Suporte a MODs para a PS4 para Skyrim Special Edition e Fallout 4 vão ser uma realidade e jogo corre a 4K nativos na PS4 Pro.

Apesar de algumas dificuldades, Sony e Bethesda chegaram a um meio de permitir que os MODs possam chegar à PS4!

Como já abordamos em conversações mantidas nos comentários, não discordamos da decisão da Sony em negar o uso de MODs, tal como os conhecemos, nas suas consolas.

Os MODs são normalmente criados por adulteração dos ficheiros base de um jogo, muitas vezes com acréscimo de texturas, geometria e mesmo de processamento extra por alterações a parâmetros do motor, sendo que as pessoas que se aventuram a estas criações não são, por vezes, conhecedoras das realidades dos motores, ou mesmo do hardware em que se propõem colocar o mod a trabalhar.

Dessa forma, os MODs podem ser, em sistemas controlados como as consolas, problemáticos em vários aspectos, sejam eles questões de performance, questões térmicas, estabilidade do jogo, ou mesmo outros relacionadas com as mais variadas situações. E tudo isto se traduz em algo que não é verdadeiramente desejado num sistema que sempre foi fechado e controlado a nível de qualidade, estando basicamente livre desses problemas, como é o caso das consolas.

Por esse motivo, apesar de a Microsoft ter autorizado o uso de MODs na Xbox com o upload de ficheiros externos, e apesar de lamentarmos que tal não aconteça igualmente na PS4, percebemos e aceitamos que a Sony recusasse os mesmos para a PS4! É pura e simplesmente uma questão de garantia de qualidade de serviço, controlo de qualidade de conteúdos, e segurança do sistema, como sempre existiu nas consolas.

No entanto a negação dos MODs na PS4 face à aceitação dos mesmos pela Microsoft foi uma arma de arremesso na guerra das consolas a favor da Xbox, e algo que continuou por isso a ser estudado pela Sony.

Daí que Sony e Bethesda não pararam e continuaram a dialogar sobre como poderiam trazer MODs para a PS4, e a solução apareceu, perante o seguinte comunicado:

We’re excited to announce that mod support is coming to PlayStation 4 for both Skyrim Special Edition and Fallout 4. Additionally, we’ll also be supporting the new PlayStation 4 Pro with both titles.

Skyrim will have these features when it launches on October 28. The new power of the PlayStation 4 Pro has allowed us to make Skyrim render in native 4k, and it looks better than ever. Here are some screens to show you just how great it looks.

Mod support will come to Skyrim first. We and Sony have worked hard to make this possible. Mods on PlayStation 4 will allow you to modify and create your own content by using our Creation Kit available here. You will not be able to upload external assets with your PlayStation 4 mods, but you will be able to use any assets that come with the game, as most mods do. By creating a Bethesda.net account, you’ll be able to browse and try mods right from within the game. We are excited finally to get modding to our PlayStation fans who have supported us for so long. Modding has been an important part of our games for over 10 years, and we hope to do even more in the coming year for all our players, regardless of platform.


After the work is complete on Skyrim, we’ll be updating Fallout 4 for both mods and PS4 Pro. We expect Fallout 4 to take advantage of the PS4 Pro in 4k along with enhanced lighting and graphics features.

Thanks again for all your support. We can’t wait to hear about your new adventures.

Basicamente o comunicado começa por referir que a Bethesda está feliz por anunciar que o suporte a MODs irá aparecer no Skyrim Special Edition e no Fallout 4, passando posteriormente a dar a conhecer que Skyrim renderá em 4K nativos na PS4 Pro, mostrando algumas imagens que colocamos de seguida:

A parte maior do comunicado dá a conhecer que os MODs aparecerão primeiro no Skyrim e que a Bethesda trabalhou em conjunto com a Sony para que tal seja uma realidade, explicando porém as restrições existentes e que obrigam ao uso exclusivo do Kit de criação existente como ferramenta de trabalho, bem como a impossibilidade de upload de ficheiros externos, sendo que os MODs terão de se limitar ao uso do que já existe no interior do jogo.

São restrições grandes à liberdade criativa face ao que a Microsoft permite, mas que certamente, na perspectiva da Sony, evitarão muito falatório em foruns sobre crashes e instabilidades nas consolas, seja no jogo, ou fora dele, criados por excessos cometidos por alguns MODs menos adequados ao hardware ali presente!

