Samsung foi parcialmente alvo de difamação com o Note 7 com falsas declarações de incêndios.

samsung-galaxy-note-7

Após uma série de relatos de incêndio do Note 7, a Samsung reconheceu a existência de um problema na bateria e  recolheu os aparelhos todos do mercado. Mas agora um relatório interno vem referir que 26 dos relatos de incêndio reportados… eram falsos!

Até ao momento, e de acordo com uma confirmação oficial, emitida no início deste mês, a Samsung recebeu um total global de 35 relatos confirmados relacionados com problemas de incêndio das baterias do Note 7 . A acumulação destes relatos levaram a que a empresa procedesse à recolha de todos os aparelhos Note 7 do mercado de forma a proceder à troca de baterias.

Apesar de a Samsung ter referido o problema afectaria uma percentagem muito pequena dos telefones existentes, não tendo forma de saber quais eram os afectados, a recolha teve de ser global.

Esta recolha criou elevados prejuízos à Samsung, que se estimam em mais de mil milhões de dólares. Mas a empresa fez questão de não só recolher todos os telefones para troca, como de ressarcir todos os que foram prejudicados com os aparelhos defeituosos.

Para analisar os incidentes a Samsung contratou uma empresa independente para peritagens e confirmação da sua veracidade, de forma a poder proceder a pagamentos indemnizatórios.

O caso mais mediático, e com maiores danos que foi conhecido prendeu-se com um jipe Grand Cherokee que possuía um Note 7 em carga no tablier, e que pegou fogo, ardendo por completo!

E se até aqui nada de extraordinário, o que foi divulgado pela Samsung sob a forma de um relatório interno dado a conhecer ao público e relativo a esta situação é digno de notícia. Mas curiosamente uma notícia que poucos websites se dignaram a passar.

É que apesar ainda existirem investigações sobre todas as queixas aparecidas e não se negando o problema existente nas baterias do smartphone, esta empresa detectou até ao momento que pelo menos 26 dos relatos apresentados eram na realidade… falsos!

Estes 26 casos eram de várias proveniências espalhadas pelo mundo, nomeadamente 9 Norte Americanos, 3 da Coreia do Sul, um país onde o problema nem deveria existir uma vez que o fornecedor de baterias era diferente, duas de França, com o Reino Unido, Canadá, Singapura, Filipinas, Vietnam, Coácia, Romédia, Iraque, Libano, União Euiropeia, e República Checa com um caso casa.


Desses 26 casos, 12 foram examinados pela empresa contratada pela Samsung e foram dados como falsos uma vez que o aparelho não apresentava qualquer problema. Nos restantes 14 casos, em 7 deles o queixoso pura e simplesmente desapareceu e os dados de contacto não permitem chegar à pessoa. Já os restantes 7 cancelaram a reclamação quando souberam que os aparelhos iam ser submetidos a peritagem.

Um dos 12 casos examinados foi exactamente o do Jipe Grand Cherokee Norte Americano que ardeu, e que alegadamente estava com um Note 7 a carregar no tablier.

Este caso foi analisado em simultâneo pela empresa contratada pela Samsung e pelos Bombeiros, e ambas as entidades, analisando a situação em separado, chegaram à mesma conclusão: o incêndio não se deveu ao telefone.

Igualmente interessante de se constatar que as três queixas vindas da Coreia do Sul, como referido um país onde as baterias eram de outro fabricante, foram todas dadas como falsas: Um dos casos repetiu a situação do dono estar incontactável após análise que nada detectou, em outro caso o utilizador refere que deitou o telefone fora pela janela do carro, não conseguindo apresentar o telefone, e no terceiro caso provou-se que o incêndio se deveu a calor externo fornecido à bateria durante a carga do telefone.

A realidade é que este elevado número de falsos relatos levou a Samsung a adoptar uma postura mais defensiva, quando antes estava disposta a avançar com indemnizações a todos os queixosos. E agora a empresa quer tirar a limpo quantos problemas efectivamente apareceram nos seus telefones, pelo que todos os casos vão ser analisados um a um pela equipa de peritagem.

Sendo inegável que o problema existe, e foi reconhecido pela Samsung, perante este relatório fica a dúvida sobre quantos incêndios efectivos existiram com o telefone, e quantos foram causa de maus uso, propositado, ou não, ou mesmo de meras alegações, falsas, de incêndio.

Infelizmente algumas das unidades já recolhidas e trocadas parecem apresentar problemas de aquecimento, pelo que a saga da Samsung poderá não acabar aqui. Mas perante tanto caso de tentativa de difamação, será melhor que tomem essas notícias não confirmadas com desconfiança!

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (2)

  1. Enquanto isso do outro lado tudo está as mil maravilhas… Há um amigo meu com seu IPhone 6S travado a três dias a jurar pela própria mãe que é um aplicativo e não o celular estar travado. Como ele mesmo diz IPhone não trava, então continuo a falar com ele só pelo PS4.

Os comentarios estao fechados.