Xbox Gamepass, sucesso ou insucesso?

A Microsoft não diz quantos utilizadores aderem ao Gamepass. Mas como diz o ditado, “quem não tem cão… caça com gato”, e assim sendo, podemos saber isso, de forma aproximada, de outras maneiras.

Faz agora algum tempo apareceu na internet um quadro com as receitas totais geradas pelos serviços de subscrição.

Esse quadro, que até abordamos numa outra notícia, foi deveras interessante pois permitiu saber que o serviço de subscrição dominante do mercado era o PSNow, que sozinho arrebatava 52% dos lucros. O resto era dividido entre o Game Pass, o Origin Access, o Origin Access Premier e o EA Access.

Ora curiosamente não sabemos como nunca ninguém explorou mais a informação contida naquela tabela, pois ela não inclui apenas dados sobre a receita dos diversos serviços! Na realidade, ali escondido há muita mais informação indirecta.



Naturalmente convêm indicar desde já que estes não são números oficiais, são apenas estimativas. As empresas que possuem estes serviços não fornecem estes números, pelo que estas empresas de pesquisa de mercado usam indicadores diversos para chegar a estes números. Tal significa que eles podem não ser correctos, mas tal não significa que o estudo não seja perfeitamente válido e baseado em ferramentas profissionais que estas empresas usam para vender informação aos seus clientes.

Basicamente o que isso quer dizer é que estes números não são atirados à sorte. São valores aproximados, com margens de erro e de confiança reconhecidas e aceites, e que se tornam ferramentas de análise válidas na falta de melhor informação.

Conscientes e informados sobre os erros que podem ali estar, vamos então analisar o que será a realidade do mercado para aqueles valores!

Basicamente a informação que imediatamente salta à vista é que no terceiro quarto de 2018, os serviços de subscrição ali indicados geraram uma receita global de 273 milhões de dólares.

Dessa receita, perto de 52%, mais precisamente 52,3% pois o valor referido é de 143 milhões, foram gerados pelo PSNow. O Gamepass, esse terá gerado 15% desse lucro, o que equivale a dizer que terá gerado algo perto dos 40.95 milhões! E usando simples matemática, da mesma forma podíamos calcular a receita dos restantes serviços.

Sendo esta uma receita de um quarto do ano, ou trimestre, o que temos é que esta é a receita gerada em três meses. Ou seja, dividindo o valor obtido por 3, temos a receita mensal de gerada pelos serviços.



Assim, por esta estimativa, o Gamepass gera por mês um total de 13.65 milhões de receita!

Ora este serviço custando 10 dólares por mês, ter uma receita de 13.65 milhões é o equivalente a dizer-se que, na melhor das hipóteses para a base de utilizadores, que é considerar que estas receitas são apenas as que advém das mensalidades pagas excluindo possíveis compras in-game, o serviço terá o equivalente a 1.365 milhões de subscritores pagantes fixos.

Perante estes valores, os utilizadores pagantes fixos mensais podem ser menos se considerarmos que a receita tem igualmente outras fontes, mas nunca podem ser mais.

A aceitarmos os valores relatados por analistas de 42 milhões de consolas Xbox vendidas, isto corresponde a um alcance de 3.5% dos seus utilizadores. Menos se as consolas vendidas forem em maior número.

Apesar de não acreditarmos que este estudo fuga muito da realidade, mesmo que considerássemos que a Microsoft obtinha o dobro dos lucros ali indicados, tal implicaria um alcance máximo de 2.73 milhões de utilizadores. Mesmo assim, estaríamos com apenas 7% da base, e um com um valor de utilizadores bem longe do que as assinaturas do Live alcançam.

