Xbox One vs Xbox One s vs PS4 vs PS4 Slim vs PS4 Pro

xonevsps4

Atualmente a Microsoft vende a Xbox One original, e sua versão slim, a Xbox One S. A Sony vende a PS4 original, a sua versão PS4 Slim e a versão mais potente, a PS4 Pro. O que oferece cada uma delas?

Pelo menos enquanto os stocks durarem, no próximo dia 10 de Novembro vai ser possível encontrar 5 modelos de consolas diferentes nas prateleiras das lojas, sendo que dois são da consola Xbox da Microsoft, e três da consola Playstation da Sony.

Quais as diferenças entre elas?

Vamos começar por comparar os dois modelos da Xbox!

A Xbox One S possui várias diferenças face á consola original. São bastantes e dignas de registo.

Xbox One Xbox One S
Dimensões 33.3×26.3×8 cm 29.2×22.9×6.35 cm
Peso 3.5Kg 2.9Kg
Disco 500 GB ou 1 TB 500 GB ou 1 TB (2 TB em edições especiais)
Resolução máxima 4K a 24 fps
1080p a 60 fps
4K a 60 fps

1080p a 60 fps

Output nativo mais usado  (independente do re-escalamento) 720p a 1080p jogos

1080p vídeo stream

1080p vídeo em BD

4K vídeo stream a 24 fps

4K fotos

720p a 1080p jogos

4K vídeo stream

4k vídeo em BD

4k video a 24 fps

4k Fotos

HDR Não Sim
Ram e largura de banda 8 GB DDR3 a 68 GB/s

32 MB de eSRAM a 204 GB/s

8 GB DDR3 a 68 GB/s

32 MB de eSRAM a 218 GB/s

Saída áudio digital óptica Sim Sim
Leitor Blu-Ray Sim – 1080p Sim – 4k
Porta Kinect Sim Não
Bluetooth Não Sim
Fonte de alimentação Externa Interna
Portas USB 3x USB 3.0 3xUSB 3.0
CPU Jaguar 8 núcleos a 1.75 Ghz Jaguar 8 núcleos a ??? Ghz
Núcleos disponíveis para jogos Entre 6.5 a 6.8 Entre 6.5 a 6.8
GPU AMD 768 stream processors a 853 Ghz AMD 768 Stream Processors a 914 Ghz
Tflops no GPU 1.31 Tflops 1.4   Tflops*
Retrocompatibilidade Sim Sim
Preços previstos Promoções para escoamento de stocks 299 euros no modelo de 500 GB

* Os jogos para a Xbox são feitos para a consola base com 1.31 Tflops. A performance extra (+7.1%) é apenas usada no cálculo dos fotogramas, mas não para efeitos adicionais.

Passemos aos modelos da Playstation

PS4 PS4 Slim PS4 Pro
Dimensões 27.5×30.5×5.3 26.5×28.8×3.9 29.5×32.7×55
Peso 2.8Kg 2.1Kg 3.3Kg
Disco 500 GB ou 1 TB 500 GB a 1 TB 1 TB
Resolução máxima 4K a 24 fps
1080p a 60 fps
4K a 24 fps
1080p a 60 fps
4K a 60 fps
Output nativo mais usado  (independente do re-escalamento) 900p a 1080p jogos

1080p vídeo stream

1080p vídeo em BD

4K vídeo stream a 24 fps

4K fotos

900p a 1080p jogos

1080p vídeo stream

1080p vídeo em BD

4K vídeo stream a 24 fps

4K fotos

1080p a 4K jogos

4K vídeo stream

1080p vídeo em BD

4k vídeo a 60 fps

4k Fotos

HDR Sim (prometido) Sim (Prometido) Sim
RAM e largura de banda 8 GB GDDR5 a 178 GB/s 8 GB GDDR5 a 178 GB/s 8 GB GDDR5 a 218 GB/s
Saída áudio digital óptica Sim Não Sim
Leitor Blu-Ray Sim – 1080p Sim – 1080p Sim – 1080p
Bluetooth Sim Sim Sim
Fonte de alimentação Interna Interna Interna
Portas USB 2x USB 3.0 2x USB 3.0 3x USB 3.0
CPU Jaguar 8 núcleos a 1.6 Ghz Jaguar 8 núcleos a 1.6 Ghz Jaguar 8 núcleos a 2.1 Ghz
Núcleos disponíveis para jogos 7 7 7
GPU AMD 1152 stream processors a 800 Ghz AMD 1152 stream processors a 800 Ghz AMD 2304 stream processors a 914 Ghz
Tflops no GPU 1.84 Tflops 1.84 Tflops 4.2 Tflops
Retrocompatibilidade Não Não Não
Preços previstos Promoções para escoamento de stocks 299 Euros no modelo de 500 GB 399 euros com 1 TB

Pela lista que temos em cima vemos que claramente há ofertas para todos os gostos.


