Sony e Microsoft – Os maiores sucessos e… flops!

Sucesso_falhanço

Normalmente nesta página quando nos referimos aos nomes Sony e Microsoft as suas consolas aparecem associadas. Mas nem só de consolas vivem estas empresas. E mais do que isso, nem todos os seus produtos foram grandes sucessos!

Microsoft

A Microsoft é uma empresa multinacional associada à tecnologia, e com sede em Redmond, Washington. Dedica-se essencialmente ao fabrico, licenciamento e venda de software para computadores e outros produtos electrónicos. A empresa é acima de tudo conhecida pela sua linha de sistemas operativos Microsoft Windows, bem como pela linha de produtos empresariais Office. A nível de outros produtos na área do hardware, onde a empresa se tem destacado pela qualidade, tem sido na sua gama de consolas Xbox, e mais recentemente pelos seus tablet PCs Surface. É uma das empresas maiores do mundo no que toca a receitas geradas (95ª posição em 2015 na Global Fortune 500 que engloba as 500 empresas mundiais que mais lucros geram) e igualmente uma das empresas mais valiosa do mundo.

Maiores sucessos

No campo dos sucessos, o Microsoft Office aparece como um dos produtos de destaque. É um dos produtos que mais receitas gera para a empresa, e ainda hoje é visto como uma referência neste tipo de produtos, sendo usado por milhões de empresas e mesmo particulares, em todo o mundo.

Um outro produto que teremos de incluir como um dos grandes sucessos da Microsoft foi o Windows NT. Durante os anos 90, este produto cimentou a Microsoft na área dos sistemas operativos, suportando as arquitecturas Power PC, ARM, e claro, o x86 que todos conhecemos.

Mas uma das ancoras do crescimento e sucesso da Microsoft foi o Windows 95. Foi uma grande evolução face ao Windows 3.1, modernizou o ambiente de trabalho para aquilo que ainda hoje é considerado um standard, revelou-se estável e funcional, e tornou-se no sistema operativo de referência da altura.

Mas eis que surge outro dos grandes sucessos da Microsoft, o Windows XP. A qualidade deste sistema operativo passou todas as expectativas, e ainda hoje é encarado por muitos como sendo um dos melhores sistemas operativos de sempre. Funcional, estável, e com tremendas capacidades, foi mais um dos grandes sucessos da empresa.

Finalizamos esta lista dos 5 produtos melhor sucedidos nesta empresa com o Windows 7. Após um desastroso Windows Vista que foi muito mal encarado pelo público, o Windows 7 repõem a estabilidade, fiabilidade, e leveza que o XP nos tinha habituado, e rapidamente tornou-se um sucesso. É ainda hoje usado por uma grande fatia de empresas e utilizadores.

Estes 5 produtos estão na base daquilo que a Microsoft é hoje, tendo ao longo dos tempos sido preponderantes no crescimento da empresa.

Maiores flops 

Mas nem só de sucessos vive a Microsoft, e esta tambem teve produtos que se revelam insucessos. Eis os 5 mais relevantes:

Vamos começar por aquele que terá sido o maior fiasco de todos da Microsoft: O Windows ME!
Para quem o experimentou, este é o sistema operativo que mais desejará esquecer. Apressado para o mercado, não se aguentou por lá mais de um ano. Cheio de incompatibilidades, lento, cheio de bugs e instável. Basicamente tudo o que o Windows 95 não era, mas que este sistema pretendia vir substituir.

Ainda dentro dos produtos Windows, temos o já falado Windows Vista. Este era suposto ser o revolucionário novo Windows, mas a reação do público ao mesmo foi terrível pois este era pesado e lento, não se percebendo reais vantagens sobre o XP. A Microsoft chegou mesmo a tentar uma intensa campanha de marketing que pretendia convencer os consumidor que o sistema não justificava as críticas. Mas as medidas intrusivas de DRM aplicadas e o uso excessivo de memória e CPU a um nível que mais nenhum sistema operativo requeria, acabaram por o matar de vez.

