Shuhei Yoshida explica os motivos pelos quais ter vários estúdios e talento é importante.

Em uma entrevista Shuhei Yoshida falou sobre os estúdios da Sony e como os mesmos sem sempre dão lucro, fazendo perceber que com talento e mais estúdios, as probabilidades de se gerar um título de sucesso são maiores.

presidenteSCEAE

Na GameLab em Barcelona, Shuhei Yoshida referiu:

Quando se olha para o que fazemos, gerindo estúdios e gerindo fundos, isso é essencialmente o que se faz. procurar talento e suportar talento, porque ao final do dia são as pessoas que criam coisas espantosas, e são as equipas de criatividade que fazem os avanços e descobertas

A Sony mostra assim que possuir talentos é essencial para se revolucionar. O sucesso das suas equipas é atribuído a talento que serve para criar novas situações e revolucionar a tecnologia e o mercado, explorando o hardware da sua consola.



A questão é que o mercado é difícil, e nem sempre há lucros garantidos:

É um negócio gerido pelos sucessos. Olhamos para os resultados financeiros dos títulos e provavelmente três ou quatro em dez fazem dinheiro, e talvez um ou dois fazem dinheiro para conbrir os custos dos outros títulos. Daí que temos conseguido manter o racio de sucesso a um certo nível que nos permite continuar no negócio e suportar e ajudar a crescer o talento. Esse é o trabalho mais importante que eu acredito que tanto eu como a minha equipa de gestão na worldwide studios estamos a fazer.

Produzir um jogo é algo dispendioso, e mais ainda quando se trata de um jogo AAA. Daí que o sucesso de vendas seja essencial para se cobrir os custos de produção. Mas infelizmente a aceitação do público é algo pouco fácil de se avaliar.

The Last of US, que de certa forma foi um sucesso de vendas, ficou no entanto bastante abaixo daquilo que seria expectável vender-se face à qualidade do jogo. É considerado consensualmente pela industria como um dos melhores jogos de sempre, senão mesmo o melhor de sempre, e mesmo assim, as vendas não acompanharam a fama.

Daí que seja essencial criar vários jogos. O sucesso é algo imprevisível, mas havendo mais variedade, especialmente se acompanhado da qualidade dada pelos talentos que Yoshida fala, é possível manter-se um grupo de equipas a funcionar com sucesso, com as de maior sucesso a gerarem rendimentos para cobrir as de menor sucesso.

Parece fácil perceber-se daqui que com esta gestão a Sony tem vindo a gerar lucros, algo que a nível de gestão se revela bem preferível à compra de IPs de terceiros onde apenas há despesa com a aquisição da exclusividade do jogo, sem qualquer receita daí advenha excepto as possíveis vendas adicionais de consolas, uma vez que os lucros são para os terceiros, criadores do software.