Sony anunciou que PS4 passou os 60 milhões de consolas vendidas ao público

A Sony actualizou o número de consolas oficialmente vendidas. E ele já passa os 60 milhões!

A Sony deu a conhecer os números atuais de vendas de hardware e software para a sua PS4.

Assim, a 11 de Junho de 2017, de acordo com os números oficiais da Sony, a PS4 tinha vendido já mais de 60,4 milhões de consolas ao público. Note-se que não se tratam de consolas despachadas, isto é colocadas à vendam nas sim consolas efectivamente vendidas ao publico, um esclarecimento que se torna necessário fazer dado que os últimos números que a Sony tinham revelado eram sobre consolas despachadas.

A Sony informa ainda que Horizon: Zero Dawn tem liderado as vendas de softwarem sendo que a consola até hoje vendeu já, nessa mesma data, e acumulando o retalho com o digital, mais de 487,8 milhões de cópias de jogos. Isto é um racio de jogos por consola que passa a média dos 8 jogos por consola, um valor extraordinário, que supera o anunciado em Janeiro de 7.51.

Curiosamente em Janeiro tinham sido anunciadas 401.1 milhões de jogos vendidos, o que quer dizer que neste meio ano, a PS4 vendeu 86.7 milhões de cópias de jogos, ou 14,45 milhões de cópias por mês.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Fonte: Sony Computer Entertainment

 

 

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (59)

  1. Ontem li um artigo do DF a falar da tecnologia de Batlefront ll. E uma nota no fim do artigo me lembrou de uma realidade que pouco se fala, a PS4 é uma peça de hardware de 2012, com o que menos se usa em PC Gaming, as APU’S.
    Originalmente seriam uma solução a portáteis ou PC de entrada.
    Bom o que tem isso a ver com as da PS4, na PlayStation 3 tinha o Cell que a dada altura tomou a rédea de muitos avanços e otimizações que temos hoje. Mas não foi isso que fez a geração perdurar Dez anos! Foi uma base instalada que não se queria ignorar.
    Gta 5 se tornou o game mais vendido de sempre não graças a PS4 ou Xbone, e sim a 360 e PS3 com 184.000 ou mais consoles vendidos, bem dificil de ignorar.
    Bom se não entenderam agora explico. Batlefield 4 foi um dos primeiro games a usar o motor da EA com alvo nos 60 Fps, 900p na PS e 720p na One. Depois tivemos o Hard line com as mesmas resoluções, mais sofrível em performance e redução de ativos, de 64 jogadores o game foi para 48.
    Em Batlefront temos a resolução dinâmica implementada nas consoles, bom os gráficos se justificavam mesmo tendo quedas pontuais na resolução e fps.

    Bom estamos nesse ponto. Batlefront está a porta e o que vemos é o quão longe este vai estar da versão PC.

    O game foi apresentado na conferência da EA em uma Gtx 1080, com Max setings 1080p e 60 fps. A 1440p nos mesmos setings estava lá qualquer coisa entre 45 e 60 Fps.
    E no fim eles o colocaram em 4k e bom não se conseguiu os 30 Fps algo entre 20 e 30.

    http://www.eurogamer.pt/articles/digitalfoundry-2017-star-wars-battlefront-2-leva-frostbite-novo-nivel

    • Este é o motor de jogo mais versátil em rendimento, e muito aclamado por sua adaptação a diferentes hardware. Ora aqui está.

      Em que pé anda versão PS4 e One?

      Ou melhor dizendo o que será das duas de agora em diante, mostraram Anthen, como será uma versão deste jogo nas consoles base 720p? Voltamos a 2009?

      Lembrando que a PS4 PRO talvez o suporte em 1080p… Bom parece algo mau.

      Mas depois da apresentação da Microsoft vão se colocando as cartas na mesa.
      Gears of War vai adota rresolução dinâmica no multiplayer, o AC origins vai adotar resolução dinâmica.

      Em pouco tempo estará a PS4 PRO lutando para segurar o 1080p, e depois a Xonex.

      Oque tem tudo isso. Com mais 90 milhões de PS4 e Xbox de base instalada.

      As produtoras vão ignoralas ou capar as performance.

      Se tem alguma dúvida é só lembrar de WhachDogs, e seu ficheiros desativados.

      • A pouco tempo li algo sobre a DICE ter intenção de expandir as técnicas de reconstrução que começaram a utilizar recentemente para os consoles base.
        Segundo a Digital Foundry, Anthem estava utilizando Checkboard Rendering na conferência da Microsoft.
        Isso é bom e ruim ao mesmo tempo, bom por que o Checkboard permite que os recursos de GPU sejam disponibilizados para coisas como melhorias de efeitos visuais, e Anthen parece tão bom visualmente que eu penso que sem um downgrade gráfico será difícil para os consoles já obsoletos. E aí está o lado ruim do Checkboard. É quase uma forma de permitir que o Xbox One X brilhe por conta própria, e isso significa de forma direta “nova geração”.

        Eu penso que em um espaço de 2 anos, os jogos de Xbox One e PS4 estarão rodando em resoluções remendadas por técnicas de reconstrução temporal, tipo nativamente é 540p…

        • Bom foi o que entendi também, dentro de pouco tempo voltamos a 2005.

