Como vão as consolas de finanças

5 2 votes
Avalie o nosso artigo

Os relatórios anuais mostram a saúde financeira dos produtores das consolas… Ou melhor, os relatórios da Sony e da Nintendo, pois os da Microsoft só falam em percentagens e não referem valores de lucros.

Consultar os relatórios financeiros da Sony e da Nintendo é e sempre foi a coisa mais simples do mundo. Abertos, transparentes e claros, são de fácil perceção e os valores são imediatamente retirados.

Já os da Microsoft… bem, esses continuam fechados a sete chaves, insistindo em não falar de valores da divisão Xbox, falando no todo e não nas partes, não separando a Xbox dos demais constituintes da Gaming Division, e quando fala em crescimentos ou fala em números que nada tem a ver com receitas ou lucros (como assinantes ou outro), ou então refere-se aos mesmos em percentagem face a valores que não são eles próprios conhecidos.

E no que toca a falar-se em lucros da divisão… isso é algo TABU.

Seja como for, vamos começar por falar daquilo que não é escondido e é revelado abertamente, presente nos últimos relatórios, do ultimo quarto, o período de Janeiro a Março de 2021, e do ano anterior ao relatório.



Nintendo

A Nintendo é um livro aberto na sua contabilidade.

(Nota: unidade de escala Norte Americana)

Receita do quarto: $3.247 biliões de dólares
Receita anual: $16.112 biliões  de dólares
Lucros anuais: $6.2 biliões de dólares

Fonte

Os lucros da Nintendo são históricos e os maiores de sempre de uma detentora de consolas. Tal deve-se ao sucesso da Switch que acaba de alcançar os 85 milhões, que é atualmente a consola vendida com mais lucro e de mais fácil produção dadas as reduzidas dimensões do seu SOC. O seu sucesso permite igualmente uma elevada quantidade de venda de jogos, que tem custos de fabrico mais elevados pelo uso dos cartões, mas que por outro lado no capítulo do seu desenvolvimento são jogos com um reduzido custo de produção (Segundo Reggie Fils-Aime um jogo pode custar entre 5 a 10 milhões a desenvolver, incluindo custos de marketing, o que torna estes custos incomparáveis aos de um jogo AAA das consolas da Sony e Microsoft, sendo dezenas de vezes inferior)

Sony

Receita do quarto: $8.45 biliões de dólares
Receita anual: $24.4 biliões de dólares
Lucros anuais: $3.14 biliões de dólares



Fonte

Apesar de valores impressionantes de receitas, as despesas com as produções da Sony e equipas First Party, são mais elevadas que as da Nintendo com os jogos de topo a custarem 100 milhões para serem produzidos (como Tlou II), motivo pelo qual as receitas, apesar de superiores às da Nintendo não se traduzem no mesmo lucro.

Atualmente a Sony encontra-se a absorver um elevado prejuízo com as vendas da PS5, uma vez que a sua consola é cara de produzir, e os custos de produção estão elevados. No entanto, dado que a Sony está a conseguir absorver bem esses prejuízos, a aposta na intensificação do fabrico para conquistar mercado está a acontecer, quebrando assim os lucros.

Microsoft

Como referido, a procura pela contabilidade da Microsoft não gosta de revelar números, referindo-se a valores em percentagem face a resultados anteriores, que por sua vez já se referiam a valores em percentagem face a outros anteriores.

De palpável a única coisa que se consegue retirar do relatório são as receitas, e mesmo essas, nem sempre:



Receita do quarto: $3.53 biliões de dólares
Receita anual: $15 biliões de dólares

Mesmo sem lucros anunciados, aqui temos conhecimento que a Microsoft adquiriu para a Xbox, a Zenimax que custou à empresa 7-5 mil milhões. Isto quer dizer que, para todos os efeitos, contabilisticamente, e mesmo contabilizando o ativo, os lucros são negativos.

Esta tendência da Microsoft de não abater aos lucros as despesas, não revelando assim os lucros reais foi confirmada pela entrega de documentos no caso que decorre em tribunal entre a Epic e a Apple, onde os seguintes resultados financeiros (lucros) foram revelados para as principais empresas do ramo dos videojogos e serviços:

Repare-se como a Microsoft continua pouco Clara a falar de lucros e refere um ganho entre 1.6 mil milhões e algo na ordem dos 2.3 mil milhões. Como é isto possível? Não estamos a falar de trocos. O que são então estes valores?



Daniel Ahmad, analista sénior da Niko Partners (uma conceituada empresa de análise de mercado) analisou os documentos e explica que é perceptível que o valor de 2.3 mil milhões ( Na realidade por outros documentos percebe-se que são 2.2 mil milhões pelo que ali houve um arredondamentos para cima), dizem respeito apenas aos lucros da venda de jogos e serviços, sem abatimento de despesas (ou seja, não é o lucro real da divisão, como nos outros casos). Os 1.6 mil milhões não se explicam muito bem face aos documentos existentes,  podendo ser o lucro real, após a remoção do prejuízo na venda no hardware (A Microsoft nunca teve lucros na venda do hardware, uma situação que abordamos ontem com mais detalhe), apesar que, por motivos que não são claros, Daniel Ahmad não coloca essa hipótese e questiona mesmo se, abatendo as despesas, haverá algum lucro real na divisão.