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (34)

  1. Bem destacar em negrito que não foi a Sony que disse que seria 4K nativos e sim a Bethesda.

    Uma coisa boa é que havia a dúvida se o Scorpio poderia entregar os 4K nativos a um preço baixo e se a Bethesda cumprir com a promessa será o 2° jogo no PS4 Pro a conseguir rodar 4K nativo, ou seja, se um console com potencia inferior e com preço padrão está conseguindo rodar alguns jogos nativamente dá ara tirar a conclusão de que o Scorpio conseguirá também.

    • Livio.. A questão é simples.

      Pega num jogo que requeira 1.31 Tflops de performance.
      Agora pega nesse jogo e coloca-o a 4K!
      Precisas de processar 4x mais pixels. Logo 1.31*4=5,24 Tflops!
      A Scorpio tem mais do que isso. Basicamente ela pode correr os jogos com uma fluidez superior à apresentada pela One S, a 4K, ficando ainda com alguma margem para melhorias!
      Essa questão não se colocou nunca!

      O que está aqui a acontecer é simples. Estás a pegar em jogos que não requerem os 1,84 Tflops, ou que se o requerem usam shaders 16 bits que podem ser calculados em pares na Pro, duplicando-se a performance.
      Skyrim é um jogo antigo, e como tal cumpre com esses requisitos.

      Agora o que a Scorpio não faz é correr jogos com a qualidade da One a 60 fps, a não ser que ele já corra a 60 fps na One.
      Porque aí terias de multiplicar as coisas por 8 e não por 4!

  2. Interessante, acho uma notícia boa. Usando de lógica, se o ps4 pro, com seus 4.2tflops, irá rodar alguns jogos em 4k nativos (principalmente os remasters e indies) ao preço de 400$, então os 6tflops do Scorpio dão conta de rodar a maioria dos jogos a 4k nativos, podendo sim chegar a um preço razoável de console como sinalizou a Microsoft.

    Num podcast, Penello disse que a Microsoft tem como alvo rodar os jogos do Xbox One a 4k 60fps, mas acho uma meta ousada, a não ser que o jogo em questão já esteja a 60fps, como Battlefield 1, Mirrors edge Catalyst, e outros. Mas estes rodam a 720p, não sei se a conta fecha para o 4k.

    De todo modo, nem o ps4 pro é tão fraco quanto parecia ser, e nem o Scorpio precisa ser tão caro quanto se imaginava.

    • O alvo é 4K nos jogos do One. 60 fps depende do jogo, por exemplo, forza motosport é um jogo 60fps tradicionalmente, desde o Xbox 360. Logo ele seria 4K 60fps no Scorpio. Gears of War 4 é 30fps na campanha, ele será 30fps no Scorpio. O Objetivo do Scorpio é replicar a experiência do Xbox One em 4K. Ele tem poder para melhorar algumas coisas de forma leve, por exemplo, o Xbox One roda Forza Horizon 3 e Gears of War 4 numa configuração personalizada mas que no PC pode ser comparada ao High. O Scorpio poderia inserir elementos da qualidade ultra, mas dobrar frame-rate apenas por ganho, isso não será possível, a não ser que os jogos estejam apoiando 1080p ou algo pouco superior.

      • E pelo que tenho lido, parece-me que o conceito não é diferente do da Pro. Uma Xbox One melhorada!

        • Luciano S. Carvalho 11 de Outubro de 2016 @ 12:47

          Sendo assim, não vejo motivo algum para comprar um console desses.
          Mais do mesmo.
          Totalmente dispensável.

          • Agora me pergunto:
            Qual motivo da MS lançar um One melhorado e não partir logo para uma nova geração?

            Só para jogarem jogos a 4K?

            Não seria isso um desperdício?

            Não seria mais lógico fazer todos esses incrementos em hardware e partir para a 9ª geração?

            Ou isso é uma maneira da MS dizer daqui a alguns anos que teve o console mais potente da 8ª geração? (lembra uma das últimas notícias do Patcher em dizer que a MS não aceita o 2° lugar).

