Sony fechou a Evolution Studios

EvolutionStudios

Uma notícia de fecho de um estúdio nunca é bom, mas o histórico da Evolution colocava a empresa com a cabeça na forca!

Aparentemente a Microsoft não está sozinha no que toca ao fecho de estúdios. Apesar de no presente caso estarmos a falar apenas de um estúdio e não de 7, a Sony acaba de anunciar oficialmente que fechou a Evolution Studios.

Este estúdio era o responsável pelo jogo World Rally Championship na PS2, e por vários títulos da série WRC, pela série Motorstorm, e mais recentemente por Driveclub. E terá sido tudo o que rodeou este último jogo que terá causado o atual fecho do estúdio.

Recorda-me em 2013 de ver os trailers para Driveclub. Eram bastante impressionantes, e um dos jogos prometidos para o lançamento da consola, pelo que se tornou num dos títulos apetecíveis que inclusive tinha na minha lista de jogos a adquirir junto com a consola. Era igualmente prometido como titulo gratuito a ser oferecido com a consola e na adesão ao PSN+, mas numa versão mais limitada que a versão de retalho.

Mas pouco antes do lançamento da consola a notícia aparece. Driveclub seria adiado!

Apesar de ninguem saber exactamente o que se passou, esta notícia criou um certo impacto. A oferta de jogos de lançamento não era verdadeiramente assim tão atractiva, e Driveclub era um dos grandes nomes ali presentes. Mas pior ainda, o grande atractivo que a Sony tinha para chamar pessoas para a PSN+ logo no lançamento da consola perdia-se. É que sem o lançamento da versão retalho… também não haveria versão gratuita.

A situação não era agradável e custava dinheiro à Sony. Perdia lucros de um First Party, e perdia potenciais adesões à PSN. Basicamente perdia um dos atractivos da consola.

E o jogo foi adiado de Novembro de 2013 para Março de 2014… e depois para Abril de 2014… e adiado novamente para Outubro de 2014. Acabando por ficar quase mais um ano em produção!

Até aqui nada de novo. Esta é uma situação que por vezes acontece! Mas ter uma equipa que se esperava estar nesta altura a desenvolver outra coisa ainda empenhada em acabar um jogo que já devia ter acabado é algo pouco desejado. Daí que nestes casos, é bom que o produto final saia em condições!

Mas não saiu… Apesar de a equipa estar quase um ano adicional a trabalhar no jogo, este sai com sérios problemas. O código de rede, a parte fundamental de um jogo criado para funcionar apoiado numa vertente social, não funciona correctamente! Mais ainda, o jogo está longe do potencial que poderia atingir, e o resultado é que o jogo é esmagado pela crítica.

O ano de trabalho revela-se perdido, e aquele que deveria ser um jogo de sucesso, falha em atingir os objectivos.

Curiosamente, durante o ano adicional em que o jogo está em produção surgem rumores que o jogo está a demorar pois está a implementar um suporte para o Playstation VR. E mais ainda, surgem imagem de efeitos de tempo que são visualmente impressionantes… mas que não estão disponíveis na altura em que o jogo é lançado.


O adiamento custou um ano de salários e produção adicional à Sony e o jogo não é bem aceite. E o jogo que sai não só tem problemas com o código de rede, como está incompleto.

Felizmente não demorou muito para que os efeitos de tempo fossem disponibilizados, e em Dezembro de 2014 estes são lançados. Mas o problema com o código de rede, esse é mais moroso, e tal força a adiar o lançamento da versão gratuita para a PSN, e força à oferta de um DLC, o Ignition Expansion que era suposto ser pago de forma a se pedir desculpas pela ausência da parte social, perdendo-se assim uma esperada fonte de receita.

Em Março de 2015, devido á incapacidade da equipa em corrigir os problemas e em lançar a versão da PSN, a Sony procede ao despedimento de 55 membros da equipa. Posteriormente em finais de Junho do mesmo ano, e já com os problemas de rede totalmente resolvidos, a edição gratuita da PSN é então lançada. Numa altura onde o jogo já não era verdadeiramente novidade, e o seu preço de retalho estava já extremamente baixo, e quando basicamente já poucos se interessavam pelo mesmo.

Basicamente a Evolution enterrara-se ao estar quase dois anos a colocar o jogo no estado que deveria estar no seu lançamento em 2013.

Desde a altura dos anunciados despedimentos, a Sony nunca mais repôs os membros retirados da equipa e desde essa altura que a Evolution estava apenas dedicada à criação de conteúdo e criação de patches para o jogo, bem como a dar o suporte Playstation VR já falado em inícios de 2014.

