Uber está a ser investigada por tentar fugir à fiscalização.

A Uber implementou uma característica no seu software que refere estar lá por outro motivo, mas o certo é que essa característica permite que os seus carros escapem à fiscalização.

Algo que não era do conhecimento geral é que a Uber usa um software de “despiste” que emite dados falsos para a sua aplicação.

Este software basicamente analisa com um software denominado “Greyball”, os dados do cartão de crédito, ou do telefone da pessoa que chamou o taxi, e caso esta tenha algum tipo de associação ou historial, a aplicação não responde ao pedido e passa a emitir falsas posições dos seus taxis.

A uber alega que esta situação foi criada como medida de protecção aos seus condutores, e caso a pessoa que está a solicitar um taxi esteja associada a alguma situação de violência ou fraude, ou aos serviços de taxi tradicional (taxistas), a aplicação nega-lhe o envio do taxi e fornece posições falsas. A ideia é, segundo a Uber, proteger os seus condutores.

Eis as declarações da Uber sobre o assunto:

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Este programa nega pedidos de serviços a utilizadores que estejam a violar os nossos termos de serviço.

Seja que a pessoa pretenda agredir os nossos condutores ou perturbar o seu serviço, ou mesmo oponentes que estejam em conluio com entidades oficiais em situações destinadas a “tramar” os nossos condutores.

A situação em causa não só não é correcta, como implica um tipo de investigação e registo que a se desconhece se a Uber se encontra legalmente capacitada para fazer. Mas mais ainda, a situação permitir igualmente registar cartões e telefones usados por entidades fiscalizadoras ou policia e evitar assim fiscalizações surpresa às suas viaturas.

Publicidade
Aproveite o código de descontos PCManias
Casetips

Retomando o nosso artigo

Apesar de aqui não estar ainda provada a existência efectiva de nenhum crime, a Uber recebeu já uma intimação do tribunal para prestar contas sobre esta situação, sendo que será submetida a inquérito e investigação.

E legal ou ilegal, o certo é que todas estas notícias não abonam a favor da legitimidade e da imagem da Uber. Apesar dos seus baixos preços, e das eventuais vantagens que possa ter, estas suspeitas de atuação ilegal e acima da lei, associadas ao facto que esta empresa já contorna uma série de legislação em vigor que é aplicada aos taxistas não ajudam a criar uma imagem de que este é um serviço leal e merecedor de continuar em serviço.

Recorde-se que a Uber já foi acusada de criar um programa, denominado internamente como Hell (inferno), que espiava os condutores de serviços concorrentes, e mais especificamente que condutores conduziam por mais do que um serviço, criando um perfil sobre os mesmos, e mandando prioritariamente os serviços para estes condutores, de forma a estes não prestarem serviços pela concorrência. Clara concorrência desleal!

A Uber foi já expulsa de vários paises, e esta situação de análise e geolocalização dos telefones (mesmo após o apagar-se da aplicação) já levou a Uber a ser chamada à Apple que ameaçou mesmo retirar a aplicação da sua loja caso a prática continuasse.

Fonte: TheVerge

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (10)

  1. No Brasil o Uber poderia ser enquadrado no Código de Defesa do Consumidor (CDC). Neste código há um artigo em que proíbe a fornecedora de serviço de não oferecer seus serviços de acordo com o tipo de usuário.

    • Hennan Santos Carvalho 17 de Maio de 2017 @ 19:01

      E não é a toa que o Brasil é uma piada.

      • Não entendi a sua resposta, pois o CDC garante que quem oferece o serviço deve fazê-lo para todos independente de qualquer motivo/diferença do usuário.

      • Vamos ao trecho:

        SEÇÃO IV
        Das Práticas Abusivas

        Art. 39. É vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas: (Redação dada pela Lei nº 8.884, de 11.6.1994)
        II – recusar atendimento às demandas dos consumidores, na exata medida de suas disponibilidades de estoque, e, ainda, de conformidade com os usos e costumes;

        ** Não sou advogado, mas creio que os trechos abaixo também poderiam ser utilizados:
        IV – prevalecer-se da fraqueza ou ignorância do consumidor, tendo em vista sua idade, saúde, conhecimento ou condição social, para impingir-lhe seus produtos ou serviços;
        **** No caso de o consumidor por não conhecer como funciona o Uber e também por seu histórico receber dados errados, como noticiado acima.