      • Pelo mesmo motivo do qual a Sony criou o PS4 Pro. A diferença é que dos dois, o Scorpio pode entregar 4K em uma maior gama de jogos por que está sendo criado com o hardware necessário para isso.
        Se os produtores quiserem utilizá-los como nova geração, podem criar os jogos em 1080p e melhorá-los, mas isso será uma futilidade. A não ser que queiram dividir e irritar a comunidade de jogadores, a diferença entre os jogos será só algo como Medium contra Ultra e no caso do Scorpio, o adicional de 60fps. Isso não justifica como uma nova geração.
        E por outro lado, todo mundo sabe muito bem que a Microsoft lançar o Scorpio como nova geração é uma burrice tremenda pois após dois anos haveria um PS5 muito mais poderoso e isso seria dar munição a concorrência e suicídio no mercado de games.
        Os fans da Sony que compraram o PS4 no lançamento, estão num clima de ignorar o PS4 Pro e acreditar que em 2018 vai haver um PS5 para a Sony cantar de galo em cima da Microsoft com o Scorpio. Mas não é isso que vai acontecer. Haverá um Xbox de nova geração para competir com o provável PS5, e também é provável que ele seja novamente mais poderoso. A Microsoft sempre optou pelo hardware mais poderoso, o Xbox Original era quase 3x mais poderoso que o PS2 e o Xbox 360 tinha a vantagem clara de GPU. O Xbox One foi o ponto fora da curva por causa do orçamento do Kinect. O fato do Scorpio ser mais poderoso que o PS4 Pro é só o retorno da normalidade.
        A Sony nunca mais vai ter a vida fácil que teve no início dessa geração e que ela aproveita até agora.

        • Talvez entrem de vez no esquema de lançar hardwares em ciclos mais curtos (3 em 3 anos), para uma gama maior de dispositivos. Do ponto de vista do negócio, é mais rentável pras empresas.

          Portanto, ao que tudo indica, mesmo com o Scorpio lançado, durante um bom tempo veremos jogos lançados cross plataform (Xbox one – Scorpio), sendo que o Xbox One fica com a versão no ‘médio’, resolução menor e 30fps, enquanto o Scorpio com o ‘very high’ e resolução maior.

        • Não digo que foi pelo mesmo motivo, até porque a Sony está na liderança e para o lado da MS provavelmente a única saída para vender mais consoles em relação a concorrência seria com a disponibilidade de um aparelho mais potente.

          Outro ponto que você ignora é que a MS sempre optou por um hardware poderoso, porém esse hardware é sempre lançado depois da concorrência, foi assim com o PS2 e Xbox, no futuro com PS4 e Scorpio. Na geração anterior foi o inverso e na geração atual quando os consoles foram lançados no mesmo período o Xbox foi o menos potente.

          • E ainda mais sendo um hardware (Scorpio) com arquitetura diferente do One, diferente do Pro que preservou parte da arquitetura do PS4 original o que pode considerá-lo como ainda da geração.

          • A Scorpio será diferente da One apenas no uso da eSRAM. Mas a largura de banda da memória está feita para aguentar os picos dela sem problemas.
            Mas o que define uma nova geração não é o hardware, é o ter ou não exclusivos.
            Se tiver é nova, se não tiver é apenas uma One mais potente.

          • A arquitetura é a mesma, CPU x86 e GPU da arquitetura GCN. Não tem diferença entre essas duas máquinas, PS4 Pro Xbox Scorpio, nesse sentido. A diferença entre elas, é que a Microsoft provavelmente está optando por um CPU melhor e não o Jaguar igual a Sony fez, mas isso pode ocorrer por que para a Sony seria muito difícil alterar o CPU já que eles teriam um trabalho imenso com software, o que para a Microsoft não ocorre por que o Xbox One foi pensado desde sempre em um sistema baseado em Virtual Machines, e a API gráfica foi criada para ser escalável de acordo com o hardware.
            A flexibilidade do Software da Microsoft é o que permite que ela não seja obrigada a se prender num hardware limitador igual o PS4 Pro.
            No final, a Microsoft pode até optar por vir com um Jaguar melhorado, mas se isso acontecer, será só para manter o custo baixo o bastante para não dar diferença de preços a favor do PS4Pro.

