Rumor: Planos da Sony para a próxima geração são arrasadores

Nota: Esta foi a nossa mentira de 1 de Abril, tendo-se usado para isso o desconhecimento dos planos da Sony face ao Streaming.

Segue a notícia original:

Um rumor bastante extenso revela-nos os planos da Sony para a futura geração e como esta pretende combater a ameaça do Streaming. A ser bem sucedido tal será um rude golpe nos grandes investimentos dos oponentes no streaming.

Um novo rumor sobre a Sony apareceu no Reddit, e o mesmo é bastante suculento, e com detalhes bastante interessantes sobre como está empresa planeia entrar na futura geração.

De acordo com o rumor, a Sony vê nos serviços de Streaming da concorrência uma ameaça ao mercado clássico, uma conclusão a que qualquer um facilmente pode chegar.

A grande questão é, como a Sony planeia combater isso?



O rumor não tem os detalhes todos, mas basicamente a ideia da Sony é a seguinte: Pelo preço do PSN Plus, ou seja 5 euros mensais, a Sony irá incluir o PSNow no PSN+.

Com esta junção as ofertas dos jogos do PSN+, desaparecem no sentido que as conhecemos. Em contrapartida o utilizador terá acesso a todos os jogos do PSNow, com novos jogos a serem acrescentados todos os meses. Por outras palavras, as ofertas continuam, mas apenas num molde bem diferente e bem mais extenso.

Basicamente isso quer dizer que a PSN+ passará a oferecer mensalmente mais de 750 jogos, um número que crescerá com o tempo e a disponibilização de mais jogos!

De referir que, no entanto, este serviço não irá incluir os exclusivos mais recentes, que continuarão a só ser disponibilizados no PSNow quando esgotarem o seu potencial de vendas no mercado clássico.

Basicamente a ideia é manter o mercado clássico vivo, por se entender que este é o único capaz de gerar as receitas necessárias para a manutenção da qualidade dos jogos AAA exclusivos.

No entanto, quem adquirir estes jogos acabados de lançar, seja digitalmente, seja fisicamente, uma vez os mesmos instalados na sua conta, passará a ter acesso aos mesmos pelo PSNow. Basicamente o que acontece é que a Sony cria aqui um hibrido de modelos de streaming, um de aluguer de jogos, e acesso exclusivo via Streaming, e outro de venda e posse, com igual acesso via streaming para comodidade de quem os quiser jogar em outros locais ou sistemas.

Os jogos por streaming poderão ser jogados em todas as consolas Sony, PC, e mesmo dispositivos móveis, uma alteração face ao atual onde eles apenas estão acessíveis na PS4 e PC.

O curioso é que o sistema é igualmente um híbrido entre o streaming e o clássico, sem que o seu streaming prejudique as suas vendas, algo que os restantes modelos propostos pela concorrência não contemplam. Mas o mais interessante para o utilizador é que o custo do serviço da Sony será de apenas 5 euros por mês, e isto para mais de 750 jogos e incluindo o acesso online, num serviço que inclui tudo que o PSN+ e o PSNow ofereciam. Um dois em um pelo preço do mais barato.



Este preço é possível por dois motivos. O primeiro prende-se com o facto que a Sony conta com esta situação duplicar a base de utilizadores com pagamentos fixos, acreditando que desta forma terá a grande maior parte da sua plataforma a assinar este serviço. Recorde-se que no PSN+ a Sony possuía apenas algo como 30 milhões de assinantes fixos numa  base de 90 milhões. Aqui não só a base expande, como o serviço pode mesmo ser adquirido por pessoas que não possuam a Playstation, mas que queiram aceder aos jogos da mesma.

No fundo, esta proposta não é mais do que uma fusão do PSNow e do PSN+, com as vantagens de ambos a manterem-se em conjunto, sendo que a consola continua a ser necessária para os jogos mais atuais, e os restantes passam a ser disponibilizados num serviço em que a consola continua a ser o melhor lugar para os jogar, por terem sido concebidos para ela.