          • Nem se compara. Existem várias técnicas para melhorar a qualidade de imagem e muito títulos do último ano utilizam técnicas de reconstrução:

            For Honor
            Watch Dogs 2
            Ghost Recon Wildlands
            Quantum Break
            Resident Evil 7 (Xbox One)
            Mass Effect Andromeda

            Essa abordagem alinhada às imensas melhoria de efeitos visuais de GPUs 8 anos mais novas faz com que não seja nem minimamente comparável com o que foi 2005 e é a única forma dos consoles iniciais dessa geração não morrerem mais rápido do que se espera.
            Se lembra de minha previsão, 2018 quando os jogos serão avançados demais para consoles com menos de 2 Tflops rodarem em 1080p?
            Pode não ser todos os jogos, os exclusivos sempre extraem mais mas já estamos chegando por ali e digo que isso só não se agravará mais por que parece que a indústria deu uma desacelerada monstruosa na produção de novos games AAA.

          • Na geração passada, no quarto ano de vida dos consoles, foi o momento onde começaram a surgir os motores de jogos mais modernos da geração passada. A diferença para hoje em dia é que o que o Xbox One X e o PS4 Pro representam em potência comparativamente ao PC, é o que o Xbox 360 e o PS3 representavam em 2006, hardwares poderosos o bastante para uma longa e plena vida.
            Quando você já começa quase 4x mais fraco, é isso o que acontece, consoles Mid-Gen que são apenas o que a geração deveria ter sido desde o início.

          • Concordo com tudo o que dizes, e digo mais desculpe se parecer arrogância mas não seria um tapa na cara da Sony se a XoneX ficasse nos 1080p.. Eu sei que com 6 teraflop’s é até um diperdicio, mas imagine Anthen a 60 fps com setings mais altos que o próprio PC. Ou um Halo super otimizado (iluminação por material, física de partículas etc…) tudo o que é pensado na hora da concepção, mas que se ficou de fora ou inferiorizado em nome da performance.

          • Só tens um pequeno problema com isso… e a ONE? Não te esqueças que, pelo menos oficialmente, a ONE X não é uma nova geração, mas apenas uma versão turbinada da ONE para apresentar os jogos em 4k.

            Se a Microsoft fizer isso, é impossível teres o mesmo jogo a rodar na ONE com uma qualidade semelhante.

            Seria um tapa na cara aos próprios clientes que em 2013 desembolsaram 500€ por uma consola que a empresa garantiu suportar durante 10 anos (e ainda estamos a caminho do 4º).

        • E eu a pensar que a esta altura do campeonato as pessoas já teriam chegado à conclusão que o PC é apenas sinónimo de desperdício de recursos…

          Alguém esteve a prestar atenção a um jogo chamado Horizon Zero Dawn que chegou este ano? Que roda a 1080p e 30 fps na consola base, a tal consola “obsoleta”? Temos aqui vários relatos de testemunhas que comprovam que o jogo a 1080p é igual à versão da consola mais poderosa, excepto na resolução extra.

          O que mais quero é que God of War e Days Gone cheguem à PS4 base para se poder comprovar a vida deste hardware.

          By Mission e Fernando, o que vimos está espantoso mas não temos garantias nenhumas de que se trata precisamente do que se consegue com as consolas completamente optimizadas, e motores de jogo que estejam a correr a todo o gás nas novas consolas.

          Voçês viram Days Gone, um jogo a correr no UE4, o qual no inicio da geração apresentou uma demo que nem conseguia correr muito bem na PS4. E disso passamos para um jogo de mundo aberto que consegue render ainda mais NPCs que Assassins Creed Unity! (falaram em 1000 daquelas criaturas em simultâneo), e num mundo extremamente detalhado.

          Na geração PS3 (e usando um caso que conheço profundamente), Uncharted 2 foi uma revolução gráfica que usava o hardware a 100%, Uncharted 3 fez o impensável e ainda usou mais o hardware da consola conseguindo subir ainda mais a escala e, como se isso não bastasse, ainda tivemos The Last of Us.

          Não só – God of War III já era espantoso a nível gráfico e depois veio God of War Ascencion a subir a escala sobre o título anterior.

          Os gráficos são impressionantes, mas eu li o artigo da Eurogamer e o que diz é o quão aquele jogo puxa pela placa da nVidia… mais nada.

          • Bruno, falando Good of War, recomendo baixar esse video da demo que rolou na E3 e assistir pelo ps4. Segundo o produtor, estava rodando no ps4 base se for mesmo, puts…. Poderiam ter segurado essa geração até ano que vem e ter partido para logo para a próxima. está muito lindo o jogo.

            http://www.gamersyde.com/news_e3_god_of_war_launching_in_early_2018-19239_en.html

          • Obrigado Andrio. Aproveito para avisar que já estão disponíveis videos nesse site de Days Gone, Spider-Man, Anthem e Star Wars Battlefront II (este a correr na PS4 – não sei se Pro ou Base), mas que já deve dar para comparar com a versão PC.

        • Isso não ocorreu na geração passada e não tem porque ocorrer nesta.

          Fernando, eu não te percebo. Há pouco falavas das maravilhas da optimização e deste o exemplo de Rise of the Tomb Raider e no quanto o hardware anterior tinha ainda a oferecer e agora vens com essa?

          Tu não achas que seria exatamente isso que alguém que tivesse tido contacto com o primeiro AC nas consolas da anterior geração diria ao ver AC Black Flag, tendo em conta a escala daquele mundo? OU então Call of Duty Advanced Warfare a rodar no hardware da geração passada, ou até mesmo Alien Isolation? Compara esses gráficos com os primeiros jogos a rodar na 360. Aliás compara TR Legend com o TR de 2013 e parece uma nova geração por si só!

