Xbox Scarlet está a ser desenvolvida com feedback dos criadores japoneses.

A notícia tem mais interesse no simples facto de mostrar que a Microsoft está a dar atenção aos criadores Japoneses, do que realmente como algo que possa ter impacto no sucesso ou nas especificações da consola.

Como sabemos, a próxima geração de consolas Xbox, com o nome de código Scarlet, está em desenvolvimento! Pouco ou nada se sabe sobre a consola, excepto os dados divulgados por Phil Spencer à revista Japonesa Famitsu, e onde este veio revelar que os criadores Japoneses estão envolvidos no feedback fornecido para a criação da consola.

Infelizmente Phil Spencer não referiu companhias abordadas mas apenas que criadores Japoneses estariam envolvidos. Os mesmos participam na concepção da consola através de feedback à questão que a Microsoft lhes colocou: “Que tipo e inovações gostariam de ver na industria e que pudessem ser incorporadas na nova consola?”.

Spencer refere ainda que viajou várias vezes para o Japão e que acredita ter criado uma boa relação entre os criadores visitados e a Microsoft.

A realidade é que Microsoft sempre lutou com com o mercado japonês. As filas no lançamento de consolas Microsoft sempre estiveram vazias, e o termo Xbox não está sequer implantado no país, sendo que as pessoas desconhecem mesmo a consola.



O maior sucesso da Microsoft no Japão foi na era Xbox 360 onde alguns jogos exclusivos japoneses, incluindo títulos do criador de Final Fantasy, Hironobu Sakaguchi como Blue Dragon e Lost Odyssey, conseguiram algum sucesso. Mas mesmo assim, comparativamente à concorrência, as vendas da Xbox eram insignificantes.

Ora como é coerente, naturalmente não há nada que os produtores Japoneses possam solicitar para a consola que outros criadores não possam referir. O feedback específico é neste caso apenas uma forma da Microsoft mostrar respeito e tentar cativar estes produtores a suportar a sua consola. No entanto, dada a fraca implantação do nome Xbox no país, mesmo que o suporte possa existir, nada garante que as vendas existam. Para tal seria necessário um grande jogo, e acima de tudo, abrangido por um regime de exclusividade. Talvez esse seja o real objectivo da Microsoft?

Nesse sentido, toda esta notícia tem mais interesse no sentido de demonstrar o interesse da Xbox no mercado e nos produtores, mostrando aos seus fans que não desiste dos mesmos e que está dedicada a tentar trazer jogos Japoneses para a consola, o que é certamente algo de bom!

Infelizmente o único jogo que a Xbox One estava a criar em regime de exclusividade que poderia ajudar a sua actual consola nesse mercado era Scalebound. Desenvolvido pelos Japoneses da Platinum Games, o jogo foi cancelado quando já estava bastante avançado no desenvolvimento! O motivo que se refere, confirmado pelo próprio produtor, prende-se com o facto que a Microsoft trabalha de uma forma muito diferente daquela a que os produtores japoneses estão habituados.



Posts Relacionados

2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Edson NillLivio Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest
Notify of
Livio
Visitante
Livio

Interessante visto que o PS4 foi desenvolvido em mente as desenvolvedoras ocidentais. É uma excelente iniciativa para que o nome Xbox cresça por lá.

Edson Nill
Visitante
Edson Nill

Apostaria as minhas fichas que ficariam no serviço de streaming na Ásia no primeiro momento. Seria um custo menor, pois produzir, montar hardware em um local onde não se vende seu hardware é custoso, onde duvidaria muito que a Microsoft poderia arriscar com isso. Provavelmente, ela irá focar em hardware físico no ocidente, msm tendo streaming tb em muitos países do ocidente para tentar travar o ímpeto da Google, pegando uma fatia desse bolo, mas focando-se em hardware tradicional msm no ocidente. Apostaria que o Japão não receberá o novo Xbox em hardware físico, tendo a opção dos jogos por streaming msm, pois assim sendo, são jogos que até rodaria mas nos smartphones, algo que os nipônicos amam. O Switch que se cuide por lá!