Sony explica como a PS4 obrigou a menos investimento do que a PS3, e dá dicas sobre investimentos futuros no Cloud Gaming.

A PS4 ao usar componentes x86 tornou-se muito mais barata de ser produzida. Mas a ideia para o futuro da Sony passa pelo investimento no Gaikai e o Cloud Gaming (não confundir com Cloud Computing).

PS4Cloud

Durante uma discussão sobre os resultados financeiros da Sony, o vice presidente de investimentos, Yoshinori Hashitani explicou como a PS4 requereu menos investimento do que a PS3. E ainda deu a entender que os futuros investimentos serão em servidores dedicados ao Cloud Gaming.

Como já sabíamos, ao serem usados componentes x86 e tecnologias já existentes que a Sony ajudou a melhorar, a PS4 acabou por sair bastante mais barata do que a PS3 que obrigou ao desenvolvimento, a partir do zero, de um novo tipo de processador. E foi exactamente isso que a Sony explicou:

A plataforma PS4 em si, como explicado, é muito mais ligeira que a PS3 em termos de investimento. Para ser especifico, não desenhamos uma semicondutor especifico para ela, e não temos de ter fábricas para produzir os semicondutores PS4. Devido a isso o capital despendido é bastante menor.



No entanto, como muitos já falam, é provável que esta geração de consolas seja a última geração física, e assim sendo a Sony pensa já no Cloud Gaming, e no futuro. E actualmente a Sony está já equipada com o Gaikai para entrar nesse domínio. E é isso que a Sony explica:

No futuro poderemos de mais investimento para expandir o nosso negócio em rede ainda mais. O ano passado compramos uma empresa chamada Gaikai e criamos as bases para um serviço baseado na nuvem. Quando introduzirmos esses elementos nos serviços e expandirmos o nosso negócio de rede poderemos ter de investir em mais servidores. No passado quando começamos a produção de semicondutores e a expandimos tivemos despesas na ordem das várias centenas de biliões de yens.

Comparado com isso, o investimento de servidores será muito mais pequeno, na ordem das dezenas de biliões de yens.

Ao que parece  a Sony aprendeu a manter os investimentos baixos, apostando nas tecnologias correctas. Em vez de criar arquitecturas exóticas, limitou-se a usar o que de bom já havia, o que se reflectiu no preço da consola.

Curiosamente, nesta geração, a Microsoft caiu nesse erro, ao investir milhões para criar um APU com a ESRAM integrada, mas que não se revela em nada superior às alternativas que a AMD já tinha em caixa e que foram usadas na PS4.



Posts Relacionados