Naturalmente um dos grandes factores decisivos continuará a ser a preferência de gostos pelos jogos. E apesar de a Microsoft ter dado a conhecer que os jogos da sua consola estarão igualmente disponíveis para PC, estes continuam a só poderem ser jogados em consola na Xbox One. Assim a diferença face aos exclusivos Microsoft e Sony continua a existir como sempre existiu, servindo de fator, talvez mesmo o mais decisivo, na escolha da consola, para quem não conta com o PC.

No entanto, no que toca a performance, as consolas da Sony levam vantagem! Apesar de uma pequena melhoria de 7.1% na performance da Xbox One S face à Xbox One original, esta é uma performance ignorada na criação dos jogos para a consola, que continuam a ser criados tendo em conta as especificações da consola base. E sendo a diferença tão pouco significativa, esta performance limita-se a ser usada na estabilização de fotogramas e eliminação de algum “screen tearing” que possam existir na consola base, bem como no processamento do HDR.

A Xbox One S distingue-se ainda da consola original por suportar em jogos re-escalamento dos jogos na sua resolução base para resoluções até 4K, e ainda pelo suporte HDR, bem como por ser a única consola, de todas as aqui referidas, com um leitor capaz de ler discos Blu-Ray 4K.

Já no que toca às consolas da Sony, os jogos criados para a PS4 garantem 40% mais capacidade gráfica do que aquela colocada na criação de jogos Xbox One, uma situação que normalmente, e quando significativa (quando as consolas são levadas ao limite), se reflecte em diferenças de resolução nativa do género 720p na Xbox One e 900p na PS4 ou 900p na Xbox One e 1080p na PS4.

Nesse aspecto a PS4 Slim não traz nada de novo, limitando-se a ser uma PS4 em uma caixa mais pequena, sendo que, por questões de custos, a porta de audio óptica digital foi removida face ao existente na consola base.

A PS4 Pro continua a ter como base os jogos criados para a PS4, colocando melhorias em cima dos mesmos. Elas podem passar por maior resolução, nomeadamente os 4K, ou por melhorias nos Fps e/ou grafismo.

Convém no entanto distinguir de forma clara, até porque a confusão parece existir na cabeça de muitos, a diferença entre os 4K da Xbox One S e os da Playstation 4 Pro.

Na realidade os 4K da Xbox One S não são 4K reais. Os jogos são rendidos nas habituais resoluções da Xbox, com um frame-buffer de saida a 720p, 900p, ou 1080p, e posteriormente re-escalado por interpolação, por intermédio de um chip proprietário, para 4K. Mas tal não é diferente do que é feito directamente por uma TV 4K ao receber o sinal 1080p e ajusta-lo à sua resolução, sendo que a vantagem de tal ser feito na consola se prende com o lag criado no processo que é largas vezes inferior ao re-escalamento efectuado na TV.

Já na PS4 Pro o processo é bem diferente. Apesar de a consola não possuir capacidade para o cálculo de 4K nativos em todos os jogos, a resolução de saída é efectivamente 4K. Há todo um processo de cálculo interno baseado em metodologias bem mais complexas que a simples interpolação usada nas Xbox One S que cria à partida um frame buffer com 4K efectivos, e criado à base de imagens com resoluções várias vezes superiores aos 1080p. No entanto já vários criadores de software anunciaram jogos a 4K nativos, sendo que The Last of Us é o nome mais sonante da lista.


Daí que em termos gerais resultado final apresentado pelas duas consolas (PS4 Pro e Xbox One S) é radicalmente diferente a nível visual. A interpolação feita pela Xbox One S, apesar de criar uma imagem 4K não acrescenta detalhe à imagem acima do que seria visível na sua resolução original que continua a ser ou 720p, ou 900p, ou 1080p.

