Steam Box… mas afinal o que é e para que serve? E como se compara com um PC ou uma consola?

A Valve resolveu agora lançar a sua Steam box… o que é, para que serve, e como se compara a um PC ou uma consola?

steammachine

A Valve anunciou em tempos que iria lançar o seu própio sistema para jogos, a Steam Box. Trata-se basicamente de um conjunto de PCs fabricados por diversas empresas e com especificações variadas, com preços que vão desde os 500 aos 6000 euros.

A dúvida que pode surgir é: Para que serve uma Steam box?

Se analisarmos as Steam Boxes verificamos que elas são PCs na sua total ascensão, apenas colocados em caixas diferentes, e ostentando o logótipo de Steam Box. Estes PCs vem equipados com o SteamOS, mas não deixam de poder correr qualquer outro sistema operativo que pudesse ser instalado num PC.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Ora sabendo-se que, da mesma forma, qualquer PC pode correr o SteamOS, e como tal tornar-se numa Steam Box, é natural que surja a dúvida sobre a real utilidade destes sistemas. Afinal eles servem para que?

As SteamBox existem por duas razões:

1 – Proporcionar uma máquina já montada e capaz de correr os jogos vendidos no Steam a todos aqueles que não são capazes de montar a sua máquina e que não percebem absolutamente nada de especificações de hardware.

2 – Proporcionar um sistema PC completo com um design e dimensões mais atraentes e capaz de ser colocado em uma sala de jantar junto com o televisor principal da casa.

E basicamente a SteamBox é isto! Não há qualquer vantagem destes sistemas face a um PC tradicional que não sejam as referidas em cima.

Muitos poderão dizer que não é bem assim uma vez que o hardware ali existente é aprovado pela Valve e como tal uma garantia de performance e compatibilidade. No entanto essa situação é mais demagogia do que outra coisa, pois na realidade o que podemos constatar ao vermos as 14 Steam Box apresentadas é que tudo isso anda algo longe da realidade.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

A Steam Box garante a compatibilidade com o hardware através de APIs que terão forçosamente de ser genéricos. E isto porque podemos encontrar, nestas 14 máquinas disponíveis nesta fase de lançamento (na nossa foto aparem 13 com o modelo da Alienware a não indicar as especificações),  uma variedade de hardware alargada, com performances das mais variadas.

E se a nível de CPUs vamos desde AMD a Intel percorrendo uma gama alargada de modelos, nas gráficas encontramos já ATIs e Nvidia com performances das mais variadas, desde meio de gama a topos de gama, mas também encontramos a Intel Iris 5200 misturada ao barulho. E convenhamos que a nível de performance esta placa está bem longe do que se poderia esperar para um sistema que se diz destinado a correr jogos.

O que é possível actualmente constatar ao analisar o presente hardware das 14 steambox é que a homogeneização do software, tal como acontece nas consolas, não será nunca uma realidade. Mesmo com APIs dedicados e de baixo nível a diversidade do hardware nunca permitirá uma optimização tão grande como a que se consegue nas consolas. Nas consolas o hardware é conhecido ao pormenor e explora-se os seus pontos fortes, minimizando os fracos, algo que neste tipo de sistemas nunca poderá existir.

Desta forma, o que podemos dizer sobre as Steam Boxes? Na realidade muito pouco. PCs montados existem desde sempre, e estas boxes não são mais do que isso, PCs montados de fábrica com hardware escolhido pelo fabricante e com o comando e sistema operativo da Steam.

steam-machines

Valem a pena? Sem mais dados é difícil de dizer, mas pelo que se conhece actualmente, estas máquinas são apenas mais umas a acrescentar ao largo leque de PCs pré montados que existem no mercado.

 

Publicidade

Posts Relacionados