Comparativamente, o serviço que mais concorrência pode apresentar será o XCloud. Mas este, mesmo que se mantenha com a mesma gama de ofertas do Gamepass, ficará bastante mais caro. Terá como vantagem a inclusão dos exclusivos lançados logo no dia de lançamento, algo que este serviço dado como a proposta da Sony não possui, mas o custo de adesão anual será o dobro (120 euros contra 180), sendo que a Microsoft ainda cobra pelo Xbox Live à parte (obrigatório para o online), o que acrescenta 60 euros adicionais ao custo.

Face ao serviço de streaming que a Sony aqui propõem, o Xcloud ficaria 120 euros mais caro por ano, num total de 180 euros. O da Sony ficaria apenas por 60. Perante os modelos de negócio da competição, os preços aqui propostos são arrasadores.

Não se sabe ainda mais pormenores, sendo que este é apenas um esboço, do que será a ideia da Sony. A Sony acredita ainda que, ao estarmos numa fase de transição, em que as pessoas não estarão dispostas a sair do físico de forma imediata, este serviço pode captar muitos clientes para o seu lado, o que lhe garantiria mercado e forçaria a concorrência a descer os preços dos seus serviços para os tornar igualmente interessantes, o que, com a inclusão de exclusivos no lançamento, os tornaria em possíveis fontes de prejuízo.

Fonte

 

 



newest oldest
Notify of
By-mission
Visitante
By-mission

Quase… mas já alguns sites a mandar a data de lançamento do TLoU II, então praticamente lhes obriga a olhar a data de hoje.

Feliz 01 de abril!

Rui Teixeira
Visitante
Rui Teixeira

Este rumor a ser verdade colocará, não só o ps+, mas também o psnow muito mais apelativos!
Não esquecendo que o psnow permite a instalação local dos jogos (neste momento apenas ps4), mas se o rumor de que a ps5 será retrocompatível com todas as consolas, possivelmente, permitirá a instalação local de todos os jogos, sejam eles ps1, ps2, etc. O que torna o serviço ainda mais apelativo, sobretudo para aqueles que não gostam do stream.
Mais ainda, se for possível usar o psnow para jogar todos os jogos comprados de forma tradicional (digital ou físico), talvez seja possível jogar jogos da ps5 mesmo na ps4, através de stream claro, mas, por exemplo, se eu ainda não puder comprar uma ps5, mas quiser experimentar os jogos da mesma, poderia comprar o jogo e jogá-lo na minha ps4/pc (talvez ps3?), e no futuro, quando comprar a ps5, poderei jogá-lo localmente com mais qualidade.
Deveras, muito interessante, a não ser que isto seja uma brincadeira do 1 de abril hehe 😉

Felipe Leite
Visitante
Felipe Leite

April’s fool!

Livio
Visitante
Livio

Sou leitor há 6 anos e conhecendo o histórico do Mário afirmo que é 1 de abril. Ahh ainda tem uns erros no texto que sei que o Mário não cometeria.

A ideia do texto é interessante mas creio que só veria a luz do dia caso Stadia dê certo.

Andrio
Visitante
Andrio

Eu já ia te mandar o artigo, mas quando percebi que era 1 de abril eu deixei para la…kkkk

Rodrigo Silveira
Visitante
Rodrigo Silveira

Apesar de ser uma matéria “fake” de 1º de abril, poderia ser realmente uma ideia interessante para a Sony. Entretanto, há que considerar que rumores também existem para uma unificação do Game Pass com a Live Gold pela Microsoft. Não sabemos ainda se verdadeiro nem em que proporção aconteceria. Mas no final das contas são tudo “rumores” ou “fake news” rsrsrs Prefiro aguardar informações oficiais.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Há um rumor inclusive essa semana do insider John Lier, esse muito conhecido por seu histórico de acertar na taxa de 10 pra 1, que a Nintendo irá lançar seus exclusivos no Gamepass, isso mesmo, a parceria com a MS parece estar a render grandes frutos. Inclusive parece ter havido uma demonstração a portas fechadas de Mário Odissey a correr em 4K 60 fps sólidos no X.
Ainda haverá adição de um modo battle royale no game Splatoon 2 pra agradar ao mercado norte americano.
Ao que parece o anúncio ocorrerá na E4 e o lançamento deve ocorrer mais tardar no Q5 de 2019.

Edson
Visitante
Edson

Mário, nem perca tempo com essa turma. Deve ser mais um lixo fanático vindo da turminha do Xbox mil grau.