Confesso que quando fiz estas contas fui surprendido peloa resultados. Esperava mais… pelas reações dos foruns, pelas referencias activas aos serviço, pelas reações de defesa do mesmo de muitos utilizadores, esperava mais… muito mais,

Apesar de este não ser um dado oficial, este estudo, ao ser das poicas ferramentas que há sobre estes assunto revela números que se mostram preocupantes. Aliás, mesmo que os valores fosse o dobro, eles continuariam preocupantes. Seja com 3.5% da base ou com 7% da base, a baixa adesão ao serviço mostra à Microsoft, desde já, que as subscrições não são algo que chame as pessoas aos magotes. E mostra igualmente que, pelo menos para já, o Gamepass está longe de ser um sucesso a nível de adesões.

Tal como temos vindo as escrever, os receios dos utilizadores nestes tipos de serviços são reais, e mais do que serviços aparentemente baratos, estes querem garantias de que o serviço lhes dará no futuro mais e melhores jogos, sem fragmentação de mercado e aumento de despesas pelas necessidade de múltiplas subscrições. Daí a hesitação que poderá estar a existir na adesão a um sistema cuja viabilidade e funcionamento futuro é questionável.

Infelizmente, a subscrição via streaming será o passo seguinte, e aquilo que nos querem impingir no futuro, e é nesse campo que os números de adesão ao Gamepass, que este estudo mostra, preocupam. Tal não aparenta ser o que o cliente quer, mas é claramente aquilo que lhe querem impingir.

 

 

 

 



newest oldest
Notify of
Edson
Visitante
Edson

Vão falhar miseravelmente! Creio que uma quebra da indústria acontecerá ainda por conta desses serviços, principalmente com os que virão com o Streaming a não ser que dêem a possibilidade das pessoas comprarem os games, algo que duvido muito. Certamente a Microsoft apostará em jogos episódicos e a comparação com a Netflix não me resta dúvida disso. Sobre o Stadia, ao contrário do que muitos pensam, creio que morrerá antes do xcloud da Microsoft, pois querendo ou não, a Microsoft tem uma base de fã maior e mais propriedade intelectuais.

Livio
Visitante
Livio

[OFF-relacionado] Se a MS tem lucro ou não com o Game Pass só ela sabe, mas muitos ficam comparando o serviço com Netflix devido a similaridade de disponibilizar o conteúdo no lançamento, destes alguns de qualidade duvidosa e pouquíssimos excelentes.

Pois bem hoje recebi um e-mail de que o serviço da Netflix terá um reajuste de preço de R$5,00 (isso para o plano que uso) ou aproximadamente 17,93%. Praticamente a Netflix está reajustando anualmente a mensalidade. Em menos de 5 anos estou quase pagando o dobro do valor de quando assinei o serviço.

Se a Netflix que é um serviço que “anda com suas pernas” (há pessoas que dizem que ela tem uma alta dívida) está fazendo reajustes quase anuais para se bancar então o que dizer do GamePass que constantemente fica fazendo promoções de 1 real/dólar/euro e não teve nenhum reajuste em seu “preço normal”?

Tá saindo dinheiro de algum canto para cobrir despesas ou então a MS descobriu uma fórmula secreta que nem a Netflix sabe.

nETTo
Visitante
nETTo

Não há o que questionar sobre a qualidade do serviço da Microsoft, eu o uso e usarei até set/21 devido a um bug que ocorreu em out/18 no qual o valor da assinatura estava 3R$ (mês) e após assinar o sistema voltava para tela de comprar onde se podia comprar novamente até o limite de 3 anos pelo mesmo valor, ou seja, paguei 108,00R$ por 3 anos de gamepass. Durante este período já tive a oportunidade de experimentar diversos jogos, uns gostei outros nem tanto. Dito isto, é notório que o serviço sofre com baixa adesão vide as inúmeras promoções que são colocadas a disposição durante o ano, em 2018 eu perdi a conta de quantos meses foram disponibilizados a 1R$, e teve este do caso que citei, em 2019 mesmo, até abril o gamepass já esteve em promoção aqui no brasil por pelo menos 2 vezes, perante isso eu acredito que sim o serviço sofre com a baixa adesão dos usuários da plataforma que preferem defender o serviço que assiná-lo.

Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

Seu comentário é contraditório, pois no artigo para demonstrar a baixa adesão dividiu-se a suposta facturação mensal por 10 usd, acontece como vc mesmo diz existe um numero indeterminado de pessoas que apenas pagaram 1usd/mês através de bugs ou através das promoções frequentes que a MS faz e que coloca os serviço a 1usd, logo eu acho que 3,8% é um valor estimado por defeito e não traduz a realidade

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Streaming, Ray Tracing, GAAS, e acredito VR também, são coisas que estão a ter bastante dificuldade pra se criar interesse na maioria, pelo que vejo nos comentários que parecem mais honestos, sem os que os apoiam por “clubismo”, sem contar que a maioria não é adepto a viver em fóruns, apenas jogam e parecem só querer sentar lá com um controle ou teclado com jogos bons como sempre foi, sem alterações no paradigma.
Estou bastante curioso sobre como essa história vai se desenrolar.
Até o momento não vejo um dado real de que sejam interessantes (pra consumidores e pras desenvolvedoras) os produtos citados, apenas promessas de que teremos muito quando não se mostra nada concreto, nada interessante de fato.
O modelo mais tradicional parece ter a esmagadora preferência.
Citei o VR pois, no State of Play, pudemos ver uma comoção muito negativa quanto ao conteúdo VR, onde várias pessoas (mesmo sonystas) fizeram chacota do mesmo ou se mostraram decepcionados ao perceber um game se tratar de VR. Ray Tracing parece ser a perfumaria mais odiada, o streaming além da questão da infraestrutura, ainda vejo que não tem tanto apoio. GAAS não parece estar fazendo muito sucesso pelos números que se apresentam e dos que não se apresentam, pois se estivesse a ser um grande sucesso, seriam alardeados com toda pompa e ainda, a matemática não parece favorecer de nenhuma forma clara o futuro do mesmo.
Parece que estão perdendo no Poker mas com a esperança de que se insistirem, irão prevalecer.
Será que todos se juntarão ao Kinect no limbo? Ou haverá uma virada?
Só o futuro pra responder.

Rui Teixeira
Visitante
Rui Teixeira

Se me permites comentar sobre o streaming e o vr, já que pude experimentar ambos, o vr possuo o psvr e o streaming testes os 7 dias grátis do psnow.
Sobre o streaming, encontrei pontos positivos e negativos. O positivo é a possibilidade de jogar qualquer jogo sem instalação, escolhia o jogo e passado uns segundos estava a jogá-lo (para jogos ps4 é possível a instalação). Os negativos, é que os jogos não são realmente teus, mas hoje em dia o que é!? Outro negativo é a latência, em alguns jogos era mais perceptível que noutros, mas ela estava lá, isto com uma net fibra de 200/100. O outro é a clara compressão do vídeo, notória em jogos rápidos, como jogos de corridas, notava-se claramente os artefactos da compressão do vídeo. Para quem gosta de ver um bom grafismo com o mínimo de artefactos possível, certamente o streaming não é para ele. Talvez no futuro isto seja minimizado, mas logo se verá.
O que achei é que este tipo de serviços seriam perfeitos para demos. Poder entrar e sair dos jogos em segundos, testá-los durante uns minutos como se fosse uma demo parece-me muito bom, já para jogos completos fico com um pé atrás.

Sobre o vr. Esta é a minha humilde opinião. Já ando nisto dos jogos há mais de 30 anos, e nunca, mesmo nunca, tive uma experiência tão espectacular como quando experimentei por primeira vez o vr, ao ponto que hoje em dia gostaria que todos os jogos tivessem um modo vr. A sensação de estar dentro de um jogo, não tem paralelo e só pode ser experienciada mesmo no vr, ver vídeo fica longe, muito longe da experiência vr, o vr dos telemóveis é lixo comparada com um vr em condições como pode ser o psvr, vive, oculos, etc. e engana muito. Também convém que o capacete esteja devidamente configurado para ti, ou poderás ter uma má ou menos agradável experiência. É certo que a tecnologia ainda precisa de evoluir, mas a dia de hoje já é possível ter uma grata e única experiência no vr. Por certo, o vr não é apenas fixe em jogos em primeira pessoa, também tinha essa ideia, que só teria piada em jogos em primeira pessoa, mas estava bastante enganado, ao ponto que um dos jogos que mais gostei foi o astrobot, o melhor jogo de plataformas de todos os tempos, em grande parte devido a ser um jogo vr.