O que podemos dizer é que actualmente, e após todas as correcções e acréscimos, Driveclub é um grande jogo de carros. Talvez mesmo dos mais divertidos no mercado e em qualquer plataforma atual. Mas no entanto foi preciso chegarmos a 2016 para que o jogo tivesse os problemas com as texturas de baixa resolução corrigidas, que o código de rede funcionasse sem problemas, que a componente social fosse completa e total, que a variedade de veículos oferecidos fosse verdadeiramente interessante, que o suporte Playstation VR estivesse completo, etc, etc.

A consequência está agora à vista. Driveclub foi entregue a outra equipa, e a Evolution… foi dispensada!

É pena… é uma grande pena. Havia ali talentos que a Sony poderia ter aproveitado para outros estúdios, não mostrando por eles a mesma consideração que mostrou quando criou festinhas para tentar contratar talentos da concorrência. No fundo a Sony fez ali uma grande jogada de Marketing, apenas para borrar a pintura dias depois.

Mas o mundo dos negócios é assim…

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (10)

  1. Os constantes atrasos de Fable Legends e o feedback negativo dos usuários da beta certamene foram fatores determinantes para interromper um projeto e fechar um estúdio que a quase 10 anos estava devendo em qualidade e provavelmente serviu de alarme para fechar os outros 6 que entregavam apenas conteudo pequeno, sem apelo de publico e alguns jogos de qualidade duvidosa.
    O que a Sony faz com a Evolution tem basicamente a mesma essência. É o mundo dos negócios, e é normal.
    O estranho nesse caso é que a Evolution teve um deslize com Driveclub mas teoricamente ela teria créditos com a Sony e mesmo com todo o fiasco na época do lançamento, o driveclub não é realmente um fracasso total. A Sony também cancelou um projeto em andamento da Santa Monica e mandou funcionários embora por que eles queriam fazer uma nova IP e não God Of War 4.
    O caso da Lionhead é o contrário, foram 3 jogos seguidos abaixo da expectativa, muitos anos e uma incapacidade de renovar uma franquia. A série Fable praticamente morreu. A nova geração de jogadores, que eu chamo de “geração Call Of Duty”, nem conheceu a série e esse Legends não trouxe o hype de antigos jogadores de volta.
    Nesse cenário, eu realmente nunca achei que a Evolution seria fechada. A Sony é mais rígida que a Microsoft, desmembrou dois estúdios com créditos na casa, enquanto a chamada de destruidora de lares teve 8 anos de paciência com a Lionhead vivendo só da fama de dois jogos.
    No final das contas, a Sony deveria esclarecer se os ex funcionários da Evolution também podem participar do processo seletivo que eles disseram que realizariam para contratar funcionários da Lionhead. Ou já que estão de olho neles e despedem tanta gente de uma vez, significa que os funcionarios da Lionhead são melhores?
    Aquele famoso conselho: Não cospe pro alto que pode cair na testa.

    • Eu com a lionhead tenho mais dificuldade em perceber.
      Os fable não foram fiascos. Os jogos possuiam qualidade, não tiveram problemas, e apesar de venderem pouco, até venderam. Mas aí aceito que para os valores de produção as vendas até pudessem ser consideradas baixas.
      Mas o mais estranho é que se cancele um jogo que esteve anos a ser produzido e já estava em beta. Ok, poderia não ter a qualidade, mas nem que fosse oferecido gratuitamente, não acabavam com ele.
      Visualmente o jogo estava um espetaculo e tinha componentes técnicas como o caso da luz que estavam assombrosas.

      Depois, se vires, há diferenças e semelhanças nos textos de despedimento. Ambas as empresas se mostram agradecidas e se oferecem para arranjar colocações caso precisem, seja noutras equipas ou em outros locais. A diferença é que a Sony limita-se quase a isso, mas a Microsoft vem com um texto de elevados elogios à equipa e que contêm uma frase que refere directamente que o sucedido não se deve a nada que a equipa tenha feito. E no caso da Sony isso não existe.

      Convenhamos que não podemos nem devemos expor ou despedir uma equipa só porque o jogo que fizeram não teve aceitação (ninguem pode prever isso). No caso da Evolution o jogo falhou porque claramente a equipa falhou e o jogo veio com problemas e incompleto, demorando anos a acertar (ainda recentemente a equipa mandou um tweet a dizer que cada carro do jogo requer 1000 horas de trabalho. E isso são, num horário normal, 3 meses. É demais… Para equipas,especializadas em jogos de carros já deveriam ter ferramentas para melhorar isso), já nos fable, esse não foi o caso. E se Fable não era um sucesso, a Microsoft deveria ter apostado em outra coisa (aliás este legends era diferente).

      Há algumas diferenças nos casos…

      Quanto a essa questão do God of War, acho que te estás a atravessar. Afirmas que a Sony despediu pessoas porque não queriam fazer outro GOW… Isso podem ser rumores, mas não estou a ver que os possas mostrar como factos pois se há empresa que aposta em novos IPs e até afirma claramente e publicamente que usa o dinheiro dos IPS de sucesso para cobrir novas apostas, é a Sony. Não há verdadeiramente historial na Sony desse género para que se possa encarar isso como algo credível. Mesmo que até possa ser verdade.