O próximo insucesso abandona, pela primeira vez neste artigo, o campo do software. Vamos falar do Zune, o leitor MP3 da Microsoft.
E não é que o Zune fosse mau tecnicamente. Apenas que pecou por ter chegado tarde de mais e oferecer muito pouco para o que já havia na altura, tendo chegado ao mercado 5 anos depois do primeiro iPod.
Ao fim de 3 anos, a Microsoft descontinuou o produto.

Um outro flop de toda a dimensão foi a tentativa da Microsoft de tentar trazer o Live para o PC com o seu Games for Windows Live.
A Microsoft pretendia nesta fase fazer com os seus jogos PC o mesmo que se fazia na Xbox, possuindo porém alguns problemas, a pirataria existente na plataforma e a falta de vontade dos utilizadores PC de pagar por um serviço deste tipo.
Nesse sentido o serviço foi considerado demasiadamente intrusivo. Para evitar a pirataria e o uso indevido do serviços, este limitava o número de instalações de um jogo que os utilizadores podiam fazer, e os jogos tinham de ser autenticados online, o que era um processo lento e que forçava ao uso de internet. Na altura a integração do serviço com os jogos comprados e registados no Steam tambem não funcionava corretamente!
Basicamente, as vantagens oferecidas empalideciam face às desvantagens que eram acrescentadas a uma plataforma que nunca as teve, e os piratas que continuavam a jogar os mesmos jogos não sofriam dessas desvantagens, fazendo os utilizadores legais sentirem-se como de segunda classe.

Como ultimo produto desta lista (o que quer dizer que o Windows 8 se vai salvar de aparecer) temos o Surface RT. Apesar de atualmente o Surface ser um dos produtos de sucesso da Microsoft, a versão RT, destinada aos produtos ARM, foi um flop. Os produtos ficaram quase todos nas prateleiras devido ao facto que este produto, apesar de ostentar o Windows 8, na realidade não era compatível com os programas desenvolvidos para ele, requerendo versões específicas do software. E estas versões nunca chegaram a aparecer uma vez que a maior parte dos fabricantes OEM abandonaram imediatamente o produto.


Sony

A Sony um conglomerado de empresas multinacionais com sede em Konan MInato, em Tokyo, no Japão. O seu negócio é bastante diversificado e nas suas principais componentes engloba electrónica profissional e de consumidor, gaming e serviços financeiros e de entretenimento.

Apesar de alguns anos controversos onde a empresa gerou prejuízo atrás e prejuízo, a empresa re-estruturou-se e voltou a entrar nos lucros, ocupando em 2015 a 116ª posição do Global Fortune 500 que lista a nível mundial as empresas que mais lucros geram.

A empresa é constituída por várias subsidiárias estando envolvida nos video jogos, produtos e serviços de rede, filmes e música, o que tornam a empresa a empresa de entretenimento mais abrangente do mundo.

Maiores sucessos

Apesar de ser um produto pouco conhecido da maior parte dos consumidores, um dos grandes sucessos da Sony foi o JumboTron. Este era um produto de elevado custo e desenvolvido para um nicho de mercado, as gigantes arenas e estádios de todo o mundo. E apesar de estes ecrãs gigantes terem deixado de ser produzidos pela empresa, o nome ficou associado de tal forma ao produto que falar em JumboTron no mercado dos ecrãs gigantes é o mesmo que usar o termo Kispo ou Coca-Cola.

Blu-Ray foi um produto que teve um início algo acidentado e que demorou a pegar. No entanto, atualmente é um standard de sucesso, apesar que deverá vir a ter substituto em breve. O formato entrou junto com o HD DVD da Microsoft e conseguiu impor-se em parte devido ao sucesso da Playstation 3 que o trazia por defeito.

Mas falar de sucessos da Sony obriga a falar do Walkman. Este foi um produto que dominou e revolucionou o mercado no seu tempo. Podemos mesmo dizer que foi o pai dos leitores de musica portáteis de massas.