Dito isto, o streaming tenho as minhas dúvidas quanto ao seu futuro, já o vr espero sinceramente que a tecnologia continue a evoluir e a serem lançados mais e melhores jogos.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Interessante ver as impressões das pessoas. Valeu o comentário.

Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

Não acho que os jogos não serem realmente meus um ponto negativo, pois na realidade os jogos nunca são realmente nossos independentemente da forma como vc o joga, mesmo que vc compre o jogo em formato físico apenas está a comprar o direito de o jogar, o que muda é apenas a maneira como o jogo é armazenado, ou em sua casa ou na casa de quem vende o serviço o que para mim é uma mais valia pois não ocupam espaço.
No meu caso tenho em minha casa (por estimativa):
2000+ cd de musica
1000+ discos em vinil
1200+ filmes em DVD
800+ filmes em VHS
800+ jogos em vários formatos (cassete, cd, DVD, Blue ray)
8 caixotes plásticos cheios de cartas de Magic the gathering
300+ livros de BD (Tintin, Axterix, etc)
Milhares de livros em formato “normal”

De todo estes aparato actualmente usufruo de zero, pois compro jogos digitais, ouço musica digital, vejo filmes digitais e deixei de ler banda desenhada e também praticamente não tenho tempo para ler livros o que diga-se de passagem se tivesse também o poderia fazer de forma digital, logo tenho uma quantidade gigantesca de discos e livros armazenados que quando morrer provavelmente serão ou vendidos ao desbarato ou simplesmente jogados no lixo…

Alexandre Oliveira
Visitante
Alexandre Oliveira

Eu enquanto puder vou de sempre de consola e fora promoções compro sempre em formato físico!!
Fica na minha posse e posso jogar muito depois do jogo ter saído das lojas digitais!
Enquanto puder faço parte da resistência!!! (o que não invalida o facto de reconhecer que também existe vantagens de passar a ser tudo digital…).
Como também gosto de coleccionar edições especiais o Days Gone já está encomendado em formato físico!!

Rui Teixeira
Visitante
Rui Teixeira

Existe um problema que começa a aparecer, cada vez mais, nos jogos físicos, mesmo singleplayer. Muitos deles requerem ligação à internet, muitos outros têm uma actualização inicial obrigatória. Se o serviço vai à vida, deixarás de poder jogar este ou aquele jogo, mesmo sendo físico e singleplayer. Já não é como antigamente que os jogos continuam a funcionar décadas depois, agora, infelizmente, obrigam uma ligação constante à net, seja para validações da treta ou actualizações obrigatórias.

ANDERSON D CUNHA
Visitante
ANDERSON D CUNHA

Amigo você colocou o serviço a 10 euros … Quando existem inúmeras promoções a 1 euro (aqui no Brasil existem várias assim) … Então sua conta deve ir desde 3.5% até 35% (10x mais) …
Ainda sim eu acho baixo !!
Acredito q seja devido a preconceitos com serviço de streaming (apesar q o game pass não eh serviço de streaming … )
Outra coisa eu TB queria ver esses números em adesão ao PS now !!

Sabendo q ele eh mais caro e que não há promoções e a base jah passou dos 90 Mi (na última contagem ) …
* 143/3 = 47.67 Mi lucros mensais
* 47.67Mi / 14.99 por assinante = 3.18 Mi assinantes

X% = 3.18*100/90 = 3.53 por cento comparado com a base !!

O dobro seria 7% … Exatamente a suas contas com o Xbox !!

Se o game pass não tem adesão pelos usuários da MS … O PS now TB não tem pelos usuários da Sony !!

