Rumor: Playstation 5 para finais de 2018

ps5

Em artigos anteriores prevíamos que a Sony não deixaria de responder à Scorpio da Microsoft assim que fosse possível. E há um novo rumor que aponta que isso acontecerá logo em 2018.

A situação acima descrita parece lógica, e a acontecer, a sequência de eventos que se seguirá, e que penalizará tremendamente o consumidor, sera de culpa exclusiva da Sony.

O lançamento da PS4 Pro em 2016, com conhecimento prévio da existência de uma consola da Microsoft, a Scorpio, para 2017, levará a que a Sony perca a coroa associada ao título de empresa que possui a consola mais potente no mercado. E como tal, sabendo-se que a potência tem sido um dos factores de venda desta geração, seria lógico pensar-se que a Sony responderia à consola da Microsoft o mais rápido possível.

Mas dado que a Microsoft não está neste mercado para perder dinheiro, o mais certo é que esta empresa entre no esquema da Sony, respondendo igualmente com uma consola de meio de geração, talvez já para 2019, o que levará a uma nova resposta da Sony em 2020, etc, etc.

Esta é uma situação que temos vindo a referir como mais do que provável que venha a acontecer, desde que se soube que haveria um desfasamento nas datas de lançamento das consolas das duas principais marcas. E basicamente tal lavaria a que cada marca lançasse uma consola atualizada a aproximadamente cada 2 anos, o que na prática levaria a que a cada ano/ano e meio, houvesse uma nova consola a ser lançada.

A Sony precisa de manter a liderança neste mercado para garantir a sua subsistência, mas a Microsoft não é exatamente uma empresa de esquina e quando entra na guerra, a intenção é tambem ganhar. Daí que no meio de tudo isto surge exatamente aquilo que vimos a prever à muito tempo: É o cliente que se lixa, com a destruição total do modelo de consolas e a adoção e um modelo de upgrades estilo PC que na prática acabará por se revelar muito mais dispendioso do que a adoção deste último, e que acima de tudo forçará as pessoas a escolherem apenas uma consola caso pretendam manter-se atualizadas.

Mas porque insistir de novo nesta ideia? Porque na internet surge a informação de que a pessoa que “previu” o lançamento da PS4 Slim e da PS4 Pro para o final deste ano, veio agora prever o lançamento de uma Playstation 5 para 2018.


Damian Thong é um analista do mercado de tecnologia Japonês e que, face ao recentemente ocorrido, parece estar ligado a fontes com informação sobre o que se passa na Sony.

Naturalmente a informação pode estar errada. O que mais existe na internet é rumores que não se acabam por comprovar. No entanto, a situação, faco ao estado econômico da Sony, parece realista e adequada.

A realidade é que a Sony é a grande responsável pelo atual estado das coisas. A sua ganância em dominar ainda mais um mercado que já era seu levou a uma resposta da Microsoft. E apesar de a Microsoft não ter apresentado ainda produto real nenhum, a promessa do que para aí vem condiciona já as vendas da Sony, e condicionará ainda mais assim que for uma realidade. E se prevemos que a Sony possa dominar o mercado até 2017, eventualmente até esmagando as vendas da Xbox One face à atual oferta, a situação é mais do que certa que vire assim que a Scorpio (nome de código) se tornar uma realidade.

E daí que a resposta para uma data próxima, como 2018, se revela adequada.

Como sabemos, a PS4 Pro é uma consola de meio de geração, mas isso não quer dizer que a Sony entenda que estamos agora no exato meio da geração, e que meio de geração não implicaria 50-05.

Sendo a PS4 Pro apenas mais uma PS4, nada impede a Sony de, ao fim de 5 anos, a duração considerada normal para uma geração, lançar uma nova consola.  Mas a realidade é que face ao que é previsível que o futuro trará no domínio das consolas, esta notícia está longe de entusiasmar como entusiasmaria se a Pro não existisse.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (29)

  1. Luciano S. Carvalho 14 de Setembro de 2016 @ 9:16

    Essa indústria virou um circo. Lamentável!

  2. O problema é que nem a Scorpio é considerada uma consola de nova geração… É como dizes será uma luta de melhores artigos em curta duração nas consolas. Tal como Apple e Samsung nos telemóveis. Estou curioso em ver o conceito da Nintendo, nunca fui muito adepto da nintendo mas parece que têm outra perspectiva de mercado e mais “amiga” do consumidor.

  3. São por esses motivos que defendo que aconteça uma nova crise no ramo de consoles, a exemplo do que ocorreu nos anos 80.

