade com a rede Wi-Fi do restaurante.

– Os funcionários vão à mesa receber o pedido. A maioria deles ainda nem abriu o menu e pede ao funcionário mais tempo.

– Os clientes abrem os menus, mas pegam novamente no telefone e voltam a usa-lo sem ler o que lá está.

– O funcionário regressa. O cliente pede mais tempo.

– O cliente pede.

– Tempo médio desde a entrada do cliente ao pedido: 21 minutos.

– A comida demora em média 6 minutos a chegar.

– 26 de 45 clientes tiram fotografias da comida perdendo em média 3 minutos.

– 14 de 45 clientes tiram fotos uns aos outros com a comida. Em média perdem 4 minutos caso não tirem novas fotos.

– 9 de 45 clientes deixou a comida arrefecer e manda-a para trás para aquecer.

– 27 em 45 clientes pedem aos funcionário que tire uma foto do grupo. 14 deles pedem para tirar outra. Em termos médios o funcionário perde 5 minutos sem servir com este processo.

– Em média o tempo perdido com os telefones é de 20 minutos antes de acabarem de comer e pedirem a conta. Após receberem a conta gastam ainda em média mais 15 minutos com o smartphone antes de pagarem e saírem.

– 8 em cada 45 clientes choca com outro cliente ou com um funcionário por ir a mandar mensagens enquanto sai do restaurante.

Tempo médio do cliente no restaurante: 1h 55 minutos.

Como diz o dono… Agrademos a todos que vem ao nosso restaurante e nos prefere sobre os outros. Mas por favor tenham mais consideração.

Fonte: Dineability



Posts Relacionados