Ora em 2020, não só a Microsoft teve compras de largos mil milhões de dólares (7.5 mil milhões para sermos exactos), como numa eventual estimativa de resultados teríamos ainda de ter em conta que a Microsoft tem atualmente mais uma grande fonte de despesa, traduzida na compra de jogos para o Gamepass. Face à Sony tem como vantagem o facto que, apesar de as suas consolas serem mais caras de produzir (o seu APU é o maior, e como tal o que menos unidades produz por waffer de silício produzida), ela está a ter um menor volume de vendas o que no global não deve criar o mesmo peso que a PS5 coloca na contabilidade da Sony. No entanto, essa situação de menos unidades vendidas reflete-se depois numa menor base de utilizadores, que se traduz em menores receitas das vendas de jogos e serviços. O Gamepass permite à Microsoft receitas mais ou menos estáveis mensalmente, mas por outro lado causa uma inevitável quebra no volume de vendas de jogos pela falta de necessidade de se comprar para se ter algo novo para jogar.

Basicamente, mesmo sem contas (e basta o custo da Zenimax), torna-se claro que a Xbox é a única consola que apresenta atualmente mais saída do que entrada de dinheiro, estando por esse motivo, no vermelho. A situação é no entanto bem absorvida pelas receitas globais da Microsoft, falta saber-se apenas até quando pois apesar de toda a promoção da Microsoft, e grande volume de receitas fixas geradas pelo Gamepass, este nível de despesa é insustentável.

E perante tudo isto a ideia que transparece é que a aposta da Microsoft está nos jogos e no alcance de um grande número de jogadores, mas claramente, não na consola em si, que serve apenas como plataforma de partida para ambições diferentes.





5 2 votes
Avalie o nosso artigo
52 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Carlos Zidane
Carlos Zidane
1 mês atrás

Por falar em Microsoft, o Xbox está cometendo um erro similar ao que o Linux comete perante o Windows, eles trazem novas distros, novas funcionalidades mais do mesmo, mas não se preocupa com o principal: o software que roda alí.
O Windows é uma solução completa, enquanto o Linux é uma gambiarra, que nem de graça arranca, isso pois o usuário só quer o seu software de qualidade alí a mão e não substitutos de baixo nível de qualidade. Na comparação, a Sony é como o Windows, tudo que o cliente quer, está lá, mesmo que pagando mais (Gamepass x vendas de jogos), no final é uma gambiarra de qualidade duvidosa e não completa.. essa é uma comparação estúpida, se alguém leu até aqui, sinto muito ;p

Hiago
Hiago
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Faz sentido (ou não 😆) mas a comparação mais certa mesmo é em dizer que a plataforma da Sony é como cinema e da Microsoft a Netflix, mesmo com assinatura em casa as pessoas nunca vão deixar de ir ao cinema (apesar da pandemia ter mudado um pouco isso).

Livio
Livio
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Como usuário Linux discordo da sua comparação. Sistemas Operacionais com base em Linux tem sim várias distros, cada uma com suas peculiaridades e qualidades e há sim softwares de qualidade que surgiram no Linux e que são bons concorrentes ao que se tem aí. Não é de agora que vejo canais de YT e alguns estúdios a usarem o Audacity(gravação e edição de áudio) ao invés de um Sony Sound Forge.

Eu não uso Windows há tempos, minha esposa em aulas remotas está usando o Linux porque com o Windows 10 estava enfrentando muitos problemas.

Livio
Livio
Responder a  Livio
1 mês atrás

e só um complemento, Linux não deslancha porque anteriormente teve muita crítica negativa em cima. Ainda hoje há opiniões de pessoas a dizerem que não usam Línux porque é em linha de comando, porém a realidade é bem diferente pois há distros Linux com interface gráfica tão boa e intuitiva quanto um Windows. Eu uso openSuse e há quase 10 anos as configurações dele já eram realizadas via interface, enquanto no Ubuntu eram poucas(comecei a usar em 2007 até por volta de 2012/2013).

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Livio
1 mês atrás

Vou deixar um link, é uma leitura bastante extensa e realmente só quem tem muito interesse vai ler isso, mas tem exatamente tudo que penso sobre o assunto e muitas outras informações interessantes, além de ser produzido por alguém que tenho tanto respeito pelo profissionalismo quanto tenho pelo Mário aqui do PC Manias.

Nunca querendo convencer ninguém, a diferença faz parte da vida, apenas expôr o ponto de vista.

Tenho estado em contato com a comunidade Linux a mais de uma década, portanto conhecendo bastante do assunto, inclusive nos temas mais avançados, pelo que entendo perfeitamente uma pessoa que usa e gosta de Linux, porém, a mim, é um sistema péssimo, aqui vai o link

https://www.baboo.com.br/windows-10/conteudo-essencial-windows/windows-x-linux-mitos-e-lendas/

Livio
Livio
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Sim li o artigo para ver os contrapontos e logo inicialmente vejo uma posição do autor em favorecimento do Windows e tenho alguns pontos:

1- Linux é um SO e não um Kernel:

Interessante que das pessoas com quem trabalho e aquelas que estiveram na minha formação técnica e superior nunca falaram que o Linux não é um SO e é somente um Kernel;

2- Linux é um SO e Windows é uma solução:

Como que Linux não é uma solução? Instale o Windows em um PC do zero, oque você vai conseguir fazer? Brincar com a calculadora? Ir no paint? Para ele ser uma solução tem que instalar os softwares, algo que no Linux também deve ser feito embora ultimamente na própria ISO de um SO Linux já vem com softwares, bastando o usuário dizer se quer ou não que se instale.

Atualmente é bem mais fácil ter uma alternativa de algo para Windows no Linux, algumas des já fazem versões para os 3 sistemas (incluindo o MAC), mas mesmo assim, se no Linux não tem Corel há a alternativa do inkScape, se não há Photoshop tens o Gimp, há diversas alternativas para Linux por exemplo o Blender, o cara lá reclama que não tem tipo um MS office para Linux porque que já desenvolve com foco no Windows não faz versão para Linux, já o contrário é diferente, geralmente quem faz um software para Linux disponibiliza uma versão para Windows.