          • Duvido que o CPU da Scorpio seja muito melhor a não ser que a amd venha com o anuncio surpresa do puma 2.

            Não te iludas. Eu também estava com muitas esperanças no Zen, e nas APUs ZEN, mas pelas últimas notícias parece-me que cada core será demasiado grande para que numa APU caibam ele e um GPU Vega.

            Não os 6.2 Tflops vais deve-los maioritariamente ao GPU e com a ajuda da GDDR5x, numa pool unificada e sem esram.

            Mas essa questão do CPU tem que ser ultrapassada. Até agora ele tem sido o gargalo precisamente porque ainda é muito usado para os calculos de física, de assets, entre outras, tarefas cujo o objetivo, quando o jaguar foi escolhido, é serem passados para o GPGPU.

        • O rumor da PS5 para 2018 não foi lançado pelos fans, mas sim pelo mesmo analista que referiu a Slim e a PS4 Pro para 2016!

          • E se cá chegar nessa altura será outra asneira ainda maior.

            O hardware que justifica uma nova gerção o tal Vega 20, ou sucessor, com 8 núcleos zen numa APU a preço convidativo só lá para 2020.

            O que tendo em conta a métrica de lançamentos, muito provavelmente será a data ideal.

        • Será o retorno da realidade, mas a atual geração é a 1ª em que o hardware mais potente é líder de vendas.

          Do que adiantou Xbox original ser 3 vezes mais potente e o PS2 vender mais.

          Na geração anterior, a maioria dos “sonystas” declaram como empate em vendas (embora alguns números indiquem que o PS3 vendeu mais)

          Nessa geração até agora o PS4 tá com boa vantagem. Será que o Scorpio conseguirá reverter?

          • Essa história de que a Microsoft sempre lança após a concorrência é bem imprecisa. Isso só aconteceu uma vez, com o Xbox Original e vai acontecer agora com o Scorpio, mas eu acredito que agora é mais por que a Sony não quis esperar e lançou logo o produto compatível com 4K, mesmo que o hardware seja inadequado para o que eles está se propondo. Mas como agora está caindo a ficha de que Scorpio e Pro são dispensáveis e eles não passam (ou não deveriam passar) de um xbox One e um PS4 para quem tem TV 4K, podemos considerar que continuaremos na mesma geração, então eles chegaram ao mercado ao mesmo tempo.
            No caso do primeiro Xbox a história é diferente. A Microsoft não estava diretamente nesse mercado então ela pegou o bonde andando. A geração já tinha começado a praticamente 2 anos com o Dreamcast e o PS2. Em alguns mercados, como o Europeu, o Xbox chegou apenas em 2002.
            Isso também explica boa parte do sucesso do PS2. A herança do PS1 onde a Sony comprou um monte de exclusividades na época em que era a empresa mais rica do mundo, que resultaram na queda de popularidade da Nintendo e da Sega entre os consolistas hardcore, a popularidade que o PS2 adquiriu nesses quase dois anos em que esteve praticamente como única opção de mercado e nunca devemos esquecer, a pirataria.
            O PS2 vendeu nada menos do que 155 milhões de unidades, o que torna o feito do Xbox 360 ainda mais notável.
            Dizem os números oficiais que a geração passada encerrará com uma vantagem de 1 milhão de consoles para o PS3, 86 milhões a 85. Em um mercado que a Sony dominava amplamente e que a soma dos concorrentes não dava metade da quantidade de consoles PS2, o 360 simplesmente dividiu esse número.
            A Sony teve 86 milhões de clientes no PS3, mas podemos analisar de outro ponto de vista, o de que ela perdeu 70 milhões de clientes do PS2 e de que o Xbox multiplicou sua base em quase 4 vezes.
            Mas sobre essa questão da potência, tenho minhas dúvidas se ela também não influenciou nas escolhas da geração passada. Mesmo com o fato do 360 ter melhor hardware que o PS3 no conjunto, durante toda a geração passada foi criado um clima de que o PS3 tinha um molho secreto que quando fosse dominado seria como saltar uma geração dentro da mesma. O tal poder oculto do Cell foi muito difundido, de forma quase folclórica. Nem a história do GPGPU que só o PS4 poderia fazer foi tão fantasiada quanto o Cell.
            Assim como agora estão tentando fazer as pessoas acreditarem que o PS4 Pro tem armas secretas que ainda serão reveladas, ou que o Xbox One tinha uma GPU escondida ou etc…

            A diferença é que quando a Microsoft diz que vai calcular física na Cloud, ou alguém diz que o Xbox tem segredos, a pessoa é louca e não sabe o que ta falando. Quando a Sony tem um molho secreto, todo mundo paga pra ver.

