YouTube pode ser tão mau para a musica como a pirataria

Piratear musica é considerado algo errado. Mas websites como o youtube permitem ver e ouvir todo o tipo de musicas de forma gratuita, pelo que há que questionar porque motivo o mesmo não é considerado prejudicial.

youtube

O YouTube é o website video mais conhecido do mundo, e no seu conteúdo possui imensa música, inclusive colocada oficialmente. Mas não é preciso pensar muito para chegar à conclusão que se piratear música prejudica as vendas, disponibiliza-las assim gratuitamente também terá de o fazer.

Como prova temos o caso de 2009 e onde após um processo em tribunal, a Warner Music forçou o Youtube a remover tudo o que era música e que tivesse origem na empresa. Aliás até foram um pouco mais longe forçando igualmente a remoção de músicas de artistas associados a outras marcas mas que a Warner distribuía.

E o resultado viu-se. As vendas desses álbuns subiu, e apesar de valores variáveis, as musicas do top 200 venderam cerca de mais 5700 a 10 mil unidades semanais.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Curiosamente a nível de artistas este é um impacto nas vendas muito mais reduzido do que para as distribuidoras (13% do valor de venda é que chega ao artista, ficando 30% na distribuidora).

Seja como for é preciso fazer a ressalva que em 2009 as vendas de música estavam, em declínio e não havia a possibilidade de se arranjar musica digital com a facilidade de preços actuais, pelo que há que questionar-se de forma coerente e lógica se agora o impacto seria igual. E mais ainda, num mundo que se tornou nos últimos anos tremendamente social, o impacto agora de uma acção do género até podia ter resultados contrários.

Seja como for é curioso que com tanto processo em tribunal  ninguém se tenha lembrado de atacar o Youtube.

Publicidade

Posts Relacionados