Na verdade o que ele quis abordar é que um EXE não roda no Linux, mas e o inverso? Também não roda né? Cadê a solução?

3- SO gratuito não é atraente para o consumidor

Aqui ele cita o MACoS e não desmerecendo o MAC, porém o que se vê no Brasil é que a marca transparece status, você sabe que por aqui tem gente que faz de tudo para comprar um iPhone de mais de 3 mil reais enquanto há Android pela metade do preço com performance melhor, fora que é fácil ver gente com aparelhos MAC com Windows instalado, é de rir mas existe.

Aí fico com uma variante da pergunta final dele (“E qual é o benefício de um usuário abandonar o Windows ou macOS e usar Linux? Aparentemente nenhum.”): E qual a vantagem de sair do Windows e ir para uma plataforma mais fechada?? Só devido a integração com somente os dispositivos dessa plataforma fechada em contraponto a uma plataforma mais aberta que é o Windows??

4- Estratégia inexistente:

Aqui concordo parcialmente com ele, nunca foi objetivo do Linux tomar o posto do Windows, ser um concorrente forte e ter uma estratégia para ter uma quota de mercado, seu objetivo é ser uma outra opção.

Agora não discordo com a comparação do Linux nos desktop com a inserção da MS no mobile. Linux nos desktops nunca tentou ditar as regras, já a MS sim com o Windows phone e aqui fica um ponto interessante, o Android, que tem sua base o Linux, é uma solução e o Windows phone não é???

5- Os últimos pontos

Já os últimos pontos do autor refletem o que eu tinha falado anteriormente, a rejeição do linux se dá pelas críticas antigas, de que ao usar o Linux não há interface gráfica e a sua tela fica igual ao do filme Matrix com um monte de letras e números a descer na tela. Nos últimos anos muitas distros Linux já tinham uma interface bonita(ou tela bonita para os leigos em tecnologia) e intuitiva.

Meu alvo do comentário anterior não foi de denegrir o Windows, pois praticamente não o citei. Meu comentário foi para informar que o cenário Linux é diferente de anos atrás. O Linux não é uma gambiarra devido as várias distros que existem(espero que tenha o definido como gambiarra devido a isso). Cada um tem suas especificidades, por exemplo quando mudei do Ubuntu para openSuse notei que o openSuse tem uma preocupação a mais com segurança, há ações nele que tenho mais trabalho de se fazer do que se for feito no Ubuntu. Já o Ubuntu é mais voltado para quem está se iniciando com Linux, tem versões de SO com interfaces diferentes para abranger computadores mais antigos, algo difícil de se ter com o Windows, quer um exemplo disso? Tenho um desktop de 2009 que ainda funciona, nele consigo instalar as ultimas versões do Linux mas do Windows já fico preso até o Windows 7, Windows 10 nem pensar.

Há sim soluções de qualidade no Linux, suporte a diversos tipos de formato de arquivo e não praticamente presos a formatos de softwares feitos somente para Windows.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Livio
1 mês atrás

1 – ” … a página oficial da própria Linux Foundation contradiz isso, informando claramente que “Just like Windows XP, Windows 7, Windows 8, and Mac OS X, Linux is an operating system”

2 – É questão de aceitação do mercado e compatibilidade entre um número massivo de pessoas e empresas que estão bem servidas e satisfeitas, logo não irão trocar isso por coisas que beiram ao experimental e na maioria das vezes, inferiores. De um lado tem um bilhão ou mais de pessoas, do outro uns poucos milhões utilizando algo bastante fragmentado pro meu gosto. Como ele diz, todos os bancos usam isso por exemplo, e quando o governo tentou meter o bedelho, a coisa desandou e acabaram tendo uma enorme perda de tempo e até… Perda financeira.
Mas sabe, sempre quis saber porquê o Linux sendo gratuito, as pessoas não o adotavam, bastou instalar e começar a usar pra perceber, tudo que eu queria, o Windows já fazia e fazia melhor pra mim, além de haver ausências importantes, deficiências, bugs ridículos em coisas simples como gerenciamento de arquivos, logo muita gente viu da mesma forma.

3 – Smartphones são as novas “jóias” pra muitas gente na nossa sociedade decadente, as pessoas não ostentam seus desktop’s na rua (até porquê o Insta, Tiktok, Face e Twitter estão na palma da suas mãos), mas sua imagem no ônibus, na padaria, no consultório é parte do “eu social” do ego, aceitação na manada, isso na minha análise, ego esse que as fotos no espelho com a maçã ganham o toque que falta (é mágico hehe), note que as câmeras dos iPhone são sempre colocadas como muito fantásticas e profissionais do cinema as usam, a Lady Gaga fez clipe usando um iPhone etc, tudo parte do subconsciente de auto imagem e a imensa propaganda empurrando esse status quo. Daí pagando preços exorbitantes por certas coisas (isso falando de BR acima de tudo), não é full consciente, é boa parte sub consciente. Um incrível fenômeno de percepção moldada pela propaganda. Já ouviu falar que as pessoas tem 3 versões?! : 1 é o que ela pensa que é, 2 a imagem que os outros tem dela e 3, o que ela realmente é..
A segunda parte desse ponto, bom, aí é gosto dos caras, se eles são profissionais de áudio visual isso faz sentido, caso não, realmente gostam daquilo talvez por querer se manter no ecossistema dos seus dispositivos móveis, suportados por um sistema muito bem estruturado pelo pessoal de Cupertino. Linux não pode competir com essa última parte

4 – Linux nunca teve condições de ditar qualquer regra que fosse.
O Android é o Android. Os usuários Linux nunca irão aceitar isso. Android não é Linus Torvalds e o Georges, Android é o Google apoiado pela Samsung e todos aqueles Xing Ling, maior que a MS e já estabelecido ao lado da Apple, maior que a MS… alí o Windows não tinha chance alguma, pois a solução já estava dada naquele ambiente.