Breno
Visitante
Breno

Promeiro eu não ligo pra porra de lucro da Microsoft. O importante e que eu tenho mais de 100 jogos por 30 reais

Brunoab
Visitante
Brunoab

Lucro e vendas não importam

Por isso vc joga Quantum Break 2, Recore 2, Killer Instinct 2…

Tb está aí usando o Windows Phone, com atualização de segurança,SQN

Lord
Visitante

Excelente matéria! Não havia me dado conta desses dados na época. Espero que não se importe, fiz um vídeo a respeito e lhe dei todos os créditos (https://youtu.be/mx6gJQAjLJQ). Entretanto, gostaria de saber sua opinião…

1 – Você acha que a falta de jogos AAA no Xbox One atualmente se deve ao fato de a Microsoft ter baixas vendas em suas IP’s?
2 – Xbox Game Pass está ligado ao fato de os jogos estarem saindo com baixa qualidade/orçamento na plataforma?
3 – Você fez o cálculo em euro, sendo que o valor total somado está em dólares. Esse resultado verídico pelo fato de ambos custarem 9,99?

Livio
Visitante
Livio

Já te seguia e estou assistindo o vídeo agora! Ahh até já falei contigo sobre o modelo do PS3 fat todo preto, o que não tem Wi-Fi.

Edson
Visitante
Edson

Lord, show de bola vc estar por aqui! Acompanho seu trabalho! Pcmanias é sem dúvidas a maior referência de artigos a respeito de games e tecnologia da língua portuguesa.

Marcelo Lopes
Visitante
Marcelo Lopes

Acompanho o pc manias á muito tempo, desde á época do lançamento do ps4 e Xbox one, no qual o site dizia ser neutro.
Mas agora é difícil não perceber que a notória preferência pela Sony… lembro muito bem que um dos editores do pcmanias escreveu que o jogo resogun era bom e tinha seu público, e que existiam pessoas que compraram o ps4 por causa desse jogo. Porém, hoje em dia se tem falado por aqui que o mais importante são jogos de qualidade, indo totalmente contra ao jogo resogun (jogo de péssima qualidade).
Também lembro que o site ia totalmente contra aos críticos que diziam que o Xbox era bom.
Agora, até afiliado á canais do PlayStation mil grau está.
Fica muito difícil acreditar na imparcialidade do site.
Ultilizadores que se dizem totalmente imparciais e que criticam a Xbox mil grau são os mesmos que assistem a PlayStation mil grau.
Chega a ser uma piada de mau gosto, tanto o site como esses ultilizadores se passarem por imparciais.

Livio
Visitante
Livio

Pelo visto não leu corretamente a resposta do Mário e também não conhece os vídeos do canal citado.

Do lado do Mário vi isso:

Mesmo agradecendo o convite, não irei participar dos comentários pois não pretendo entrar em discussões de consolas.

De onde ele filiou ao canal PS Mil Grau?

Do lado do Lord aponte um vídeo ao qual ele xinga, taxa, humilha as pessoas da mesma forma que o XMG faz. Aproveita e aponte um vídeo em que a XMG crítica a plataforma de eleição quando esta faz atitudes que não são de benefícios aos usuários, se acompanhasse o Lord saberia que ele criticou poucos dias atrás a Sony na questão dos DLC’s em exclusivos.

Do lado dos leitores imparciais só o fato de ser imparcial fica proibitivo de ver e se inscrever em canais? Na área de games só sou inscrito no PSMG e no Velberam, o resto só foca nos games war e deixa de lado o que deveria ser o principal, os games. Agora se acha estranho os imparciais assitirem a PSMG e criticarem a XMG é só parar para pensar e ver qual dos 2 canais já foi processado 2 vezes sendo que perdeu em um processo e tem uma alta probabilidade de também perder o segundo.

Edson
Visitante
Edson

Típico de um caixista mil grau fanboy! Nem ler deu ao trabalho de ler, mas bostejar por ai, faz com maestria

Livio
Visitante
Livio

[OFF] Estão dizendo que houve uma aparição do PS Now na PSN brasileira