Um dos produtos que mais lucros trouxe à Sony e que foi mesmo um dos grandes responsáveis pela sua recuperação financeira foi a sua consola. A Playstation!
Com a sua primeira consola a Sony entrou em território que era dominado pela Sega e pela Nintendo, entrando de rompante e tomando a liderança. Atualmente a marca Playstation é encarada como simbolo de bom entretenimento e na atual geração é líder de vendas a nível de consolas.

Não podíamos no entanto excluir desta lista o bom e velho Compact Disc (CD). Apesar de atualmente o seu uso estar limitado aos CDs de musica, o media dominou durante quase 20 anos, fazendo a transição do analógico para o digital. Foi um produto marcante no domínio do entretenimento e que é certamente digno de figurar eternamente em qualquer lista dos produtos mais marcantes da Humanidade.

Maiores Flops

Tendo-se falado da vitória do Blu-ray face ao HD-DVD, nada melhor do que começar com a derrota do Betamax face ao VHS. E apesar de o Betamax ter aparecido primeiro, os menores custos do VHS e maior capacidade de alojamento de fita deram a vitória a este último, arrumando o Batamax do mercado.

Nos finais dos anos 90 a Sony lançou um produto que o público recebeu muito, muito mal! De forma a combater a conversão do audio dos CDs para os populares leitores de MP3, a Sony, em colaboração com a BGM, introduziu um DRM nos CDs. E este produto, não era mais, nada menos do que um rootkit que se instalava ao um nível profundo nos computadores onde os CDs eram colocados, e sem qualquer indicação dada ao utilizador.
Este Rootkit da Sony/BGM era, por definição, um virus, até porque absorvia recursos de sistema e, pior ainda, deixava o computador vulnerável a certos tipos de hack. A reação do público foi clara, com vários processos em tribunal que a Sony perdeu.

Perante o sucesso dos CDs e posteriores DVDs, a Sony resolveu trazer mini DVDs para os seus produtos. E criou o UMD!
Para o tentar popularizar, implementou-o na sua PSP, mas o custo, e a reduzida capacidade acabaram por matar o produto, até porque mais nenhuma empresa, para além da Sony o suportou.

Ainda nesta tentativa de criar um novo Media, a Sony apresentou o Minidisc. Um produto com potencial mas que, mais uma vez, sofria do problema do preço, e quando se ajustou para a era do MP3, o formato já estava em decadência. Este produto poderia ser algo que fazia a ligação entre os CDs e os MP3. A questão é que… ninguém precisava dessa ponte!


Com um grande sucesso na veda de câmaras digitais, a Sony resolveu apresentar um formato de cartão de memória proprietário. E eis que surge o Memory Stick.
Numa altura onde o cartão SD começou a popularizar-se, os bastante dispendiosos e maiores Memory Sticks não tinham razão para existir. E não havia qualquer razão técnica visível nos mesmos para os seus preços mais elevados pelo que o formato, mais uma vez, desapareceu.

Em 2012 a Sony apresenta uma revolução a nível de consolas móveis, a PS Vita. Com uma capacidade de processamento capaz de superar tudo o existente, a Vita revela-se a consola portátil mais potente de sempre. Possui uma excelente ergonomia, podia ser usada como controlador de PS3 ou mesmo de PS4 e permitia jogar jogos dessas consolas usando o “Remote Play”!
Com retrocompatibilidade para a PSX, um ecrã de alta definição de elevada qualidade, e uma série de sensores tateis, a Vita parecia destinada ao sucesso!
No entanto uma grande falta de suporte da Sony, a falta de soluções eficazes em se substituir as funções dos gatilhos do controlador da Playstation original, e uma política de cartões de memória abusiva que forçava à compra de cartões de elevado custo, e uma falta de suporte a nível de se encarar a consola como uma plataforma móvel, foram algumas das situações que levaram ao insucesso da consola. A PS Vita é um Flop quando tinha tudo para ser um sucesso.

E aqui temos 5 dos maiores sucessos e insucessos destas empresas, algo que certamente muitos leitores mais jovens desconheciam neste pormenor.

Publicidade

Posts Relacionados