WiiU está no mercado. Eis as primeiras reacções.

A WiiU já está no mercado e esperamos ter acesso a ela muito brevemente. Mas entretanto eis algumas das reacções no mercado à nova consola.

As primeiras WiiU estão já no mercado, e já há reacções da imprensa escrita sobre a consola que cada vez mais no levam a  querer testar a consola por nós mesmos, algo que esperamos poder vir a ser possível brevemente.

É que as reacções são mistas, e alguns dos aspectos da consola são muito mal vistos.

O website The Verge refere o seguinte na sua conclusão final:



Mas os momentos de brilhantismo estão actualmente ensombrados pela trapalhada do sistema. É um novo paradigma para os video-jogos, e há claras e frustrantes dores crescentes. A Gamepad é vezes de mais confusa e implementada de forma ilógica  criando experiências de jogo bastante estranhas, especialmente quando se joga com amigos.

Depois há o facto da WiiU ela própria, com os seus materiais vistosos mas baratos, e tijolos como carregadores, que parece mais um protótipo do que um produto final. O ecrã táctil por vezes não funciona, o controlador parece ter os botões mal mapeados, e mesmo a consola é maior e mais pesada do que deveria ser.

O The Verge critica ainda que algumas situações, como a e-shop, apenas funcionarem no controlador, fornecendo uma utilização SD numa consola que é HD e que podia usar a TV para tal.

Refere ainda que a característica que permite usar o controlador como comando universal é limitada.

Mas mudando de fonte, eis outra queixa, desta vez dos utilizadores: Torna-se criticável que a consola não venha de fábrica com o firmware actualizado, existindo um novo firmware que Nintendo disponibilizou apenas minutos antes de a consola iniciar as vendas. E a actualização pesa, nada mais, nada menos, do que 5 GB. Um valor astronómico para um firmware, e que poderá ser problemático para muita gente de instalar.

Pior ainda é que a actualização, mesmo sobre uma internet rápida, demora duas horas a realizar, sendo que a WiiU não possui qualquer salvaguarda em caso de corte de energia durante este processo, ao contrário, por exemplo, da PS3. Uma falha aqui, e a consola fica inutilizável. E existem já relatos de consolas inutilizadas durante o processo.

Um dos sites que recebeu muito bem a consola foi o Arstechnica, mas no entanto não deixou de criticar algumas situações.

A Gamepad é vista como o calcanhar de Aquiles da consola, ao ter uma bateria que dura apenas 5 horas, e que, ao ser um elemento essencial na maior parte dos jogos, limita a experiência. A alternativa é tornar um controlador sem fios num controlador com fios e liga-lo à tomada.



Mas a grandes queixas que se ouvem são relativas ao grafismo e performance da consola.

Mass Effect 3 e Ninja Gaiden 3: Razor’s Edge, dois jogos igualmente existentes para a PS3 e Xbox 360 não são grandes exemplos das capacidades da consola. Há quem acredite que tal se deva a má conversão, e há quem acredite plenamente que tal é a prova que o seu hardware é inferior.

O site 1UP analisou Mass Effect 3 para a WiiU e refere o jogo como “bastante menos estável visualmente” do que a versão da Xbox 360, com um “frame-rate” bastante mais baixo, animações mais “rígidas“, e mesmo pior a nível de audio.

É certo que o 1UP poderá estar a ser algo picuinhas, mas quando vemos analisadas lado a lado as versões PS3 e Xbox de todos os jogos, indo ao extremo de analisar os pixels, a WiiU que não julgue que passará a escapar a idêntica análise escrupulosa.

O NeoGAF acredita que estas situações se devem a más conversões da Electronic Arts, mas mesmo que tal seja uma realidade fica a dúvida sobre até que ponto a WiiU lidará bem com conversões de jogos criados em outras consolas.

Mas o 1Up não parece ir na teoria da NeoGAF, referindo “Houve efectivamente muito trabalho e raciocínio colocado nesta conversão, o que é sempre algo bom de se ver“. Não se sabe porém se o 1Up se referia ao jogo global ou apenas na forma como a Gamepad foi implementada.

Já o IGN queixa-se de Ninja Gaiden 3: Razor’s Edge, referindo que “Razor’s Edge é sem dúvida mais feio que os seus primos” citando casos de texturas fracas e poligonos bastante visíveis.

Já o “frame rate” parece acompanhar a 360 e a PS3, pelo menos “até que muitas coisas começem a acontecer ao mesmo tempo“.

Mas para terminarmos com algo de bom, eis a fantástica barra de progresso usada pela WiiU na passagens dos dados da Wii para a nova consola. É sem dúvida a coisa mais original que alguma vez vimos.




Posts Relacionados