Rise of The Tomb Raider Xbox One vs PC

risetr2

Tendo sido mostradas as virtudes da Xbox 360 face à Xbox One… é altura de vermos as virtudes da Xbox One face ao PC.

Se bem se recordam mostramos aqui a qualidade da adaptação de Rise of The Tomb Raider para a Xbox 360.

Apesar de não se conseguir um resultado que seja comparável ao obtido pela sua irmã mais nova, a Xbox One, os resultados eram louváveis para um hardware com agora 10 anos, mostrando que a consola teve dedicação na programação de forma a se extrair dela o melhor que se podia.

Mas e a Xbox One face ao poderoso PC… Como se comporta?

Mais do que julgarmos vamos deixar que vejam por vocês mesmos.

Mas antes disso vamos apenas dizer que o PC em causa estava equipado com um i7 4820K, uma Geforce GTX 980 e 16 GB de RAM. Sem contabilizar os restantes componentes, o valor mais baixo que encontramos para este hardware foi de 542.9 € para a gráfica, 356 para o CPU, e 80 euros para a memória, um total de 978.9 €. Já a Xbox One pode atualmente ser encontrada nesse mesmo motor de pesquisa de preços por 330 euros.

Resumidamente, o que verão se seguida é uma consola de 300 e poucos euros contra um PC de 1000, ou uma consola de 1.3 Tflops contra um PC de 4.6 Tflops.

Eis o video:

Sinceramente, se alguem vir alguma diferença que justifique os 700 euros de diferença faça favor de a colocar nos comentários.

Recorde-se que este jogo, apesar de a equipa ainda não dominar o hardware da Xbox One como domina o da 360, foi criado e optimizado para a consola da Microsoft, mostrando assim, em todos os sistemas mais fracos em que corre o que a boa programação dedicada consegue fazer. Já o PC, mesmo correndo com maiores resoluções e FPS pouco ou nada acrescenta ao que a Xbox One, 700 euros mais barata, pode oferecer.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (11)

  1. Na sinceridade a versão que mais me impressionou foi a do X-Box 360, fantástico como um hardware destes consegue um jogo com visual tão “agradável”.

    Durante essa geração irei passar para o PC, isso eu já decidi, uma certa decepção com essa geração dos consoles nos multiplataformas. Mas que o PC tem suas desvantagens, $$$, isso eu já estou ciente.

    • Não sei porque tens essa decepção. Porque não a tens de ter!
      E o artigo em causa mostra isso!
      Um ferrari será sempre melhor que um mercedes… mas um mercedes já é um excelente carro, e não há que enganar.
      As consolas são muito boas e potentes. O problema é querer entrar em utopias e fazer software que não se adequa a elas, mas sim a PCs de topo.
      Mas não julgues depois que vai ser tudo rosas no PC. As incompatibilidades de software/hardware, problemas com a firewall, anti-virus, bugs nas drivers (gráficas ou de performances) que obrigam a esperar por uma nova versão, instalação manual de drivers, virus, spyware, etc etc…
      Não compares as consolas só pelos jogos… mas por tudo! Afinal elas são hardware dedicado, algo que o PC não é!
      E quando quiseres jogar os exclusivos consola (que são bastantes)… temos pena!

      • Sim Mário, mas não sei bem se a situação econômica do país, mas quando fui iniciar na geração vários amigos gamers falaram “vai de pc” e a maioria deles gastaram o que eu gastei no X-Box One. E hoje jogam a maioria dos jogos que eu jogo, em qualidade semelhante, ou melhor, pagam mais barato nos títulos e não pagam assinatura de serviços on-line. Ai eu penso no que eu gaste com jogos no One e serviços, depois comprei o PS 4, o que eu gastei em jogos até o momento e serviços, que configuração de PC eu teria atualmente, fora os MOBAS que estou começando a jogar recentemente, dos quais só tenho SMITE no One e terei o Paragon no PS 4, mas no PC teria ambos.

        Sobre os exclusivos de console, até o momento o único que eu teria me arrependido de não ter jogado seria o Bloodboner, minha opinião, o “resto” eu conseguiria viver tranquilamente sem os ter jogado. isso até o momento.

        • Aqui a situação não é assim. Para se conseguir jogar igual ou melhor, geralmente o PC é mais caro que as consolas.

          Por isso, não compensa.

          Os jogos são mais baratos, em alguns casos (embora noutros hajam paridades), pelo que a escolha é óbvia sobretudo tendo em conta as dores de cabeça evitadas.

          Mas eu já desisti de tentar perceber a lógica do vosso sistema fiscal, pelo que não me custa nada acreditar que uma consola custe o mesmo que um PC que entregue ao mesmo nível, ou melhor.

          Agora que realmente é uma gasto muito elevado manter as duas plataformas, isso é.

          Geralmente só escolho uma, devido ao tempo, e porque, como gosto de zerar os jogos, não tenho tempo para mais nada. (Mal tenho tempo para isso).

          • Eu tenho colocado muitas coisas em conta, por exemplo atualmente eu jogo War Zone em Halo 5 e estou “upando” em Bloodborne para jogar The Old Hunters, resumindo eu gastei cerca de R$ 4.000,00 para jogar 02 jogos exclusivos. Há 02 anos qual configuração de PC eu teria montado com esse valor, com certeza eu estaria jogando em qualidade superior os multiplataformas do que o apresentado nas consolas, com esse valor investido em um PC.

