Retalhistas não querem nem Google Wallet nem Apple Pay. Querem o Current C

Vários retalhistas estão a fechar os seus serviços que permitem pagamentos com o Google Wallet e o Apple Pay. O motivo é que não querem que nenhuma das tecnologias se torne standard, preferindo uma terceira.

Ainda antes de a Apple ou a Google serem sequer consideradas no mercado dos telemóveis, várias dezenas de retalhistas pensavam numa medida que permitisse os pagamentos com os telemóveis.

O Google Wallet foi a primeira iniciativa dentro do género, fazendo uso do NFC dos smartphones, mas o que se viu foi uma grande resistência dos retalhistas em adoptar a medida, o que levou facilmente a perceber que sem a ajuda de um sistema semelhante da Apple, este tipo de pagamentos nunca avançar.

Pois bem, o Apple Pay está aí e rodeado de uma grande onda de entusiasmo, pelo que a Google pode agora aproveitar a onda para revitalizar o seu serviço. Mas infelizmente parece que isso não vai adiantar nada!

Recentemente, nos Estados Unidos, país onde a implementação do NFC está mais avançada, viu-se uma série de retalhistas a fechar os seus sistemas de pagamento por NFC, sejam eles o Google Wallet ou o Apple Pay. Rite-Aids, CVS, 7-Eleven e muitos outros introduziram um novo sistema que apesar de ser perfeitamente capaz de lidar com os pagamentos NFC destes serviços, possuem localmente a opção para os aceitar desligada.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

currentc-retailers-logo

A questão é que 7-Eleven, Rite-Aid,e CVS são parte de um grupo de retalhistas denominado por Merchant Customer Exchange (MCX) (Em cima podemos ver algumas das casas de retalho associadas ao grupo). Este grupo que é liderado pela Wal-Mart, tem estado a desenvolver um sistema de pagamentos concorrente chamado CurrentC.

A ventagem deste serviço é que ele não requer qualquer tipo de hardware especial, podendo funcionar em qualquer telefone. Basicamente a aplicação recolhe os dados do pagamento, gera um código de barras no ecrã que é lido por um leitor fazendo o pagamento. Apenas se precisa de uma ligação à internet para acesso ao Banco.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

A aplicação ainda não funciona correctamente, mas já há uma versão disponível na Google Play.

Mas não se julgue que os retalhistas estão a querer competir com a Apple ou com a Google. Na realidade o interesse deles no serviço não é esse! É que para além do seu serviço simplificar a alargar a capacidade de pagamento a muitos mais pessoas, existe um outro factor essencial. É que este serviço faz transferências bancárias e não lida com cartões, o que leva a que os retalhistas não tenham de pagar ao banco qualquer taxa pela transação. E aqui estamos a falar de vários milhões que deixam de entrar nos cofres das empresas devido ao Google Wallet e Apple Pay.

Mais ainda, sendo um serviço controlado pelos retalhistas é possivel controlar melhor a fidelidade dos clientes, e toda a recolha de dados que é efectuada relativamente a preferências de compras, valores pagos, etc, etc fica com os retalhistas e não com a Apple ou Google, permitindo assim que estes possam melhorar os seus serviços.

screen322x572

Esta recolha de dados por estas empresas é no entanto o seu lado mais negativo. Uma coisa é os dados estarem localizados na Google ou Apple, outra é andarem espalhados por milhares de retalhistas. Daí que o CurrentC poderá ser problemático por não ter grande aceitação do público em geral. Mas isso não impede que se esteja a fazer um boicote aos restantes serviços na tentativa de se poder vir a aceitar o CurrentC melhor!

Publicidade

Posts Relacionados