Já o processo usado pela PS4 Pro faz isso mesmo uma vez que quando não há 4K nativos, pois o re-escalamento é efectuado em paralelo com a criação do fotograma, partindo de uma resolução base bastante acima dos 1080p ( 2 ou mais vezes superior), e usando processos bem mais complexos que permitem extrapolar dados de geometria e outra informação real do universo 3D para as zonas em falta.

Como consequência o resultado da PS4, apesar de não ser sempre nativo, aproxima-se o suficiente para passar pelo que seria obtido com o cálculo efectivo de todos os pixels. E como bónus adicional, de acordo com a Digital Foundry, a Sony implementou este processo no hardware pelo que o re-escalamento em si não ocupa qualquer recurso do GPU.

Mas sobre isto temos já um artigo em calha que elaborará mais esta situação.

Basicamente torna-se claro que quem vai comprar uma consola tem aqui várias opções de acordo com as preferências de jogos, a performance, o preço, e as funcionalidades (especificamente o leitor BD 4K único da Xbox One S).

Mas também se torna claro que, para aqueles que se interessam apenas pelos jogos e a sua qualidade, não ligando a marcas ou a acessórios, mas apenas à diversão associada à qualidade visual e performances que a consola pode oferecer, as ofertas da Sony para finais de 2016 e o ano de 2017 soam a bastante mais atractivas, com a PS4 Pro a ser a cereja no topo do bolo.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (44)

  1. O resultado final é radicalmente diferente…afirmação essa sim radical, pois não duvido que os 4k da PS4 PRO serão melhores e mais fiéis ao original, mas uma diferença radical? estamos a falar de pixeis microscópicos, a diferença existe mas a 2 metros da TV a diferença vai ser insignificante.

    Agora a PS4 PRO têm capacidades para melhorar outros aspectos da imagem além da resolução, como sejam as texturas, iluminação, etc…e ai sim iremos notar melhorias substanciais em relação á xbox one s que têm um GPU bastante mais fraco…

    • Luciano S. Carvalho 13 de Setembro de 2016 @ 9:40

      Falando em capacidade gráfica e tal, vejam esse comparativo de Rise of Tomb Raider rodando na PS4 PRO e Xbox One. https://youtu.be/1mHEr7rjWoM
      Eu sinceramente não vi nada demais, pelo menos nada de revolucionário e que justifique o investimento.

      • Viste a 4K?
        Porque avaliar 4K a 1080p… é impossível!

        • Luciano S. Carvalho 13 de Setembro de 2016 @ 10:39

          Não! Mas tirando a resolução não tem nada que salte ao olhos, nenhum efeito espetacular adicional. Nada!
          Somente mais do mesmo, e pelo menos para mim, isso não vale e muito menos justifica o investimento.

          • O que tu viste foi a versão 4K… Logo não tem efeitos adicionais!
            Para efeitos adicionais terias de ver a versão 1080p!

          • Luciano S. Carvalho 13 de Setembro de 2016 @ 12:52

            Isso eu já acho bem mais justificável. Não entendo essa obsessão por resolução, do que adianta um hardware super potente se não for para mostrar algo novo, realmente novo e interessante, prefiro todos jogos à 1080p/60fps com todos efeitos e recursos no ultra realmente inovadores e com uma inteligência artificial desafiadora do que uma imagem super definida mas estéril. Pior geração de sempre, e quando digo isto, não estou me referindo somente aos consoles. Infelizmente!

          • Eu aí concordo contigo… Mas a PRO não nega isso… oferece essa possibilidade caso escolhas 1080p.
            Ao ser 2,3 mais potente, passar de 30 para 60 fps é algo possível. A questão depois passa pelo facto de os 30 fps que tens na PS4 estão limitados pelo CPU ou pelo GPU.
            Se for pelo GPU, os 60 fps são fáceis de obter. Mas se for pelo CPU… esquece! Não os consegues ter!

  2. Luciano S. Carvalho 13 de Setembro de 2016 @ 9:16

    Em termos de consoles a Sony está farta em 2016, mas em jogos exclusivos AAA há somente um e que acaba de ser adiado mais uma vez o que vem ocorrendo desde 2009 quando foi prometido para PS3, se não for adiado mais uma vez será lançado no dia 7 de Dezembro. Ou seja, a Sony já terá lançado três consoles antes que The Last Guardian finalmente tenha ficado pronto.

