Ubber envolvida em polémica sexual

Entre outras queixas relacionadas com assédio sexual, a UBER terá mandado um memo interno aos seus funcionários alertando para não terem sexo uns com os outros.

A situação diz respeito a algo passado em 2013, mas que só agora foi conhecido, e onde o CEO da Uber, Travis Kalanick resolveu alertar os seus funcionários que iriam comparecer numa festa de celebração da empresa sobre as regras de terem sexo, num memorando oficial da empresa.

A lista de regras, que ficou conhecida como a “carta de Miami” oferecia conselhos a todos os funcionários que fossem à festa que se realizaria no Shore Club na Flórida, como como se divertirem desfrutando do sucesso da empresa. O título da mensagem era (traduzido): “URGENTE, URGENTE – LEIAM JÁ ISTO SENÃO!!!!! – É melhor que leiam ou dar-vos-ei um pontapé no cu.”

Sim… estamos a falar de memorando interno da empresa mandado pelo mail oficial, entre o presidente da Uber, e os funcionários, e não de um e-mail entre amigos.

O texto oficial que referia o que se fazer, e o que não se fazer, entrava depois em impropérios escondidos por detrás de asteriscos, como: Have a great f***ing time.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Como proibições estavam referidas situações como “Atirar barris de cerveja do topo de edifícios“, “vomitar em público” (algo que daria direito a uma multa de “vómito” de 200 dólares), e a impossibilidade de se usarem drogas ou narcóticos sem receita médica.

Se já estão chocados com o conteúdo desta mensagem vindo do presidente de uma empresa aos seus funcionários, numa cerimónia oficial, fiquem a saber o que a carta referia a seguir sobre a possibilidade de os funcionários entrarem em actos sexuais.

Não tenham sexo com outros funcionários A NÃO SER QUE

a) tenham pedido à pessoa pelo previlégio e que ela tenha respondico com um enfático “SIM! Terei sexo contigo”

b) os dois (ou mais) não trabalhem na mesma cadeia de comando. Sim, isto quer dizer que eu serei o celibatário nesta viagem. #CEOLife #FML

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Esta carta surge agora no meio de tumultos e um escandalo sexual na Uber. Na passada semana a Uber deu a conhecer que despediu mais de 20 funcionários como parte de uma investigação interna baseada em alegações sexuais. A investigação, uma de duas conduzidas pela empresa, começaram após um ex-funcionário ter escrito um texto num blog em Fevereiro onde descrevia situações de assédio sexual, sexismo, e práticas de trabalho pouco profissionais na Uber.

Uma semana depois, dois investidores da Uber escreveram uma carta aberta ao quadro de directores da empresa criticando a empresa por ter uma cultura contagiada por desrespeito, situações discriminatórias, falta de diversidade e tolerânçia a bullying e assédio de todas as formas.

Desde essa altura que a empresa tem estado envolvida numa série de escândalos que levou a que perto de uma dúzia dos seus altos executivos, incluindo o Presidente Jeff Jones, o director financeiro Gautam Gupta e o líder do programa de carros autónomos, Anthony Levandowski, se despedissem.

A Uber foi uma empresa que se destacou graças ao uso de uma aplicação para smartphone inovadora, mas que foi vítima do seu sucesso uma vez que terá crescido depressa demais, aparecendo ao longo dos tempos sempre envolvida em escândalos diversos. Ao que tudo indica esses escândalos estão agora a corroer a empresa por dentro, podendo eventualmente colocar a mesma em muito má posição.

Fonte: https://www.recode.net/2017/6/8/15765514/2013-miami-letter-uber-ceo-kalanick-employees-sex-rules-company-celebration

Publicidade

Posts Relacionados

Comentarios dos Leitores (1)

  1. Aleluia… o CEO da Uber, o Travis Kalanick, demitiu-se!

Os comentarios estao fechados.