          E foi isso que aconteceu, ou no fim tiveste o jogo a 720p nativos? E que dizer então de GTA V?

          Fernando e By Mission, as atuais consolas inovam em muitos níveis face às da anterior geração… Eu acho que o grande problema é que vocês não têm noção no quão melhor este hardware é face às consolas anteriores.

          Vaçam um favor a vocês mesmos e tentem determinar quantos stream processores ou cuda cores (no caso da PS) estão em cada placa das consolas da anterior geração. Agora comparem esse valor com os das atuais consolas. Vejam também o tamanho da Ram (de 500 mb passamos para 6 gb mais de dez vezes). Por outro lado deixem de olhar para a velocidade de relógio dos CPUs e olhem para o cada um é capaz de processar. Basta terem em atenção que um Pentium de 2004/2005 come pó face ao ARM que está no meu telemóvel quando o assunto são vídeos do youtube e navegar na net!

          Por último, pesquisem o GPGPU para terem uma ideia da revolução que ele é face às primeiras placas ATI que equipavam a Xbox ou àquilo que está presente no RSX da PS3. Diabo, aquilo é até uma enorme revolução face à arquitetura anterior à GCN!

          O que estamos a assistir é o normal resenrolar de uma geração com o PC agora, passados quase 4 anos a levar vantagem notória. mas isso sempre aconteceu e já aconteceu na anterior geração (basta olhar para TR de 2013 e o que foi posto na versão PC do mesmo).

          nada disto é novo, mas também nada disto significa que as consolas tenham que perder em qualidade face ao que tinham desde o inicio.

          • @Andrio,assisti este video ontem pelo ps4 e simplesmente soberbo,de todos os jogos desta franquia joguei somente o 1 e o 2(até o fim)e o 2 para mim é o melhor até hoje.
            O Barlog como diretor tem uma visão muito diferente deste jogo e as mudanças aplicadas por ele estão insanas de tão explosivas as cenas de ação.Nunca fui um fã desta sére,mas este jogo ta no meu top 10 antes de sair.

  2. Gabriela Pacheco 14 de Junho de 2017 @ 12:31

    MS deixou clara que fica a critério das produtoras estabelecer resoluções.
    No meu ponto de vista esta E3 tanto da Sony/Ms não quiseram elevar o tom sobre suas consolas mais poderosas para não matar os consoles atuais.
    Onex tem forca para elevar os games neste patamar , agora se a MS ira usar desta estratégia não sei pois a sony não usou coma pro e acho que fez certo pois não matou o ps4.
    O tempo ira ditar, o que precisa ficar claro em algumas matérias de games é não é estabelecido pela Ms que o jogo seja padrão 4k e 60fps, pois alguns sites publicam matérias como se fosse um erro do console.
    Como se diz controle de dano ativado

    • As consolas para subir resoluções e fps dependem de cpu e gpu. Pouco no primeiro caso, mais no segundo.
      Se o CPU der, fica tudo dependente do GPU. E é nesses casos, onde o CPU dá, que pode haver diferenças para a Pro.

    • Como teria de ser, a Bungee veio confirmar o que eu dizia. O jogo corre a 30 fps por limitação de CPU, e mesmo que a Scorpio corresse a 1080p ele não atingiria os 60 fps porque o CPU é que está a limitar.

      Mas eu não deixo de ficar chocado se lê e se aceitam essas teorias da conspiração, quando basta pensar um bocadinho para se perceber imediatamente o que se passa.

      Mas o pior é que o Phil Spencer ele próprio deitou lenha para a fogueira ao abordar esse tema. Admiro muito senhor e vocês sabem disso, mas neste caso ou se revelou ignorante, ou puramente foi parvinho.

  3. Curioso para saber se haverá alguma mudança como aumento de vendas do Xbox e leve desaceleração do PS4.
    Nesse momento, o XBox ONe X é o console mais desejado na Amazon, seguido pelo Nintendo Switch. O interesse no PS4 Pro se mostra menor que no PS4 convencional.

    https://www.amazon.com/gp/most-wished-for/videogames/ref=zg_bs_tab_t_mw

    Caso o Xbox One X comece uma trajetória de sucesso e o PS4 Pro não tenha uma alta na procura, a Sony vai se sentir forçada a lançar o PS5 mais rápido.
    O mais importante para o mercado é a seguinte pergunta:
    Como o publico percebe o Xbox One X, nova geração ou Xbox One melhorado?

    Eu tenho amigos sem muito conhecimento que pensam que o PS4 Pro é inútil sem uma TV 4K e um outro que fez a atualização e diz que em uma boa TV 4K não fez muita diferença do upscaling do modelo base.
    Se as pessoas tiverem a ideia de que as melhorias do Xbox One X vão além de resolução, o efeito pode ser positivo à Microsoft.

    • Em entrevista com o TheVerge, Phil Spencer falou sobre a nova Xbox One X e sobre como acredita que a PlayStation 4 Pro da Sony não é uma concorrente para a sua consola mais poderosa.

      Spencer, patrão da divisão Xbox da Microsoft, defende que “Olho para a PS4 Pro mais como uma competidora da Xbox One S do que da Xbox One X.”