5 – Eu sou um usuário razoavelmente experiente em Linux e Windows, eu não uso como sistema principal e nem recomendo o pinguim. O que podemos esperar de uma pessoa sem experiência no mundo open source altamente fragmentado Linux, sendo que ela já tem uma ferramenta (solução) que está habituada e lhe oferece tudo que precisa, em excelente qualidade e suporte.. devemos supor que ela tenha um vislumbre minimamente correto, por assim dizer, de um sistema que ela vai gastar imensas horas a se adaptar pra TALVEZ terminar como eu, voltando ao sistema da MS?! É a tal solução! Já está tudo alí e unificado debaixo da revisão dos melhores e mais qualificados engenheiros e programadores de software e segurança digital e o outro muitas vezes é feito como um hobbie? I don’t think so

Digo essas coisas com o maior respeito do mundo, eu mesmo gostaria que o Linux tivesse uma comunidade realmente unida e muito mais difundida, mas é praticamente utopico. Você já viu como é trabalhar com aquele sistema do Gnome Shell? Aquilo é a maravilhoso, mas uma pena que quando vemos o quadro todo, aquilo ganha tons mais pálidos que o branco

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Wow, ao editar uma parte do comentário, o sistema de comentários bugou e tive que escrever tudo de novo, estou no smartphone, se houver alguma parte desconexa (além do meu normal) me desculpe, mas não tenho tempo de corrigir agora

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Faço dual boot há cerca de 20 anos.

Como dev, meu ambiente é Linux.

Como user, meu ambiente é Windows.

Não é regra, mas na minha experiência é como eu vejo funcionando melhor dentro da minha bolha. Por isso o dual boot.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Livio
1 mês atrás

Windows é meu sistema a décadas, porém tenho feito “uso” testando as principais distros (de minha preferência) a muito tempo, entre elas, Fedora, PopOs, Ubuntu, Mint, KDE Neon e também testei outros, porquê gosto de testar coisas diferentes as vezes (pois amo PC desde criança), como vou dar uma chance até ao (game) Minecraft.
Estou esperando a versão final mais estável do Fedora com Gnome 40 que melhorou ainda mais seu já interessante workflow… Mas ainda não há comparação, o Windows sequer pode ser comparado, pois é a solução definitiva e os sistemas Linux são a eterna promessa há décadas sem fazer realmente frente. Este é um assunto de opinião pra algumas pessoas e eu respeito, mas não existe possibilidade além do respeito às pessoas de falar bem do pinguim, os gatos pingados que o defenfem terão de lidar com a realidade que é, o Windows é a única solução do mercado realmente decente, até o MacOS que dá de 1000 no Linux é limitado e está muito, mas muito atrás. Tudo que tive foi frustração ao tentar usar mais a sério, mas sigo mexendo, testando, como se fosse uma experiência, um hobbie.
Todo respeito a você Livio, mas Linux não dá.

Gervas69
Gervas69
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Na altura que deixaram de dar suporte ao XP fui procurar alternativas Linux, para o PC que tinha o Ubuntu era muito pesado, as distros “light” dava sempre a sensação que faltava alguma coisa, a que me adaptei melhor foi o mint mate e foi a que passei a usar em alternativa ao XP.
O Linux não requer muito conhecimento, mas para deixar mais user friendly como o Windows perde-se muitas horas de pesquisa, e o problema é esse do Linux

Livio
Livio
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Para mim o Linux nunca foi feito para fazer frente e tomar posto do Windows(assim como nos games isso é coisa de fanboy) e sim ser uma alternativa, também usei Windows por um tempo e quando tive contato pela primeira vez com Linux tive sim a dificuldade, de saber como funciona, já de uma interface que começava a ser mais amigável. Depois percebi que o Linux já tinham soluções ao qual precisava e que eram de qualidade, era editor de áudio, de vídeo, de transmissão de web rádio lá em 2008/2009, aliás para o ramo de edição áudio/vídeo o Ubuntu tinha uma distro totalmente voltada para isso, o Ubuntu Studio, tinha tudo ali na mão. Nem sei se essa versão ainda existe pois não uso mais Ubuntu.

Aqui não digo que Linux é a oitava maravilha do mundo, tem seus problemas assim como qualquer outro sistema, aliás mudei de Ubuntu para openSuse devido uma versão anterior, a de 2009, reconhecer a saída HDMI do meu PC (aquele citado no comentário anterior) e uma versão mais recente, acho que de 2011, já não mais reconhecia, também foi na mesma época que estavam deixando o Gnome para apostar no Unity, decisão que acho que foi desfeita anos depois para voltar ao Gnome.

Creio que atualmente uma das maiores deficiências do Linux é em relação aos games, fora isso ele faz frente a servidores e hardwares mais específicos, sendo a situação inversa em que o Windows nem chega a ameaçar, até mesmo nos consoles!

Sparrow81
Sparrow81
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

A pergunta é: Até quando o Nadella vai admitir perdas com o ralo chamado XBox? Estou esperando a conta chegar, já que eles tem uma meta irracional para xcloud + gamepass começar a dar lucro. 2 bilhões de assinantes dos serviços da Microsoft é algo fora de cogitação. A conta vai chegar uma hora ou outra e vai estourar no consumidor. Só desejo sorte aos fãs de Xbox.

