Rumor: Microsoft trabalha numa consola de 60 dólares para streaming

Será um produto barato, que poderá correr os jogos disponibilizados no XCloud.

Os rumores de uma consola de baixo custo criada pela Microsoft estão aí de novo. O rumor parte de Brad Sams da Thurrott.com que refere que o projecto está em desenvolvimento.

A consola funcionará ligada a uma TV e usará um controlador XBox para funcionar, tendo um poder de processamento reduzido.

No entanto, ao que tudo indica a consola não se limitará a fazer streaming. Esta lidará com o mundo 3D e a navegação no seu interior, mas não fará qualquer colocação de texturas ou rendering do mundo 3D, sendo que todos esses dados serão fornecidos pelo streaming. O mundo 3D serve apenas para garantir alguma solidez no processo de streaming.

O custo desta consola será de 60 dólares.



Não há ainda informações sobre uma possível data de lançamento.

Comentários

A aposta da Microsoft é clara, ao tencionar alcançar as duas alternativas de mercado. No entanto se percebemos claramente a existência desta consola, não podemos deixar de pensar que nos parece existir algum contra-senso na criação e comercialização simultânea de uma consola de 500 euros. E o motivo porque pensamos assim já foi abordado aqui na página.

Se bem se recordam, uma das possíveis consequências na industria da informática da entrada em força do streaming prende-se com o facto que, caso este apresente qualidade, o streaming coloca em causa a necessidade de se ter hardware dispendioso para videojogos, uma vez que com um hardware barato é possível ter-se o mesmo que antes necessitava forçosamente de hardware de milhares de euros.

Daí que a questão que não podemos deixar de colocar é exactamente sobre a aquilo que é a real coerência de se criar um serviço de streaming, uma consola barata para ele, e ao mesmo tempo uma consola de topo que custará 500 dólares.

A questão que surge imediatamente é: Se o streaming apresenta qualidade ao ponto de se tornar atractivo. E não podemos deixar de pensar que o fará dado o investimento de milhões que várias empresas tem colocado na área, e que estarão activas e em concorrência por este mercado, não sendo por isso possível a quem entra relaxar sob pena de o investimento flopar, quais as vantagens que existirão numa consola de 500 euros, que justifiquem a sua compra.



Qualquer mérito que esta consola possa ter não pode passar por um demérito da outra. Se a Microsoft não explorar a sua consola de 60 euros, outros o farão, criando consolas que corram sob o serviço. E a qualidade desta consola não pode colocar em causa todo o conceito do Xcloud,

Daí que os dois extremos sejam bem diferentes:

Um caso tem um investimento de 60 euros, o outro de 500.

Um caso por 500 euros tem a consola e quase 4 anos de acesso ao serviço de streaming (aceitando um preço de 10 dólares como no Gamepass), o outro pelo mesmo preço só tem acesso à consola. Para acesso aos mesmos jogos, pelo mesmo tempo precisa de pagar 940 dólares.

Poderá surgir aqui uma comparação com a realidade dos smartphones. Afinal as empresas tambem apostam em topos de gama, e modelos de entrada de gama, sem que se prejudiquem.

Mas será que podemos comparar isso com este caso?

Na realidade não parece! Porque se num smartphone há claras diferenças entre os modelos entrada de gama e os de topo, aqui aquilo que é o ponto forte de vendas de uma consola (os jogos e a qualidade do jogo), serão semelhantes. O que há a mais, como o leitor de BD, a performance, a memória, o melhor GPU, na prática traduzem-se numa mão cheia se nada, uma vez que o produto inferior deverá apresentar resultados e capacidades semelhantes mesmo sem isso. Algo que nos smartphones não acontece.

Resumidamente, sem se deixar de reconhecer que uma consola superior pode trazer vantagens, a questão é: Elas valem 440 dólares?