      Uncharted é o maior exemplo. É o IP de maior sucesso da Sony, e até poderão existir mais jogos. Mas a Naughty Dog refere que a história de Drake termina aqui. E a equipa até já criou o The Last of Us nos entretantos. A própria Santa Mónica esteve envolvida no The Order. Com excepção dos criadores de Gran Turismo, não conheço nenhuma equipa da Sony presa a um IP. Mas o mesmo não posso dizer das da Microsoft.
      Daí que se um rumor desse pode colar para um lado pelo historial, para este tem muita dificuldade.

      Ainda relativamente à modelação dos carros.
      http://www.pcmanias.com/blender-modelacao-3d-os-meus-primeiros-passos/
      Ambos os carros aí presentes foram modelados por mim usando aí 2 horas ou 3 por dia. Não são profissionais, mas mesmo,assim foram feitos em cerca de um mês. Daí que modeladores profissionais, com software dedicado, e a trabalharem todo o dia nisso precisarem de 3 meses… É estranho.

      • É preciso igualmente acrescentar que Driveclub até não vendeu mal, mas à custa de despesas não previstas e com picos de venda ao longo dos tempos onde o preço já não era full, pelo que financeiramente não sei como se portou, mas o certo é que de acordo com o VG Chartz o jogo até vendeu mais do que todos os Forza da Xbox One, com excepção do 5.

      • Essa situação foi exposta por um dos funcionários da Santa Monica demitidos que disse que mesmo tendo feito 3 jogos AAA com notas 9/10 não permitiram que ele realizasse o sonho de criar uma nova IP.
        A Santa Monica está fora dos holofotes à um bom tempo.
        Sobre a Lionhead, Fable 1 e 2 foram os grandes jogos deles. Fable 3 deixou a desejar e nessa época já havia problemas internos no estúdio sendo que alguns funcionários nem ficaram até o lançamento do game. O que veio depois, o Journey também não foi bom. Depois disso teve um remaster. O feedback sobre Fable Legends em beta não era bom.
        A Lionhead tem, ou tinha um grande talento o Ben Woodhouse, quem criou a iluminação global do jogo modificando a unreal engine 4 e que inclusive cedeu o código à Epic que o introduziu nas atualizações da Unreal.
        Se a Microsoft é esperta, esse é um dos funcionários que ela reaproveitara.

  2. A sony já disse que irá tentar mover pessoal da Evolution studios, para outros estúdios de desenvolvimento!
    A equipa era composta entre 40 a 60 membros, nos quais a sony irá contratar!(dito por eles)
    Para não falar, que o estúdio santa monica está a tentar contratar por volta de 50 membros para o próximo projeto…
    http://www.gamasutra.com/view/news/267396/Sponsored_Santa_Monica_Studio_Wants_You_to_Build_Their_Next_Big_Game.php
    (Mas duvido que se mudem para lá, uma vez que não é no Reino Unido, mas poderam bem ir para a quantic dream e afins)

  3. Pelos videos do jogo que estão no Yotube e que assiti,Drive Clube me parece muito bom,remetendo um pouco a Forza H2(não sendo um simulador)mas um jogo arcade assim como o novo divertidissímo NFS,que estou curtindo muito.Triste ver um studio desaparecer assim,apesar dos pormenores recorrentes.Agora o que o Fernando relatou que a Sony demitiu funcionários por estes estarem interessados em novas IPS é um pouco preocupante,pois esta industria carece de novos chamarizes de vez em quando.E focarem em um unico titulo por anos deve ser algo desanimador para um programador de games cheio de ideias novas.

    • Não é verdade que a Sony tenha demitido funcionários por estes estarem interessados em novos IPS. Eu coloquei os links das noticias em resposta ao Fernando.

      A história correcta é: A Sony demitiu funcionários. O funcionário demitido revelou que tinha estado envolvido na criação de um novo IP. Esse IP foi cancelado. Ele tinha imensa pena que não pudesse ter trabalhado nesse IP. O novo IP estava a ser criado pela equipa de God Of War. Toda a gente externa à equipa que viu o novo IP achou que não era grande coisa. Mesmo assim o conteúdo desse IP foi guardado para eventualmente um dia se poder pegar nele e fazer-lhe uma revisão geral ao conceito e funcionamento.

      Tudo o resto que se acrescente acima não foi dito na entrevista do funcionário, mas sim acrescentado ou concluido por terceiros.

      • Mário e essas notícias que estão circulando de um novo PS 4.1, a MS foi muito julgada e condenada, mas será que ela não estava reagindo ao fato de a Sony esta é adiantada nesta questão? Se confirmar vou rir demais talvez a MS não seja a vilã da história.

Os comentarios estao fechados.