      “Esta é uma verdadeira consola 4K. Se olhares para as especificações desta caixa, está numa liga diferente da de qualquer outra consola disponível,” acrescentou Spencer sobre o poder da Xbox One X.

      http://www.eurogamer.pt/articles/2017-06-13-microsoft-a-ps4-pro-nao-e-um-verdadeiro-sistema-4k

      • Segundo avançado pelo VG247, a Microsoft não garante que todos os jogos corram a 4K nativa na Xbox One X, mesmo que vejas o logo na capa ou na descrição.
        A partir do próximo outono, começarás a ver novos logos nas capas dos teus jogos Xbox One, que indicam de que formas foram optimizados para a Xbox One X, a consola mais poderosa da família de consolas Xbox One.

        A Microsoft procura informar com cada um deles, que podes ver aqui ao lado, se o jogo suporta HDR, se corre a 4K e se apresenta optimizações para a Xbox One X.

        Segundo a companhia, o logo “4K Ultra HD” indica que o jogo corre a 2160p mas isto não significa automaticamente que seja nativa 4K. Este logo será utilizado em jogos que suportem resoluções dinâmicas e técnicas checkerboarding.

        http://www.eurogamer.pt/articles/2017-06-14-o-logo-4k-num-jogo-xbox-one-x-nao-significa-que-seja-nativa

        • Esses tipos de notícias não são algo que o público que não entende o assunto irá digerir bem.
          Pouco é noticiado sobre a forma como o PS4 Pro consegue o 4K e resumem tudo à expressão Checkboard Rendering.
          A maioria dos jogos do PS4 Pro não está atingindo 4K nem com Checkboarding rendering. Os desenvolvedores utilizam o Chackboard para atingir 1800p, que seria o equivalente ao que 900p é para o 1080p, e o console termina por fazer o upscaling tradicional para 4K.
          A forma seletiva como determinadas informações são passadas, pode fazer com que as pessoas que não joguem nos dois consoles coloquem os dois no mesmo patamar, até por que quem comprar para utilizar em TVs 1080p não vai ver diferença nem se o Pro estiver em 1440p e o X em 4K nativos.
          O que é certo é o seguinte, o Xbox One X não pode dar conta de todos os jogos em 4K, é óbvio, mas ele conseguirá 4K com menos compromissos do que o PS4 Pro.

      • Phil Spencer tem derrapado muito nas últimas semanas.
        Ele falou isso por causa do foco que estão dando no preço. O Xbox One X é 100 dólares mais caro que o PS4 Pro.
        A verdade é que dessa vez o Xbox justifica em melhorias de performance e para uma máquina capaz do que faz, nenhum PC de 500 dólares é comparável, porém, ele escolhe errado as palavras nas declarações.
        É óbvio que o PS4 Pro é o concorrente direto do Xbox One X. Bastava ele dizer o seguinte:

        Somos 100 dólares mais caros mas esses 100 dólares garantiram um leitor de Blue Ray 4K, 4GB Adicionais de memória RAM, 50% a mais de largura de banda e cabe um PS4 dentro da nossa superioridade na potência da GPU.

        • Não só o Phil, mas toda a divisão Xbox vem derrapando desde a apresentação do Xbox One. Agora nem todos os jogos serão 4K nativos no X, mas perae, não era isso que eles haviam prometido??? Parece que mudaram todo a divisão Xbox da geração 360 pra essa, não é possível

          • A Microsoft está tão desesperada que só fala em 4K.
            Eu sigo várias pessoas no twitter do lado verde da força, mas o assunto é isso. Pior que esse marketing está dando certo. Várias pessoas achando que todos os jogos serão a 4k 60fps com tudo no ultra.

          • O pior nem é isso olha a entrevista do Phill.

            Neste momento há uma situação que tem estado a ser bastante discutida e implica as consolas da Sony e da Microsoft, que é a possibilidade de haver acordos entre companhias para limitarem o desenvolvimento e aproveitamento técnico das consolas. Foi sobre este assunto que Phil Spencer falou em entrevista com o Gamespot.

            Não é segredo para ninguém que Destiny 2 corre a 30fps na PlayStation 4 Pro e ficámos a saber que o jogo irá ter o mesmo desempenho na Xbox One X. As declarações da Bungie revelaram que a consola da Sony não tinha poder para correr Destiny 2 a 60fps, no entanto, há rumores que indicam que isto é produto de um acordo entre a Sony e a Activision que limitaria a versão da concorrência para que não corra melhor que na PS4 Pro.

            Ao abordar esta questão, Phil Spencer mencionou que, embora não tenha conhecimento dessa situação, isso a ser verdade seria negativo para a indústria.

            “Tentarei não meter-me em problemas com isto. Direi apenas que não conheço algo sobre os outros acordos de desenvolvimento. Vocês mencionam algo sobre cláusulas e de coisas que não faço ideia. Mas se alguém faz um acordo que detenha a inovação técnica num videojogo ou onde quer que seja, isso não faz bem à indústria”.

            Posteriormente Spencer foi questionado sobre o passado da Xbox, quando houve ocasiºoes em que a companhia assinou acordos de exclusividade sobre algumas características em jogos Thir-party e mencionou que nessa altura ele tinha outro cargo e que não era a favor desses acordos.