Esperemos que sim. Certamente a Microsoft terá ponderado tudo isto e terá diversificado a sua oferta de forma a tornar ambos os produtos atractivos, e simultaneamente não concorrenciais.

A esperança no meio de tudo isto é que o streaming ainda seja prematuro, tornando assim a compra do hardware em algo que justifique. Mas será que as empresas andam mesmoma investir milhões e milhões de dólares em algo que não vai ser atractivo?

 

 



newest oldest
Notify of
bruno
Visitante
bruno

Eu ja o disse aqui e repito: o streaming de videojogos e uma coisa completamente diferente do streaming de series e videos e posso assegurar que esta opiniao nao e so minha.

Sao mercados diferentes e com exigencias diferentes.

O streaming de video venceu porque combateu dois mercados que nao ofereciam nada melhor: a TV generalista e a TV por cabo. O primeiro tinha uma oferta de treta e a programacao nao era decidida pelos utilizadores, tendo que gramar com programas que nao interessam a ninguem. O segundo, pelo menos aqui em portugal, pede o pagamento de mensalidades carissimas e fornece acesso a centenas de canais dos quais as pessoas querem 4 ou 5, e mais uma vez, apesar de a programacao ser mais interessante, os utilizadores nao decidem o que ver, nem quando ver.

O streaming resolveu estes dois pontos: deixou de haver horarios e as pessoas agora vem o que querem quando querem. Pior! Mesmo em termos de resolucao e qualidade de imagem, o streaming e melhor face as ofertas da TV generalista e da Cabo, que continuam atras em resolucao e suporte a caracteristicas como o HDR (e diga-se de passagem que quando isto chega e um pesadelo trocar o equipamento com essas empresas que tentam empurrar as suas caixinhas para os utilizadores pelo maximo de tempo possivel.)

Por ultimo, filmes em formato fisico… filmes sao entretenimento para algumas horas. Uma pessoa termina de ver o filme, e depois so pega naquilo passados meses. Para piorar a situacao, desde o inicio de 2000 que tem ocorrido imensos desenvolvimenots no suporte fisico, e quem comprava o filme em DVD, para depois ver a mesma coisa em BLuray um ano ou dois depois… e para ficar lixado.

Mais ainda o declinio das vendas no mercado geral nao pode ser dissociado de: abetura de videoclubes nas ofertas da Cabo e pirataria.

O streaming, que no quesito filmes ate nem se porta nada bem, nao me parece que tenha tido muito peso nisso.

Agora jogos… E diferente. Ha requisitos de performance local muito mais alto que o streaming. A forma de financiamento do conteudo e diferente – enquanto que o streaming nao apresenta muita diferenca face aos programas da TV generalista – nos jogos as coisas sao muito distintas.

O modelo de gamepass nao paga jogos triple AAA.

A prova disso esta no facto de nem a Google seguir o modelo MS e cobrar full-price pelos titulos AAA que ira juntar ao catalogo do Stadia.

A MS, por seu turno, e como ja estamos habituados, nao divulga numeros e ate a data nao se sabe se o gamepass e lucrativo. Eu tenho fortes suspeitas que ate a data a MS so teve prejuizos com o gamepass dado que praticamente esta a oferecer os jogos gratuitamente.

Mesmo os criadores, incluindo os criadores de titulos MMO que sao dos mais baratos e aqueles que sao construidos para viciar e prender os jogadores por longos periodos de tempo, tem duvidas e ja reclamam que deveriam receber mais que os jogos AAA porque os seus titulos sao jogados mais tempo.

Para mim isto implica o seguinte: o streaming nunca subtituira o modelo classico de consolas na perspetiva de que nunca ira oferecer o mesmo. A sua adocao em massa tera como consequencia que os jogos apartir desse momemtno serao todos MMOs ou episodicos para manter os jogadores conectados.

A MS continua com a atitude que basicamente selou o destino da Xbox ONE esta geracao: atirar a todos os alvos e a seguir a sua propria agenda – perseguir o lucro facil em vez de investir em qualidade.