        IX – recusar a venda de bens ou a prestação de serviços, diretamente a quem se disponha a adquiri-los mediante pronto pagamento, ressalvados os casos de intermediação regulados em leis especiais; (Redação dada pela Lei nº 8.884, de 11.6.1994)

        Ainda não entendo como dispositivos que garantem benefícios aos consumidores fazem do Brasil uma piada.

        Fonte: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8078.htm

        • Hennan Santos Carvalho 19 de Maio de 2017 @ 12:42

          Simplesmente porque esses ditos “benefícios” geram custos enormes que são repassados para o consumidor e criam barreiras de entrada que reduzem a concorrência. Vimos um exemplo recente nos EUA com o Obamacare. Aumento de preço, quebra de operadoras e por consequência redução da concorrência.

          • Bem são quase 27 anos de CDC e nos últimos anos a concorrência aumentou.

            Não vi empresas de eletrônicos saindo em massa do país, empresas de telefonia que sempre lideram as reclamações ainda não quebraram e a única que está prestes a fechar, a Oi, está nessa situação por não investir na sua infraestrutura, só priorizou o lucro.

            Se tem Oi com banda larga de 35 Mbps por R$84,90 e que utiliza uma infraestrutura de no mínimo 20 anos e uma Vivo com 50Mbps por R$79,90 e com uma infraestrutura de no máximo 5 anos qual das 2 vou escolher? Será que a Oi foi prejudicada pelo CDC?

            Eu defendo o CDC, imagine você ficar a mercê das empresas? De pagar estacionamento e o estabelecimento não ter responsabilidade pelo seu automóvel, de comprar um produto e o mesmo vir com vício e a fabricante negar o reparo gratuito, de ver uma oferta e a loja não querer cumpri-la, você acha justo o consumidor ter que sofrer estes abusos?

            Sei não, ultimamente tem muita gente que apoia ações que vão contra elas mesmas. É botar culpa no CDC pela quebra de empresas.

            No Brasil é uma crise onde as lojas estão vazias e os produtos à venda estão com preços maiores, não acha contraditório?

          • Isso só lembra uns 3 meses atrás onde a operadora móvel começou me cobrar por adesão aos dados móveis (3G) do smartphone sem eu nem ter solicitado e quando entrei em contato com a operadora ouvi a seguinte resposta “Deve ser problema no seu aparelho”.

            Com base no CDC entrei com reclamação, ganhei a causa, recebi em dobro o valor cobrado indevidamente e a operadora ainda reconheceu que o erro estava no lado dela.

            Se não fosse o CDC você acharia justo eu ficar com o prejuízo e a operadora com o lucro?

          • Dizes bem Livio… as leis e as regras só defendem as empresas, lixando sempre o consumidor… nesse aspecto concordo com o que dizes.

          • Hennan Santos Carvalho 19 de Maio de 2017 @ 20:19

            Gosto de pessoas que só conhecem um mundo. O da ilusão em que vivem. Você não viu empresas saindo do país? Só no games temos a Nintendo e agora a EA. Não viu empresas quebrando, nesse mesmo ramo temos a gradiente. O CDC não prejudica a OI, nem a VIVO, muito pelo contrario. Ele e todas as outras regulações garantem a manutenção do cartel brasileiro. Você não acha estranho que várias gigantes da telecomunicação não venham para o Brasil? Você não acha estranho temos os bancos mais lucrativos? A situação aqui é tão ridícula que você precisou entrar na justiça para conseguir algo que em um país mais liberal seria resolvido em 1 minuto. Isso é tipico de país de esquerda, clamar pela ajuda do estado. E achar que sem a “proteção” dele seriamos explorados. Mas engraçado que isso não acontece no mundo real, em países mais liberais. O Governo é bom em uma coisa. Ele sabe como quebrar as suas pernas apenas para depois lhe dar uma muleta e dizer:”veja, se não fosse pelo governo, você não seria capaz de andar!(Harry Browne).

          • Hennan Santos Carvalho 19 de Maio de 2017 @ 20:27

            “No Brasil é uma crise onde…”
            Essa frase mostra claramente o que é morar num país sem educação financeira.
            Segue um artigo simplificado sobre o tema http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2663 e esse sobre o CDC
            http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1281

Deixe um comentario

O seu e-mail nao sera publicado.


*