    Se a crise ocorrer a principal perdedora será a Sony, pois MS já está indo para o PC, Nintendo, caso não siga os mesmos passos das demais, ficará com consoles, portáteis e mobile.

  4. Precisamos analisar ao meu entendimento alguns pontos
    • Quando se refere a mercado frente a quantidade em unidades vendidas de consoles sim esta a frente, porem ao certo o estado financeiro da mesma é algo preucupante.
    • Mesmo a concorrência tendo seu produto com base menor conseguiu arrecadar bem, então analiso a situação de maneiras diferentes, (Lucro e Quantidade)
    • Rumores irão existir e principalmente por analistas e alguns fans da marca, pois a frente da apresentação do console Pro e Slim não foi algo que os fans da marca esperavam da Sony como resposta ao scorpion.
    A geração começou um guerra por resolução que acaba gerando estes rumores que em 45 minutos do 2 tempo a marca favorita vai la e vira o jogo, o mercado não é assim e a Sony não pode se dar ao luxo de gastar dinheiro lancandos consoles e depois lancar outro em 1 ano e meio, a única divisão que da um certo respiro para um marca grande como ela.

    • Deixa-me só fazer aqui umas notas:
      – A situação financeira da Sony é neste momento estável apresentado lucros desde à vários anos. Mas no entanto ainda está longe de poder garantir um futuro tranquilo.
      – Essa situação é errada e já a referi aqui várias vezes. A divisão de jogos da Microsoft engloba lucros do Surface, bem como dos periféricos PC e determinadas royalties de patentes de aparelhos móveis. Logo é impossível de comparar com a da Sony que só englobava mesmo a Playstation, e essas afirmações são, por isso, erradas.
      – 100% de acordo. Mas a questão não é essa! A questão é que as pessoas não queriam sequer consola nenhuma nesta fase. Se a PS4 Pro é superior ou inferior ao que a Scorpio vai ser é irrelevante. A Scorpio não existe ainda, a Pro é uma realidade! O grande problema é que daqui a um ano a Scorpio sai, a PS5 está com rumores para 2018 e a Microsoft deve responder lá para finais de 2019, com a Sony a responder depois. Enfim, o que choca aqui foi a valente porcaria que a Sony, com a ganância de absorver ainda mais um mercado que já era seu, criou.

      Não tenhas dúvidas que a Pro vai ser um sucesso. E vai abafar tudo o resto! Não é cara e é mais potente, oferecendo mesmo melhorias a 1080p. O grande problema é que quem bate agora palmas com a pro são aqueles que daqui a dois anos vão chorar perante a PS5… e aí é que a Sony lixou tudo, ao desfazer os lançamentos e criar uma situação onde vamos ter consolas novas a intervalos regulares.

      • Luciano S. Carvalho 14 de Setembro de 2016 @ 14:13

        Com esse cenário a se confirmar, os consoles tendem a vender cada vez menos, e advinha que vai se ferrar com isso, essas mesmas empresas gananciosas que acabaram elas próprias matando a sua galinha dos ovos de ouro. Quem irá comprar a idéia de imediato e sair investindo sem pensar em um novo console, sabendo que dali a pouco tempo sairá uma mais poderosa.
        Tem outro ditado para isso também Mário: “Cada um colhe aquilo que planta”.

  5. Luciano S. Carvalho 14 de Setembro de 2016 @ 15:00

    Mário, você já viu essa matéria da Eurogamer/Digital Foundry falando a respeito de um comparativo de Rise of Tomb Raider rodando a 4K na PS4 PRO e PC. Está bem interessante.
    http://www.eurogamer.pt/articles/digitalfoundry-2016-rise-of-the-tomb-raider-ps4-pro-vs-pc-comparacao

    • Eu já joguei Rise of the Tomb Raider em 4K num laptop da Asus na FNAC e é animal. Mas o vídeo do jogo no PS4 Pro parece só uma leve melhoria de texturas sobre o Xbox One é nada comparável ao Laptop Asus com NVidia pascal.
      Pelo hardware do PS pro, a melhor coisa era manter 1080p com melhoria gráfica, e para o Xbox Scorpio, 1440p no máximo.
      Como eles pretendem ir até a resolução mais alta a todo o custo, o máximo que o Ps4 Pro consegue mantendo a mesma qualidade do Ps4 é 1440p. Acima disso, vai rodar com gráficos inferiores e o Scorpio até da conta de 4k nos jogos 1080p do Xbox One, mas se for considerar o perfil de jogos 1080p do PS4 que é igual ao 900p do Xbox One, o máximo que o Scorpio pode ir é 1800p.
      Nenhum dos dois vai cumprir a meta de 4k, só em jogos esporádicos, por exemplo, o Scorpio não seria capaz de rodar Quantum Break, Ryse, Gears of war 4 e Halo 5 em 4K, mas poderia rodar os jogos da série Forza ou o Ryse of The Tomb Raider sem melhorias gráficas consideráveis…

      • Luciano S. Carvalho 14 de Setembro de 2016 @ 19:32

        Como já havia dito antes, com essa obsessão em resolução no 4k, não haverá nenhuma inovação muito menos revolução em termos gráficos, teremos somente mais do mesmo por muito tempo. Estou fora dessa, da minha parte não levarão um tostão.