A ultima E3 foi sobre o GamePass, e agora quer forcar o streaming.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Meu interesse num produto desse é abaixo de zero.
Prefiro pagar o restante do hardware sim, e continuar do jeito que as coisas são hoje, estão perfeitas, exceto pelos preços praticados no Brasil, mas pelo que se paga no primeiro mundo, especialmente EUA, é um negócio excelente o que hoje temos, a ganância como sempre é o problema.

Isso aí terá apoio obviamente, o Windows 8 teve, o WP teve, até o nazismo teve apoio.

Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

Não me parece que isso seja real…ou seja o xcloud faz streaming de forma diferente se eu estiver ligado com uma xbox one, ou uma xbox scarlett ou essa consola de 60 usd ou um tablet ou um smartphone ou uma snart TV???? cada um destes receptores potenciais de streaming ten características de hardware diferentes e não me parece que a MS queira fazer streaming personalizado para cada plataforma existente no mercado…eu não ia por ai…mas como São Tomé ver para crer…até ao momento a Google parece-me ter a melhor proposta e a mais realista…é só esperar, estamos a falar de jogos…posso esperar sem morrer de fome ou de abstinência…nos entre-tantos a minha X vai dando para matar o vicio

Rafael
Visitante
Rafael

Acredito que o streaming seja o futuro. Eu ainda prefiro o modelo tradicional, console que me permite extrair o máximo sem depender da internet pra isso. Já é frequente a conexão ficar ruim a ponto de estragar o jogo online, imagina fazer todo o streaming. Até chegar no ponto de ter boa resolução, qualidade de imagem e baixo lag… Se vai muitos anos. Com músicas não temos esses problemas de ter de aderir a vários serviços… Pra filmes já estamos tendo várias empresas… Apesar da Netflix ser dominante no mercado, temos Amazon, HBO e a Disney em breve… Realmente não gosto de ter de aderir a vários serviços.. mas é algo que acredito ser inevitável .. talvez não nos mesmos moldes do que temos hoje, mas que virá é fato… Apenas questão de tempo

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Uma questão que surge com esses consoles streaming é se eles são apenas uma moda passageira, ou se vão fazer sucesso. É interessante que ninguém sabe o que vai acontecer. É relativamente uma novidade para a maioria. Um exemplo são as Steam Machines. Tinham tudo para dar certo, com uma grande e reconhecida empresa apoiando, mas foram um grande fracasso. Um ponto a favor das consolas de streaming é o seu custo, bem inferior aos praticados pelas Steam Machines, Talvez isso influencie nos resultados.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Nossa, aquelas steam machines eram todas erradas (apesar de legais) mas tava muito na cara que ia dar errado (preço era o principal motivo)
Agora esse streaming é barato e a galera não tem noção (com um cartão na mão)
Aí dá um certo medo de os jogos ficarem uma merd* e pagar coisa muito espalhada, jogo por capítulo (socorro), loja atrás de loja, internet também não é lá essas coisas, até jogar online já dá uns pau direto, eu jogo muito GTA online e vive caindo sessão do nada e demora, tudo demora
Ahhhh não quero depender de internet

bruno
Visitante
bruno

Ninguem sabe ao certo, mas pode-se fazer assumpcoes com base na realidade do mercado.

O grande problema de hoje em dia e que tens todo um conjunto de agentes, ou influenciadores, que procuram por todos os meios dar mais tamanho a algo que nao e assim tao grande. Repara, surgiram as consolas de meio de geracao e de repente tudo foi sobre elas. E no entanto nao representam, nenhuma das duas, sequer 30% da base de cada consola. Porque e que de repente se tornaram tao relevantes? Porque e de reprente dominaram as noticias como se as consolas base nem existissem?