          • E não foi o que coloquei no comentário acima? O Xbox só teve hardware superior quando foi lançado após a concorrência, aconteceu com PS2 e Xbox e no futuro com PS4 e Scorpio. Porém na anterior teve hardware inferior(própria IGN em comparativo diz isso), pois o PS3 foi lançado 1 ano depois e no inicio dessa geração, a única em que houve lançamento simultâneo entre concorrentes, o xbox também ficou para trás.

            Comentar a geração anterior é complicada, Xbox foi lançado 1 ano antes e atraiu quem queria uma nova geração e assim que vc considera o 360 notável eu também considero o PS3, pois começou um ano depois, com baixas vendas e com problemas parecidos com o One nessa geração, entretanto conseguiu sobressair e vender mais.

            Não nego que a Sony fez parcerias de exclusividade assim como a MS fez com Xbox, mas a queda de popularidade da Nintendo também pode ser atribuída ao quesito qualidade dos jogos, de não apoiar jogos com violência e também por erros cometidos no N64 e Game Cube, sendo que um apostou em cartuchos na era CD e o outro em mini-DVD na era DVD, mídias cujo armazenamento eram inferiores aos da concorrência e com a perda do apoio das thirds nos últimos consoles.

            Sega nem preciso dizer, Saturn era mais potente porém difícil de se programar e Dreamcast que é um console elogiado por muitos gamers foi abandonado no início da vida.

          • Fernando, a Microsoft sempre lançou as consolas mais poderosas face à concorrencia… em que Universo? Porque neste não foi de certeza e essa tua “normalidade” nunca existiu.

            Qualquer pessoa bem informada, e saliento o “bem informada”, sabe que a única consola Xbox que foi mais poderosa que a concorrência foi a original. E porque, como bem dizes, chegou quase 2 anos atrasada ao mercado, tendo essa vantagem no hardware mais recente. De resto… todas as outras ficaram atrás.

            Na época PS3/360, a 360 tinha a vantagem do GPU efectivamente, mas tinha a enorme desvantagem no CPU. Não se trata de nenhum molho secreto nem de promessas vazias sobre uma cloud ultrapoderosa que iria conseguir em tempo real, processar elementos enquanto jogas (era esta a promessa da Microsoft que até agora está por ver-se e pelo o que foi anunciado nos próximos tempos, nem sequer se vai ver), mas de hardware puro e duro, que toda a gente podia ver que lá estava.

            Sobre o GPGPU, até lá no beyond 3d as pessoas que tanto gostas de citar e de descitar referem os ganhos que o GPGPU permite. Uncharted 4 é a prova da grande capacidade da tecnologia, e quem está atento sabe, por palavras do diretor de FH3, que as atuais consolas ainda têm mais para dar. Mas isto já sabes, porque tu mesmo o referiste aqui.

            O Cell face ao Xenon da 360… esmagava-o. O Xenon era composto pelas 3 unidades mais fracas do Cell a trabalhar em paralelo para processamento. o Cell era composto por apenas uma unidade do Xenon, e mais 7 unidades ativas de processsamento gráfico que eram muito poderosas, mas cegas. E sim, o conjunto CPU-GPU da PS3 ultrapassava a 360.