            Por fim o patrão da divisão Xbox da Microsoft disse que, “Sobre os acordos que temos hoje, não ouvirás da parte deles algum personagem que não se possa jogar noutra plataforma. E jamais chegaremos a uma situação onde se diga: não podes fazer algo que é possível noutra consola, só para beneficiar-nos. Não vi esse tipo de acordos e se isso começa a acontecer na indústria, penso que não seja positivo.”

            http://www.eurogamer.pt/articles/2017-06-14-spencer-fala-sobre-rumores-de-um-acordo-entre-destiny-2-e-sony

          • By Mission… vamos ser racionais.
            Num sistema tens recursos do GPU e recursos do CPU. O GPU trata dos pixels e geometria, o CPU trata da fisica, das colisões, da interpretação de comandos, da sincronia entre todos os elementos do jogo, das solicitações de desenho ao GPU, e da coordenação de tudo isto com os fotogramas.
            Num jogo, todas estas situações utilizam partes dos recursos de um CPU e o desempenho gráfico usa os recursos do GPU.
            No caso da Scorpio a consola precisa do quadruplo do processamento gráfico para subir a resolução de 1080p para 4K. Se quisesse subir os fps para o dobro, teria de multiplicar esse requesito por mais dois. Basicamente precisarias de 10 Tflops para isso, algo que a X não tem!
            No entanto a conponente gráfica não é tão linear como isso, porque há um aumento de performance que é obtido pelo aumento da velocidade de cálculo e simultaneamente pelo aumento das unidades de cálculo. E isso significa que poderias fazer com menos.
            Aceitemos que até seria possível o GPU fazer isso. Teoricamente, pelo método de análise mais básico, vemos que ele não tem capacidade para tanto, e apenas pode passar para 4K os jogos 1080p mantendo os FPS (consideremos que estes são fixos e bloqueados), mas não para fazer isso e duplicar os fps.
            Ou seja, na verificação mais básica (e mais passível de erro) temos: 1,31*4*2 = 10.48 Tflops
            Mas vamos aceitar que até conseguiamos que o GPU daria.
            Para que a subida dos fps fosse efectiva, o CPU teria de duplicar os recursos que possui atribuidos a toda a gestão do mundo 3D. Precisava basicamente de calcular o dobro no mesmo tempo.
            E isto não é só uma questão de performance, é tambem uma questão de velocidade. Aqui não importa só se poderias despender o dobro dos recursos, mas saber se o CPU poderia calcular o dobro no mesmo espaço de tempo. E o CPU da Scorpio é só 31% mais rápido que o da One. E apesar que possui melhorias que lhe podem reduzir mais a ocupação destinada aos comandos de desenho que cria, ele não só tem de conseguir alocar o dobro dos recursos à gestão do mundo, como fazêr o dobro no mesmo tempo, ou fazer o mesmo em metade do tempo.
            Como vês isto começa a colocar uma quantidade de ses. Isto é muito bonito num CPU que passa de 4 para 8 núcleos que processam em paralelo, ou que sobem a velocidade de relógio. Aqui não é bem assim!
            Eu não vou dizer que isto é possível ou que é impossível, mas alertar apenas para que refreiem os anímos. Não só não acreditem que 4K será algo possível em todos os jogos, como questionem mesmo muito sériamente os 4K 60 fps sem resoluções dinâmicas (excepto quando a One tambem já atingir os 60 fps).
            É só um alerta para depois não haverem surpresas e decepcionados.
            Como nota final, o CPU da Pro é 38% mais rápido que o da PS4. O da XOX é 31% mais rápido que o da One. Se o elemento limitador for o CPU, não vejo como uma ter 30 fps e a outra 60. Só mesmo se o limite estiver no GPU.

          • Nem todos os jogos são 1080p no PS4 e foi isso que pregaram bastante em 2013.
            Esse é o marketing. O Xbox ONe X conseguirá 4K em uma gama de jogos maior que o PS4 Pro, assim como o PS4 conseguiu 1080p em uma gama maior de jogos.
            Tanto o Xbox One é capaz de 1080p quanto o PS4 Pro é capaz de 4K.
            A Microsoft está fazendo o mesmo que a Sony fez.
            Quando a geração começou, a Microsoft foi a primeira a adotar artifícios para converter a imagem não nativa, como o hardware de upscaling que diziam ser melhorado e a implementação de resolução dinâmica nos games.
            Basicamente é a mesma abordagem da SOny com o Ps4 Pro para driblar as deficiências e ter um output 4K.
            A diferença é que quando a Sony faz, é solução inteligente, boa gestão de recursos. Quando a Microsoft faz, é o dilúvio.

          • Aliás basta ver que a própria Sony faz publicidade à Pro como 4k capable console. E na realide não é.

            A questão é saber aquilo que a ONE X vai conseguir por no ecrã e se vale à pena o upgrade. O resto não importa saber como obteram.

    • Depende de como lidará com a ONE e qual o efeito disso no público. Se tiver melhorias além da resolução, a ONE fica definitivamente para trás e já estamos a falar de um salto geracional – algo que após ver Forza 7 também me cheira, pois estou curioso para ver o jogo a correr na ONE.

      Mais uma vez, nunca a consola mais potente foi a mais popular. E com me tenho fartado de dizer, agora será a guerra de potência vs exclusivos. Aliás as recentes declarações da Sony confirmam o que já suspeitávamos, que a empresa já tem uma resposta pronta face a um eventual sucesso da ONE X: anúncios surpresa, o que retirou da E3.

      Não te esqueças que por altura do lançamento da ONE X a Sony pode vir com várias bombas: descida de preço, anúncios de exclusivos (tens a Gamescom, PGW e o PSX a rodear o evento).