O exemplo que das das Steam machines e muito claro nesse aspecto. Recordo-me que se pintavam como algo que unia o PC a consola e muitos sites Tech, onde o PC geralmente e a plataforma de eleicao, tinham a postura de que a Valve acabara de reinventar a roda, tal era o brilhantismo do conceito. As steam machines ainda apanharam um pouco a febre do DX12, onde se dizia que o PC iria finalmente ser igual a consola.

Mas…

No fim tiveste apenas um PC, numa caixa fechada. Quem tinha dois dedos de testa ja se tinha apercebido que: se tens componentes PC, nao trancas o teu hardware, gerando variabilidade de configuracoes, por muito que invistas em desenvolver um OS linux, no fim… tens um PC.

Eram caras e eram PCs, com todos os problemas associados.

Sobre o streaming, a excepcao de uma unica pessoa que continua a ignorar toda a logica e a inventar razoes do ar para defender o streaming que nem ele mesmo sabe explicar concretamente, neste site nao vejo ninguem que olhe para a tecnologia como algo que vai ser adoptado e ter sucesso no futuro proximo.

A mais agressiva e a MS, mas a MS a ser agressiva inicialmente para depois abandonar as coisas quando falham nem e novidade nenhuma. Estamos cheios de exemplos e de produtos muito mais promissores que morreram porque a MS continua a ser MS, e a ignorar clientes para fazer as coisas a sua maneira. Os efeitos do GamePass ja se veem nas ofertas da empresa nos ultimos dois anos, com jogos a serem entregues aos pedacos e com muito baixa qualidade face ao que o resto do mercado oferece. A Xbox esta com as vendas que esta, em que se descobriu no ano passado creio, que ate as previsoes e estimativas estavam acima da realidade. Isto mais uma vez e a empresa a impor a sua ideologia no produto, alterando a oferta e tentando forcar o mercado nas pessoas.

Pelo passado, o que eu vejo e o seguinte: a maneira da Google como e agora nao tem futuro, porque nao oferece realmente vantagem. E muito giro poder jogar em qualquer lado, mas a verdade e que nem sempre jogar em qualquer lado e necessario. Muitas vezes as pessoas querem um grande ecra, com a melhor fidelidade visual. A Google cria uma experiencia dependente da qualidade da rede e cobra full price pelos jogos (mais uma renda pelos 4k). Neste aspeto, isto nem vantajoso e sobre o comprar uma consola porque o investimento na consola acaba por ser igual a seis anos a pagar essa mensalidade. E na consola podes comprar e revender os teus jogos, nao ficando dependente de uma ligacao online para poderes jogar.

A MS sera definitivamente a mais atractiva se o modelo for igual ao Gamepass. O problema que se coloca e: o Gamepass e viavel? Aqui e que esta a questao. Ninguem sabe, e a MS continua a esconder numeros o que por si so e muitissimo suspeito sobre a viabilidade financeira do servico. Pior, a enorme perda de qualidade na oferta de exclusivos, que agora vao directamente para o Gamepass, e imensamente revelador, e e um alerta: a adocao de um modelo desses inevitavelmente leva a uma perda de qualidade dos titulos e na mudanca para os titulos episodicos. Falo de Crackdown, Sea of Thieves e state of decay. Teremos Gears e Halo, mas fora estes, o que teremos? Um MMO da Ninja Theory. E este o futuro do Gamepass e da Xbox?

Pode parecer que nao, mas as pessoas notam isto.

Rafael
Visitante
Rafael

… streaming já mudou a indústria da música e do cinema. Por maiores que sejam as barreiras técnicas que a princípio inviabilizam o streaming para jogos, pode ter certeza que um dia serão ultrapassadas, não sabemos quando más sabemos que esta será uma nova realidade, se vai ser sucesso ou não vai depender do mercado. Inclusive Sony e Microsoft já estão fazendo acordos de cooperação já prevendo ameaças do tipo. As barreiras que vc colocou fazem sentido, mas vc está olhando à curto prazo…