            A vantagem da 360 era a sua versatilidade e a liberdade que dava aos programadores. A começar pelo semelhança com o PC (esquema típico CPU+GPU) e a UMA que podia dar acesso a uma maior pool de memória para gráficos, enquanto na PS3 o Cell era uma amálgama de trabalho genérico e gráfico e havia restrições na memória dado ser separada. Além disso, o Xenon devido ao multithread (até duas threads por core), também estava apto para o processamento em paralelo. Se o Cell acabou por ser uma grande escola, por forçar os programadores a pegarem no multinúcleo, explorar o paradigma (e criá-lo), com as vantagens que já neste site foram referidas, a 360 pelo menos era uma máquina aberta a tudo, o que permitiu conseguir-se melhores resultados mais rapidamente. Mas isso não significa que fosse mais potente, apenas que foi melhor aproveitada e mais rapidamente que a PS3 até porque já no final da geração, quando os exclusivos chegaram e arrebataram a concorrência com os seus gráficos,
            não houve mais lugar a dúvidas. Começou com Killzone 2, God of War 3 e a cereja em topo do bolo Uncharted 2. Não é por nada que, nas consolas, andou tudo sempre atrás e a acompanhar estes títulos. Portanto sim, quando olho para Uncharted 3, e alguns dos efeitos gráficos que lá conseguiram enfiar face ao que se apresentava na concorrência… sim, parecia quase uma geração à frente.

            Tudo o que dizes está certo sobre o sucesso da PS2 mas esqueces-te, melhor dizendo, preferes ignorar, que já nessa altura a Sony começou a apostar forte nos estúdios internos e foi nessa época que grandes séries como God of War ou Ratchet e Clank surgiram, fator que também influenciou a compra de consolas esta geração. Afinal bem se vê que a séries exclusivas que já vêm de antes têm batido recordes de vendas. E a verdade é que oferta e alternativas, como tu bem te fartas de apontar não faltam!

            Depende da forma como se vêm as coisas. É inegável o mérito da Microsoft nesse aspeto. Conseguiu apresentar um produto versátil, mas a grande vantagem foi o ter chegado mais cedo (afinal a Xbox original tinha uns míseros 3-4 anos quando a 360 chegou) e um preço muito atrativo, apesar de com isso a consola ter sido vendida aos pedaços. A Sony lixou-se por querer ter hardware de ponta, algo que também já sabes, o que resultou numa consola mais cara que a da concorrência, associado às dificuldades iniciais com o Cell.

            Há mérito na forma como a Microsoft chegou e ganhou mercado, mas também há ingávelmente mérito na forma como a Sony conseguiu, devido a uma aumento da qualidade na produção interna, apostando nos títulos exclusivos e construindo um catálogo invejável, ganhar o terreno perdido e chegar ao fim ainda a ultrapassar a rival que já possui mais um ano de mercado em cima. A PS3 quando chegou, tinha tudo para ser considerado o maior desastre na história dos videojogos e graças a um esforço gigantesco por parte da Sony não foi o caso. E esse esforço valeu à pena nesta geração.

            O engraçado de tudo isso é que nessa equaçao não entrou a Nintendo, que venceu inegávelmente tanto a PS3 como a 360, atingindo os valores mais próximos da PS2.

  3. Luciano S. Carvalho 11 de Outubro de 2016 @ 17:54

    Todo mundo discutindo hardware, enquanto deveriam estar mais preocupados com os jogos.
    Essa geração vai de mal a pior.

    • O ruim que os jogos também não estão bons. Sei que quem dirá se o jogo é bom ou não é o próprio gamer, mas ultimamente os jogos estão pecando também. O último é Mafia 3, que está recebendo notas baixas.

    • Talvez, mas que queres? Esta é uma página onde se discute maioritariamente a tecnologia associada às consolas e de vez em quando se fazem análises a títulos.

      É natural, portanto que se fale de hardware.