Danilo Marciel
Danilo Marciel
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

É mais facil você quebrar duas vezes antes da divisão Xbox para de sonhar Sparrow81 dia e noite sonhando e desejando o mal pra Microsoft o que ela fez contigo pra tanta magua ? Vai jogar que ganhas mais do que ficar gorando empresa.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Danilo Marciel
1 mês atrás

Sonhar? Gorando empresas? Os fatos estão na cara das pessoas e cada um intepreta como quiser a informação. Problema seu se você acha que está tudo indo muito bem.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Danilo Marciel
1 mês atrás

Ficaram muito tempo na internet falando que a Sony ia quebrar e a Microsoft tinha uma prensa do Federal Reserve… Talvez seja vingança as antigas insinuações das guerras infinitas de fanboys
Até eu que tinha no começo só o Xbox e me atendia muito bem, tinha pirraça da marca pela estupidez dos fãs tóxicos do xbox que contaminavam tudo, pois eu era ativo nas redes sociais, o que foi um tremendo ERRO… devia ter ignorado e bloqueado geral
Isso aí pode ser só a colheita do que foi plantado, agora aguentem ou ignorem

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Creio eu que o Xbox sobreviva relativamente bem (só não como eu gostaria – foco no console e em AAA games de nível Blockbuster”) And so… mesmo que não tragam mais foco nele, ele fica como um “PC” custom, não sendo mais produzido, como receio possa ocorrer com o Serie S se continuar “encalhado” (ou escoando abaixo da expectativa se preferirem) mas o suporte aos que estão continua e a plataforma se ajusta para ir a outros locais, tais como PC, Smartphones via Cloud e se alguém aceitar seus jogos de suas produtoras e serviços.
Sendo assim, vejo um plano de contingência relativamente consistente para a continuação do projeto em novos moldes. Só o console parece realmente não ter tanto futuro no meu ponto de vista (inclusive eles dão sinais disso o fazendo já pronto pra ir pra um cluster Azure), mas o Gamepass também estou com dificuldade pra acreditar devido ao que considero baixa adesão, mesmo a valores simbólicos e/ou populares

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Carlos Zidane
1 mês atrás

Quando me refiro ao Xbox é o console. E do jeito que as coisas vão acho difícil continuar por muito tempo. A Microsoft investe em propaganda pesada em cima dos serviços e o console é só mais um meio de jogar do que qualquer outra coisa. Não vejo um futuro para o console ao meio de tudo isso: jogos estavam Day one no Pc e hoje alguns já saem antes no Pc (Gears Tactics e Flight Simulator por exemplo), o foco em serviços, Phill Spencer afirmando que ainda não desistiu de colocar os serviços nas plataformas consideradas rivais e assim por diante.

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Arrisco dizer que o Xbox só não morre fácil nesse ponto pois, o mercado norte americano é fiel a suas coisas e os fanboys criam uma matrix ao qual contagia muita gente (que precisa urgente de um Morpheus com a pilula vermelha) e nessa esperança de dar a volta as custas de pressão financeira, me cheira a algo como a crise imobiliária de 2008, uma hora os títulos podres explodem, os bancos fecham as portas, os clientes se lascam e o Obama vai lá e resgata os bancos deixando o povo lixado.. o que traduz em MS segue o barco e quem esperava alguma coisa boa vai ter que se virar com coisas nível candy crush via stream e um peso de papel de 4/12 Tflop
PS: estou como satan tentando o Messias no deserto hoje

Edson Nill
Edson Nill
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

André, quanto ao Flight Simulator, creio que o console foi privilegiado nessa, pois esse game sempre foi de PC!

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Edson Nill
1 mês atrás

Sim, porém aí mostra como as coisas funcionam por lá e que o console não é mais a prioridade e nem o plano B.

Edson Nill
Edson Nill
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Sem dúvida! O console vem sendo negligenciado há anos, onde o cloud é prioritário, depois o pc, tendo o console como último.

Finn
Finn
Responder a  Edson Nill
1 mês atrás

Na minha visão, o console está bem longe de ser negligenciado nesta geração. Na realidade, nem sei como alguém informado possa pensar o contrário. É bem verdade que ele não é mais o foco principal da MS desde o final da geração passada, que agora aposta em mais de uma frente e principalmente em serviços para levar a marca e a experiência para diferentes plataformas dentro do mesmo “ecossistema”, afinal faz parte da filosofia dela de levar mais opções e jogos a mais pessoas, independente da plataforma. Dito isso, me parece que o console ainda tem posição privilegiada nos planos da MS, seja por representar um tradicional pilar que pode ser um lugar para retornar caso os planos não funcionem, seja porque eles tem potencial para melhorar o desempenho do GP (tanto em assinaturas quanto em servidores do Xcloud, que não serão PCs, mas XSX). E além disso, me parece que a melhor experiência do Xbox é nos consoles, pelos motivos a seguir:

  • O console é um custo benefício melhor que PC, o que significa que subsidiam o seu valor.
  • Existem dois consoles no mercado, oferecendo mais opções ao consumidor.
  • O Game Pass para console tem um catálogo muito melhor que o GP para PC e o de Xcloud (da EA Play também).
  • Os consoles oferecem uma retrocompatibilidade em constante evolução e sem precedentes na indústria, seja com as versões enhanced, seja com os impressionantes Auto HDR e FPS Boost, este último responsável por um grande número de jogos rodando a 120 fps. Existem diversos jogos possíveis de se jogar via retrocompatibilidade e que não existem no PC, especialmente de Xbox e 360. Existem alguns que ficaram até melhores na versão enhanced que a versão de PC. Para a geração passada, em que o PC levava ampla vantagem, o FPS boost diminui muito o gap, porque a maioria das resoluções e fps dos jogos com fps boost torna essa vantagem inexistente ou pouco relevante.
  • Os consoles possuem features “exclusivas”, como o Quick Resume. Também há todas aquelas siglas, acrônimos e nomes: ALLM, Direct ML, Xbox Velocity, Intelligent/Smart Delivery, BCpack, DXR, DLI, Mesh Shading, SFS, VRS, VRR e tecnologias de áudio e vídeo. Sim, várias dessas tecnologias existem no PC também, ao menos em partes, mas não existe nada no PC em termos de software que não exista nos consoles, ao menos não no “ecossistema Xbox”, excluindo-se as features da Nvidia.
  • A Gold, embora paga, oferece uma experiência melhor no geral que jogar online no PC, porque “dá” jogos todos os meses (embora ultimamente tenham sido ruins), deixa jogos livres para serem jogados todos os finais de semana (normalmente sem limitações), proporciona um ambiente sem cheaters, com menos quedas, lags e com party chat mais fáceis.
  • Possibilidade de usar teclado e mouse em vários jogos e futuramente no navegador.
  • Enfim, o XSX é um console com performances e tecnologias embarcadas no mínimo equivalentes ao PS5, que é uma plataforma mais fechada e voltada para a exclusividade e que depende total e unicamente do desepenho do console.