      • Os jogos 4k da PS4 Pro são visualmente idênticos aos da PS4. Só muda a resolução. As melhorias de texturas que julgas ver devem-se à melhor resolução (a S é 1080p)

      • Por outras palavras, nem Scorpio nem PS4 Pro fazem qualquer sentido nesta altura do campeonato, porque não só não representam um avanço como não trazem nada de verdadeiramente novo. Nem o 4K nativo como era suposto, nem os 1080p 60 fps, no caso da Pro.

        No fundo acaba, no meio de toda esta calamidade por ser algo positivo. Antes isso que a potência extra ser gasta em efeitos exclusivos. Isso seria o (ainda) maior atentado que podiam fazer aos clientes que apoiaram estas plataformas desde o inicio, ao fim de após 3 anos.

        E também prova outra coisa – ainda falta muito tempo, até que uma nova geração se torne verdadeiramente possível (4K e melhoria gráfica pelo menos), no que ao hardware diz respeito.

        Talvez quando o processo de fabrico estiver nos 7 nm, e já for possível ter 8 (ou mais) núcleos Zen de segunda geração a 3 GHz com um GPU 10x mais potente que os atuais numa única APU. Associado a HBM, com o dobro da performance da atual. E quem sabe um GPU discreto, para complementar a coisa.

        E 5 Tb de disco.

      • Os jogos PS4 Pro são os mesmos da PS4, mas a resolução é 4K calculados a partir de 2 imagens com 2x a resolução dos 1080p. E visualmente, face aos 4K nativos, a diferença é tão pequena que a metodologia usada pela consola está a ser aplaudida.
        Como já vários programadores já disseram, se a Microsoft insistir em usar os 6 Tflops da Scorpio no cálculo de 4K reais, não fazendo algo semelhante, as diferenças entre os resultados finais, em jogos que corram a 100% em ambas as consolas, serão tão pequenos que o maior custo da Scorpio não vai justificar.

        Nota adicional: A Sony não aceita re-escalamentos com menos pixels que os obtidos a 1800p. Está na documentação oficial!

        • A técnica da Sony é exatamente o que a Ubisoft faz com Rainbox Six Siege e que tem a mesma aparência da imagem de Quantum Break. A imagem final deve ser um pouco desfocada e granulada em uma TV 4K, mas em uma TV 1080p será boa. É o 4K fake e o upscaling de 1800p deve ter melhor aparência.

          • Não, a técnica não é exactamente o que a Ubisoft faz com Raibow Six Siege!
            Tal como Quantum Break que usa imagens base com menos de 1/4 da resolução que se pretende atingir, Rainbow Six Siege usa imagems a 940*540, ou seja exactamente 1/4 da resolução a atingir.
            O resultado de Rainbow Six Siege é por isso em tudo semelhante ao de Quantum Break pois 2 imagens sobrepostas com 1/4 da resolução, apenas atingem 1/2 da resolução. E isso quer dizer que terás de repetir o processo para a outra metade usando imagens com 1/2 da resolução que já foram criadas com 1/4 da resolução. Há acumulação de erros da interpolação!
            O resultado é efectivamente borratado!
            O método da Sony é diferente no sentido que usa apenas uma passagem pois parte de 2 imagens com 1/2 da resolução. E 2×1/2=1, ou seja, quando sobrepostas tens efectivamente a resolução a que queres chegar. O resultado é por isso incomparavelmente melhor!

          • A tecnica do Quantum Break utiliza imagens de resolução bem maior que Rainbow Six e o resultado tem a aparencia bem semelhante. Independente da quantidade de passagens e em quantos pedaços é feito, o conceito é o mesmo e o resultado ainda é uma interpolação, que não terá a mesma qualidade da resolução nativa e provavelmente ficará aquém até do upscaling de 1800p, este que a Sony permite pois deve saber que tem resultado melhor que essa técnica de xadrez.
            Pode ser menos borrado que o resultado dos jogos citados, mas ainda terá uma aparencia muito “Soft” próximo de um 4K.