      • Luciano S. Carvalho 12 de Outubro de 2016 @ 3:23

        Sim, mas virou aquele tipo de conversa: Hááá o meu é maior que o seu! Sabe aquele tipo de conversa?
        Quanto a dizer se um jogo é bom ou ruim, se deve ou não ser adquirido baseado na nota que o mesmo recebeu é idiotice.
        Ninguém vai dizer para mim se devo ou não comprar um jogo por causa da nota que recebeu. Porque eu deveria confiar na opinião de alguém, muitos desses avaliadores nem sequer são gamers, é cada avaliação absurda que se vê hoje em dia; por exemplo, o cara vai avaliar um jogo de corrida e já começa dizendo que não é fã de games de corrida. Como um cara desses pode avaliar um game de corrida?
        Notas são subjetivas, nada mais são do que a opinião de alguém, alguém que pode muito bem estar influenciado por outros fatores que não o game em questão, mas por fatores externos, como por exemplo estar tentando ficar em evidência, um site ou revista desconhecido pode da noite para dia se destacar porque deu uma nota ridícula para um game que todo mundo sabe que merecia muito mais.
        Também há o fator financeiro, muitos sites e revistas são patrocinados por uma ou outra empresa que estão diretamente ligadas a determinado game, e por mais que insistam em querer passar uma imagem de imparcialidade e profissionalismo todo mundo sabe que não é bem assim que acontece.
        Hardware mais potente, principalmente na teoria não quer dizer nada, se dependesse somente de hardware a Nintendo nunca venderia nada e muito menos teria liderado uma geração.
        E quanto as notas, dúvido que alguém aqui deixaria de jogar e adquirir um novo Halo, Uncharted, Gears, God of War, Gran Turismo, Forza; etc… se eles recebessem notas muito baixas. Dúvido!!!

        • Um exemplo, sou fã de jogos de corrida e estava muito ansioso pelo lançamento do Assetto Corsa nos consoles, pois no PC ele é considerado como o melhor.

          Quando foi lançado o jogo foi avaliado com baixas notas e mesmo assim ainda mantenho o interesse, pois como dizem é um jogo difícil e cá entre nós, Forza e GT não repassam mais esse nível de dificuldade. Um outro ponto é que simulação de corrida deve ser jogado com volante e o Assetto é um deles. Algumas análises dizem que o jogo fica melhor quando utilizamos o volante.

          Só o comprei agora, via ebay com origem no Reino Unido, pois no Brasil os jogos estão muito caros, minha renda até que é boa, mas não tenho coragem de dar R$220,00 a R$250,00 em um jogo.

        • Luciano, penso exatamente o mesmo e concordo com cada palavra do seu comentário.

  4. (Off-topic) Mário , viu os elogios que fizeramp pro gears 4? Tá todo mundo falando que é o jogo com o melhor gráfico do xbox one , tanto a gamingbolt quanto a digitalfoundry falaram isso.

    • Eu ainda não comprei pois quero apanhar uma versão que ofereça a PC sem ter de comprar na windows store, mas já vi videos e está muito bom. No entanto no multi jogador, apesar de grandes melhorias gráficas quanto à beta, ainda temos muita geometria quadrada.
      Mas sim, concordo que os gráficos estão fantásticos.

  5. OFF TOPIC: Mário estas a pensar escrever alguma coisa sobre o Mafia 3 ? è um jogo que está com problemas tecnicos, eu já comprei a historia é boa mas a nivel técnico parece que tem erros básicos para um jogo AAA de nova geração. Faz lembrar o que aconteceu com o unity…

    • Está já algo escrito. Mas apesar de existirem bugs e já me ter deparado com alguma coisa, não foi nada crítico.
      Acho que está para amanhã!

      • Sim nada critico, alguns até são cómicos! já vi caixotes a ganharem vida , barcos que não emitem som do motor, portas que abrem e fecham sem parar sozinhas…lol.
        O mais grave que me aconteceu na PS4 ocorreu a seguir ás cut scenes, o jogo deu erro por 2 vezes e fechou mesmo a aplicação.

    • Boa notícia. Parece que temos consola 😉
      Agora surge a questão. Se o CPU é Zen, o GPU é qual?
      Duvido que seja Polaris pois isso implicaria um GPU com maior velocidade de relógio que o usado na RX 480.
      Daí que a não ser que a Scorpio seja um Computador de secretária com forma de consola, ou há uma versão do Polaris nova ainda por lançar, ou já será Vega.
      Agora também devo dizer que está conversa constante sobre a Scorpio mostra que a Microsoft está atualmente preocupada com a PS4 Pro e está a tentar tudo para evitar fugas para o lado da Sony. E esta situação não é algo que normalmente se veja, com as marcas a serem bastante reservadas no anúncio de especificações até ao lançamento.
      Acho que com isto a Microsoft está a dar armas à Sony para lhes bater a consola e lhes fazer o mesmo para 2018, data em que há rumores de uma PS5.
      E sinceramente a possibilidade dessa resposta, como consumidor assusta-me pois tal implicaria o tal ciclo de resposta que já referi em artigos e que não vejo como algo desejável.

Os comentarios estao fechados.