Caso os consoles fossem negligenciados, não teriam investido tanto no projeto e na implementação de tantas features de modo cuidadoso, se fossem carta fora do baralho, provavelmente sairia algo semelhante ou pior que o Xbox One comparativamente falando.

Finn
Finn
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Eu não disse o contrário. Só que isso é assunto da divisão Xbox como um todo, não só dos consoles, afinal os jogos também são um grande chamariz para o Xcloud e GP de PC. No momento, a oferta de jogos first party novos do Xbox é muito ruim, para não dizer inexistente. É realmente vergonhoso lançar um console no mercado sem nem ao menos um jogo first. Inclusive a escassez de jogos chamativos e que eu possa jogar só na nova geração é o que me segura para comprar um console da nova geração (aliado também a escassez de estoque).

Edit: Acho bastante temeroso julgar qualidade dos jogos só pelas notas no Metacritic, mas entendo teu ponto.

Finn
Finn
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Gears Tactics e MS Flight Simulator são jogos tradicionalmente de PCs, assim como o Age of Empires. O fato de estarem saindo também para os consoles prova que os consoles ainda tem a atenção da MS. Aliás, o catálogo de GP do console é melhor que o de PC.

Andrio
Andrio
1 mês atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Eu sei que a a Microsoft tem muito dinheiro para segurar o prejuizo da divisão xbox, mas pergunta que fica é até quando vão suportar isso.

[OFF] A gamesindustry soltou uma materia sobre as vendas Fisicas inicias do Resident evil Village em UK.

*Terceiro maior lançamento no ps5.
*Para PS vendeu um total de 80% sendo 49% ps5 e 31% ps4
*Para Xbox vendeu um total de 20%

Curioso para saber como foi essa proporção para midia digital.

https://www.gamesindustry.biz/articles/2021-05-10-resident-evil-village-is-the-third-biggest-ps5-launch-so-far-uk-boxed-charts

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Andrio
1 mês atrás

Aí já mostra muito como a Microsoft vem acostumando seu público. Não compram, só jogam o que está no gamepass. Quem sustenta sequências desses jogos third é o PlayStation. Daqui a pouco não vai compensar fazer um trabalho para SX/SS e alguns devs vão lançar só no PlayStation mesmo.

Andrio
Andrio
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Eu acho meio impossível nao fazerem versoes de xbox. A ms n deixaria isso aconteceter. Eles podem vender uma boa parcela durante um tempo no ps e a ms fazer algum acordo $$$$ para por no gamepass depois de um tempo

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Andrio
1 mês atrás

Quanto tempo você acha que vai durar a Microsoft tirando dinheiro do bolso para disponibilizar no gamepass? Acha que isso será eterno ou ela comprará todos os Studios grandes? Impossível, amigo.

Finn
Finn
Responder a  Andrio
1 mês atrás

Sei que esses dados são só da pré venda e no máximo dos 3 primeiros dias das vendas físicas desse jogo no Reino Unido, mas é estranho um veículo dizer simplesmente “Xbox”, porque em regra isso só se refere aos Series (cujo nome oficial é só “Xbox”), o que excluiria o One. Não sei se a intenção deles foi essa mesma ou foi somar os dois.

Vitor hugo Reale Pereira
Vitor hugo Reale Pereira
1 mês atrás

Mario agora com o lançamento do jogo resident evil village temos uma coerência na performance nos consoles, sendo que o xbox series x ganha em certos momentos no modo ray tracing 10% a mais de fps que o ps5. Será assim durante toda geração ou são apenas casos isolados,?

nETTo
nETTo
Responder a  Vitor hugo Reale Pereira
1 mês atrás

Kkk

Vi a análise do VGTech que toca mais quanto a performance e a diferença nunca chega em 10% em cenas sincronizadas, como é possivel ver no vídeo deles, onde um cai o outro na maior parte do tempo vai junto com uma ligeira vantagem para o XSX de 2 a 4fps, em alguns poucos momentos também é possível ver o PS5 com uma ligeira vantagem de 1fps.

Uma vitória em performance ao XSX, não há dúvidas, aliás, já é a segunda neste motor da Capcom. Também é correto dizer que o PS5 tem a seu favor os quase inexistente tempos de loadings.

Livio
Livio
1 mês atrás

[OFF] Não sei se já citaram por aqui, mas o fato de estar Day One no GamePass não afetou a plataforma PS:
MLB: The Show 21 e Returnal entre os mais vendidos na PS Store em Abril

Finn
Finn
1 mês atrás

A Sony e Nintendo estão “jogando seguro”, enquanto que a divisão Xbox está em tempo de grandes investimentos, com a expansão do GP e aquisições de estúdios. É absolutamente normal segurar alguns anos de prejuízo. Realmente a prática da MS de não esclarecer seus números em geral é ruim, mas aparentemente não existe nada que a obrigue.