      E há muito por anunciar. Depois… o representante da Sony pode não ter sido 100% sincero mas tem razão no ponto – quem programa, geralmente programa para onde tem mais púbico e neste momento isso é a PS4 com o dobro dos utilizadores.

      Mesmo que a ONE X inicialmente suplante as vendas da PS4, demorará tempo até que se torne desejável o suficiente para optimização específica. Por último não estás a comparar 540p com 720p, ou 720p com 1080p. Estás a comparar 1800p com 2160p, num mercado onde esses ecrãs ainda não dominam. Não é o mesmo que no inicio da atual geração em que o grosso era 1080p.

      E como já fiz saber várias vezes, estamos a falar de uma tecnologia que ainda precisa andar muito nas TVs para que seja mostrada em todo o seu esplendor, e no mais importante – os ecrãs. Ainda está tudo muito embrionário e vai demorar para arrancar.

      • Curiosamente, tal como aconteceu com a Pro e com os possuidores da PS4, essa devia ser a questão que os possuidores da One deveriam colocar-se.
        Eu pessoalmente é a questão que me coloco: Como é que, no meio disto tudo fica a One.
        E digo desde já, mas se ficar mal, vendo-a. Porque quando compro uma consola espero tirar partido dela por um periodo de pelo menos 5 anos (e sim, comprei-a no lançamento, em Londres onde estudava e agora trabalho). Na altura paguei 100 euros por aquilo que agora é uma peça decorariva em forma de câmara, e estou a ver que os restantes 399 euros correm o risco de se tornar igualmente obsoletos com apenas 4 anos de vida.
        Disse 4 anos, mas o certo é que dado o suporte que a consola teve este ano, nem sei se o contabilize.

  4. Realmente depois desta E3 o controle de danos vindo de alguns sites ex esta tremendo, enfim so vamos saber como ira ordar os jogos após o lançamento.

  5. E acaba de começar uma “guerra” nos bastidores…

    Jim Ryan da Sony acredita que jogos do Xbox One X serão limitados pelo PS4 Pro, mas alguns devs defende a Microsoft

    http://www.windowsclub.com.br/jim-ryan-da-sony-acredita-que-jogos-do-xbox-one-x-serao-limitados-pelo-ps4-pro-mas-alguns-devs-defende-a-microsoft/

    • Não é isso exactamente que ele diz. Ele alerta para um facto que já no início desta geração se abordou e que vimos aplicado a muitos jogos. A paridade!
      Temos muitos jogos assim! E ele acredita que isso poderá igualmente acontecer com estas duas consolas.
      No entanto, se me perguntas, acho que ele não está a ver bem a coisa. Primeiro porque no caso da PS3 vs 360, retirar todo o poder da PS3 não era exactamente uma coisa simples, e segundo porque na atual geração não temos visto essa paridade em todos oa parâmetros.
      Se vires, a paridade visual entre PS4 e One tem existido. Mas não na resolução! E diga-se até que a diferença entre as consolas tambem não dá para muito mais.
      A ser aplicada a atual lógica aqui, poderá tentar-se paridade entre as consolas de meio de geração, mas não na resolução.
      Daí que, independentememte de a correcta interpretação das suas palavras não ser a que dizes, não te estou a tirar a razão, e este senhor está, a meu ver, a dizer asneiras, apenas porque lhe interessa dizer as mesmas.

  6. Veja Mario.

    A chap from a legal firm emailed me to suggest that Sony would be in violation of EU anti-competition laws IF they paid for graphics parity.

    https://twitter.com/JezCorden/status/875222294980771841

    • Felipe, eu recuso-me a entrar em conversas idiotas e sem fundamento. Tal como eu sempre disse há que se pensar com racionalidade e não entrar em teorias da conspiração. E nesse aspecto aquilo que eu dizia a Bungee já veio confirmar: O limite de Destiny 2 é o CPU, e quando é o CPU não há GPU que valha. Destiny 2 podia correr a 1080p ou até a 640×480, na XOX que corria na mesma a 30 fps.
      Sinceramente acho que as pessoas estão iludidas com a XOX. Aquela consola tem um CPU Jaguar apenas 31% mais potente que o da One! Não vai fazer milagres quando o limite for o CPU!

      • Mas quem tem iludido os amantes da marca Xbox são justamente os site fanboys como Windowclub aqui no Brasil, alia já se pede até que os usuários Xbox boicoteiem o jogo por causa desta teoria da conspiração sobre a performance. E pior é que muitos já sabem que o Xbox One X veio com o Jaguar e não Rayzen e que este primeiro seria seu gargalo.
        Sinceramente eu não acredito que as pessoas ainda dêem ouvidos a quem pensa assim, contrariando o que o cara da Sony disse que os contratos sobre Destiny já estão definidos desde antes do lançamento do Ps4 e One em 2013,ou mesmo o que a bangie veio a revelar que o que impede o jogo de rodar a 60fps é a engine e o Cpu de tablet destes consoles.

        PS: A Sony obriga tanto a Bangie que o primeiro Destiny saiu igual no PS4 e One kkkk

        • HAHAHAHAH. Até o jogo da bioware nao é 4k nativos.
          Mas a culpa também vai ser da Sony. hahahaha

          • Só o fato de ser confirmado que aquilo rodou no hardware do console realmente em tempo real faz a conversa 4K ser a menor das preocupações.
            Se o Scorpio precisa de Checkboard para rodar aquilo, o PS4 Pro não vai dar nem 1440p.