    • É quase caricato… dá para rir!

      • Luciano S. Carvalho 13 de Setembro de 2016 @ 10:31

        “Seria trágico, se não fosse cômico”.

        • Trágico não é… porque numa tragédia há efetivamente algo mau a ocorrer. Mas é certamente mau… muito mau! E curiosamente algo que aparenta ter-se tornado comum.

          • Luciano S. Carvalho 13 de Setembro de 2016 @ 13:02

            Mário, sem querer colocar lenha na fogueira, mas as empresas parecem estarem mais preocupadas em lançarem consoles novos do que jogos.

          • Podes colocar a lenha que quiseres… Porque estás a tentar constatar uma realidade.
            De qualquer maneira há que ver que uma consola é mais fácil de produzir do que um jogo, especialmente uma PS4 Pro que só muda o GPU e algumas velocidades de relógio.
            Seja como for, eu não me oponho a atrasos nos jogos desde que seja por um bom motivo. A questão é que The Last Guardian era o último jogo em que esperava ver uma justificação de bugs. O jogo está em produção desde 2009, e apesar de ter sofrido sérios problemas de produção, tendo mesmo sido parado por algumas vezes, estamos a falar de 7 anos. E mais, com a PS4 a equipa deveria ter decidido qualquer coisa logo na altura sobre a possível passagem para esta consola. Daí que o jogo deve ter pelo menos 2 a três anos de desenvolvimento ativo.
            E se não o tem é uma vergonha pois nesse caso o jogo foi acabado à pressa.

          • Luciano S. Carvalho 13 de Setembro de 2016 @ 18:43

            É Mário, está se tornando comum mesmo, mais um jogo exclusivo PS4 foi adiado, Ni-Oh somente em 2017.

  3. Muita gente não entende como funciona a resolução, vou dar um exemplo absurdo para se puder entender melhor:

    Pegamos num filme a 360p e passamo-lo num ecran gigante outdoor que existem por aí, a 200 metros de distância a imagem parece ser em alta resolução, mas a qualidade da imagem não melhora, apenas vemos os pixeis mais pequenos, ou seja os defeitos de um filme em baixa resolução estão lá todos, mas são tão pequenos que o olho humano têm dificuldade em vê-los.

    Para termos jogos fotorealistas temos que ter GPU+CPU bastante mais potentes do que a actualidade…e coloca bastante nisso, a resolução é uma maneira mais barata de enganar o olho humano, que se consegue com processamento, ou simplesmente afastando a TV do jogador, na minha opinião é preferível jogar um jogo a 720p nativos mais afastado da TV do que o mesmo jogo ser interpolado para 1080p, assim como é melhor jogar a 1080p nativos mais afastado da TV do que interpolar para 4K…haja espaço na sala, que certamente será uma condicionante para muitos

  4. Em uma entrevista recente Andrew House afirmou que o maior rival em vendas da PS4 é o PC. http://games.tecmundo.com.br/noticias/sony-considera-pc-maior-concorrente-mercado-nao-o-xbox-one_825458.htm

    • Se for ver hoje, realmente é, mas eu acho que após o Scorpio a situação tende a se alterar e o PS4 ser a terceira opção do mercado em geral e a segunda do mercado de consoles.

      • Luciano S. Carvalho 13 de Setembro de 2016 @ 15:59

        É, mas se for levar em consideração o que um analista disse e se realmente isso se confirmar, depois em 2018 a Scorpio é que será a terceira opção, em 2019 será a PS5, em 2021 a Sub-zero e assim sucessivamente. Então estaremos todos ferrados, com consoles sendo lançados a cada dois anos e pior, intercalados. Também acho que as empresas vão acabar se ferrando com isso, as pessoas vão cada vez mais adiar a compra de um novo console e as vendas começarão a cair, e quem sabe com isso as empresas vão começar a espaçar mais o intervalo de lançamento de novos consoles que no meu ponto de vista, se chegar a cinco anos já estaria de bom tamanho. A esperança é a última que morre.

  5. Mario, é USB 3.1.

    a 3.1 tem o dobro de largura de banda da 3.0

  6. Luciano S. Carvalho 13 de Setembro de 2016 @ 17:05

    Deem uma olhada nesse vídeo, apesar do titulo não estou defendendo nenhum lado. Achei interessante as colocações ali feitas. http://youtu.be/1aMjibO0dQk
    Não julguem o livro pela capa.

