Switch está a vender muito bem e a bater recordes…. mas será que está mesmo?

Um dos problemas com as declarações de muitas empresas é que muitas vezes estas não dizem a verdade toda, ou usam palavras foram do seu contexto real de forma a dar a perceber a total realidade das coisas.

Não tem faltado notícias sobre as maravilhosas vendas da Switch e como esta consola está a bater recordes de vendas, noticias essas que não temos acompanhado.

Mas na realidade o motivo pelo qual não temos noticiado tais situações não é má vontade contra a Nintendo, é isso sim uma análise mais realista às coisas, usando mesmo números oficiais da marca, e que mostram que o que se está a passar não é mais do que mero marketing destinado a criar o chamado “hype” para ajudar ás vendas da consola.

Mas afinal quais são os números oficiais de vendas da Switch, e como eles se comparam com a Wii e com a Wii U em igual período?

O que se segue é um quadro com números oficiais da Nintendo, criado pelo website de análise estatística, Statista. A tabela refere-se a um período onde o somatório de dias de venda nos Estado unidos, Europa e Japão equivalia a 87 dias para a Switch, 97 para a Wii e 100 para a Wii U. Ou seja, dado que os valores oficiais não foram revelados em períodos de tempo idênticos, a comparação acaba por não ser perfeita, mas no entanto dá para se perceber alguma realidade.



Infographic: Nintendo Switch Launch on Par With Its Predecessors | Statista

O que se pode visualizar é uma comparação entre a Switch, a Wii, que foi a consola melhor sucedida de sempre da Nintendo, e a Wii U, que foi o maior flop da Nintendo. E como se percebe… não há grandes diferenças!
Basicamente o que se pode concluir daqui é que os valores das vendas da Switch são ainda demasiadamente prematuros para se concluir seja o que for, e o sucesso ou insucesso da consola está longe de estar definido.

A consola efectivamente está a bater a Wii U em venda, e caso o período de tempo fosse igual, até poderia estar a igualar ou a passar a Wii (daí as palavras sobre recordes da Nintendo), mas o que estes números mostram é que isso, e perante estas vendas, não lhe garante ainda o sucesso ou insucesso. Diga-se aliás que perante os números de venda da Wii U em 2012, que acompanhavam mais ou menos os da Wii, a Nintendo também estaria certamente longe de imaginar que a consola fosse o flop que foi.



Onde há realmente uma grande diferença nas vendas é no software, com a Switch a conseguir mover o hardware, mas sem o software. A livraria da Switch é super reduzida, e isso reflete-se nas vendas, com a consola a mover o menor número de unidades das três.

Basicamente o motivo deste artigo é exactamente para que as pessoas não embandeirem em arco, acreditando nas noticias sensacionalistas que vão aparecendo (os referidos recordes são apenas relativos às vendas de consolas em território Norte Americano). A Switch está ainda longe de ter garantido o seu sucesso, e o risco da sua adopção é ainda uma realidade. Isto em nada altera a sua qualidade e capacidades, mas não deixa de ser uma situação que deve ser ponderada perante o seu preço.

As noticias mais recentes sobre a Switch são de que Mario Kart 8 vendeu em quantidades astronómicas. E se isso, fora do contexto, pode parecer uma grande notícia, perante a realidade global, onde vemos as vendas de software da consola, percebe-se que há uma grande ânsia por novo software de qualidade, uma vez que o “attach rate” hardware software não chega a 2 jogos por consola (sendo um deles Zelda). E daí que as vendas de Mario Kart não demonstram outra coisa que não essa realidade, a ausência de títulos de qualidade da consola.

A questão principal é que a Switch precisa de vender jogos para ter suporte, mas com Zelda : BOTW a ter vendido só por si mais 250 mil unidades do que a Nintendo vendeu consolas, atira as vendas desse jogo para os 3 milhões, o que significa, que os restantes jogos todos venderam 2,54 milhões, incluindo outros exclusivos Nintendo, o que não parecem ser valores que mostrem a quem investiu na consola, pelo menos nesta fase, um futuro risinho. É que se formos a ver, a situação a nível de venda de jogos de terceiros, está nesta fase até bem pior que com a Wii U.



Posts Relacionados