          • A lógica não é exactamente essa. Pois assim a PS4 seria 720p e a Xbox One seria 480p. Os ID buffers e 2xFP16 da Pro permitem ganhos no uso do chequerboard que a X não tem. Teremos de esperar para,ver.

        • Apesar de todo o paleio da Microsoft quando colocou Forza. 4K e até ultrapassou o nível de detalhe Ultra, percebi logo uma coisa. O número de carros em pista não tinha sido alterado. Ou seja, basicamente tudo tinha sido ganho no GPU, mas o CPU ficou igual.
          Subir a resolução requer pouco CPU, apesar que o requerido depende do aumento de resolução (mais aumento -> mais CPU). Mas nos fps é limpinho. Duplicar fps requer o dobro dos recursos alocados ao CPU para isso. 31% dificilmente permitem duplicar os fps e passar para 4K, excepto em joguinhos mais indie.

          • Sobre isso, quem fez Doom para as consolas de nova geração não tinha dito que o conseguiu graças ao GPGPU? Ele não pode ser usado?

          • Não.. o GPGPU tem limitações… dadas as disparidades da capacidade de cálculo do GPU (muito mais rápido) e do CPU o GPU não pode calcular elementos que interfiram com a jogabilidade.
            A Fisica que ele calcula tem de ser física meramente relacionada com as animações, a IA apenas com NPCs não relevantes, etc. etc.
            O CPU não consegue acompanhar a velocidade de cálculo do GPGPU, e como é ele que coordena todo o mundo, aquilo que é verdadeiramente relevante ao mundo 3D com que interages não pode ser calculado no GPGPU.
            Ele é usado por isso para fisica de tecidos, animações de água, cálculo de ventos e animações de vegetação, movimentação e animações de animais que apareçam como meros elementos visuais, cálculo de movimentação de nuvens e sombras, audio, particulas, efeitos visuais, etc.
            Mas colocar o GPGPU a calcular veiculos contra os quais corres não é ainda, nesta fase possível. Para isso necessitavas de algo 100% gerido pelo GPGPU.
            O aumento de resolução implica maior coordenação com as texturas, verificação de transparências, etc, etc. E requer mais CPU quanto maior for a resolução (mas aqui falamos de algo reduzido). O dobro dos fps pode ser obtido usando o GPGPU para o aumento do cálculo da parte do GPU, mas a coordenação de todos os fps com o CPU mantêm-se restrita à capacidade de CPU.

            No caso de DOOM o GPGPU não estava a ser usado, e quando foi usado, permitiu libertar o CPU para que este tivesse capacidade de coordenar os 60 fps. Mas isso foi no primeiro jogo da ID! Estas empresas que lançam mais jogos já usam o GPGPU e o CPU já está libertado no máximo que pode. Nesse aspecto os jogos piores são os multijogadores online que requerem muito mais CPU.

            A XOX tem melhorias que permitem obter mais libertação do CPU do que na ONE. Mas mesmo assim isso não pode acontecer sempre. É algo que acontece na libertação de recursos ligados ao processo gráfico, não ao restante. Se um jogo for predominante no uso do CPU para o resto, nem isso lhe vale. E os jogos multi online normalmente são assim.

          • Entendo… no entanto, não me parece que a Sony e a Microsoft se limitassem a por o Jaguar se não contassem mais com o GPGPU.

            Tudo o que dizes parte do princípio que tudo o que GPU faz lhe é dado pelo CPU, isto é, todas as chamadas de desenho, enfim todas as instruções de provessamento são geridas no CPU e depois é dado ao GPU. Mas penso, sobretudo no caso da Sony dado o seu historial anterior com CPUs (o cell tinha os SPUs para vectorização e o EE também tinha unidades de vectorização), que o grande objetivo do GPGPU não é só libertar o CPU mas tornar-se independente dele.

            Tendo em conta a memória unificada, o que significa que as mesmas informações podem ser acedidas em simultâneo tanto pelo CPU com pelo GPU, não será possível deixar o GPU a tratar disso?

            A noção que tenho de uma CU da GCN, é que é tão versátil como um núcleo de CPU no que é capaz de processar.

          • Sim.. o GPGPU apenas é independente nas situações como as referidas, pois essas podem ser inseridas no grafismo sem que o CPU se tenha de interessar por elas.

            A memória unificada é efectivamente um passo no sentido de sentido melhorar a comunicação dos dois, mas um GPU executa milhares de Gflops por segundo, ao passo que o CPU fica-se pelas centenas de Gflops. A sincronia entre os dois no relevante para o universo 3D é impossivel sem grandes penalizações no GPU. Daí que a memória unificada neste momento é mais interessante no sentido de não terem de ter duas pools com dados repetidos, podendo fazer o mesmo com metade da RAM, do que verdadeiramente no sentido de permitir o GPU substituir o CPU.

            Mais interessante do que a memória unificada é o que a PS4 possui, que é o acesso do GPU às caches do CPU e vice versa. Isso sim, permite ganhar bastante tempo no processamento, apesar de não permitir igualmente que um substitua o outro.

            Sincronizar os dois totalmente obrigaria o GPU a parar processamento ficando a aguardar por dados. Daí que a independência seja a melhor solução pelo menos para já. Mas há metodologias novas em estudo para isso, não sei é que sucesso tem vindo a ter.