Finn
Finn
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Sim, mas o facto é que a divisão Xbox tem os investimentos da MS, assim como a Playstation tem os da Sony e também não seria o que é hoje sem a Sony. Esses cenários hipotéticos e futurologia não levam a nada. Quanto às unidades vendidas, eu diria que o Xbox tem grandes chances de superar a One e talvez a 360. O cenário de 2:1 é impossível de se repetir. Isso porque o Xbox é tão bom quanto o PS5 e melhor em alguns aspectos, ao contrário da geração passada, com o One.
Jogar seguro é exatamente o que a Sony está fazendo, na minha visão, investindo só em jogos e estúdios que dão retorno seguro, o cancelamento de Days Gone 2 e fechamento da Japan Studios é exemplo disso. Quais foram os investimentos dela para além disso? Talvez no desenvolvimento do hardware do PS5 e melhora na Plus, que deu um salto em qualidade ultimamente. Mas fora isso, não vejo nada que demande investimentos altos, não existem tantos jogos first party anunciados por ela por enquanto (só 4, GoW, GT, R&C, e Horizon) e só alguns second/com exclusividade temporária. Agora, o investimento em jogos e serviços da MS é massivo, se isso dará frutos, o tempo dirá.

Andrio
Andrio
Responder a  Finn
1 mês atrás

Eles acabaram de lançar Returnal dando apoio total a Housemarque como só jogam safe? um jogo totalmente diferente do que os studios dela costumam produzir.

A bendStudios está contratanto para um novo jogo AAA.
https://twitter.com/BendStudio/status/1390030947588792323?s=20

Fora que esse lance de cancelamento do daysGone eu nem boto tanta fé já que o carinha que saiu da Bend falou que não tinha nada de daysgone 2.

Sim, o investimento da MS é massivo pq ela precisa e muito. +600 dias sem um Triple AAA e correndo o risco de uma das suas maiores franquias passar vergonha num lançamento que é o Halo.

Daniel
Daniel
Responder a  Finn
1 mês atrás

Já viste o quão grande estúdios da Sony estão? Estúdios como Insomniac, Santa Monica e Guerrilha beiram 400 funcionários, e a Naughty Dog 500. Rumores sobre Sunset Overdrive remaster, Sunset 2 e Spider Man 2 estarem sendo cooproduzidos, além do R&C Rift Apart não é só pelo fato da Insomniac ser “boa e eficiente” não. A empresa dobrou de tamanho depois que foi adquirida. A exceção da 343 e poucos estúdios da Zenimax, nenhum outro estúdio da Microsoft tem essa estrutura. A Microsoft está investindo um caminhão de dinheiro sim, muito mais que a Sony, mas não quer dizer que esta está parada.

Finn
Finn
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Eu digo no panorama geral das vendas no final da geração, na minha visão é impossível o cenário 2:1 se repetir. Agora até pode ser que sim, uma vez que a Sony tem uma produção muito maior que a MS, mas em algum momento a demanda será inferior a oferta, assim como em todas as gerações. E não vejo o Series vendendo menos que o One e o PS5 vendendo mais que o PS4.

Andrio
Andrio
Responder a  Finn
1 mês atrás

É finn, parece que vc estava errado

Over 25 games are in development from PlayStation Studios for PS5, nearly “half of which are entirely new IP”, says Hermen Hulst

https://twitter.com/shinobi602/status/1392516556735844353?s=20

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Andrio
1 mês atrás

Essa notícia me deixou impressionado. Principalmente se pararmos para pensar que só temos 5 meses de geração, e provavelmente alguns dos jogos que sairão no final da geração PS5 ainda não estão em desenvolvimento.

Finn
Finn
Responder a  Andrio
1 mês atrás

Se isso se confirmar será realmente impressionante, bem longe de jogar seguro como eu havia dito.

Rocketty
Rocketty
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

A PlayStation teria se sustentado como, na época do PS3, senão as custas das outras divisões da Sony?

O PSX nasceu do nada, sem receber um tostão das divisões da Sony?

A Microsoft gasta mais porque tem mais. Se a Sony nasceu 29 anos antes e não é metade do tamanho da MS, é sinal de má gerencia?

A Sony não faria a mesma coisa no lugar da Microsoft? É uma empresa que preza por gamers e por isso vem a cobrar por crossplay?

O Gamepass talvez não oferte games que venham a ofertar jogos que façam com que as pessoas não queiram por gastar em novos jogos?

Faltam consoles, o Gamepass crescendo de forma alucinada enquanto faltam consoles.. ofertar mais agora para que?

São apenas momentos diferentes. Já vimos esta novela durante a PS3, que só não vendeu ainda mais desde o comeco por falta de peças. Custava uma bagatela, possuía uma PSN pífia e vira um 360 ditando as novas tendências.

Tanto Sony quanto Microsoft possuem equipes que sabem muito bem o que estão fazendo: o que é mais conveniente.

Rocketty
Rocketty
Responder a  Mário Armão Ferreira
1 mês atrás

Obrigado, Mario!!

Sempre acompanho as suas postagens já há um longo tempo e diversas vezes tive ideias diferentes das minhas as quais me refizeram repensar algumas coisas, porem não vejo grandes diferenças dentre Sony e Microsoft!

Tempos atrás fui a cá dar uma conferida nos incomes & losses de toda família PlayStation e os números me deixavam claro que o PS3 havia até anulado grande parte do conquistado com o PS2! Sem falar que nunca vamos saber até que ponto o PSX foi profitable ao ponto de pagar todas as contas do investimento proveniente da empresa mãe. Uma coisa é certa, as duas focam no longo prazo e apostam algo, é um mercado gigante que ninguém entra para brincadeira.