    • Sem concordar ou discordar, pois isso depende de cada uma, devo dizer como redactor e amante das consolas que um artigo que compara duas consolas e começa pelo leitor Blu-Ray perde um pouco a vontade de ser lido.
      Não é que o ponto devesse ser retirado, pois é uma diferença importante, mas isso é uma funcionalidade multimédia… um extra. É de valor, de grande valor, mas é algo secundário a uma consola cujo função principal é jogar jogos. E a Microsoft sabe-o! Daí que nunca o meteria em primeiro.
      Quando o artigo fala de questões como os 5 jogos oferecidos e a retro-compatibilidade, pontos realmente fortes para os seus argumentos, deveria ser por aí que começaria o artigo.
      No entanto, não discordando dos outros pontos, há lá um que se torna um pouco ridículo: o ser mais barata…
      Porque meus amigo amigos, um mini é mais barato que um ferrari, mas estando-se a falar de carros de corrida, um é um mini e o outro é um ferrari. Soa a idiota dizer que o mini tem a vantagem de ser mais barato que o Ferrari. Especialmente quando tens um carro no mercado que se situa entre os dois, ao mesmo preço do mini: A PS4 Slim.

    • HAHAHA.

      Quando a pessoa já vem com essas fontes de informações eu nem perco meu tempo.

      CANAL NGR!;
      CANAL CARPENEDO;
      AMX GAMEPLAY
      XBOX MIL GRAU
      WINDOS CLUB.

      Esses são conhecidos em enaltecer o Xbox e rebaixar o playstation.

      Eu não sei se nesse video ele diz que o Xbox S é melhor que o Pro, mas já vi muitas pessoas dizendo e compartilhando isso na net só pq o S faz Upscalling para 4k.

      O que eu não entendo é como 2 é maior que 4.

      • Luciano S. Carvalho 14 de Setembro de 2016 @ 5:07

        Se você não sabe, então não fale nada antes de assistir o vídeo inteiro e ter certeza, ou você é daqueles que sabe tudo sobre um livro somente vendo a capa, ou pior, daqueles que nem o hábito de ler tem.
        E para você saber, a fonte é a Forbes.

      • Andrio. Estamos à falar da Forbes. Não é uma imprensa dedicada a hardware, mas apenas um jornal genérico, mas seja como for, são sérios.
        Para além do mais, o que está no artigo, concorde-se ou não, são verdades e realidades.
        Eu não começaria o artigo daquela forma e nâo diria que o preço é uma vantagem quando o ofertado não é igual, mas mesmo assim não há ali nenhuma inverdade.

        • Então Mário, quando eu disse que para mim perde a credibilidade é pq essas fontes que eu citei, vivem falando de imparcialidade da mídia. bla, bla, bla….
          Mas quando tem uma oportunidade de ser, não são.
          Por isso que para “MIM” não tem relevância.
          Ah, mas ele só está repassando uma notícia da forbs.
          Então, já vários videos deles onde eles citam outras matérias de outros sites, só que eles só citam um trecho e mudam a realidade da matéria.
          Adianta reclamar de imparcialidade e não ser parcial?

          Por isso que quando vi o 1 item já não relevante.

          • Não me leves a mal Andrio, mas a minha educação não me permite partir do principio que as pessoas são desonestas.
            No caso da Forbes muito menos dado que eles não são especializados na área. Eles são um jornal genérico e com artigos escritos por pessoas que provavelmente nem são dedicadas à área.
            Por isso não os considero desonestos… quando muito mal informados.
            Mas o certo é que se eu fosse jornalista estava desgraçado. A qualidade da informação hoje em dia é terrível e as pessoas cada vez mais olham para os media com desconfiança.

            Para além do mais, o artigo tem pontos como a questão dos 5 jogos que não são universais. Cá em Portugal a versão da Slim com os 5 jogos Halo não existe.

  7. Nessa geração as coisas se inverterem mesmo, tudo que o PS3 era o a família Xone é nos dias de hj e tudo que o X360 era a família PS4 é nos dias de hj, quem criticava o PS3 por ser um console voltado também pro multimidia e fala mau do bluray são aqueles que defendem o Xone S e suas funções, em contra-partida o X360 era o console focado nos jogos e tinha quase que todos os multis melhores no mesmo, exatamente o que o PS4 é hj, o que não mudou muito foi apenas a questão dos exclusivos, o PS4 continua a ter os seus, já o Xone perdeu quase todos para o Windows (plataforma da Mic também).

