Titanfall só consegue toda a sua inteligência artificial devido à Cloud

Respawn Entertainement afirma de que a AI de Titanfall só é conseguida devido à Cloud.

titanfall

Titanfall será um jogo online. E um jogo que diz tirar partido das Cloud da Microsoft.

Nesse sentido a Respawns Entertainement afirma que, com excepção dos humanos, os inimigos serão totalmente geridos por inteligência artificial (IA) e que é essa IA não calculada localmente que permite à consola libertar CPU para outras operações.

Estamos assim perante uma boa utilização daquilo que efectivamente se chama Cloud Computing. IA TOTALMENTE calculada remotamente e inserida num jogo MULTIJOGADOR. Desta forma não temos as misturas entre processamento local e Cloud que são problemáticas, nem criamos a dependência do jogo da internet uma vez que  ao ser um multi-jogador ela já existiria.



Neste tipo de situações, efectivamente a Cloud pode ser colocada em bom uso. Num jogo online tradicional deste tipo, as acções de um jogador são enviadas para a internet que as sincroniza com o oponente em outro computador, dando-lhe a informação para reagir de acordo.

Basicamente o que se passa então aqui é que do outro lado não há outro jogador. Assim as informações das acções do jogador são recebidas e processadas por uma IA no servidor em vez de enviadas para um terceiro computador. Há até uma simplificação no número de passos do processo tradicional aplicado aos jogos online.

Para o jogador o processo é irrelevante uma vez que o que recebe são os dados da resposta do inimigo, seja ele derivado das acções de outro jogador real, ou da IA calculada no servidor.

Ou seja, no que toca à máquina local e processamento de jogadores, torna-se irrelevante se os dados que recebe são de uma IA ou de um humano, sendo que o processamento usado é  exactamente o mesmo. Mas no entanto, neste caso específico, e neste tipo de caso apenas, há uma grande diferença no que toca ao processamento usado e explicamos de seguida:

Titanfall poderá ter até 50 jogadores gerados por IA aos quais se somam 12 jogadores reais. Ou seja, dado que para a consola todos os elementos geridos pela IA acabam por ser tratados como se fossem outros jogadores online, uma vez que não os processa e apenas recebe as suas reacções, a consola terá de receber e processar um total de 62 elementos (este valor não é confirmado, mas apenas estimado) tal como faz em jogos como Battlefield 4. Mas dado que aqui não temos humanos, mas bots, se a IA não fosse tratada remotamente, a consola teria ainda de calcular as reacções desses 50 elementos, um processo do qual fica agora livre devido ao “poder da Cloud”.



Após esta explicação que demonstra como a Cloud funciona neste caso e as vantagens que traz ao processamento local, há que colocar as questões devidas. E estas são!

Mas qual é o verdadeiro interesse disto? Porque não usar os recursos do servidor para suportar 50 jogadores reais adicionais em vez de calcular IA?

Dado que no que toca ao processamento local é irrelevante se os dados que são recebidos, relativos aos movimentos e acções de todos os elementos em campo, partem de um elemento calculado pela IA ou de um jogador real, qual a vantagem em se ter um jogo onde apenas 12 elementos são humanos e o resto calculados por computador? Não seria preferível que estivéssemos perante um jogo onde todos os elementos são humanos?

Parece assim que Titanfall mostra efectivamente a potência da Cloud, mas de uma maneira algo questionável, e uso dos recursos da Cloud para calcular IA em vez de ser usado para gerir mais jogadores humanos em vez de parecer beneficiar o jogo, parece prejudica-lo. Afinal basta ver qualquer jogo multi jogador para perceber que os mapas com mais jogadores humanos são os preferidos e aqui temos no máximo 6 vs 6 humanos, sendo tudo o resto calculado pela IA.

Mas vamos ver o resultado final e até que ponto a IA se revela efectivamente importante na estrutura do jogo. Porque se a mesma pudesse ter sido substituída por humanos e não o foi apenas para publicitar o Cloud Computing, então algo está mal. Mas isso é algo que só saberemos depois de o produto final estar no mercado e passar pela critica dos jogadores.

No entanto não podemos deixar de mostrar este video divulgado por um dos participantes nas fases de testes e que mostra uma IA deveras preocupante. Aliás logo nos primeiros segundos podem ver que o jogador entra numa casa e a divisão é invadida subitamente por uns 8 elementos geridos pelo computador que se limitam… a abaixar-se e disparar até serem todos mortos.



Posts Relacionados