Televisores 4K- A Evitar e sabe porque.

Os televisores 4K estão à venda. Mas será que justificam. Eis vários factores que indicam que não.

4k

Ver um televisor com 4K de resolução pode ser uma experiência única, com os vídeos promocionais que são mostrados junto com estes televisores a possuir um nível de detalhe único e impressionante onde os pixels não são visíveis, fazendo a imagem parecer uma foto de alta definição em movimento.

Diga-se que o efeito é em tudo semelhante ao que aconteceu quando o Full HD foi pela primeira vez mostrado, mas desta vez o conseguido é ainda superior.

Mas a realidade é que o mundo dos 4K esta longe de ser uma realidade e o que existe são apenas pequenos clips realizados em câmaras que ainda não são uma realidade standard.



Motivo 1 – O Preço

Um dos moticos para não se comprar uma televisão 4K é o preço. O seu custo chega a ser duplo face a outros painéis de alta resolução.

Mas mesmo para aqueles que o dinheiro não é uma objecção torna-se notório que este continua a não deixar de ser um péssimo investimento como os motivos seguintes o demonstrarão.

Motivo 2 – Pouco conteúdo 4K para ver

Diga-se o que se disser o 4K ainda não é uma realidade. No que toca a Blu-Ray, serviços de streamming ou mesmo câmaras que se afirmem capazes de atingir os 3,840*2,160-pixel que constituem a resolução 4K, pura e simplesmente não há nada. E mesmo câmaras que se afirmam capazes de atingir essas resoluções como a Go Pro 3, só conseguem gravar 4K a 12,4 ou 15 fps, o que torna a experiência pouco digna de visualização. Existirão, claro outras câmaras, mas a preços proibitivos.

Mesmo o armazenamento é problemático e dispendioso, e tudo isso para armazenar apenas meia dúzia de filmagens realizadas em 4K reais e não re-escaladas do 1080p.

Diga-se ainda mais que quem se iludir que poderá obter essa resolução em PCs ou consolas também pode desenganar-se. Mesmo as consolas de nova geração estão a lutar para manter a qualidade video dos seus jogos em níveis de topo e 1080p, sendo que mesmo os PCs mais poderosos a correr os jogos mais recentes possuem sérios problemas de performance com resoluções desse nível.

É certo que a Sony prometeu streaming de filmes 4K para a sua PS4, mas essa situação não vai aumentar a realidade que conteúdo real em 4K ainda há muito pouco.



Motivo 3 – poucos benefícios com conteúdo 1080p

 É certo que tal como acontece actualmente com emissões SD os televisores 4K poderão re-escalar a imagem, e alguns até poderão ser muito bons a fazê-lo, mesmo com uma base SD. No entanto nessas situações é bom que estejas longe do televisor ou o aspecto granulado do video re-escalado vai ser visível. E se estás longe também não consegues aperceber-te do detalhe adicional quando vês a 4K reais. Por isso prepara-te para mover o sofá muitas vezes se quiseres sempre a melhor qualidade de imagem.

No entanto se os motivos de cima não te convenceram, há outros problemas,  e desta vez técnicos, que deverão afastar as pessoas deste tipo de televisores.

Problema técnico nº1 – O video não é suave

Apesar que dificilmente verás isto nos vídeos de demonstração que correm nos televisores, e que são optimizados ao máximo, o facto é que mesmo assim o que estás a ver não é a qualidade máxima que um televisor 4K pode mostrar.

E o motivo é simples. O HDMI.

Infelizmente, tal como aconteceu com os primeiros que adoptaram televisores FullHD, estes apanharam com cabos HDMI com graves problemas de largura de banda para a emissão em Full HD. Essa situação tem vindo a levar actualizações à norma que actualmente vai na versão 1.4.

Isso quer dizer que os actuais televisores 4K com as conexões HDMI actuais não conseguem largura de banda para 60 fps em 4K. Diga-se aliás que com os cabos actuais quadruplicar os pixels implicaria cortar a largura de banda para metade. E a 30 fps o vídeo não será tão suave.

Problema técnico nº2 – A gama de cores está reduzida nas tvs 4K

Pelo mesmo motivo de cima num televisor 4K as actuais conexões HDMI só conseguem transportar 8 bits de cor (256 tons) para dada um dos canais R (Vermelho), G (Verde) e B (Azul). Ou seja, o televisor consegue mostrar uma paleta de cores total com 16,7 milhões de cores.

Se isto te parece muito fica a saber que actualmente os LCDs podem mostrar pelo mil milhões de cores.

Aliás mesmo o HDMI 2.0 que está previsto sair (mas ainda sem qualquer data ou previsão), mesmo resolvendo a questão da largura de banda, deverá manter o problema com as cores.

Conclusão

Parece óbvio que o 4K é ainda demasiadamente prematuro. Basicamente o mesmo está a ser apresentado como uma forma de aumentar os lucros e forçar a tecnologia. Mas o certo é que com a tecnologia a avançar ao ritmo que avança, quando os 4K forem uma realidade compensadora, não só haverão tecnologias que os televisores actuais não possuem, como os preços serão bastante mais acessíveis.

Por isso, há mais é que aguardar. E isto mesmo para os que podem pagar estes televisores desde já.

 



Posts Relacionados