    • O multimédia não é mau. Pelo contrário, são extras interessantes. Mas mesmo assim extras. Mas mais do que tudo, a realidade alterou-se muito desde 2006.
      Se em 2006 a PS3 era um grande centro multimédia, ela era dos poucos, diria mesmo o único aparelho que existia nas nossas salas com essas capacidades.
      Mas agora olhando para a minha casa, o que tenho?
      PCs com software Média Center capaz de ler formatos multimédia e DVD e serviços streaming como o Netflix
      Vários aparelhos com leitores Blu-Ray capaz de ler formatos multimédia e serviços streaming como o Netflix
      Smart TVs capazes de DLNA, Miracast, e leitura multimédia e serviços streaming como o Netflix
      Box TV com capacidades de stream de filmes e fotos
      Tablets e smartphones capazes de DLNA e de streaming de filmes, serviços e fotos para a TV
      Router com porta USB capaz de serviços de DLNA
      Basicamente aquilo que em 2006 era uma tremenda mais valia, nos dias que correm são redundâncias para muitos.
      Daí que defender a PS3 na altura era lógico. Mas essas características nos dias de hoje até as dispensava se pudessem descer o preço da consola pois são redundâncias.

  8. Mario eu sei que não tem nada a ver com o assunto, mais oque você acha disso?

    http://www.icxm.net/x/the-witness-runs-at-1080p-xbox-one-900p-ps4.html

    • Já respondi em outro comentário.

    • The Witness corre a 900p60fps no PS4 e 1080p30fps no One, reduziram os frames porque? Todos sabemos que frames a mais são bem mais complicados que resolução.

      • As decisões aí tomadas são incompreensíveis. Penso que os 60 fps teriam sido a prioridade. Mas dado que a Xbox não terá conseguido fazer isso a 900p 60 fps, optaram por cortar para 30, compensando na resolução e melhorando o AA.
        Mesmo assim é como referes:
        1920*1080*30=62208000 pixels por segundo.
        1600*900*60 =86400000 pixels por segundo (cerca de 40% mais).
        Sinceramente não compreendo a decisão! O jogo devia seguir os mesmos critérios em ambos os lados. E aí ou desciam a One para 720p, ou cortavam os fps igualmente para 30 subindo a resolução e o AA na PS4.
        Tal como está o que mostra é que o criador na realidade não possuía critério verdadeiramente nenhum para o seu jogo.

  9. Mário , primeiro jogo da geração a ter uma resolução maior no xbox one , além de ter um aliasing de 4xMSAA conta 2x do ps4

    http://www.icxm.net/x/the-witness-runs-at-1080p-xbox-one-900p-ps4.html

  10. Bom, minha experiência de jogo no Xbox One tem sido bem melhor do que a que tive no ps4 ano passado. E pelo que vi, o Ps4 pro que irá mudar a minha preferência pelo Xbox. Embora o playstation tenha lá suas franquias, as do Xbox me prenderam mais, além dos multiplataformas, serviços de assinatura, controle elite, e por aí vai.

    Da forma como o mercado está se desenhando, nem vale a pena sair correndo pra adquirir novos consoles, pois vai levar certo tempo até os jogos começarem a usufruir mais deles, com diferenças que sejam bem além de resolução.

    Mais sensato eu ficar com o Xbox One mesmo e observar os movimentos do Scorpio.

    • Acima de tudo deves agir de acordo com o que gostas. Essa é a opção correta!

    • Pagou quanto no controle elite? Vi no site da Microsoft que estava por 1.799,00 reais “1” controle.

      • Luciano S. Carvalho 14 de Setembro de 2016 @ 14:29

        Netto, você não respondeu a minha pergunta no outro post, de fato foram duas.
        Você já tendo uma PS4 normal, compraria uma Slim?
        Se você ainda não tivesse uma PS4, compraria uma Slim ou uma PRO?

        • Luciano S. Carvalho 14 de Setembro de 2016 @ 14:43

          Netto, só complementando a pergunta: Levando em consideração o intervalo de lançamento entre as duas e a diferença de preço e potência entre elas.
          Obrigado!

Os comentarios estao fechados.