            Curiosamente não so um CPU é lento a calcular grafismo, como um GPU a emular um CPU tambem seria lento. Apesar de conseguir fazer o mesmo não tem a mesma versatilidade nos comandos.
            Num exemplo de vida real… Compara um balão de ar quente (CPU) com um comboio de alta velocidade (GPU). O comboio pode levar muitos mais passageiros sendo muito mais rápido e pode e ir aos mesmos sítios do balão mais lento. Mas tem de ir pela linha ferrea e está limitado aos acessos existentes, ao passo que o balão pode ir pelo caminho mais curto e directo.
            Pode não ser o melhor exemplo, mas dá para perceber as diferenças.

            Há porem já muito onde o GPGPU interage. Por exemplo, o CPU detecta a colisão com uma árvore, e dá ordens ao GPGPU para tratar da animação da queda da arvore. Antes isto era 100% responsabilidade do CPU.

          • Vai reescrever um motor totalmente só por que um dos 4 consoles em que o jogo rodará tem muito poder de GPU sobrando? Ainda mais quando será a versão menos vendida do jogo?

            A decisão da Bungie é coerente dentro das limitações que eles mesmo criaram quando escreveram a engine. Rodar a 60fps em consoles nunca foi a intenção deles, da mesma forma que essa engine deve estar amarrada ao Directx 11 ainda. Destiny 2 visualmente parece só uma atualização do tipo 1.5.

          • @Bruno

            Ainda está seduzido pelo conto do GPGPU que a Sony lançou em 2013?

          • ?????? Bem, quem pergunta agora sou eu? Sendo a One a consola que mais usa o GPGPU tu não estás. Como achas que passaste de Forza 5 para Forza 6 e agora Forza 7? Milagre? Overclock?
            A Xbox One X bate um PC a 4K em Forza 7 não é pela potência bruta. É porque a Xbox usa o GPGPU nesse jogo e na versão PC, devido à compatibilidade com a Nvidia o GPGPU não é usado na mesma proporção, requerendo por isso mais força bruta.
            É essa optimização do hardware único que permite isso. Ou achas que igualas a performance de uma placa de 11 Tflops de uma Titan X com ar e vento?
            Aliás esta pergunta aplicava-se já à One. Como achavas que ela se igualava a placas de 5 ou mais Tflops. Ar e vento?
            DirectX 12 sem GPGPU era Forza 5… Daí para a frente é mais e mais GPGPU!

        • Destiny estava prestes a sair em 900p no Xbox One. A Microsoft ajudou a Bungie nos meses pré-lançamento para conseguirem 1080p, assim como eles ajudaram a Ubisoft com The Division.
          A beta de Destiny foi 900p no Xbox One.

  7. [OFF] Dias antes da E3, li em um sítio que em uma coletiva da Sony surgiu rumor de que na próxima geração a Sony abandone o APU e volte para o esquema CPU e GPU separados, o que você acha Mário?

  8. Queria postar isso na notícia de Xbox mas os comentários estão fechados.

    Parece que a Microsoft da França deixou escapar o número real de unidades vendidas do Xbox One: 36.2 milhões.

    https://winbuzzer.com/2017/06/19/microsoft-france-leak-shows-xbox-one-sales-figures-xcxwbn/

    Apesar de ser claro que fez bem menos que o PS4, se for realidade, o console continua superando o Xbox 360 e caminhando para ser o Xbox mais vendido. É bom para a indústria.

    • Há uma polémica muito grande com isso que não sei se estás a par.

      Eis o que consegui apurar:

      O maior problema é que esse site Francês possuia links sobre os números que indicavam como fonte o Wiki Frances da Xbox, situado no link de baixo:
      https://fr.m.wikipedia.org/wiki/Xbox_One

      Ora acontece que não só os números que lá estão não são oficiais como eles são retirados do VGChartz.
      E até à bem pouco tempo, o que lá estava era isto (tradutor automático para Ingles activo na captura)

      Figures for 26 November 2016 [ 4 ]
      International release 36.2 million
      United States 18.40 million
      Europe 11.0 million
      UK 4.20 million
      la France 1 502 324
      Germany 1 127 121
      Japan 150,857

      Daí que esse site retirou o valor e aparecem os 36.2 milhões.
      Acontece que se fores lá agora, alguem corrigiu durante o dia de hoje os valores para os mais recentes do VGChartz, e os números agora são (e estes agora batem certo com os do VGChartz):

      Chiffres du 23 avril 2017[4]
      Sortie internationale 29,6 millions
      États-Unis 16,8 millions
      Europe 7.9 millions
      Royaume-Uni 3,70 millions
      France 1 088 675
      Allemagne 939 425
      Japon 78 481

      Basicamente o site, na falta de números oficiais recorreu a uma fonte que tinha os números errados pois como qualquer um pode editar o WIKI, alguem resolveu aldrabar números.

      Depois quem refere esses números não é a Microsoft França, é a “Microsoft House of Fans”, uma comunidade Facebook de fans Xbox Franceses, apoiada pela Microsoft.

      Questionada a Microsoft sobre o assunto, a empresa referiu que “não tem qualquer novidade para comunicar sobre os números de vendas”, o que não confirma nem desmente.
      Perante estes dados, a credibilidade que dou à noticia é basicamente zero.

Deixe um comentario

O seu e-mail nao sera publicado.


*