  6. Eu nunca vi ninguém a correr tão alegremente para o própria morte como a Sony, mas quando chegar lá irá merecer tudo!

    O resultado disto vai ser simples – o mesmo que o PC: a comunidade toda de jogadores dividida por várias plataformas, sobretudo nas plataformas menos capazes (embora estejam à espera do contrário), devido ao baixo preço, e as vendas das plataformas superiores a estagnarem após um impulso inicial nas vendas(como aconteceu a geração passada em que a PS2 continuou a ser rainha por muito tempo, mesmo depois do lançamento da PS3). Além disso, o mais provável é que quem quiser fugir para o PC vá para o PC. E muito provavelmente irão perder muito mais clientes, que não estão para aturar esta palhaçada sem precedentes, para o PC.

    A Sony com a PS4 parece ter tocado numa tecla sem reparar em qual tocou.

    Não percebeu o porquê das vendas estrondosas da PS4, não entendeu o porquê do apoio do público, não entendeu nada. O pior é que não sei de onde vêm estas ideias mas de alguém que não entende o mercado, e muito menos a dinâmica da industria.

    A PS3 foi muito importante para a Sony apesar das enormes dificuldades que enfrentou – porque ajudou a estabelecer a imagem da companhia, nos exclusivos de qualidade e no bom suporte – algo que tem continuado, mas que com estes sucessivos adiamentos, acabe por estragar tudo e agora com a Pro, como o Jose Galvao disse, ninguém saiba o que está a ver, a PS4 ou irmã mais nova e robusta.

    O pior, é que não entendeu o grande efeito benéfico que a longevidade da geração anterior teve no sucesso desta – deu tempo aos motores para serem desenvolvidos, deu tempo ao salto gráfico para ser mais rápido, deu tempo à tecnologia avançar, e sobretudo criou uma enorme vontade no publico para a chegada de uma nova geração – vontade essa que resultou numa transição muito rápida e acelerada.

    Não percebeu também o efeito benéfico que o tempo tem na vida de uma consola. Melhor conhecimento do hardware, maior qualidade nos jogos, mais títulos que justificam a sua aquisição.

    O que estamos a ver agora é o inverso disto – investimento desenfreado na venda de novo hardware, que duvido seja lucrativo (penso que se tornará mais lucrativo com o tempo – aliás a existência desta versão slim prova isso mesmo), atrasos sucessivos na entrega de exclusivos (The Last Guardian devia ter sido lançado o ano passado, Horizon agora e Detroit no Natal), fecho de estúdios sem a oportunidade de entregarem mais jogos das franquias exclusivas (Motorstorm – só fico a imaginar o que seria se tivessem feito o Apocalypse na PS4), enfim.

    • Concordo Bruno.Sou contra esses Consoles apesar de entender que elas podem estar querendo fisgar novos perfis de público…

      Agora o mais importante são os jogos,e sempre foi em um Console,e nisso essa geração ainda está deixando um pouco a desejar…Então de nada adianta mais Tflops…

      E vc lembrou bem:A Sony mesmo errando em alguns pontos com o PS3,ela em desvantagem colocou o foco em jogos em primeiro lugar…Se olharmos bem em retrospectiva o PS3 foi um MONSTRO no foco tradicional..

    • Correndo para a morte saltitando de nenúfar em nenúfar? 😉
      Eu já estou a pensar em mudar a gráfica do PC no final do ano.

  7. Aí que está o problema. Não tenho o ps4 , mas pretendo adquirir o Pro. Casoance o PS 5 em 2018, ficarei defasado em 1 ano com o console. Não énla muito justo.

    • Apesar de tudo não tens de pensar assim. A Pro tem de ser vista como uma PS4 melhorada, e que, como todas as PS4 ficará ultrapassada com a PS5. O que tens de pensar é se ela te justifica na altura da compra, não se ficará ultrapassada, e nem quando. Porque para isso terias de ter adoptado uma PS4 mais cedo.
      Se já tivesses uma consola não recomendaria a troca. Se não tens a questão é se tens ou não TV 4K. Porque 100 euros a mais por mais uns efeitos no ecrã, ou mais uns fps não me parece que justifique.

  8. Para quem ainda têm a PS3, esperar mais 2, 3 anos pela PS5 é demais, o melhor é aproveitar a saída da PRO para baixar o preço da normal e comprar uma…bem baratinha…e daqui a 3 anos comprar uma PS5 já com 8 ou 10 Tflops

Os comentarios estao fechados.