Quem arrisca mais, petisca mais. Agora, não vejo erro de gestão na Microsoft (vi no One e sua impressão inicial que foi horrores) e na Sony com o PS3 que nada oferecia por muito pouco a título de prejuízos petulantes, números que fazem as 3RL parecem uma pequena brincadeira, isto dito por 2 engenheiros da IBM (recomendo o livro The Race for a New Gen Machine. Conta parte da história de como PS3 e 360 foram concebidos). Será que todos aqueles anos de Live não serviram como algo positivo aos bolsos da MS durante toda a gestão 360? Você não precisa lucrar no hardware, e eu em muito duvido que mesmo assim a Microsoft não venha tudo a obter lucros. A Sony esconde o jogo tanto quanto a MS!

O próprio Phil Harris fora questionado a alguns anos (esteve na Sony em sua gestação PS3 e na Xbox após, antes de ir para a Google!) sobre o preço do PS3 em uma entrevista da IGN onde o entrevistador o aborda com a pergunta de se o preço inicial da PS3 era o de 800 sem descontar as subsídios e ele deixa claro de que era até mais do que isto ao mesmo tempo em que se nega a falar o valor, dando a entender de que a coisa foi ainda mais cara.

Tem dinheiro? Acredita no plano? Arrisque. Os jogos dados pela PSN não foram um risco? A PSN e o custeio de de jogos pela PSN pela Sony não seriam tão arriscados quanto o modelo da Microsoft? Estamos a falar da Microsoft (esqueça Xbox), empresa que ano após ano bate recordes e se e alguém aqui pode arriscar a fazer mais, é ela. Vejo que a empresa ganha um status de bandida monopolista.. pois ora, o sonho de qualquer empresa é poder arriscar tanto quanto ela, é assim que se domina um mercado. Empresa em primeiro lugar pensa em fazer dinheiro a longo prazo, e esses caras não tem uma equipe a fazer contas de padaria pensando em trades de jogos de forma neandertal.

A própria PlayStation dilacerou o esquema de cartuchos comandado por Sega e Nintendo, que sugavam até a alma de estúdios compostos por uma miseria de pessoas que eram obrigadas a comprar lotes de cartuchos caríssimos.

A Atari e a Nintendo mataram o sistema de arcades. Não seria a Gamepass um passo natural?

E considero 23 milhões de usuários do Gamepass um absurdo! A história de contas recicladas há mim não cola. Do contrário colaria para a PSnow que a muito patina e fez promoções absurdas em alguns países e mesmo assim fica a patinar. As pessoas não querem apenas jogar.. o querem jogar em sua conta principal. Penso que este público mão de vaca seja tão grande quanto o de PS4s piratas: irrelevante.

Streaming está batendo a porta e consoles são o último intermédio antes de ficarmos presos aos servicos PSN e Live. Tanto faz se no Pc ou no PlayStation. Como sabes, a PSnow também está no Pc e e muito em breve estará em todo e qualquer lugar. Afinal, quanto menos consoles forem necessários para se vender um mesmo serviço, melhor!

Não entendo porque a Gamepass estaria a obstruir os níveis dos jogos. A Microsoft vai entregar o que o público quer. E não é investindo bilhões que vens a sinalizar que está para brincadeira.

Acho os números da Xbox excelentes até o momento, pois prova que tendo possuído um sucessor como o One (base menor que a 360) frente a esse mar de PS4s enquanto faltam Chips) se traduziu em uma maior attach rate se comparada a antiga geração, onde a base de 360s era maior.

Mas repito, o All In é ótimo para quem o pode! Permitiu a Sony entrar no mercado de consolas e vários outros que hoje estão a sumir (como o de smartphones!), permitiu a Google lançar inúmeros serviços beta ou gratuitos.. todo mundo fala do fail do stadia, mas esquecem dos acertos que foram as tentativas com a sua search engine, Android, YouTube, maps e o próprio gmail! Até a aquisição da Motorola para mastigar as suas patentes o foi um acerto. Permite a Microsoft fazer jogadas que vem a estremecer o mercado, e assim o tem de ser.

Podes mais? Apostas mais. Eu tenho certeza de que a Sony não jogou tudo para os ares durante a PS3 (os numeros são os mais horrorosos já vistos dentre PS e Xbox) porque sabia que a longo prazo valeria (e está) valendo a pena, o que é custear o mesmo ou menos para a Microsoft?

Livio
Livio
Responder a  Rocketty
1 mês atrás

O PSX nasceu do nada, sem receber um tostão das divisões da Sony?

Não sei se você já acompanhou a história do games, mas em todo lugar que vejo o PS1 (PSX é outro aparelho que consiste em um PS2+DVR) inicialmente não teve apoio da Sony, pois a mesma mandou dar fim as unidades SNES PlayStation fabricadas. O PS1 só teve vida devido a insistência do Kutaragi e do Olafur (lá pelos 26:20 do vídeo, embora lá não cite o Kutaragi).

Esse vídeo conta um pouco a história dos games em conjunto com entrada dos mesmos em território brasileiro

https://youtu.be/ezgiq6vjCb0?t=1370

Rocketty
Rocketty
Responder a  Livio
1 mês atrás

Sei da história dele sim, sim!

Também tenho ciência da nomenclatura, mas chamo o PS1 de PSX porque assim ele era chamado.

O Kutaragi era a frente do tempo,embora prepotente. Mas a tentatica do Cell foi valida, arriscou pra tentar petiscar, empresa que não tenta melhorar e só pensa em encher cofrinho fada ao fracasso.

Ele tentou até parcerias com a Sega (a americana considerou, a japonesa, não). A Sony até dava devkits sem custos para desenvolvedoras! Por isso o digo, não a diferença de posturas. Apenas posturas mais convenientes ao que mais favorece naquele momento.

error: Conteúdo protegido