          • O problema é que o PC não pára. Apesar de os jogos PC serem parametraveis, o certo é que o sistema base que se exige aumenta a olhos vistos devido à constante evolução do hardware.
            Daí que um PC passa a obsoleto muito mais depressa que uma consola.
            MAs enfim, isto são coisas que não são novidade. Existem à muito, muito tempo! Poderão deixar de ser verdade um dia, mas não o deixaram de ser ainda.

          • Com a nossa inflação atualmente quebrando recordes de quase 15 anos, um Xbox One custa 2099,00 na versão de HD de 500GB, sem Kinect e com um jogo, seja Gears of War UE ou Halo MCC.
            Mas por curiosidade, após ler esses posts resolvi montar um PC com a mesma potência de um Xbox One e outro com a configuração recomendada pela Digital Foundry para rodar o Rise of the Tomb Raider com o mesmo desempenho gráfico.

            A configuração com mesma potência ficou em aproximadamente R$3673,52. Core I5 de quinta geração, 3GHz, GTX 750TI, HD de 500GB, 8GB de memória RAM, fonte real de 430W e com placa mae Gigabyte.
            Essa configuração, com essa GPU mas equipada com um core i3 e 16GB de RAM, rodou o ROTTR em 15fps. Provavelmente o i5 não faria nenhum milagre, não é um jogo que puxa mais pelo CPU, como todos os jogos feitos com base no console como plataforma principal.

            A configuração recomendada pela Digital Foundry para rodar em High, 1080p 30fps, custa R$4617,54.
            Lembrando que precisa de 16GB de memória RAM e uma GTX960 de 4GB de memória, ou seja, a versão de 2GB não acompanha o Xbox.
            Levando em consideração que o custo de vida mensal no Brasil comparável ao padrão mundial de acordo com estudos de um órgão daqui está em R$3500,00 por mês, nenhuma das duas configurações vale a pena financeiramente.

            Mas eu entendo o Ennio, é decepcionante para o consumidor ver que um PC considerado simples está fazendo mais que o console em 90% dos jogos e casos como o reportado agora são exceções.
            Eu sinto que só foi possível por causa da compra da exclusividade temporária pela Microsoft. A Crystal trabalhou junto à empresa, adaptou o motor para o Xbox One e desenvolveu o jogo com foco no console. A versão de PC foi apenas uma conversão feita pelo mesmo estúdio que converteu a versão de 360, que por sinal é extremamente competente, a Nixxes.
            Ou seja, uma equipe dedicada à um console, e versão PC ainda limitada ao Directx 11, resultados visíveis. Só que, é uma pena que isso é muito inviável na maioria dos casos dessa geração e se tivesse sido como é na maior parte dos casos, novamente seria um jogo de PC adaptado para consoles.
            Esse é o ponto onde eu defendo que esses consoles deveriam ter vindo com potencia lá na casa dos 3Tflops. Teriam conversões valentes de jogos de PC, e os jogos feitos com base nos consoles não estariam correndo ao lado de placas de 2,4Tflops como a GTX960, estariam é causando gagueiras nas placas de 4-5tflops como a 970 e a R9-290.

          • É isso que me tem revoltado Fernando. Este é um jogo que pelo facto de ter sido acompanhado pela Microsoft, foi optimizado convenientemente para a consola. A versão de 360 puxa como nenhuma pelo hardware, a da One está muito boa mas naturalmente o hardware é mais recente, e a do PC está ao nível de PC. Mas a conversão foi feita de baixo para cima e não de cima para baixo, como sempre defendi.
            Infelizmente no PC o jogo teve o tratamento Gameworks, o que quer dizer que, mais uma vez, a NVIDIA lixou as performances da AMD. E é triste teres de ver uma R9-290 para teres as mesmas performances da One.
            Sinceramente a humanidade está mesmo perdida pois em vez de haver revolta contra este tipo de coisas, as pessoas o que fazem? Compram antes Nvidia.
            É triste.
            Já a ideia das consolas com 3 Tflops é errada. Isso seria ceder aos lobbies, aos hábitos dos franchisings e ao conceito de espremer a teta.
            A realidade é a que sempre foi. As consolas precisam de programação dedicada e os jogos tem de ser pensados para elas.
            Apesar de tudo ainda há bons exemplos disso. São é ainda poucos.

          • Acho que a AMD deveria procurar uma política mais agressiva ao estilo da NVIDIA para não perder mercado. Abandonar o mantle prematuramente em favor das APIs que ainda nem estão em uso não foi uma boa ideia. O mantle poderia ser utilizado em qualquer SO a partir do Windows 7. Sinto que a NVIDIA está surfando na ineficiência de relações e estrategias da AMD.
            E convenhamos, uma coisa é verdade, o DirectX 11 ainda será a base do PC na maior parte dos jogos graças a enorme cota de mercado do windows 7, e os drivers da NVIDIA sempre estiveram muito melhores que os da AMD nessa API.
            Acho que a NVIDIA só está dando o troco pelo Mantle.

          • Já o fez. Eu não noticiei mas a AMD criou uma iniciativa open source concorrente ao gameworks. Espero que tenha sucesso. Talvez ainda fale disso.

  2. Algumas curiosidades sobre a Nixxes:

    Eles desenvolveram a versão PS4 de Tomb Raider Definitive Edition, aquela que executa em 60fps.
    Deixaram a versão Xbox 360 de Rise of The Tomb Raider bastante próxima do Xbox One.
    Eles estão desenvolvendo a versão PC de Deus Ex, provavelmente um indício de outro jogo feito com o console como plataforma principal.

Os comentarios estao fechados.